Labrador Retriever

Características da raça labrador retriever

Características

Tanto no Reino Unido como nos Estados Unidos da América, a raça Labrador Retriever é uma das mais populares. Algo semelhante se passa também em muitos países europeus. Não é de estranhar, já que falamos de uma raça bastante dada aos humanos e com um elevado sentido de obediência – talvez como nenhuma outra. O desejo inato de agradar aos donos faz destes exemplares cães de companhia muito descontraídos, movidos pela capacidade de cooperação e de adaptação. É fácil conduzir um Labrador Retriever onde quer que seja, sendo sempre um convidado muito bem-vindo. É habitual cumprimentar desconhecidos com um simpático abanar da cauda. São animais amistosos, recetivos, curiosos e que preferem estar permanentemente acompanhados. A timidez, o medo e a insegurança são traços de personalidade totalmente estranhos para os Labrador, tal como a agressividade.

O amor pelas crianças é igual ao amor pelo trabalho

Os Labrador Retriever adoram a sua família de duas patas, e, acima de tudo, as crianças. Gostam de participar nas atividades e é com relutância que ficam sozinhos por algum tempo. Duas grandes características destes animais são a paciência e o temperamento equilibrado. Com a sua natureza tranquila e a sua inabalável bondade contribuem de forma significativa para a harmonia familiar. Mas adotar um Labrador apenas por estes motivos não faz justiça a esta incrível raça – originalmente criado com um cão de caça, o Labrador é muito ativo e trabalhador, caracterizado por um faro bastante apurado e por uma enorme perseverança. Além disso, estes cães são grandes fãs de água e de brincadeiras que incluam apanhar e devolver objetos.

Não é só como cão de família que o Labrador Retriever é popular, pois a sua versatilidade permite-lhe executar tarefas como a de cão-guia, cão de resgate (em caso de avalanche, por exemplo) e ainda cão-polícia e auxiliar de alfândega. Para que um animal desta raça se mantenha feliz, as suas necessidades de trabalho e de ocupação devem ser satisfeitas. Irá rapidamente perceber o quão mais responsivo e equilibrado um Labrador se manifesta se, de acordo com a sua predisposição, for estimulado mental e fisicamente.

Aparência

Com uma altura ao garrote entre 56 a 57 cm nos machos e entre 54 e 56 cm no caso das fêmeas, a Labrador Retriever é uma raça de médio porte. São animais muito ativos e que adoram mexer-se, apresentando uma estrutura muscular correspondente e um físico forte. Em resumo, o típico Labrador é bastante compacto, tem o crânio largo, o pescoço forte e o peito largo e bem descido. Bem característica é a cauda, elevada, robusta, descrita como “cauda de lontra” e que atua na água como uma espécie de leme. Na cabeça larga destacam-se a depressão nasal frontal marcada, as mandíbulas fortes e de tamanho médio, e as orelhas, implantadas mais para trás e próximas uma da outra.

 

Bem típico da raça é também o pelo curto e denso e com uma excelente camada impermeável de subpelo. Os exemplares de Labrador Retriever são criados de acordo com as cores reconhecidas oficialmente: preto, amarelo e castanho. O pelo é sempre monocromático, embora se possa aceitar uma pequena mancha no peito. O amarelo pode variar entre o creme-claro e o ruivo. O castanho pode, por seu lado, variar entre o castanho-claro e o chocolate. O preto é, porém, a cor mais comum.

Dois tipos: o de exibição e o de trabalho

Embora somente um dos tipos se encontre descrito nos standards da raça, duas diferentes linhas de Labrador Retriever têm vindo a ser delineadas nas décadas mais recentes: existe, por um lado, o tipo mais compacto, para exibições, e, por outro, o tipo criado para trabalho, que apresenta a cabeça mais estreita e as mandíbulas mais compridas. Há ainda uma terceira linha que tenta, de forma harmoniosa, combinar o lado do espetáculo com o lado do trabalho, aproximando-se do ideal da raça.

História

Os antepassados do Labrador Retriver são oriundos da costa leste do Canadá, tal como os Terra-nova e os Landseer. De acordo com a tradição, o Labrador descende dos chamados Saint John, cães pretos de caça aquática e de pelo denso. Estes animais colaboravam com os caçadores e, sobretudo, com os pescadores, recuperando os peixes que saltavam das redes e puxando as próprias redes até terra.

