Beagle

Beagle

Beagle

As patinhas curtas dos Beagle podem dar a ideia errada, mas esta raça de porte médio está em forma e é cheia de surpresas. São cães ativos, audazes e muito astutos.

Aparência dos Beagle

O Beagle é um cão compacto de raça média que pode chegar a medir até 40 cm e pesar até 18 kg. As suas patas, ainda que curtas, são particularmente fortes e responsáveis pela sua rapidez e resistência. A cabeça é alongada e as orelhas caídas e arredondadas são o seu traço mais característico. Nesta raça, com exceção do castanho-avermelhado, todas as cores estão reconhecidas; as cores mais comuns nos Beagle bicolor são castanho e branco, acobreado e branco e limão e branco; nos tricolor as cores mais frequentes são preto, castanho e branco. Nas descrições da raça é sempre referida, como característica essencial, a ponta branca da cauda.

Dado o seu pelo curto e brilhante, os cuidados a ter, por exemplo, depois de um passeio pelo campo e de umas investidas pela mata, são simples… Por sorte a sua cauda, sempre a apontar alegremente para cima, distingue-se muito bem da vegetação enquanto explora o terreno, ao mesmo tempo que indicia, também, a sua ascendência de cão de caça.

Personalidade dos Beagle

O Beagle sabe muito bem o que quer. O seu olfato e a sua rapidez deve-se à linhagem de cães de caça da qual descende. É por esta razão que esta é uma raça com um instinto caçador tão marcado; é normal que um Beagle possa desaparecer no meio dos arbustos, apesar do seu dono o estar a chamar, simplesmente porque encontrou um coelho. São cães verdadeiramente inteligentes que gostam de usar o ar inocente a seu favor; é preciso mão firme com eles – se tiver um Beagle e não deixar claro, desde o início, que ele lhe deve obedecer, pode ter a certeza de que ele lhe vai levar a melhor. Este cão, com alma de caçador, é obstinado quando tem um objetivo, e isto independentemente da situação – esteja a passear, a vaguear pelo campo ou em casa, no dia-a-dia.

Como parte de uma matilha, é sociável e dá-se bem com outros cães da sua idade, raça e tamanho. Caso conviva frequentemente com outros cães, é bastante importante estabelecer limites e educar o Beagle e os restantes cães de forma adequada e consequente. Caso contrário, este fiel companheiro de patinhas curtas tentará afirmar-se como o macho alfa do grupo. Uma das características mais evidentes enquanto animal inserido numa matilha, é a insaciabilidade relativamente à comida; se vive em grupo, será o primeiro a alcançar a tigela da comida. O seu apetite não tem limites e não hesitará em comer algo que possa ser estranho ou perigoso para ele – pensemos no caso dos doces de Natal…

Os cães inteligentes, como é o caso dos Beagle, são ávidos por entretenimento; adoram jogos de inteligência, mas também exercícios de Agility e os longos passeios com os seus donos são das suas atividades de eleição. O importante é estar em movimento! O Beagle adora estar fora de casa e por isso é o companheiro perfeito para donos ativos – sente-se como um peixe dentro de água na companhia de adultos, sem esquecer as crianças.

Há um ponto que nunca é de mais enfatizar: o Beagle é um cão que se pela por mimos, mas é também inteligente e seguro de si mesmo, e é por isso que precisa de firmeza no tratamento. Em resumo, é isto o essencial que precisa de saber quando partilha o mesmo espaço com um Beagle. Não que seja um cão difícil nem impossível de educar; ainda assim, sabe perfeitamente o que quer e pode assumir uma posição de domínio quando não reconhece a autoridade humana. Não se deixe amolecer pelos seus olhinhos redondos e brilhantes e não ceda – deixe bem claro quem é o líder. Como animais inteligentes que são, aprendem rapidamente e, com pouco esforço, serão os melhores companheiros de quatro patas.

