A febre nos gatos This article is verified by a vet

Conteúdo verificado por um veterinário
Escrito por Franziska Gütgemann

Se a temperatura corporal do seu gato estiver acima dos 39 graus, trata-se de uma situação de hipertermia ou de febre. A hipertermia resulta de uma elevada produção de calor ou de uma elevada exposição a temperaturas altas sem a correspondente dissipação de calor. Por outro lado, a febre é uma reação corporal interna comandada pelo cérebro. A causa desta reação pode ser, por exemplo, uma infeção. Apesar de os donos pensarem que a febre é negativa, este sintoma é muito importante para combater infeções.

Febre nos gatos – regulação e função

Para compreender o significado da febre, é útil compreender melhor a anatomia e fisiologia dos gatos.

Regulação da temperatura

A temperatura corporal é regulada pelo hipotálamo que se encontra numa parte do cérebro, o diencéfalo. Os recetores de temperatura que se encontram distribuídos na pele enviam ao hipotálamo informação sobre a temperatura ambiente. Ou seja, estes recetores indicam se está calor ou frio através das vias nervosas ascendentes. Em seguida, o cérebro reage enviando sinais para os músculos ou glândulas sudoríparas através das vias nervosas descendentes.

  • Dissipação de calor: quando o corpo regista temperaturas muito elevadas, o cérebro envia instruções aos músculos das paredes dos vasos sanguíneos. Neste caso, os músculos devem relaxar. Assim, dá-se a vasodilatação periférica permitindo que o excesso de calor seja libertado através da pele.
  • Produção de calor: quando a temperatura corporal está baixa, o cérebro reage de forma inversa. Ou seja, para reduzir a dissipação de calor através da pele, os músculos das paredes dos vasos sanguíneos devem contrair-se. O cérebro envia igualmente informações para ativar o metabolismo e os restantes músculos do corpo do gato. É por isso que observamos tremores e calafrios quando o gato tem frio.

Aparecimento da febre

A temperatura normal dos gatos situa-se entre os 38 e 39 graus. Caso este valor esteja mais elevado, pode-se falar de febre. A grande maioria dos donos vê a febre como um problema. No entanto, a febre é uma reação biológica fundamental para a proteção do gato. Pois temperaturas mais elevadas estimulam a atividade do sistema imunológico. Sabe-se que células, como por exemplo, os fagócitos ou granulócitos, funcionam melhor quando a temperatura corporal do gato está acima dos 39 graus.

Mas é importante sublinhar que se a temperatura subir muito, o sistema imunológico deixa de responder eficientemente.

Quais são as causas da febre nos gatos?

A febre é sempre uma reação a alguma coisa que não está bem no corpo. Nos gatos, as principais causas deste sintoma são:

Causas infecciosas

Bactérias: regra geral, qualquer bactéria que entre no corpo do gato pode causar febre. As bactérias mais comuns são os estreptococos, clamídia ou anaplasma.

  • Vírus: Por exemplo, Vírus da Imunodeficiência Felina (VIF ou SIDA dos gatos), Peritonite Infeciosa Felina (PIF), Vírus da Leucemia Felina (FeLV), Herpesvírus Felino 1 (HVF-1), Vírus da Panleucopenia Felina (FPV ou parvovírus felino), Calcivírus Felino.
  • Infeções fúngicas sistémicas (micoses).
  • Parasitas, como por exemplo, vermes pulmonares ou toxoplasmose

Causas não infecciosas

  • Qualquer inflamação nos tecidos. Por exemplo, nos tecidos do pâncreas, pulmões ou fígado, assim como abscessos na pele ou outros órgãos.
  • Doenças autoimunes. Entre estas encontram-se, por exemplo, pemphigus foliaceus ou lúpus eritematoso.
  • Neoplasias (tumores).
  • Substâncias tóxicas. Por exemplo, medicamentos.

Por fim, enquanto a febre é uma reação importante do sistema imunitário, a hipertermia resulta principalmente de stress ou de uma temperatura ambiente elevada.

