Border Collie

border collie natureza

O inteligente e exigente Border Collie, com o seu pelo áspero ou macio, é um cão de pastoreio, pelo que pode não ser apropriado como cão de família.

Personalidade

O pastoreio corre nas veias do Border Collie. Sendo incrivelmente devotado ao trabalho e dono de uma inteligência notável, é com facilidade que guarda grandes rebanhos. A sua especialidade é o pastoreio de ovelhas. Conduz facilmente os animais na direção desejada, guia-los através acessos e isola determinado animal do grupo. Embora muito independente, trabalha lado a lado com o pastor. Com uma liderança competente e adequada, que saiba apreciar e incentivar as suas aptidões, o Border Collie é de tratamento fácil e obediente. São cães muito sensíveis e o seu maior desejo é agradar aos donos.

Combinada com o seu enorme entusiasmo pelo trabalho, esta vontade de agradar significa que o Border Collie trabalha até não ter forças ou até que o dono lhe diga para descansar. Além da atividade física e, mais importante, da atividade mental, essencial para estes cães temperamentais e perseverantes, é também fundamental a companhia de um dono competente e experiente, pronto a ensinar-lhes a relaxar e em que situações o seu instinto de pastoreio não é necessário. Não é incomum ver-se Border Collies, que não foram educados da forma correta ou não estimulados o suficiente, a pastorear crianças, carros ou outros objetos para compensar, por vezes com consequências trágicas.

Educação

Este não é um cão para principiantes

Uma socialização atempada e uma educação consistente são tão importantes para este fascinante cão pastor como suficiente ocupação física e mental. A sua rápida compreensão, vontade de aprender e lealdade para com o "líder da matilha", dizem-nos, por um lado, que é fácil de treinar, mas que, por outro lado, também aprende depressa as coisas erradas. Este inteligente cão rapidamente identifica os erros e os pontos fracos da educação que lhe é dada e sabe bem como usá-los a seu favor. A adoção de Border Collies só deve ser feita por donos com experiência, isto é, com a capacidade de corrigir os erros de comportamento, ou melhor, evitá-los de todo.

Aparência

O olhar atento e leal dos Border Collie, que pode mudar repentinamente no desempenho das suas funções, revela bastante da sua natureza, super dedicado às pessoas, mas demasiado zeloso. No que toca a ter os animais sob controlo, a sua expressão transforma-se: rígida e severa. Este olhar profundo dá-lhe uma autoridade que não deve ser subestimada pelo dono. Outra particularidade associada à atividade de cão pastor é a sua postura agachada no trabalho, que reflete um alto nível de concentração. A cabeça está baixa e a cauda metida entre as patas, junto da barriga.

Atléticos corredores de longas distâncias

Mas mesmo ignorando essas duas características especiais, os Border Collie não conseguem negar a vocação como cães de pastoreio e de trabalho. O seu corpo musculado, atlético e bem proporcionado, além dos seus movimentos flexíveis e suaves, são sinónimos de rapidez, agilidade e resistência. Não levanta as patas do solo mais do que um bocadinho, movendo-se subtilmente e a grande velocidade. O corpo harmonioso, maior em comprimento do que em altura, chega aos 55 cm de altura ao garrote nos machos. As fêmeas são um pouco mais pequenas, com 45 cm de altura ao garrote. O peso, que deve ser em proporção com o corpo, oscila entre os 13-22 kg.

Duas variantes de pelo, muitas cores

De acordo com os padrões da raça, o pelo dos Border Collie pode ser de dois comprimentos diferentes: pelo suave e moderamente comprido ou pelo curto e áspero. Nos cães de pelo mais comprido, tanto a juba, como o pelo comprido na parte de trás das coxas e das orelhas é bem visível. Porém, o pelo é curto e macio nas duas variantes nas zonas das orelhas, parte da frente das pernas dianteiras e traseiras (desde os tornozelos até ao chão). Além disso, as duas variantes têm em comum o pelo bastante grosso, sendo o subpelo também grosso, oferencendo-lhes proteção fiável quaisquer que sejam as condições meteorológicas. Embora o Border Collie seja famoso pela pelagem branca e preta, são possíveis inúmeras outras variações. Assim, são permitidas quase todas as cores, embora o branco nunca deva ser a predominante. Além do preto e branco, são possíveis as seguintes cores: vermelho, azul, azul-merle, vermelho-merle, sable e lilás. Manchas de cor canela podem aparecer em todas as variantes.

