Peterbald

gato peterbald em fotografia de estúdio

Os gatos sem pelo provocam as mais variadas reações. Mas para os peterbald, raça de gatos também disponível numa variante sem pelo, isso pouco importa. Amigáveis, ganham com facilidade o afeto dos fãs de gatos de todo o mundo.

Aspeto

Além do seu pelo exclusivo, também a elegância do peterbald salta à vista: as suas pernas são altas e o seu corpo é esguio e atlético. É um gato de tamanho médio e pesa entre três a quatro quilos. Como todos os gatos orientais, o peterbald conta com um focinho longo e triangular, maçãs do rosto planas e orelhas compridas e bem separadas. Os olhos são amendoados e grandes.

Quais as diferentes variantes de pelo do peterbald?

Embora os peterbald, gatos oriundos de São Petersburgo, contenham no nome a palavra inglesa para calvo (bald), isso não significa que todos o sejam. Na verdade, os peterbald estão disponíveis em quatro variantes de pelo:

  • Sem pelo (nus, calvos): estes animais nascem nus. Ao acariciá-los, a sua pele é semelhante a borracha. Atenção: estes exemplares não têm vibrissas (bigodes) ou têm-nos partidos.
  • Com penugem: o pelo destes gatos é bastante ténue e fino. O corpo está coberto por uma ligeira penugem com cerca de um milímetro de comprimento. A sensação ao acariciá-los lembra o focinho dos cavalos.
  • Pelo aveludado: com cerca de três centímetros de comprimento, o pelo destes peterbald é ligeiramente maior do que o da variante anterior. Ao tato, o pelo é aveludado e macio.
  • Pelo áspero: o pelo é curto e crespo, mas muito denso. Embora sejam muito menos aveludados, a estrutura do pelo é bastante popular. É uma característica única das raças don sphynx e peterbald.
  • Pelo curto: é verdade, também os há! Gatos peterbald sem o gene da calvície têm pelo normal. São permitidas todas as cores.

História do peterbald

O sphynx é, sem dúvida, o gato sem pelo mais famoso. No entanto, há duas décadas que na Rússia uma raça de gatos chamada peterbald conquista os corações dos fãs de gatos sem pelo. A história do peterbald inicia-se em 1994 em São Petersburgo. Foi aí que um cientista cruzou uma fêmea oriental de pelo curto com um macho don sphynx. Esta última trata-se de uma raça russa de gatos sem pelo e que, apesar do nome, não tem relação com os famosos sphynx. Deste cruzamento, nasceram quatro peterbalds. Os populares fundadores da nova raça foram Mandarin iz Murino, Muscat iz Murino, Nezhenka iz Murino e Nocturne iz Murino.

Apenas dois anos depois, a associação de gatos russa SFF reconheceu-os como raça independente. Já em 1997, a associação TICA (The International Cat Association) seguiu o mesmo  caminho. Só em 2006 é que a World Cat Federation aceitou os peterbald como raça independente. Para a FIFe (Fédération Internationale Féline), os peterbald só estão temporariamente reconhecidos.

De forma a aumentar o património genético e a combinar o aspeto desejado de um gato sem pelo com o físico das raças orientais, são permitidos cruzamentos com siameses e burmeses. Até 2005, os criadores podiam cruzar o peterbald com javaneses e balineses.

Carácter do peterbald

Se está a ponderar adotar um peterbald prepare-se para a sua energia inesgotável. Estes gatos têm bicho carpinteiro! Com espaço e atividade suficientes, são fontes de bom humor. Por norma, dão-se muito bem com outros gatos e animais domésticos. Além disto, desde que tratados com respeito, os peterbald são populares com crianças. Preferem estar perto dos donos, com os quais gostam de "falar" ruidosamente - como é típico dos gatos orientais. Porém, são menos faladores do que os siameses, por exemplo.