beagle welpe im garten

Origem da raça

Estas características não são fruto da casualidade; na verdade, desde há vários séculos que os Beagle são utilizados como cães de caça. As suas origens remontam ao chamado Cão de São Humberto ou Northern Hound, introduzido em Inglaterra em 1066 com a conquista da Grã-Bretanha pelos normandos. Algures no século XV, deu-se o cruzamento desta raça com o Sourthern Hound, raça originária do sul de França, conhecida pelas suas manchas. Para os criadores daquele tempo, o fator decisivo para a criação de cães era a sua apetência para a caça e a função que podiam desempenhar na matilha. É nos livros de contas do rei Henrique VIII que que aparece pela primeira vez o nome Beagle, em 1515. Em 1615, é também mencionada pela primeira vez a existência de uma raça pequena de cães designada Little Beagle; tão compacta que os animais cabiam dentro dos alforges dos caçadores. E estes cães tinham um excelente instinto de caça. O termo Beagling foi cunhado nesta época para denominar a caça em matilha. Todavia, não foi antes de 1890 que o British Kennel Club – a Federação Cinológica britânica – reconheceu esta raça.

O Beagle deve a este passado não apenas o seu aspeto, como também o seu carácter dócil. Apesar de ser indubitavelmente um cão de caça e de matilha, sabe bem o que quer. É inteligente, paciente e amigável, além de muito sociável, e é por isso ideal para viver em família.

Função

Dado o seu tamanho, o Beagle não é um cão cobrador, isto é, um retriever, que recolhe e entrega as presas ao caçador. Até uma lebre pode ser demasiado pesada para esta raça de porte médio; no entanto, o seu acentuado instinto de caça e o seu olfato excecional transformam-no num excelente cão de rasto. A água não os assusta e gostam de desempenhar a sua função numa matilha. Apesar das suas origens e da sua apetência natural, não são somente usados como cães de caça.

Estes são cães que encaixam perfeitamente na dinâmica de famílias ativas. São igualmente utilizados em sessões de terapia e, lamentavelmente, também como cobaias; dado o seu feitio dócil são a raça mais usada para propósitos de investigação científica.
O seu olfato apurado torna-o num animal competente para o controlo fronteiriço. É por esta razão que o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras dos Estados Unidos trabalha, desde os anos oitenta, com as designadas Brigadas Beagle, de modo a intercetar a entrada ilegal de alimentos, plantas ou partes de animais no país.

Saúde e alimentação

Durante séculos, tendo em conta as suas características, o Beagle foi criado como cão de caça. Porém, a criação seletiva tem os seus inconvenientes: tal como outras raças, verifica-se uma predisposição para padecer de determinadas doenças. Com um corpo atacarrado têm tendência para sofrer com hérnias discais e excesso de peso, tal como de meningitis arteritis.

O Beagle é um cão de caça e, por isso, o seu apetite é insaciável; é o primeiro a chegar à tigela da comida e isso pode ter consequências – caso não faça exercício suficiente, poderá vir a ter excesso de peso. A atividade física é a melhor forma de prevenção. Mantenha o seu Beagle ativo e aproveite as suas capacidades físicas e mentais. Ao decidir adotar um Beagle, proporcionar-lhe uma alimentação saudável é um outro aspeto a ter em mente. Mantenha-se firme e não ceda aos seus olhinhos meigos a pedinchar comida, sobretudo quando se tratam de guloseimas ou de restos de comida! Infelizmente, não sabe diferenciar o que é bom ou mau para o seu bem-estar e é esse um dos papéis do dono.

O excesso de peso sobrecarga a sua coluna vertebral e as suas articulações. Os cães pequenos e de estrutura alongada são a propensos ao aparecimento de hérnias discais. É-lhes frequentemente diagnosticada meningitis arteritis, infeção também conhecida como síndrome de dor beagle. Esta doença inflamatória, bastante frequente e cuja causa é desconhecida, afeta a medula espinal dos cães, produzindo uma inflamação supurativa das membranas que revestem a medula espinal e dos vasos sanguíneos. As terapias para combater a doença podem prolongar-se durante vários meses e poderá ser necessária a toma de antibióticos ao longo de bastante tempo.

Do mesmo modo, não surpreende que sofram de ataxia. Esta patologia, normalmente descrita como mielopatia degenerativa, é uma doença neurológica. A inflamação degenerativa da medula espinal e da matéria cinzenta do tronco encefálico traduzem-se em transtornos ao nível da motricidade e da espasticidade, ainda que não pareçam causar dor ao animal.

