Dieta BARF para gatos

Dieta BARF para gatos

Dieta BARF para gatos

É com cada vez mais frequência que os donos de gatos se deparam com a sigla BARF, que em português se pode traduzir por Comida Crua Biologicamente Apropriada, embora poucos saibam o significado deste conceito. O que significa «BARF»? Por que razão é tão saudável a alimentação biologicamente apropriada para gatos? Quais as vantagens e desvantagens deste método de alimentação?

O que significa "BARF"?

O termo «BARF» provém da língua inglesa e é a sigla para Biologically Appropriate Raw Food. Em primeiro lugar, sublinhemos que este método de alimentação é adequado tendo em conta que os gatos são animais carnívoros por natureza. Uma dieta baseada em alimentos crus oferece-lhes tudo o que necessitam: carne fresca em abundância. Ao contrário da comida confecionada em casa, a dieta BARF é oferecida crua, sem cozinhar ou assar. Tal dá azo a numerosas críticas acerca da alimentação crua, isto porque a carne crua é, geralmente, insalubre para as pessoas e pode ser fonte de indigestões e intolerâncias. Acontece o mesmo com os gatos?

Porque razão a alimentação crua é adequada para os gatos?

Apesar de os gatos nos fazerem companhia como animais domésticos desde há milhares de anos, a comida industrial processada é relativamente nova: a multinacional Mars pôs à venda, em 1958, o primeiro enlatada para gatos, ainda hoje conhecido por «Whiskas». Vinte anos mais tarde, é colocada à venda uma variedade de ração da mesma marca. Nos anos 70, a marca Hill’s concebeu a famosa «Prescription Diet Feline» e desde 1990 encontram-se também à venda alimentos dietéticos para contrariar as doenças destes felinos. Apesar disso, estes animais não se adaptaram fisicamente à dieta em latas, em terrinas nem às rações. Esta adaptação e evolução ocorre passado um tempo considerável, várias gerações passadas. Hoje em dia, existem muitos gatos que caçam pássaros e pequenos roedores, assim como outros que se alimentam em exclusivo das suas presas, como acontece em inúmeras quintas. Por esta razão, o trato digestivo dos gatos ainda não se terá adaptado totalmente à domesticação por parte dos humanos e, em consequência, à oferta de comida processada. No fundo, os gatos continuam a ser 100% caçadores, o que se reflete no seu comportamento e, sobretudo, nos seus órgãos, que são em tudo semelhantes aos de outros felinos selvagens.

É por isso que a refeição ideal para os gatos domésticos continua a ser idêntica à composição de um rato de tamanho médio. Entretanto, ficou cientificamente demonstrado que os gatos requerem uma dieta composta por 50 % a 60 % de proteínas, 20 % a 30 % de gorduras e 3 % a 8 % de hidratos de carbono.

Mas o que acontece às bactérias e aos parasitas, como os vermes, que podem existir na carne? Dadas as suas origens predadoras, estes animais estão preparados para o consumo exclusivo de carne crua, naturalmente porque no seu habitat natural era raro depararem-se com alimentos processados perfeitamente conservados e, ao fim e ao cabo, os ratos encontram-se «crus». Como consequência, o ácido gástrico produzido pelo sistema digestivo dos gatos é bastante agressivo e estes pequenos caçadores não são tão propensos a sofrer intoxicações alimentares como os humanos.

Ainda que a carne crua não seja propriamente adequada para consumo humano, constitui uma nutrição correta para estes pequenos predadores. A dieta BARF tem razões para ser a forma de alimentação original dos gatos. É, porém, necessário ter em conta que os alimentos crus podem acarretar certos riscos.

Como praticar a alimentação crua de forma adequada

Com o objetivo de pôr ao dispor do seu gato tudo o que precisa para se manter saudável, é obrigatório que as suas refeições de alimentos crus tenham a composição adequada. É necessário ter em mente que, na natureza, os gatos não se alimentam somente de carne magra das suas presas. Comem também as vísceras, como o coração, o fígado, os pulmões e uma parte dos ossos e das peles, dado que estes são ricos em cálcio e fibras dietéticas. Ou seja, não é suficiente alimentar o seu gato exclusivamente com carne magra. Se pretende oferecer ao seu felino este tipo de alimentação, é recomendável que se informe antecipadamente acerca das suas necessidades relativamente a nutrientes, vitaminas, proteínas e hidratos de carbono, para que possa adaptar as receitas aos seus requisitos individuais. As doses da comida BARF podem variar em função da idade, raça, sexo e hipotéticos problemas de saúde. Uma das grandes vantagens deste tipo de alimentação é que pode personalizar-se ao máximo, já que cada dono sabe exatamente o que contém ou não contém a comida dos seus felinos. Normalmente, os adeptos da dieta BARF usam carne e vísceras frescas, minerais e vitaminas naturais ou artificiais e, por vezes, pequenas quantidades de verduras ou frutas. Estas doses de fibras dietéticas ajudam a regular o processo digestivo.

Para conseguir calcular a quantidade de ingredientes e aditivos de que o seu gato necessita, estão disponíveis, na Internet, «calculadoras BARF». Existem também lojas especializadas, onde lhe poderão dar conselhos e dicas sobre este método. Infelizmente, a dieta BARF não é ainda muito conhecida entre os veterinários. De qualquer forma, o seu veterinário de confiança poderá aconselhá-lo, caso o seu gato tenha alguma doença ou exigências alimentares específicas.

