Leonberger

Conta-se que Isabel da Baviera, a imperatriz da Áustria, terá sido dona de um cão desta raça. A verdade é que o enorme leonberger impressiona não só pela sua juba de leão e pelo seu físico harmonioso, mas também pela sua postura autoconfiante e pelo seu amor inato pelas crianças.

História

A aparência leonina do leonberger não é um acaso – afinal, o leão representado no brasão da cidade de Leonberg serviu como modelo quando a criação da raça dava os primeiros passos. No final da década de 1830, início de 1840, Heinrich Essig, o conselheiro municipal desta pequena cidade perto de Estugarda, no sul da Alemanha, queria criar uma raça de cães que fizesse lembrar o leão no brasão da cidade. Para tal, este amante de cães cruzou uma fêmea Terra-nova preta e branca (embora algumas fontes afirmem que se tratava de uma fêmea Landseer) com um São-bernardo, um “Barry macho” do hospício do Grande São Bernardo. Mais tarde, outros São-bernardo e também exemplares do cão de montanha dos Pirenéus foram, ao completarem a aparência desta nova raça, usados na criação.

O primeiro leonberger, como conhecemos a raça atualmente, nasceu em 1846. Estes enormes cães, que combinavam todas as excecionais características das suas raças de origem, depressa começaram a ser vendidos como símbolos de poder por todo o mundo pela sua cidade natal, Leonberg. Até ao início da Primeira e Segunda Grandes Guerras, os leonberger foram populares como cães de quinta e de carga, além de cães de guarda da alta sociedade.

A instabilidade provocada pelas Guerras Mundiais, seguida pelas dificuldades que marcaram os períodos pós-guerra, ditaram que fosse praticamente impossível alguém poder alimentar cães de tal porte. Em consequência, o número de exemplares da raça caiu drasticamente. Foi graças a alguns fãs de raça que foi possível evitar a sua extinção. Os criadores que restavam organizaram-se e estabeleceram uma nova raça de leonberger. Felizmente, existem atualmente, e em várias partes do mundo, inúmeras associações que se dedicam à criação desta impressionante raça canina.

Aparência

Os leonberger são efetivamente imponentes companheiros de quatro patas. Os machos chegam a alcançar 80 cm de altura ao garrote e a pesar 75 kg. Em relação às fêmeas, os números não deixam de ser impressionantes: 60 kg e entre 65 a 75 cm de altura ao garrote.

O seu passo confiante em combinação com uma estatura musculosa e proporções harmoniosas, fazem destes animais cães orgulhosos e elegantes, sendo impossível não atraírem olhares de admiração à sua passagem. Por fim, falemos do pelo: o seu manto comprido dá a estes “leões” um ar majestoso. Apesar da sua densa camada interna, o pelo não esconde a forma do corpo, oscila ao toque entre o médio-suave a áspero e, apesar do comprimento, é liso. Especialmente nos machos, o pelo nas zonas da garganta e do peito forma uma juba que nos faz lembrar o “rei da selva”. A cauda e as patas traseiras e dianteiras têm bastante penugem. Entre a máscara preta e as pontas do pelo, normalmente pretas, o pelo dos leonberger é muito variado em termos de cor, variando entre amarelo-leão, vermelho, castanho-avermelhado até cores de areia, como creme ou amarelo- pálido. Tal como as áreas de pelagem mais clara, como por debaixo da cauda, no colarinho e nas patas fronteiras e dianteiras, as pontas pretas do pelo não devem ser pronunciadas a ponto de perturbarem a harmonia da cor base. Um pequeno ponto ou linha brancos no peito ou pelo branco nos dedos são, de acordo com os padrões da raça, características toleradas. As orelhas de tamanho médio pendem da cabeça, a ponte nasal é negra e os olhos castanhos têm formato oval e transmitem lealdade e atenção.

