Balinês

características da raça balinesa

O balinês capta de imediato a atenção dos fãs do siamês e do burmês: tal como o siamês, os gatos desta raça têm um chamativo padrão colorpoint, embora a sua pelagem seja de tamanho médio.

História

Apesar do nome, o gato balinês não é oriundo do Bali ou da Indonésia. Esta raça é produto de criação e não de seleção natural.

A verdade é que alguns gatos siameses importados da Tailândia para os Estados Unidos da América e Inglaterra durante o século XIX tinham o gene do pelo comprido. Porém, os animais de pelo comprido não eram usados na criação. De forma a não se adulterar os padrões da raça, estes gatos eram entregues a famílias ou, se não fosse encontrado um dono, mortos. Em 1928 a raça foi registada pela primeira vez e apresentada em exposições.

Na década de 50, os criadores norte-americanos dão-se conta do potencial da raça e iniciam a sua criação seletiva. “Siamês de pelo comprido” não era uma designação muito apelativa. Assim, nasce o nome “balinês”, não se referindo, todavia, à origem geográfica da raça, mas sim à natureza delicada e graciosa destes animais, comparável à das dançarinas balinesas.

Durante as décadas de 60 e 70 apenas eram usados na criação animais com as seguintes cores colorpoint: seal, chocolate, azul e lilac. Em simultâneo, a Cat Fanciers Association enquadrou os balineses vermelho, creme, tabby e tortie como pertencendo à raça de gato javanês. Esta denominação continua a ser usada, embora seja fonte de confusão.

O balinês original também sofreu algumas alterações. A criação seletiva transformou o ideal do aspeto tradicional em animais com corpos mais magros, cabeças triangulares e orelhas maiores. Atualmente, a morfologia de um balinês assemelha-se à de um gato siamês moderno.  A fisionomia original é preservada por um número muito reduzido de criadores.

Características

Os balineses são gatos musculados, embora esguios. De tamanho médio, estes animais pesam entre 3 a 4 quilos, embora os machos possam alcançar os 5 quilos. O balinês é bastante semelhante ao siamês original, mas a sua pelagem é comprida e densa, sobretudo na cauda. No entanto, a versão moderna do balinês é muito parecida com o moderno siamês, apresentando um corpo alongado e uma cabeça triangular.

À semelhança das raças siamesa e burmês, os balineses pertencem ao grupo dos gatos colorpoint. Esta atraente coloração capta a nossa atenção imediata: a pelagem predominantemente clara é tingida por uma tonalidade escura apenas nas extremidades do corpo, como o focinho, as pernas, a cauda e as orelhas. As manchas são fruto de uma mutação associada ao funcionamento deficiente da enzima tirosinase, interferindo na produção de melanina. Tal provoca um albinismo parcial e a coloração das zonas “frias” do corpo. De acordo com os princípios da Genética, qualquer uma das cores do pelo pode também ser colorpoint.

De acordo com os padrões europeus da raça, são permitidas na criação do gato balinês as seguintes cores:

  • Seal-point: a tonalidade preta básica prevalece nas zonas “frias” do corpo.
  • Blue-point: a tonalidade base preta é diluída para “azul”.
  • Chocolate-point: o balinês com esta variante apresenta uma tonalidade base castanha, que, como é característico, prevalece nas extremidades do corpo.
  • Lilac-point: o lilac é a diluição do castanho. O tom acinzentado-claro é, então, apenas visível nas extremidades.
  • Cinnamon-point: uma cor base avermelhada e canela, visível apenas nas extremidades.
  • Red-point: um gato balinês red-point apresenta manchas vermelhas nas zonas “frias” do corpo.
  • Fawn-point: a cor base em cinnamon-point é diluída para fawn, ou seja, traduz-se por uma tonalidade cinzenta-acastanhada das extremidades.
  • Creme-point: o termo creme refere-se ao vermelho. O balinês desta tonalidade tem as zonas point de cor creme.
  • Foreign white: estes balineses são totalmente brancos e a única variante que não apresenta qualquer cor point! Em termos técnicos, são denominados foreign white, isto é, “estrangeiro branco”.