As suas orelhas caídas tornam-no vulnerável às otites. As secreções ou corpos estranhos, como a erva, podem provocar infeções dolorosas. Também para parasitas como os ácaros as orelhas dos Beagle podem ser bastante confortáveis. Sinais de alarme como sacudidelas enérgicas da cabeça ou a inclinação da mesma, podem ajudar a detetar atempadamente o problema.

Os olhos grandes e redondos dos Beagle são infelizmente propensos a doenças. O glaucoma, a distrofia da córnea ou a atrofia da retina são infeções oculares frequentes em cães desta raça.

Em resumo, o Beagle é um cão ativo e inteligente cuja esperança média de vida se situa entre os 12 e os 15 anos. Um bom dono, que queira proporcionar ao seu Beagle uma vida longa e saudável, deve ter plena consciência da importância que tem uma alimentação saudável e o exercício para a prevenção do excesso de peso; além disso, deve consultar regularmente o veterinário.

Envelhecimento

É certo que os animais de idade avançada necessitam de atenção médica especializada.
Se nota a deterioração da visão ou do olfato do seu Beagle e se este se mostra relutante nos movimentos, consulte o veterinário para que este determine se o seu companheiro sofre ou não de alguma doença articular degenerativa. No caso dos Beagle sénior, uma dieta saudável é igualmente imprescindível. É essencial que sejam satisfeitas as suas necessidades nutricionais sem que ganhem peso desnecessariamente.

2 Jahre Beagle

Criação dos Beagle

Ainda que a criação dos Beagle tenha as suas origens na Grã-Bretanha, acontece também em Portugal. Existem associações de cães desta raça espalhadas por todo o território, onde os criadores se podem registar.

Se pensa que para adotar um cão doméstico não é necessária burocracia, desengane-se e não se deixe enganar por criadores duvidosos a vender cães de raça sem certificado. Criar animais de raça é um trabalho muito exigente e também dispendioso; o criador não só tem que alimentar os cães até à sua ida para o novo lar, mas também tratá-los com muito carinho, sendo igualmente responsável pelos antecedentes genéticos da raça. Não se trata apenas do aspeto exterior do cão; trata-se também da sua saúde. As associações de criadores controlam as condições de criação dos cães, tal como são responsáveis pelo controle da qualidade dos cruzamentos. Pelo contrário, quando a cria é de origem questionável, é habitual que o cruzamento seja feito entre irmãos ou outros parentes próximos, o que aumenta o risco de doenças hereditárias. É frequente que cachorros provenientes de criadores pouco fiáveis não socializem nem sejam vacinados e tenham por isso tendência a sofrer de certas doenças desde muito jovens.

Por outro lado, é comum que um criador de confiança lhe dê referências sobre os pais daquele que irá ser o novo membro da família, como os historiais médicos correspondentes. Os cuidados a ter com uma ninhada são dispendiosos, pelo que não se deverá surpreender se o seu criador de confiança não tiver mais do que duas ninhadas por ano. Não se esqueça de que a mamã precisa do seu tempo de recuperação depois de ter dado à luz uma ninhada. E a partir das 8-10 semanas os cachorrinhos estão prontos para a sua nova vida no novo lar.

Os cães de raça são caros, mas valem a pena o investimento!

Uma alternativa a esta situação, são os cães que se encontram nos canis a aguardar a adoção, entre os quais se encontram alguns Beagle. Nestes centros e associações poderá pedir informações acerca das características e antecedentes dos animais. Os cães adultos podem não parecer tão apetecíveis como os cachorros, mas dar um novo lar a um Beagle adulto também tem o seu encanto. Meigos e curiosos, serão certamente uma fonte de alegria junto de si e da sua família.

Para si e para o seu Beagle, os nossos maiores desejos de uma vida fantástica e cheia de aventuras!

Os nossos artigos mais relevantes
Está a pensar adotar um Rafeiro Alentejano? Conheça todas as características da raça e se é o cão indicado para si.
Gosta de agradar, adora pessoas e é robusto: o Labrador Retriever é extremamente popular como cão de família.