Dieta BARF: 100% natural

Uma característica particular da alimentação crua é a forma especialmente natural de complementar a comida. Em vez de adicionarem aditivos artificiais, como o cálcio e a vitamina A, à carne e às vísceras, os adeptos da dieta BARF usam casca de ovo em pó e óleo de fígado de bacalhau. A levedura de cerveja é um excelente substituto da vitamina B em pó, enquanto que o óleo de gérmen de trigo substitui a vitamina E. Por outro lado, o magnésio não é inserido na composição das refeições através do gluconato de magnésio, mas sim através de spirulina desidratada. As algas marinhas em pó são uma fonte valiosa de iodo.

Relativamente a complementar a comida crua com ingredientes naturais, é importante saber quais as necessidades concretas de cada gato. Os animais com pedras nos rins, por exemplo, não devem tomar suplementos de magnésio. É essencial que todos os gatos consigam uma proporção equilibrada de cálcio e fósforo. A taurina é uma aminoácido essencial, isto porque estes felinos são incapazes de a produzir a partir dos componentes dos alimentos. Além disso, ao passo que as vitaminas hidrossolúveis são naturalmente expulsas pelo organismo, a ingestão excessiva de vitaminas lipossolúveis pode traduzir-se numa intoxicação lenta.

Os produtos BARF prontos para consumo

Ao longo deste artigo, temos visto que, para satisfazer na perfeição as necessidades dos gatos, é imprescindível que aprofunde os seus conhecimentos sobre este método de alimentação e que pense em todos os detalhes ao selecionar a composição da comida. Nada é impossível! Ainda que não é qualquer dono que está disposto a preparar e suportar o trabalho que implica procurar receitas, comprar carne fresca, cortar os ingredientes, pesar os suplementos alimentares, misturar tudo, dividir em doses e, finalmente, guardá-las no congelador. Por isso, se estiver disposto a informar-se bem acerca deste tipo de alimentação mas se, pelo contrário, não se sentir motivado o suficiente para pesar com rigor os ingredientes e complementos – isto é, resumidamente, que não disponha do tempo necessário para preparar esta dieta da forma apropriada, deve evitar a aventura.

Os produtos BARF prontos para consumo são práticos, pois oferecem aos donos com pouco tempo ou mesmo àqueles que ainda se sentem inseguros relativamente à composição da comida, por falta de experiência, a possibilidade de alimentar adequadamente os seus pequenos caçadores. Ainda que, até há pouco tempo, os produtos para gatos apenas estivessem disponíveis em talhos locais ou na Internet, existem, agora, importantes fabricantes desta comida para animais, associados em torno da crescente procura de produtos BARF prontos para consumir. Estes são preparados com carne crua e com os nutrientes essenciais para os gatos, sendo depois congelados em doses. Depois disso, as doses são congeladas segundo a sua conveniência e oferecidas aos gatinhos. Por outro lado, donos que se oponham totalmente à dieta BARF e desejem, ainda assim, oferecer aos seus gatos refeições deliciosas, podem recorrer a receitas exclusivas, que certamente farão crescer água na boca do seu felino. Um exemplo é «ragout de veado com brócolos e batatas», que soa como o menu ideal para satisfazer o exigente paladar destes pequenotes.

Caso decida envolver-se totalmente na preparação e escolher você mesmo a carne para os seus gatos, tem à sua disposição suplementos preparados para o consumo. Estes contêm todas as vitaminas e minerais essenciais e apenas têm que ser misturados com a carne fresca e as vísceras. Preparar a comida adequada para o seu gato pode ser tão fácil quanto isto, sem necessidade de investir tanto tempo assim.

Vantagens e incovenientes da dieta BARF

Tal como a alimentação à base de comida processada para animais, cujos fabricantes são acusados de utilizar carne de má qualidade, também a alimentação crua pode comportar riscos. A carne crua pode igualmente ser portadora de elementos patogénicos ou ovos de vermes. O ácido gástrico agressivo dos gatos pode conseguir prevenir alguns problemas de saúde, mas a verdade é que tanto gatos jovens, seniores ou doentes podem sentir os seus efeitos secundários. Suplementos alimentares já preparados podem apresentar uma composição pouco indicada, tal como pode acontecer com a composição da comida enlatada. A carne de qualidade alimentar para a dieta BARF é aquela que superou os testes para a presença de doenças e de parasitas. Se, como é natural, não produzir você mesmo a carne nem os suplementos alimentares, deve recorrer a terceiros e, visto que errar é humano, podem dar-se erros mesmo em talhos biológicos.

Para concluir, se oferece ao seu gato o método BARF está a assumir uma enorme responsabilidade e deve estar consciente disso. Se não se sentir disposto a informar-se em detalhe sobre este método, nem a selecionar cuidadosamente as matérias-primas e a preparar com cuidado as refeições, o melhor é optar pela comida processada. Se, pelo contrário, está interessado em assumir esta responsabilidade, a alimentação crua é, sem dúvida, um princípio de nutrição adequado praticamente a qualquer gato.

Os nossos artigos mais relevantes

Os gatos podem beber leite?

Os gatos adoram beber leite é um facto, no entanto, fique a saber neste artigo se é realmente recomendado dar leite aos seus gatinhos.