Dependendo da cor do pelo, o nariz do Border Collie é preto, castanho ou cor de ardósia. A cabeça larga com o stop bem definido tem um focinho bem curto e uma mandíbula poderosa e regular. Os olhos de formato oval e tamanho médio são, por norma, castanhos - apenas na variante azul-merle podem ser parcial ou totalmente azuis. As orelhas de tamanho médio apresentam-se erguidas ou inclinadas para a frente. A cauda longa, de inserção baixa, nunca curva sobre o dorso.

História

O nome da raça dá-nos desde logo uma pista em relação à sua origem. A palavra inglesa "border" (isto é, "fronteira"), refere-se, neste caso, à fronteira entre a Inglaterra e a Escócia. Durante séculos, os agricultores aí residentes mantinham cães de pastoreio. Leal e obedientemente, os Border Collie pastoreavam as suas ovelhas e lidavam incrivelmente bem com o clima adverso da região. A primeira referência a estes animais robustos e dedicados ao trabalho, e que controlavam rebanhos de ovelhas como nenhuma outra raça, é encontrada no livro de 1576 De Canibus Britannicus, de John Caius. Ainda que na altura não fossem designados "Border Collie", a descrição do autor é muito semelhante a esta raça.

Old Hemp, o pai fundador

A criação consistente do Border Collie como cão de pastoreio não teve início antes do final do século XIX. Nascido em 1893, o macho Old Hemp, que impressionava desde o primeiro ano de vida com as suas fantásticas capacidades de pastoreio, é considerado o pai fundador da raça. Nos chamados sheepdog trails, ou seja, competições de pastoreio em que os melhores cães-pastor competiam uns contra os outros, o Old Hemp demonstrou as suas especiais habilidades uma e outra vez e depressa se tornou num dos machos reprodutores mais solicitados. O Old Hemp teve mais de 200 descendentes, que por sua vez passaram as suas excecionais capacidades como pastores aos seus filhotes. Muitos dos Border Collie atuais pertencem à linhagem do Old Hemp.

Border Collie, o nome pelo qual todos estes cães são conhecidos hoje em dia e se diferenciam de outras raças Collie, foi usado pela primeira vez por James Reid, em 1915. Reid foi o primeiro diretor do International Sheep Dog Society (ISDS), associação que organizava sheepdog trails desde 1906. A performance nestes trails é ainda um importante critério quando se pretende determinar a qualidade de pastoreio de um Border Collie. Na verdade, de acordo com a ISDS, é esse nível qualidade que indica se o animal está apto para criação. A FCI (Federação Cinológica Internacional), que reconheceu oficialmente esta raça em 1976, foi a primeira a incluir a aparência nos padrões de criação.

Criação

Durante muito tempo, os Border Collie foram exclusivamente criados como cães de pastoreio. O instinto trabalhador, a resistência e a obediência em relação à capacidade de pastoreio foram características cruciais na criação. Foi apenas nos últimos anos que estes cães passaram a ser considerados como cães de família. A crescente popularidade do agility para cães em Inglaterra e filmes como "Um porquinho chamado Babe" fez com que pessoas sem relação com o pastoreio se começassem a interessar pela raça. No entanto, as tentativas de alguns criadores para criarem uma variante mais calma do Border Collie, isto é, mais indicada como cão de família e de companhia, não conseguirem simplesmente anular os vários séculos de criação para alto desempenho. A ausência da sua misão inata, pastorear ovelhas, deixou infelizes muitos destes cães de raça altamente especializados.

Para que tipo de pessoas são adequados os Border Collie?

Por respeito à sua saúde mental, antes de comprar um Border Collie pergunte-se se terá efetivamente capacidade para satisfazer as necessidades desta raça. Longos passeios, passeios de bicicleta ou desportos de alta performance, como agility, podem não ser suficientes para saciar o seu desejo inato de trabalho. Não é estranho ver Border Collie pouco estimulados mentalmente a compensar esta falta com atitudes problemáticas, como pastorear crianças ou objetos, ou agressivas, comportamento que contradiz a sua índole.  Em suma, os Border Collie só pertencem nas mãos de pastores ou de profissionais que saibam apreciar os traços e atitudes típicas da raça e os consigam orientar na direção certa. Pessoas com experiência com cães e capazes de dedicar a maior parte do seu dia a oferecer-lhes estímulos mentais, além de segurança, calma, estabilidade e atividade física, irão certamente encontrar um companheiro leal e fiável no Border Collie. Assim, nestas circunstâncias, é possível mantê-lo como cão de família.

