Comida para cães idosos

Comida para cães idosos

Comida para cães idosos

Aparecem os primeiros pelos brancos e os movimentos ficam mais lentos: o seu cão está mais velho! É esta a lei da vida dos cães, tal como acontece com os humanos. Mas não se assuste – há muita coisa que pode fazer para que o seu patudo viva esta fase da sua vida de maneira mais confortável. Uma dieta adaptada às necessidades dos cães sénior ajudá-los-á a manter a sua saúde e vitalidade.

Comida para cães seniores

Hoje em dia existem no mercado muitos produtos já preparados a pensar nos cães seniores. Mas será mesmo necessário um alimento específico para cães de idade avançada? Sim, pelo facto de neste período da sua vida os cães passarem por diversas mudanças e problemas de saúde. Já não são os mesmos cachorros brincalhões, ficam mais sossegados e movimentam-se menos. Além disso, a digestão torna-se mais lenta e o intestino diminui o seu desempenho, o que pode originar problemas digestivos como a prisão de ventre, a distensão abdominal ou a diarreia. A estes podem somar-se outras mudanças, como a dor de dentes ao mastigar e um paladar menos apurado.

Ficam evidentes outras doenças próprias da idade, como a artrite ou outras também relacionadas com as articulações. O envelhecimento não vem acompanhado de muitas coisas boas, mas não se preocupe: uma dieta apropriada pode ajudar a combater estes achaques da idade. Desta forma, o seu patudo manter-se-á são e em forma, mesmo na velhice!

Necessidades energéticas dos cães seniores

A redução da mobilidade própria da idade significa que as necessidades energéticas destes cães diminuem até cerca de 20%. A diminuição da atividade física tem também consequências em relação ao metabolismo: o alimento não se transforma em músculo, mas sim em gordura, pelo que o excesso de peso se transforma numa possibilidade. Sendo assim, as refeições para cães seniores deverão conter menos calorias do que as destinadas a cães adultos. Mas como poderá reduzir o teor calórico da dieta do seu patudo? A ideia mais imediata e fácil poderia passar pela simples diminuição da quantidade de comida, com doses mais pequenas – mas este é o maior erro que pode cometer! Neste caso, estaria não só a reduzir as calorias, mas também os nutrientes essenciais para o seu fiel companheiro, como as vitaminas e os minerais.

Vitaminas B, C e E

A L-carnitina e os antioxidantes, tais como as vitaminas C e E, fortalecem o sistema imunitário do seu cão. Estes também atraem os radicais livres, considerados uma das causas do envelhecimento. A vitamina E encontra-se no óleo de girassol e no de milho. Se optar por preparar você mesmo a comida para o seu cão, poderá misturá-los facilmente com a carne ou com os vegetais. As vitaminas hidrossolúveis, como as do grupo B, são essenciais na alimentação dos cães sénior. Tenha especial atenção, porém, com a vitamina A lipossolúvel, já que esta, em excesso no organismo, poderá conduzir à sobrecarga do fígado. Facto é que muitos cães adoram comer fígado e até mesmo beber óleo de fígado de bacalhau, sendo possível apresentarem excesso de vitamina A, em vez de carência.

Ácidos gordos omega-3 e omega-6

A secura da pele, a perda de pelo e o aumento das infeções cutâneas são alterações bastante frequentes entre os cães de idade avançada. Uma dieta rica em ácidos gordos omega-3 e omega-6 beneficia a saúde da pele e ajuda a manter o pelo brilhante. O omega-6 pode ser encontrado no óleo de linhaça. Vantajoso é também o omega-3 que se encontra no óleo do peixe, sendo o salmão um ótimo exemplo. Os óleos omega-3 não apenas contribuem para um pelo saudável, como igualmente para o bom estado das articulações. Diversos estudos clínicos têm vindo a demonstrar que níveis mais elevados de omega-3 na dieta dos cães se encontram relacionados com a redução do número de medicamentos para as dores articulares.

Mexilhão de lábios verdes, glucosamina e sulfato de condroitina

A condroitina e a glucosamina têm um efeito igualmente muito positivo nas articulações e nos ossos. Estas encontram-se, por exemplo, no mexilhão de lábios verdes. Estas substâncias podem aliviar os sintomas da artrite, mesmo quando esta já é um problema, e ainda os da displasia dos quadris.

Proteínas

Durante a fase de vida mais avançada dos cães, as proteínas são a sua fonte de energia mais relevante. A carne é considerada uma fonte de proteína de elevada qualidade, pelo que deve ser a base da nutrição do seu cão. Para tal, é necessário que a carne seja de qualidade. A carne fresca não apenas é mais saborosa, como é também fonte de um maior número de benefícios para o organismo. A carne magra e as vísceras, como o coração, digerem-se melhor do que os tendões fortes ou as cartilagens.

