Ataxia em gatos This article is verified by a vet

Photo of walking unhappy ginger homeless cat.

Gatos que andam de forma descoordenada podem sofrer de ataxia.

A ataxia, ou seja, falta de coordenação dos movimentos, não é uma doença em si, mas sim a reação do corpo a uma doença. Para saber mais sobre esta condição leia este artigo. Aqui explicamos como surge a ataxia em gatos, os principais sintomas, assim como o tratamento e o prognóstico.

A ataxia em gatos é perigosa?

Se o seu gato tem dificuldade em de movimentar ou apresenta movimentos descoordenados deve ir com ele ao veterinário rapidamente. Este problema pode ser o sintoma de uma doença que facilmente se trata. No entanto, pode ser igualmente um sintoma de uma doença grave.

Quais são os sintomas mais comuns da ataxia em gatos?

A ataxia, ou seja, a falta de coordenação de movimentos ou o andar cambaleante são apenas uma consequência de um problema de saúde. Além disso, a ataxia pode manifestar-se apenas em metade do corpo, ou seja, do lado direito ou esquerdo do corpo. Nesse caso, os veterinários classificam este problema de hemiataxia. De acordo com a doença que está na base do aparecimento da ataxia, o gato pode apresentar outros sintomas de ordem neuronal, mas também sintomas não neuronais. Abaixo encontra um resumo dos dois tipos de sintomas.

Sintomas neuronais

  • Cãibras
  • Cegueira e surdez
  • Hipersensibilidade a estímulos

Sintomas não neuronais

O que é a síndrome da hiperestesia felina?

Um gato apresenta a síndrome da hiperestesia felina quando reage de forma exagerada a determinados estímulos, como por exemplo, ao frio. Até hoje, os veterinários não descobriram a causa deste tipo de hipersensibilidade dos gatos. No entanto, sabemos que esta síndrome está associada ao stress crónico e outras doenças.

O que é a síndrome vestibular?

O sistema vestibular tem como função orientar os gatos em relação ao espaço e assim permitir que mantenham o equilíbrio enquanto se mexem. Se alguma parte deste sistema sofrer uma lesão, o gato apresenta alterações no comportamento como, por exemplo, inclinar a cabeça. Naturalmente, a ataxia é outro sintoma possível. Neste caso o gato pode apresentar igualmente vómitos, como resultado da sensação de desequilíbrio.

Diagnóstico da ataxia em gatos

Se o seu gato anda de forma descoordenada ou cambaleia tome medidas rapidamente. A ataxia é um problema que requer a intervenção de um veterinário para que a doença subjacente possa ser tratada. No entanto, em primeiro lugar o veterinário tem que fazer o diagnóstico, o que pode ser um desafio, já que existem várias causas para a ataxia.

Assim, o veterinário começa por recolher o máximo de informações possível junto dos donos, como por exemplo qual o tipo de alimentação do seu gato e se ele tomou medicamentos recentemente. O passo seguinte é fazer um exame geral à condição de saúde do gato. Nesta fase, o veterinário examina, por exemplo, os ouvidos. Caso um ou os dois ouvidos estiverem vermelhos e o gato sentir dor é provável que ele tenha uma infeção que pode causar a descoordenação.

Para saber se a ataxia tem causas neurológicas, o veterinário vai os sentidos do gato. Caso haja défice de, por exemplo, audição ou visão é essencial determinar a extensão do problema.

Por fim, o veterinário também verifica se o gato tem alguma infeção ou inflamação. Para isso, faz a recolha de uma amostra de sangue. Através de análises ao sangue é possível identificar doenças, por exemplo, a toxoplasmose ou a presença do coronavírus felino. O veterinário pode também fazer radiografias para identificar alterações nos órgãos internos no gato.

Gato em pé na marquesa do veterinário. O diadnóstico da ataxia em gatos envolve um exame completo do estado de saúde do animal
Para fazer o diagnóstico da ataxia, veterinário examina o gato dos pés à cabeça e também observa a marcha do gato.

Tratamento

O tratamento da ataxia depende, antes de mai,s da doença que está na sua origem. Assim, existem diversas alternativas de tratamento que ajudam o seu gato, como, por exemplo:

  • Administração de vitamina B1 ou tiamina em caso de défice desta vitamina
  • Intervenção cirúrgica para remoção de tumores ou administração de radiação
  • Administração de medicamentos, por exemplo, antibióticos ou antivirais

Além de tratar a causa da ataxia, é geralmente importante tratar também os sintomas. De acordo com as queixas do gato, o veterinário pode prescrever anti-inflamatórios ou analgésicos. Por fim, para que o gato fique completamente reestabelecido pode ser necessário recorrer a fisioterapia, que pode ser de curta ou longa duração.

Causas da ataxia em gatos

A tabela abaixo apresenta um resumo das várias doenças que podem causar a ataxia em gatos:

Causas Exemplo
Malformações congénitas Miastenia congênita, mais comum em raças como Devon Rex e Sphynx, ou hipoplasia, ou seja, formação incompleta de uma estrutura ou órgão do corpo
Doenças degenerativas Doenças de armazenamento, por exemplo mucopolissacaridose, ou declínio precoce da produção de células nervosas
Infeções Otite interna ou média causada por bactérias como Staphylococcus spp. Streptococcus spp. Proteus spp. ou Escherichia coli. Doenças infeciosas como encefalopatia espongiforme felina, Toxoplasma gondii, doença de Borna, peritonite infeciosa felina (PIF), cinomose felina em gatinhos
Cancro Tumores cerebrais como gliomas e meningioma ou metástases
Deficiências alimentares Falta de vitamina B1
Acidentes Fraturas ósseas, por exemplo, na base do crânio; lesão do sistema nervoso central, por exemplo do cérebro ou medula espinal
Intoxicação Ingestão de medicamentos em excesso, por exemplo, fenobarbital. Ingestão de chumbo ou de plantas venenosas

Prognóstico: a ataxia tem cura?

O prognóstico da ataxia, ou seja, se o seu gato vai ficar bom e se este problema não vai interferir com a sua esperança de vida, depende de vários fatores. Em primeiro lugar depende da doença subjacente à ataxia, mas o estado geral de saúde do gato é igualmente importante. O sucesso do tratamento depende também da fase em que se inicia o tratamento e como é natural quanto mais cedo o gato for tratado melhor. Além disso, nem todas as doenças que causam a ataxia têm cura. Mas se o seu gato tiver uma inflamação nos ouvidos, a ataxia desaparece quando a inflamação estiver resolvida.

Prevenção: como evita que o seu gato fique doente

Infelizmente não consegue proteger o seu gato de todas as doenças. No entanto, pode reduzir o risco de ele desenvolver várias doenças com uma alimentação saudável, proporcionando-lhe um estilo de vida adequado e com a vacinação. Assim, certifique-se que o seu gato faz exercício físico suficiente que não fica com peso a mais, pois, o excesso de peso está associado a várias doenças. Por fim, não deixe medicamentos ao alcance do seu gato e não tenha plantas venenosas em casa.


Franziska G., veterinária
Profilbild von Tierärztin Franziska Gütgeman mit Hund

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
4 min

A idade dos gatos

Descubra neste artigo como determinar a idade dos gatos, quantos anos vive um gato, e com que idade é que um gato se torna idoso?