Coronavírus dos gatos This article is verified by a vet

Coronavírus dos gatos: saiba mais sobre este tema

Poucos são os assuntos que merecem mais a nossa atenção do que o coronavírus. E porque é que os veterinários também falam no coronavírus dos gatos? O vírus que atinge os gatos é o mesmo que atinge as pessoas? Descubra aqui informações importantes sobre este tema.

A Covid-19 é perigosa para o meu gato?

Os coronavírus são vírus já conhecidos que infetam não só as pessoas como também os nossos pequenos felinos. No entanto, contrariamente ao SARS-CoV-2, que provoca a Covid-19 nas pessoas, há muito tempo que cientistas conhecem os coronavírus felinos. Entre os coronavírus que afetam os gatos encontra-se o coronavírus entérico felino e o muito conhecido coronavírus da Peritonite Infeciosa Felina (PIF) que provoca a inflamação do peritoneu. Já as pessoas que ficam doentes com Covid-19 apresentam sintomas semelhantes aos da gripe. Pessoas com o sistema imunitário enfraquecido, como idosos ou pessoas com outras doenças os sintomas da Covid-19 podem ser bastante mais graves.

Controlo da doença

Alguns países europeus, como por exemplo a Alemanha, implementaram medidas para monitorizar a Covid-19 em animais de estimação. Assim, os gatos que testem positivo a esta doença devem ser reportados às autoridades para que se possam recolher mais dados sobre as características e desenvolvimento da Covid-19.

Os dados recolhidos até agora nestes países mostram que os gatos ou outros animais de estimação não transmitem o vírus da Covid-19 às pessoas.

O novo coronavírus e os gatos

No final de 2019 a China reportou os primeiros casos da doença infeciosa Covid-19 em humanos. Atualmente milhares de pessoas no mundo estão doentes e a origem do coronavírus SARS-CoV-2 não é ainda clara. A comunidade científica pensa que morcegos, pangolins ou cobras terão transmitido esta infeção respiratória às pessoas. De acordo com os atuais dados científicos, o instituto alemão para a saúde animal, Instituto Friedrich Löffler, considera a transmissão do SARS-CoV-2 entre humanos e gatos e vice-versa improvável.

Na Bélgica foi identificado um gato infetado com o SARS-CoV-2, cuja dona estava também infetada. O gato apresentava dificuldades respiratórias e diarreia. No entanto, o Instituto Friedrich Löffler mantém a posição de que se trata de um caso excecional. O gato encontra-se sob observação veterinária e a sua evolução clínica é positiva.

Dois cães em Hong Kong tinham o SARS-CoV-2 na boca e nariz. No entanto, o nível de anticorpos ao vírus encontrados era muito baixo. Assim, os médicos consideram que os cães foram contaminados por contato com o ambiente circundante.

Há razões para ter medo em deixar o meu gato sair de casa?

De momento não existem evidências científicas que indiquem que o novo coronavírus pode ser transmitido aos humanos através dos gatos. Assim, se o seu gato está saudável pode continuar a deixá-lo sair e explorar as redondezas. No entanto, é aconselhável adotar as medidas de higiene usuais, como por exemplo, lavar as mãos depois de mexer no seu gato. É igualmente aconselhável manter a tijela de comida e a caixa de areia limpas.

O que fazer com o seu gato se estiver em quarentena?

Se estiver em quarentena, não deve sair de casa durante pelo menos duas semanas. Os gatos que vivem em casa podem manter as suas rotinas e fazer as suas necessidades na caixa de areia. Por outro lado, se o seu gato costuma passear pelas redondezas, deixe-o sair como habitual pela porta para gatos ou abrindo a porta para que ele possa sair. Caso não tenha comida ou brinquedos suficientes, pode pedir a um amigo que compre ou comprá-los online. Atualmente muitas empresas de entregas ao domicílio deixam a sua encomenda à porta de casa para evitar contato entre pessoas.

No entanto, existem coronavírus bem conhecidos que têm um grande impacto na saúde dos gatos (os FCoV) e que podem ser muito perigosos. Este artigo identifica os coronavírus que afetam os gatos. Descreve igualmente quais os sintomas que os gatos apresentam e como os pode proteger.

Coronavírus dos gato – disseminação e sintomas

Os coronavírus dos gatos incluem o Coronavírus Felino Entérico (FECV) e o Vírus da Peritonite Infeciosa Felina (PIF), que é uma mutação do primeiro. Ambos os vírus subdividem-se em dois tipos (sorotipo I e II), que apresentam características diferentes.

O Coronavírus Felino Entérico (FECV)

Este vírus está muito disseminado entre os gatos. Por isso, muitos criadores deparam-se com esta doença nos seus gatos. Os gatos podem ser infetados através de secreções do trato respiratório, fezes e urina contaminadas. Assim, o contágio pode ser por contato direto ou indireto. Os gatos podem ser infetados, por exemplo, ao partilhar comedouroscaixas de areia ou ao brincarem uns com os outros. Os vírus entram pela boca e seguem para o trato gastrointestinal, onde se multiplicam. Em seguida, atacam os gânglios linfáticos e macrófagos locais do sistema imunológico.

Vírus Da Peritonite Infeciosa Felina (FIPV)

Enquanto o Coronavírus Felino Entérico (FECV) está bastante disseminado, uma infeção causada pelo Vírus da Peritonite Infeciosa Felina (PIF) é rara nos gatos. A explicação é simples. Este vírus não é transmitido por contato direto ou indireto. Pelo contrário, este vírus é o resultado de uma mutação do Coronavírus Felino Entérico nos macrófagos. No entanto, isto não significa que qualquer gato infetado com FECV venha a ter o Vírus da Peritonite Infeciosa Felina. Infelizmente, a Peritonite Infeciosa Felina é uma doença fatal.

Atualmente apenas nos EUA existe um medicamento aprovado para o tratamento da PIF. Assim, nos outros países os veterinários tratam só os sintomas de forma a melhorar a qualidade de vida dos gatos.

No nosso artigo sobre a Peritonite Infeciosa Felina encontra todas as informações relevantes para melhor compreender esta doença.

Qual é o prognóstico de uma infeção com coronavírus dos gatos?

O prognóstico de uma infeção com FECV é geralmente positivo. No entanto, é preciso assinalar que há o perigo de o vírus sofrer uma mutação para o vírus da PIF. Os gatos com menos de 2 anos ou mais de 14 são os mais vulneráveis à PIF.

Como posso evitar infeções com o coronavírus dos gatos?

A fim de proteger o seu gato de uma infeção com coronavírus felino, deve adotar as seguintes medidas:

  • Limpeza regular da caixa de areia, da taça da água e do comedouro.
  • Evitar expor o gato a stress.
  • Examinar regularmente as gatas grávidas e as suas ninhadas. Evite, igualmente, qualquer contato com gatos infetados.
  • É possível vacinar os gatos contra o Vírus da Peritonite Infeciosa Felina a partir as 16 semanas. No entanto, esta vacina ainda levanta controvérsias.
Os nossos artigos mais relevantes
8 min

O meu gato espirra: porquê e o que posso fazer?

Por espirro entende-se um reflexo involuntário que provoca a saída maciça de ar pelo nariz e pela boca. O objetivo deste mecanismo é a remoção do trato respiratório de corpos estranhos, como por exemplo, poeiras. Os gatos espirram frequentemente e as causas são muito variadas.