Digestão dos cães seniores

As digestões dos cães seniores são muito mais sensíveis do que as dos cães adultos ativos. A atividade intestinal torna-se mais lenta, o que pode causar problemas de prisão de ventre. É frequente, nestas idades, os cães não mastigarem bem a comida devido a problemas na dentadura, pelo que os intestinos são sobrecarregados, obrigados a digerir estes grandes bocados de comida. Além disso, em consequência das mudanças no equilíbrio bacteriano dos intestinos estes patudos podem sofrer de gases. Alterações no tipo de dieta, como a introdução de alimentos mais fáceis de digerir, não somente contribuirão para um melhor funcionamento do sistema digestivo, como igualmente para um melhor ambiente em sua casa. Carnes magras, frango (cozinhado brevemente), coração, ovos, um pouco de arroz, queijo pobre em gordura, requeijão ou queijo cottage, são apenas alguns exemplos de alimentos que pode adicionar às refeições para ajudar o processo digestivo. Pelo contrário, os hidratos de carbono, os ossos e os alimentos sólidos com cartilagem entram na lista de alimentos a evitar. Se o seu cão tem um estômago mais sensível, não é recomendável dar-lhe comida saída diretamente do frigorífico, é preferível dá-la à temperatura ambiente. Para cuidar do estômago do seu cão, evite fazer alterações repentinas no tipo de dieta. É necessário um período de adaptação à nova dieta, pelo que inicialmente deve misturar um pouco da comida nova com a anterior. O seu cão pode demorar até uma semana a habituar-se à nova comida.

Necessidade de ingestão de líquidos

Tal como acontece com os humanos, com a idade também os cães tem tendência para beber menos água. Porém, para uma dieta totalmente saudável, é imprescindível que o seu patudo beba água em quantidade suficiente. E dado que os cães seniores bebem menos água, é mais recomendável alimentá-los com comida húmida do que seca, tendo em conta que a húmida lhes permite ingerir líquidos juntamente com a comida.

Para que o seu cão volte a ter vontade de beber, aconselhamos a adição de um pouco de sabor à água, por exemplo com uma colher de caldo de aves ou o da confeção das salsichas ou outro caldo ligeiramente salgado. Esclareça todas as suas dúvidas acerca dos hábitos do seu cão junto do veterinário, independentemente de beber pouca ou muita água, já que o excesso de sede pode significar a existência de outro problema mais grave.

Qual a comida mais indicada para os cães seniores?

O essencial é que a comida do seu cão sénior seja de qualidade. Se é você mesmo a preparar a comida do seu cão, já terá uma ideia de que alimentos gosta mais e quais os que lhe fazem melhor. Além disso, adotando este tipo de alimentação poderá comprovar se os produtos são de qualidade ou não, isto é, esta será maior caso opte por alimentos frescos. A carne fresca tem na sua composição um elevado teor de proteínas, ao passo que os vegetais são ricos em vitaminas essenciais. Estão atualmente disponíveis diversos tipos de comida para cães de idade avançada; infelizmente, isto é também sinónimo de discrepâncias ao nível da qualidade. Os alimentos de maior qualidade não apenas se diferenciam pelo preço, mas também pela lista de ingredientes, detalhada, nestes casos, com maior precisão. Certifique-se que a carne da composição do produto em causa é de qualidade e esteja em primeiro lugar na lista dos componentes. O açúcar, pelo contrário, não deve estar presente entre os ingredientes da dieta dos cães seniores, dado que é extremamente nocivo para estes animais, igualmente pelo facto de eventualmente já terem problemas dentários. Existem, infelizmente, bastantes alimentos para cães nas prateleiras dos supermercados que contêm esta substância. E embora por vezes sejam mais económicos, pela saúde do seu cão, deixe-os ficar na prateleira! Evite também dar-lhe guloseimas em excesso, embora saibamos que é difícil resistir aos seus olhinhos fiéis e meigos. Oferecer-lhe guloseimas constantemente pode estar na origem de problemas como a obesidade, estando, assim, a prejudicar-lhe a saúde. Todavia, isto não significa que deva abolir completamente os snacks da sua dieta, desde que lhe sejam dados com moderação e não se transformem num hábito diário. Do mesmo modo, os cães seniores devem consumir ossos com moderação, pois são de difícil digestão, tendo em conta a sua sensibilidade intestinal. Lembre-se que a comida húmida é mais recomendável para cães sénior do que a ração.

A comida para cães de idade avançada deve, sumarizando, ser de alta qualidade, de fácil digestão, rica em nutrientes, baixa em calorias e com humidade. Desta forma, ajudará o seu cão a manter-se são e em forma à medida que envelhece e a continuar a disfrutar do ar fresco nos seus passeios diários. Se o seu cão sofre de certas patologias, como de excesso de peso ou peso a menos (consequência da perda de apetite), poderá optar por alimentos especialmente elaborados para minimizar os problemas de saúde. Informe-se junto do seu veterinário acerca da comida mais apropriada para o seu fiel amigo.

E bom apetite para o seu cão sénior!

Os nossos artigos mais relevantes

Comida para Border Collie

Conheça as características que a alimentação do seu Border Collie deve ter, segundo cada fase da sua vida: cachorro, adulto e senior.