Os olhos do gato balinês são de um azul vivo e brilhante. Conferem ao animal um ar atento e inteligente, sinónimo de uma personalidade comunicativa e ativa.

O gato balinês e as alergias

Os exemplares desta raça são muitas vezes vendidos como gatos hipoalergénicos. Infelizmente, a ciência não desenvolveu ainda uma raça de gatos totalmente recomendada para pessoas alérgicas ao pelo de gato. Este tipo de alergias é causada pelas enzimas Fel d 1 e Fel d 4, contidas na saliva do animal. A verdade é que a saliva do balinês apresenta uma concentração bastante reduzida destas proteínas.

Personalidade do balinês

A personalidade do gato balinês é a típica das raças orientais de gatos. Assim, falamos de animais bastante ligados às pessoas, que adoram a atenção dos donos, exigindo-a com insistência. Os inteligentes balineses gostam de estar ocupados, de preferência todo o dia! Brinquedos de inteligência e truques são especialmente populares entre os gatos desta raça, embora tenham preferência pelas brincadeiras com os donos. Ainda que se enquadrem nas raças mais dominantes, são gatos adequados para famílias com crianças e até outros animais domésticos, como cães. O mais importante é que esteja sempre a acontecer qualquer coisa!

Educação e cuidados

Os balineses são animais robustos e que não exigem muitos cuidados. Como dono, não será necessário ter cuidados especiais com a pelagem ou com a saúde. Tal como todos os gatos, é benéfico se pentear ou escovar o animal uma ou duas vezes por semana. Na primavera e no outono, os períodos de queda de pelo por excelência, a erva gateira e a pasta de malte contribuem para expulsar o pelo ingerido de forma natural.

A ida anual ao médico veterinário é essencial. O animal é totalmente examinado e o dono tem a oportunidade de colocar as suas dúvidas.

Tratando-se de animais particularmente inteligentes, os balineses depressa se aborrecem. A adoção de um gato de raça oriental pressupõe que disponha de um ambiente diversificado, com suficientes oportunidades para o animal trepar, brincar e esconder-se! Postes arranhadores com diversas plataformas são um acessório recomendado, já que os gatos preferem zonas elevadas. Casinhas de brincar e túneis contam-se também entre os favoritos do balinês, permitindo que brinquem e se resguardem, se sentirem necessidade.

Se não pretende deixar o animal sair sem supervisão, é recomendável deixá-lo sair para a varanda ou para o jardim, desde que devidamente protegidos. Os reservatórios de água, as árvores para trepar e a erva para gatos são fontes de diversão e entretenimento.

Doenças do balinês

Tendo em conta o parentesco com o siamês, os gatos balineses apresentam, infelizmente, algumas das doenças hereditárias típicas dessa raça. Falamos, então, da cardiomiopatia hipertrófica, ou seja, o espessamento dos músculos do coração. Para o diagnóstico desta patologia, o protocolo é testar os gatos para criação, realizando um ecocardiograma. Embora a doença não tenha cura, o diagnóstico atempado permite a exclusão de animais doentes da criação. E a cardiomiopatia hipertrófica não é uma sentença de morte – os gatos podem viver uma vida longa e saudável como gatos de família! Todavia, estes exemplares devem ser excluídos da criação, de modo a evitar-se a herança da patologia.

Alimentação do balinês

Uma alimentação adequada, repleta de proteína saudável, é essencial para qualquer gato. Animais de raças particularmente ativas, como é o caso dos balineses, necessitam de muita energia. Dado que os gatos somente têm a capacidade de processar uma quantidade limitada de hidratos de carbono, deve oferecer-lhes apenas comida de elevada qualidade e com uma elevada percentagem de carne e de proteína. Saiba mais sobre este assunto no nosso artigo “Como posso reconhecer se uma comida para gato é de boa qualidade ou não?”.