Sinais de febre comuns nos gatos

Quando a temperatura corporal de um gato está acima dos 39 graus, o gato tem febre. No entanto, mesmo antes de lhe pôr o termómetro pode observar alguns sinais que indicam que o seu gato está com febre:

  • Cansaço e fraqueza generalizada.
  • Tremores e relutância em se mover.
  • Frequência respiratória acelerada (um gato respira normalmente 20 a 40 vezes por minuto).
  • Anorexia e possivelmente desidratação. Sinais de desidratação: as pregas do pescoço demoram mais tempo a voltar ao normal depois do gato levantar a cabeça, fezes duras, mucosas sem lubrificação.

Naturalmente que de acordo com as causas da febre podem coexistir outros sintomas. Os problemas gastrointestinais são os mais comuns, como por exemplo, vómitos e diarreias.

Como se faz o diagnóstico da febre nos gatos?

Se o seu gato estiver visivelmente mais calmo e apresentar alguns dos sintomas mencionados acima, é aconselhável medir-lhe a temperatura. Pode fazê-lo de duas maneiras:

  1. Introduzir o termómetro digital no ânus do gato. Claro que o termómetro deve ser limpo e desinfetado antes de ser utilizado. Para minimizar o desconforto do gato, a ponta do termómetro pode ser besuntada com vaselina ou creme para peles sensíveis não perfumado. Além disso, para segurança de todos os presentes no momento da medição da temperatura, o gato deve ser imobilizado.
  2. Em alternativa pode utilizar um termómetro de infravermelhos. Com este termómetro pode medir a temperatura corporal na orelha do seu gato. Este método é muito mais simples, no entanto, os resultados não são tão precisos.

Se a febre não desaparecer ao fim de alguns dias ou se o seu gato desenvolver outros sintomas, deve levá-lo a uma consulta. O veterinário vai fazer perguntas sobre a condição física do gato. De acordo com as informações que recolhe junto ao dono e com o exame clínico geral, o veterinário pode prescrever exames. Alguns exames possíveis são: análises ao sangue, às fezes ou exames imagiológicos.

Tratamento

A febre pode ser tratada através da administração dos chamados antipiréticos, ou seja, medicamentos que fazem baixar a febre. No entanto, o tratamento adequado não se fica por aqui. A doença de base que desencadeou a febre deve ser tratada adequadamente. Assim, a terapêutica

  • Infeções: administração de medicamentos contra o agente infecioso. Por exemplo, antibióticos para infeções bacterianas, antivirais contra vírus, desparasitantes contra parasitas ou antimicóticos contra fungos.
  • Doenças autoimunes: administração de imunossupressores, como por exemplo, glucocorticoides.
  • Tumores: intervenção cirúrgica, rádio ou quimioterapia.

Qual é o prognóstico da febre?

O prognóstico da febre depende completamente da doença que a causou. Assim, não se pode apresentar um prognóstico baseado apenas neste sintoma.

Como prevenir o aparecimento de febre no meu gato?

Não pode prevenir a febre, pois, como foi mencionado anteriormente, a febre é um sintoma, não uma doença em si. Ainda assim, pode prevenir algumas doenças que causam a febre se seguir algumas medidas simples.

  • Dê uma alimentação equilibrada ao seu gato.
  • Muitas infeções podem ser prevenidas através de vacinas. Por exemplo, a rinotraqueíte, a FeLV ou FIP.
  • Feridas devem ser limpas e desinfetadas para prevenir infeções bacterianas.
  • Caso tenha mais de um gato, deve isolar o gato doente dos outros até que este esteja curado.

Os nossos artigos mais relevantes

Vacinas para gatos

Devo ter meus gatos vacinados? Se sim - contra o quê? Todas as informações sobre vacinas de gatos.

Doenças de pele nos gatos

Tanto o pelo como a pele têm importantes funções protetoras e revelam de imediato quando o seu gato tem algum problema de saúde.