Temperamento

Os leonberger têm “pele dura” no verdadeiro sentido da palavra. Este gigante gentil mostra-se dócil e amigável em particular quando em contacto com crianças e bebés. Até o mais barulhento dos choros de crianças não é capaz de perturbar estes pacientes cães, insensíveis ao barulho. Pelo contrário, a sua vivacidade e espírito brincalhão significam que adoram brincar e fazer traquinices com os mais novos. Os cachorros, em especial, são extremamente brincalhões, o que significa que podem também ser tempestuosos.

A sua bondade e boa disposição fazem do leonberger o cão de família ideal, além de um companheiro consistentemente leal e obediente aos donos em qualquer circunstância. Graças à sua natureza vigilante e destemida é também um cão de guarda de confiança e está sempre pronto para proteger a sua família. Porém, os leonbeger não são nem agressivos nem ansiosos e reagem a situações novas ou estranhas com muita tranquilidade. Apesar do seu tamanho, estes cães pedigree podem ser levados sem problemas a qualquer lado. É certo que, embrenhados na brincadeira, os cachorros podem nem sempre acatar todas as ordens dos donos – mas será impossível não perdoar patudos tão bem-humorados e meigos.

Ao serem treinados por um dono que os ensine a ouvir calma e pacientemente as suas ordens, a educação dos leonberger não é problemática. Apesar da sua inteligência e marcada autoconfiança, os cães desta raça demonstram uma enorme vontade de obedecer aos donos. Assim sendo, os leonberger não deixam de ser apropriados para donos pouco experientes – embora não deva atirar-se de cabeça na experiência sem quaisquer conhecimentos. Ao optar por adotar um leonberger é fulcral familiarizar-se com os cuidados, educação e condições adequadas à sua manutenção. Se corresponder às suas necessidades de exercício, cuidados e tempo passado com a família, é certo que terá a seu lado um companheiro excecionalmente amável, leal e devoto – e para a vida.

Alimentação

A alimentação dos cães depende de diversos fatores, como a idade, o estado de saúde geral e o tamanho do animal. Por este motivo, não é possível apontar valores padronizados. Se não tem a certeza acerca das quantidades de comida de que o seu cão necessita, consulte um médico veterinário. Tendo em conta que os leonberger são uma raça de grande porte e pesada, as suas necessidades energéticas são bastante elevadas. É importante prestar atenção ao peso do seu patudo de modo a evitar situações de obesidade e os problemas que lhe estão associados. Além de comida húmida e ração, pode optar por disponibilizar uma dieta BARF (Biologically Appropriate Raw Food). Esta alternativa nutricional é baseada em carne crua, sendo complementada com vísceras, fruta, vegetais e também com suplementos vitamínicos e minerais. Em suma, tenta aproximar-se da alimentação dos cães no seu estado selvagem. E nunca se esqueça: água fresca deve estar sempre disponível.

Manutenção e cuidados

Além das “pequenas adaptações” implicadas na adoção de um cão de tão grande porte, é importante, como futuro dono de um leonberger, ter bastante tempo ao seu dispor. Tendo em conta o seu tamanho, os animais desta raça precisam de largas horas de exercício para se manterem saudáveis e em forma. Quanto mais tempo o leonberger puder passar com a sua família de duas patas, mais feliz se sentirá – são cães afetuosos e muito orientados para as pessoas, sentindo-se nas sete quintas quando toda a família está reunida. Em simultâneo, são muito ativos e uma casa com jardim onde possam correr livremente é um requisito praticamente obrigatório. Além disto, a existência de um parque ou mata nas redondezas para longos passeios na natureza é um fator interessante. E se existir também um lago, ainda melhor – lá o seu patudo poderá brincar e dar uns bons mergulhos a seu bel-prazer. Apesar da sua personalidade calma e equilibrada, os leonberger são cães super ativos e que devem ser entregues a donos igualmente ativos. Desportos para cães, como dock diving (ou dock jumping) e treibball são indicados para os animais da raça, embora tenham preferência simplesmente por brincar ao ar livre ou na água.