Está a equacionar métodos de alimentação alternativos, como a dieta BARF ou cozinhar você próprio a comida do animal? No caso da comida crua biologicamente apropriada (BARFBiologically Appropriate Raw Food), a dose diária é constituída por carne crua, uma pequena porção de vísceras e suplementos específicos. Esta dieta requer um rigoroso período de aprendizagem. Só assim se certifica que o animal ingere tudo o que necessita para se manter saudável. O mesmo princípio se aplica se optar por confecionar em casa as refeições do seu gatinho.

Criação

Tal como no caso da criação do siamês, também a do balinês tem duas variantes: a original e a mais moderna. Esta última é a variante mais popular, frequentemente vista nos salões de exibição da raça. O tipo do gato balinês tem-se vindo a aproximar cada vez mais do do siamês moderno. Para se obter esta variante, os siameses são seletivamente cruzados com os balineses – o resultado são gatos siameses de pelo curto mas que contêm o gente para o pelo comprido. Este gene pode, então, ser usado na criação do gato balinês.

Como vemos, a criação de gatos não é um assunto simples e requer noções de genética, além de conhecimentos rigorosos acerca das regulamentações específicas associadas a cada raça. Por este motivo, criadores de gatos profissionais devem ser membros de uma associação de criação da raça. Esta é a única forma de assegurar que tanto os progenitores como a sua descendência correspondem aos padrões da raça em causa. Através de um acasalamento seletivo e ponderado, tanto as doenças hereditárias como a consanguinidade são evitadas. Em simultâneo, criadores responsáveis asseguram cuidados de saúde regulares aos progenitores e à ninhada.

Outros requisitos fundamentais para a criação são uma alimentação adequada e o crescimento junto da família. Nas primeiras doze semanas de vida os gatinhos aprendem, com os pais e os irmãos, tudo aquilo de que necessitam para uma vida em pleno. Assim, apenas devem ser entregues à sua nova família passadas estas semanas de aprendizagem.

Em suma, o pedigree é bem mais do que um documento. Mesmo que não pretenda fazer criação, não deixa de ter importância saber que o seu gato é efetivamente um balinês. Tenha presente que a criação de gatos é uma atividade complexa e dispendiosa e que, assim sendo, um gato com pedigree tem o seu preço. Se tem interesse em adotar um inteligente balinês, terá que abrir os cordões à bolsa: um exemplar desta raça pode chegar a custar 1000 euros.

Se, por outro lado, pretende poupar, não se deixe levar por criadores duvidosos, que disponibilizam animais sem documentos. Criadores que não são membros de uma associação de criadores não poupam somente nas exibições. É bastante comum não deterem quaisquer conhecimentos acerca da genética dos gatos, além de a alimentação e os cuidados que têm com os animais deixarem muito a desejar. A suposta pechincha revelar-se-á, afinal, dispendiosa, quando sintomas de doenças hereditárias ou consequências de malnutrição aparecerem.

Todavia, existe uma alternativa para os donos que não pretendam gastar várias centenas de euros num animal de estimação. Os abrigos e associações de proteção de animais constituem lares temporários para gatos de todas as idades, raças e personalidades. E a verdade é que lá se podem encontrar animais de raça, que são vendidos por uma quantia simbólica. Na maior parte dos casos, este valor não chega para cobrir os gastos veterinários e com a alimentação, mas, por outro lado, desencoraja as compras por impulso. E deste modo estará também a apoiar o resgate de outros animais!

As maiores felicidades para si e para o seu gato balinês!

Os nossos artigos mais relevantes
O bosque da Noruega conquista facilmente o coração de toda a gente graças ao seu aspeto selvagem e personalidade genuína.
Os gatos persas são das raças mais populares, antes de adotar um gato persa fique a saber...
Os british shorthair têm uma personalidade tranquila e equilibrada o que faz deles uma raça ideal para viver em família.