Saúde

Se manter o bem-estar psicológico é um enorme desafio para muitos donos, no que toca ao estado geral de saúde dos Border Collie esta é bastante boa. Estes cães são resistentes e pouco propensos a doenças. Ainda assim, são algumas as doenças típicas da raça. Nos Border Collie, tal como nos outros Collie, é frequente o defeito do gene MDR1, responsável pela hiperssensibilidae a vários medicamentos. Entre outras doenças hereditárias contam-se transtornos oculares, como a atrofia progressiva da retina ou a anomalia do olho Collie, o distúrbio metabólico canino lipofuscinose ceróide neuronal ou o doenças da medula óssea como o TNS (síndrome do neutrófilo preso). Além destas, e à semelhança de muitos outros cães de raça, os Border Collie podem desenvolver problemas nas articulações, como displasia da anca, ou epilepsia.

Cuidados

Os cuidados dos Border Collie em nada se comparam com as suas exigências físicas e mentais, pois não exigem muito tempo. De qualquer modo, estes cães têm de se habituar a uma rotina de cuidados. Para um pelo bonito e saudável, é importante escová-lo com regularidade. Se isso não acontecer, podem formar-se nós no pelo, sobretudo nos animais de pelo comprido. Além disto, é fundamental examinar com frequência as orelhas, os dentes e os olhos e limpá-los, se necessário. Assim, potenciais infeções não só são detetadas e tratadas a tempo, como até evitadas.

Alimentação

A alimentação tem uma influência decisiva na saúde de qualquer cão. No entanto, não existe a comida perfeita para a raça Border Collie. Acima de tudo, o que faz bem a determinado cão depende menos da raça e mais de certos fatores individuais. Idade, género, peso e estado de saúde pesam tanto como as condições de manutenção e o nível de atividade diário. Os cachorros e os seniores precisam de uma dieta diferente da dos cães adultos. Do mesmo modo, cães com alergias ou excesso de peso devem alimentar-se de modo distinto dos cães de perfeita saúde. Naturalmente, Border Collies a trabalhar como cães pastor têm necessidades energéticas diferentes dos adotados como cães de família.

Não se esqueça de ler o nosso artigo sobre comida para Border Collie!

O Border Collie é carnívoro

No entanto, a carne deve ser o ingrediente principal tanto da dieta dos Border Collie de trabalho como dos de família. Os cães são carnívoros e todo o seu aparelho digestivo e a dentição estão adaptados para o consumo de carne. As proteínas da carne constituem a sua mais importante fonte de energia. Porém, se oferece ao seu Border Collie a tão badalada dieta BARF, isto é, carne crua, evite, tanto quanto possível, a carne de porco. Embora improvável, há a possibilidade da transmissão de parasitas, bactérias ou vermes. Os restantes tipos de carne podem ser dados crus sem hesitação. Pode jogar pelo seguro e congelar a carne durante uma semana, matando assim os potenciais vírus.

E o que mais deve entrar no menu?

Além da carne, vegetais e fruta também deve entrar no menu do Border Collie. Também óleos com ácidos gordos omega-3, como óleo de salmão, são recomendados. Um ovo cru mantém o brilho saudável do pelo. Oportunamente, os ossos podem fazer parte da dieta,pois contribuem para a saúde dos dentes. Porém, saiba que apenas deve oferecer ossos inteiros, pois os ossos ocos podem lascar e provocar lesões perigosas no esófago e no trato gastrointestinal.

Manutenção: o que precisa um Border Collie?

Uma alimentação equilibrada e saudável, cuidados apropriados e regulares, tal como uma manutenção correta são a base para uma vida saudável. Proporcionar condições de vida que satisfaçam a natureza típica dos Border Collie é o maior desafio. A falta de espaço, um dono que não se ocupa o suficiente do animal e negligencia as suas necessidades físicas e mentais podem causar problemas. Não basta fazer uma hora de desporto com um Border Collie e esperar que se adapte a todas as situações. Este cão pastor quer trabalhar - mesmo que seja adotado como cão de família.

Se pretende adotar um Border Collie, certifique-se de que consegue corresponder às suas elevadas exigências. Se está preparado, tem tempo suficiente para trabalhar com este cão, suficiente criatividade para inventar novos desafios e experiência e conhecimentos suficientes de treino de cães, não apenas ficará em forma como será muito feliz com este patudo leal, bondoso e energético.

Leia também o nosso artigo acerca da chegada e familiarização de um cachorro: dicas e equipamento básico!

Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Yorkshire Terrier

Está a pensar adotar ou comprar um Yorkshire Terrier? Saiba qual é a sua personalidade, tipo de alimentação, cuidados de saúde e muito mais.