Além da atividade física com o seu companheiro de quatro patas, reserve também algum tempo para escovar o seu pelo – comprido e denso, deve ser escovado diariamente. Para facilitar este processo, é fundamental que o leonberger seja habituado desde tenra idade a sentar-se ou a manter-se quieto. Um cão adulto sem treino não terá paciência para escovagens tão intensivas.
Ao contrário dos cuidados com o pelo, a educação de um leonberger, cão tão ansioso por aprender, costuma ser bem mais fácil. Graças à sua inteligência, compreensão e disposição para seguir ordens, esta raça não é difícil de treinar e apresenta uma enorme capacidade de aprendizagem. Regra geral, enquanto cachorros é suficiente aprenderem os comandos mais importantes. Ao fazê-lo, o dono deve ser claro nas suas indicações e transmiti-las sempre calmamente. Gritos ou violência não contribuem para o sucesso do treino.

Criação e adoção

Atualmente, existem na Europa alguns milhares de exemplares de leonberger. Nos últimos anos, e apenas na Alemanha, país de origem da raça, foram criados cerca de 600 cachorros. Deste modo, encontrar um criador de leonberger não deverá constituir um problema; por outro lado, é essencial ter em conta alguns fatores antes da aquisição do animal. O primeiro sinal de que está perante um criador sério é a sua pertença a um dos numerosos clubes afiliados com a International Leonberger Union e reconhecidos pela Federação Cinológica Internacional (FCI), a maior associação guarda-chuva a nível mundial. Os criadores são submetidos a rigorosas diretrizes, pautadas por elevados padrões de qualidade. O objetivo de tão controlados procedimentos é a manutenção de leonbergers de raça pura, combinando saúde, força de espírito e beleza.

É natural que a adoção de um cachorro a um criador profissional não seja exatamente barata. Além do compromisso e dedicação de tempo – a verdade é que criar os cachorros e cuidar das progenitoras é um trabalho a tempo inteiro –, a criação destes enormes animais não existe sem um grande investimento financeiro do criador. A aquisição de cães adequados ao propósito, proporcionando-lhes as condições de vida apropriadas à espécie, as despesas médicas associadas (vacinas, exames para o despiste de doenças hereditárias, entre outros), comida de qualidade premium, quotas e taxas de licença, controlo por microchip, árvores genealógicas, seminários de criadores e programas de formação têm um custo. Além de tudo isto, o crescimento de cachorros ainda impetuosos em casa do próprio criador pode significar despesas elevadas – portas arranhadas, tapetes rasgados, riscos no chão de madeira ou rasgões nos sofás são alguns dos incidentes comuns quando falamos de cães jovens, temperamentais e cheios de força. Concluindo, tenha muito cuidado com as pechinchas! Pode vir a pagar todo o dinheiro que poupou na compra do leonberger em duplicado ou triplicado – seja em despesas veterinárias ou em terapia canina.

Selecionado o criador, é chegado o momento de o visitar em diversas ocasiões. Esta é a única forma de se certificar que a boa primeira impressão perdura no tempo. É crucial que o criador seja honesto e se mostre recetivo a dar-lhe a conhecer as suas instalações e a mãe dos recém-nascidos. E não se incomode se lhe fizer algumas perguntas – um criador sério e que se dedicou de alma e coração à sua ninhada terá todo o interesse em conhecer um pouco os futuros donos dos seus protegidos. O profissional poderá aconselhá-lo, ajudando-o a decidir se um leonberger é a raça ideal para si, ou são necessárias alterações no seu espaço para acolher um animal de tão grande porte. E mais: um criador responsável mostrar-se-á disponível para lhe dar assistência ao longo da vida ao seu patudo.

Se corresponder aos seus requisitos em termos de alimentação, cuidados e saúde e dispuser do tempo necessário para lidar com o animal física e mentalmente, não duvide que um leonberger será um companheiro incomparavelmente leal e se manterá a seu lado por largos anos – no melhor e no pior.

Os nossos artigos mais relevantes
Está a pensar adotar um Rafeiro Alentejano? Conheça todas as características da raça e se é o cão indicado para si.
Gosta de agradar, adora pessoas e é robusto: o Labrador Retriever é extremamente popular como cão de família.