Ter um peterbald: dicas

O ambiente ideal

Como já referimos, os peterbald precisam de bastante atividade e espaço. Muitas vezes, esta raça é descrita como só sendo indicada para viver no interior. Pelo menos as variantes com pelo podem gozar do exterior. De preferência num jardim seguro, pois são muito confiantes.

Na verdade, os peterbald com pouco ou nenhum pelo são felizes quando podem aproveitar o ar livre - mesmo que a partir da varanda. Se pretende ter um destes patudos no apartamento, é importante dar-lhe bastante espaço. Com pequenos truques é possível ampliar o espaço para o seu gato. Pode, por exemplo, criar uma passarela com postes arranhadores e pranchas nas paredes. Deste modo, o animal tem mais espaço para descobrir, correr e observar.

Como todos os gatos bem socializados, o peterbald precisa da companhia de outros gatos para estar totalmente confortável. Portanto, no mínimo tenha dois gatos.

Em termos de temperamento, os animais desta raça socializam facilmente com outros gatos orientais. Os fanáticos do ar livre devem ter presente que a temperatura confortável para os peterbald calvos ou com pouco pelo é controversa. Alguns donos recomendam uma temperatura ambiente não inferior a 22 °C durante todo o dia. Isto pode refletir-se na fatura da eletricidade durante o inverno. Por outro lado, há quem diga que os peterbald se sentem bem com 18 °C.

Alimentação dos gatos peterbald

Com ou sem pelo: como gatos, os peterbald são carnívoros que precisam de comida rica em proteína. Portanto, providencie-lhe uma dieta com um elevado teor de proteína animal na forma de carne.

Seja ração ou comida húmida: a carne deve estar no primeiro lugar da lista de ingredientes. Em termos de composição, a comida húmida aproxima-se mais da presa natural dos gatos e fornece-lhes fluidos. Já a ração é indicada para encher brinquedos de inteligência, como recompensa ou para jogos de busca. No entanto, não é aconselhável oferecer ao seu peterbald ração ilimitada.

Se optar por uma dieta BARF, isto é, à base de carne crua, deve informar-se previamente. Os aditivos alimentares adaptados aos gatos facilitam bastante esta dieta. Caso pretenda oferecer ocasionalmente carne crua ao seu patudo pode fazê-lo de consciência tranquila, pois até 20% da sua alimentação pode consistir em carne crua sem necessidade de suplementos. Contudo, evite carne de porco, porque pode conter o vírus da doença de Aujeszky, perigoso para os gatos.

As variantes sem pelo do peterbald tendem a queimar mais calorias. Deste modo, desde que o animal não engorde, as porções diárias podem ser um pouco maiores.

Snacks liofilizados ou de outros tipos, de preferência sem açúcar e sem cereais, são apropriados como guloseimas. Disponibilize água fresca em quantidade suficiente ao seu patudo. As fontes incentivam muitos gatos a ingerir mais água.

Saúde e cuidados

Os criadores sérios testam os seus animais para a presença de doenças hereditárias comuns. O objetivo é que os gatinhos sejam o mais saudáveis possível. É por isto, por exemplo, que permitem que os progenitores sejam examinados anualmente até aos cinco anos para detetar a cardiomiopatia hipertrófica, uma doença cardíaca.

Atualmente, um dos exames padrão é o teste genético para detetar a atrofia progressiva da retina. Em resumo, o mais importante parater  um peterbald saudável é comprar a um criador credível.  Porém, há uma questão problemática: as leis de alguns países consideram que a criação de gatos sem bigodes é tortura. Falaremos deste assunto mais à frente.

Com ou sem pelo: os cuidados com a pelagem são bastante simples. Mesmo no caso da variante de pelo curto, basta acariciá-lo ocasionalmente com uma luva de massagem. É deste modo que se livra do pelo morto e, ao mesmo tempo, fortalece a ligação com o patudo. Com bons cuidados e saúde, os peterbald podem chegar e superar os 15 anos.