As primeiras iniciativas de criação concertada ocorreram em Inglaterra e na Escócia na segunda metade do século XIX, depois de os pescadores terem introduzido estes diligentes animais nos seus lares. Quanto à origem do nome da raça, a explicação é a seguinte: se por um lado existe uma província canadiana chamada Labrador, a palavra inglesa “retrieve” pode estar relacionada com as capacidades de recuperação destes cães, já que, entre outros significados, constam “recuperar”, “recolher”, “reaver” ou “buscar”.

 

Os esforços de criação por parte dos britânicos, de entre os quais se destaca a dedicação de Earl Malmesbury, o segundo (1778-1841), focado na performance de caçadores destes animais, deve-se ao facto de os Labrador Retriever terem caído nas graças dos nobres e do seu entusiasmo pela caça. A 7 de julho de 1903, esta raça é finalmente reconhecida como independente pelo Kennel Club britânico. Os numerosos sucessos nas exibições caninas rapidamente levaram o nome do pacífico Labrador além-fronteiras. As cores amarela e castanho foram somente aceites para criação algum tempo depois, juntando-se assim ao pelo preto.

Criação e saúde

Embora os Labrador Retriever sejam, acima de tudo, valorizados como cão de família, não nos esqueçamos que se tratam de animais cheios de entusiasmo e, como o seu nome indica, com um elevado instinto para recuperar objetos. Por exemplo, a maioria dos profissionais que fazem criação de acordo com os standards da Federação Cinológica Internacional (FCI) e que estão vinculados a associações, criam cães saudáveis, confiantes e poderosos. Isto significa que se a raça Labrador Retriever é a eleita pela família, lembre-se que estes cães nunca deixam de ser animais de trabalho, sendo fundamentais as tarefas e os treinos. Muitos clubes disponibilizam locais de treino para os criadores e donos.

Doenças hereditárias

Um Labrador ativo, estimulado de acordo com as suas aptidões, será, por norma, um animal saudável e robusto, que poucas vezes se encontrará doente. Apesar disso, estamos a falar de uma raça com predisposição para algumas doenças hereditárias – somente evitáveis através da criação controlada e prudente. Entre os problemas genéticos encontram-se as doenças do sistema musculoesquelético, como a displasia de anca, a displasia do cotovelo, a osteocondrite, e ainda doenças oculares hereditárias, como a atrofia progressiva da retina ou as cataratas.

 

Ao comprar um Labrador é de extrema importância confirmar que os animais diagnosticados com alguma das doenças referidas foram excluídos da criação. Além disso, certifique-se que os pais e os irmãos do seu cachorro são saudáveis. Apenas deste modo é possível travar a propagação dos problemas de saúde mencionados. Se o que pretende é um cachorro de raça pura, é aconselhável adquiri-lo a um criador credível que tenha realizado todos os exames médicos necessários. Quanto a valores, adquirir um Labrador Retriever saudável, vacinado e com toda a documentação é dispendioso – ronda os 600 €. Um animal saudável, com o qual poderá partilhar longos anos de alegria e poucas idas ao veterinário, vale bem o investimento.

Alimentação

A partir do momento em que adota um cão, a responsabilidade pela sua saúde está nas suas mãos. Uma dieta equilibrada que forneça todos os nutrientes essenciais e que providencie energia na dose certa, garante que o animal se manterá saudável e ativo durante muitos anos. Infelizmente, os Labrador têm tendência para comer em demasia. A obesidade é extremamente prejudicial para os cães e pode provocar inúmeras doenças que, além de outras coisas, podem encurtar a esperança de vida do seu patudo.

Muita carne e vegetais, poucas gorduras e cereais

Tanto a gordura em excesso como os adoçantes, entre os quais se incluem o açúcar e a glucose, não têm lugar no comedouro do seu Labrador. Uma dieta equilibrada e saudável é caracterizada por uma elevada percentagem de carne (no mínimo 70%), já que a carne é a mais importante fonte de proteína para os cães. Também os vegetais e a fruta (entre 20 a 30%) contribuem com vitaminas e nutrientes importantes para o comedouro. Os cereais, por outro lado, devem ser apenas consumidos em pequenas quantidades; alimentos com percentagens de cereais mais altas são sinónimo de pouca qualidade.

 

Leia o nosso artigo sobre a alimentação do Labrador e descubra a nossa seleção de comida para Labrador na loja da zooplus.

Evitar o excesso de peso

Para que o excesso de peso não seja um problema para o seu Labrador Retriever, além de prestar muita atenção à composição dos alimentos, deve também focar-se nas quantidades. Nunca deixe esta decisão nas mãos do seu patudo, pois falamos de uma raça que come bem mais do que o necessário. As quantidades variam de acordo com a idade, peso e nível de atividade do cão. Por norma, um Labrador Retriever requer uma ou duas refeições diárias – é fundamental que ocorram sempre à mesma hora. Se oferecer ao animal uma guloseima entre as refeições, deve deduzir a quantidade em questão do total diário, ou seja, coloque um pouco menos de ração no comedouro.