A falta de pelo é prejudicial para os gatos?

Os gatos com pouco ou nenhum pelo tendem a constipar-se mais? De facto, os peterbald são provavelmente mais sensíveis ao frio. Os exemplares de pele clara devem ser particularmente protegidos das radiações solares intensas. Se assim não for, podem queimar-se. Alguns peterbald com jardins ou varandas ao dispor habituam-se a ter um casaco que os protege do frio. Basta observar o seu patudo para perceber se está com frio. De qualquer maneira, o gato deve ter sempre acesso a um sítio quente.

Muitos acham crítica a ausência de bigodes e, em consequência, do sentido de orientação, nos gatos sem qualquer pelo. Em determinados países, a criação de gatos sem bigodes é proibida. Algumas sentenças judiciais em relação aos sphynx confirmam exatamente isto. Independentemente da questão legal, é discutível se uma raça sem um elemento tão importante como os bigodes deva ser apoiada. Se procura um peterbald, converse com o criador acerca da sua posição relativamente a este assunto. De facto, alguns criadores fazem questão de criar peterbalds com bigodes.

Os peterbald são apropriados para pessoas alérgicas?

Agora já sabemos que alguns peterbald têm pelo. Nem estas nem as variantes sem pelo são incondicionalmente indicadas para pessoas que sofrem de alergias. Na verdade, estas reagem a uma enzima na saliva dos gatos. Se a alergia for grave, gatos sem pelo também podem despoletar reações, pois espalham a saliva pela pele. Em caso de dúvida, fale com o seu médico de família ou dermatologista acerca do seu plano de adotar um gato.

Onde posso encontrar um gato peterbald?

O peterbald é uma das raças de gatos mais raras na Europa. Se procura um gato sem pelo será mais fácil encontrar um sphynx. Se, por outro lado, a aparência física e o carácter são o que o atrai, os gatos orientais, como o siamês e o oriental de pelo curto, são boas alternativa ao peterbald. Porém, a combinação gato oriental com pouco pelo é única nos peterbald.

Criador responsável: essencial

Tome algum tempo para encontrar um criador responsável. Alguns têm listas de espera que pode preencher se tiver interesse. Ao comprar um gatinho, opte por um criador inscrito numa associação legítima e que crie gatos com pedigree. Mantenha-se longe de anúncios classificados duvidosos. Lembre-se que esta é uma raça bastante jovem e que há quem se tente aproveitar da sua exclusividade para lucrar. Por exemplo, cruzam gatos sphynx sem pedigree com gatos orientais e vendem-os como peterbald.

Qualquer criador credível pertence a uma das associações de gatos que já mencionamos e vende os seus gatinhos com documentação. Converse com o criador acerca da prevenção de doenças. É um bom sinal se este lhe fizer algumas perguntas sobre as suas condições habitacionais e a sua experiência com gatos. Isto mostra que se preocupa com o bem-estar dos seus protegidos. Os gatinhos mudam-se para o novo lar aproximadamente às trezes semanas. Trazem consigo todos os documentos e o boletim de vacinas, essencial para a continuidade da vacinação.

Se pretende adotar um gato adulto numa protetora de animais, as probabilidades de encontrar um peterbald são baixas. É raro os criadores desfazerem-se de animais que já não utilizam para a criação. O mais provável é deparar-se com sphynx seniores ou com gatos orientais rafeiros. Mantenha a mente aberta - é assim que, independentemente da raça, encontrará o patudo ideal para si!

Aproveite a vida na companhia do seu vivaço peterbald - é o nosso desejo!

Os nossos artigos mais relevantes
11 min

Persa

Os gatos persas são das raças mais populares, antes de adotar um gato persa fique a saber: Que cuidados ter; Personalidade; Alimentação e muito mais.
12 min

Bosque da Noruega

O bosque da Noruega conquista facilmente o coração de toda a gente graças ao seu aspeto selvagem e personalidade genuína.