 

Não se encontram estabelecidas tabelas orientativas acerca do peso ideal para um Labrador Retriever. Se o animal é magro ou gordo, se come muito ou pouco – fica ao seu critério. Basicamente, deve sentir as costelas do cão com as suas mãos, sem que, pelo contrário, as consiga ver a olho nu. Se se sente inseguro acerca desta análise, dirija-se ao médico veterinário ou fale com o criador relativamente ao plano nutricional ideal para o patudo, incluindo a quantidade de comida a disponibilizar.

Cuidados

Para que o seu Labrador Retriever se mantenha em plena forma, os cuidados apropriados são decisivos. Além dos exames de rotina no veterinário (que devem ser respeitados), é possível detetar infeções graças a check-ups regulares, tomando desde logo medidas. Deve ser prestada especial atenção às orelhas, olhos e dentes do Labrador. Para evitar feridas e inflamações, as garras do animal devem ser cortadas regularmente. O pelo dos exemplares desta raça é fácil de limpar, e, nalguns casos, limpa-se por si mesmo. Uma vez por semana, no mínimo, deve escovar exaustivamente o pelo para remover pelos soltos e impurezas persistentes.

Transforme os cuidados higiénicos em rotinas

Cuidar de um Labrador Retriever não tem necessariamente que lhe tomar muito tempo. Para que tal aconteça, deve planear as “inspeções” e rituais de higiene e inseri-los na sua rotina semanal. Assim, rapidamente se tornarão um hábito para o cão e para o dono. Os cães gostam de regras e de organização – demasiadas surpresas e mudanças só servirão para confundir o sensível Labrador. Inicie o “programa de cuidados” ainda durante os primeiros meses de vida do animal e ensine-o a manter-se quieto.

Comportamento e educação

Tão elementares quanto os cuidados de higiene, são o comportamento e a educação de um Labrador. Estes patudos amigáveis são indicados para donos menos experientes. No entanto, ter um Labrador à responsabilidade implica ter em mente alguns princípios.

Muito espaço, muita atividade

Como já referido, a raça Labrador Retriever é sinónimo de cão de trabalho. Para se sentir feliz, o animal precisa de fazer muito exercício e de ter oportunidades suficientes para pôr em prática os seus desejos de, entre outros, recuperar e entregar objetos. Uma casa com jardim próprio é, digamos, um pré-requisito para receber um Labrador, já que, assim sendo, o patudo tem o espaço de que necessita. Os Labrador devem ter a possibilidade de se cansarem a si mesmos – e, verdade seja dita, não é com dois ou três pequenos passeios que o vão conseguir. Desportos para cão como Obedience e Dog Dancing, treinos para o desempenho de funções como cães de rastreamento ou exercícios de caça constituem excelentes formas de estimular estes animais, tanto física como mentalmente. Experimente tornar os passeios diários mais atrativos ao incluir pequenos jogos de busca e devolução de objetos. Dar a oportunidade a um Labrador de tomar banho num ribeiro ou no mar fará dele o cão mais feliz do mundo!

Até um Labrador precisa de educação

Para a convivência pacífica e simples na natureza e em contexto social, é essencial que qualquer cão obedeça às instruções e ordens do dono, seja um Labrador Retriever ou um Pastor alemão. A educação adequada é o alicerce para a vida em harmonia entre pessoas e cães. Em geral, o Labrador facilita-nos a vida, já que é muito obediente e adora agradar. É importante, porém, educar estes animais sensíveis de forma coerente e carinhosa. As probabilidades de o patudo responder a demonstrações de reforço positivo, como elogios e guloseimas, são elevadas em comparação com atitudes severas. De qualquer forma, recomendamos aos donos menos experientes a visita a uma escola para cães, onde os animais não só praticam as ordens e comportamentos mais básicos, como os donos terão oportunidade de aprender a controlar o seu cão.

 

Em resumo, quanto melhor educado for o seu cão, mais coisas podem fazer na companhia um do outro – seja passeios de bicicleta, encontros com amigos no jardim ou férias em conjunto. Partilhar a vida com um Labrador Retriever é seguramente uma experiência rica e variada.

Os nossos artigos mais relevantes
Está a pensar adotar um Rafeiro Alentejano? Conheça todas as características da raça e se é o cão indicado para si.
Gosta de agradar, adora pessoas e é robusto: o Labrador Retriever é extremamente popular como cão de família.