Comida para cães com excesso de peso

Comida para cães com excesso de peso

Quem consegue resistir aos olhinhos doces do seu cão? Uns quantos doces ou restinhos do jantar não poderão fazer mal, pois não? Embora a grande maioria dos donos tenha consciência que o excesso de peso pode afetar o seu fiel amigo, apenas tomam medidas contra isso demasiado tarde, muitas vezes porque não sabem reconhecer os primeiros sinais da obesidade.

A verdade é que o excesso de peso nos cães é um grave problema de saúde, que deve ser controlado através de um plano nutricional específico, em conjunto com um programa de exercício físico apropriado. Mas que medidas tomar para lutar contra as gordurinhas a mais e qual o papel de uma dieta adequada?

Quais as consequências do excesso de peso para o seu cão?

Cães obesos apresentam maior propensão para serem diagnosticados com determinadas doenças, em comparação com animais de peso normal. Como exemplo, se o seu fiel amigo tem excesso de peso, tem mais tendência para o desenvolvimento de doenças nas articulações, como artrite ou osteoartrite, diabetes mellitus, problemas cardiovasculares e respiratórios. No contexto de uma intervenção cirúrgica, tanto esta como a anestesia apresentam mais riscos para o animal. O excesso de peso não lhes retira apenas vitalidade, dado que são menos ágeis e com mais tendência a terem dores, mas, em última instância, afetam a sua esperança de vida. Em média, cães obesos acabam por morrer dois anos mais cedo do que os de peso dentro do normal.

Quais as causas do excesso de peso?

Antes de iniciar a luta contra a gordura, deve inteirar-se das causas do excesso de peso no seu cão – isto porque um plano nutricional será em vão se as verdadeiras causas do problema não forem conhecidas. Tendo em conta que os fatores que conduzem à obesidade são muito diversos, a primeira medida a tomar é levar o animal ao veterinário. O médico saberá dizer-lhe se o excesso de peso do seu cão se deve a uma dieta errada ou se existe por detrás algum outro problema que necessite de tratamento especial.

A predisposição genética da raça, a idade avançada (que acaba por afetar o metabolismo), a esterilização e até doenças hormonais, como a tiroide hipoativa ou problemas renais, poderão despoletar o excesso de peso. Também doenças como a displasia de anca, artrite, problemas cardiovasculares ou respiratórios, que dificultam o movimento e a atividade física do animal, poderão ter como consequência a obesidade.

Além destes fatores orgânicos, podem apontar-se uma série de influências externas que contribuem para o excesso de peso. E as mais relevantes estão sobretudo relacionadas com o próprio dono. O comportamento negativo do cão, como a falta de exercício, hábitos nutricionais incorretos ou recompensas demasiado frequentes, como guloseimas ricas em calorias, podem causar excesso de peso.

Como reconhecer o excesso de peso?

O índice de massa corporal, com o qual se pode calcular facilmente o peso ideal, não está disponível para os cães. O grande número de cães cujo físico muitas vezes difere do da raça não permite a existência de uma fórmula universal para cálculo do excesso de peso. No entanto, existem fórmulas básicas para reconhecer o excesso de peso a tempo:

Deve sentir as costelas do seu cão. Se as costelas não estiverem “apertadas“ debaixo do abdómen, o seu cão terá um peso normal. Caso não consiga sentir as costelas, o animal estará com peso a mais. E caso consiga ver as costelas a olho nu, o seu animal estará com peso a menos – e aqui é também necessária a intervenção do veterinário.

Perder peso de forma saudável – como?

Aperceber-se que o seu cão está com excesso de peso é o primeiro passo para lutar contra as gorduras em excesso. Uma conversa com o seu veterinário constitui o segundo passo e na consulta poderão clarificar as razões para a obesidade e também elaborar um plano para o animal perder peso. E embora atualmente estejam disponíveis nas lojas produtos alimentares “light“, não significa que sejam os mais adequados.

Comida “light“

Tendo em conta que o termo “light“ não se encontra legalmente protegido, isto significa que a sua utilização fica apenas ao critério do fabricante. E o que um fabricante designa como comida “light“ pode conter tantas calorias como a comida normal de outra marca. A forma de saber se a comida é adequada é ler atentamente o rótulo da embalagem; é essencial saber quais as proporções ideais de cada ingrediente para ajudar o seu fiel amigo a perder peso.

Comida dietética

Na maioria dos casos, o mais seguro é seguir à risca a dieta prescrita pelo veterinário. Ao contrário do conceito “light“, o termo “dietética“ encontra-se legalmente protegido, isto é, existe uma diretiva da União Europeia que especifica quais os componentes permitidos e que informação deve constar no rótulo – por exemplo, as doses e o conteúdo calórico. Este é significativamente menor na comida dietética, em comparação com a comida comum. Apesar do conteúdo energético ser menor, certifique-se que as vitaminas, minerais e oligoelementos essenciais continuam a constar da alimentação e que o animal obtém todos os nutrientes de que necessita.

Na comida dietética, os ácidos gordos omega-3, anti-inflamatórios, asseguram que os níveis de glucose no sangue se mantêm estáveis. Além disso, dietas de redução de peso de qualidade são caracterizadas por uma elevada percentagem de proteínas. Isto não só torna a comida mais saborosa, promovendo ao mesmo tempo uma perda de peso orientada, permitindo que a massa muscular se mantenha. A quantidade certa de fibra mantém o seu cão satisfeito por mais tempo – desta forma, o animal não está constatemente a pedir comida e a dieta é mais fácil de levar a bom porto.

Nada de dietas FdH

Planos nutricionais dietéticos apresentam uma maior taxa de sucesso do que uma alimentação à base de alimentos “light“. É também desencorajada a dieta “FdH“ – isto é, “comer pela metade“.  Ao reduzir o tamanho das doses, não apenas está a reduzir o valor calórico da comida, mas também a presença de vitaminas e minerais importantes, que poderão dar azo a deficiências nutricionais. Além disto, o seu fiel amigo terá mais fome e, claro, começará a pedir mais comida – e não será nada fácil manter-se firme e recusar-lhe guloseimas!

Atividade física – o outro aliado contra o excesso de peso

Para que o seu cão perca peso é importante introduzir gradualmente a nova dieta. Porém, as mudanças nutricionais não são, por si só, suficientes. Adicionalmente, é essencial permitir ao seu cão a possibilidade de realizar atividade física suficiente. Treino, desporto e jogos não apenas reduzem o apetite, aumentando igualmente o consumo de energia. As gordurinhas a mais desaparecem e a relação cão-dono sai fortalecida através destas atividades.

A perda de peso não tem somente um impacto positivo na saúde do seu fiel amigo, contribuindo também para a sua vitalidade e para fortalecer os vosso laços. Assim sendo: boa sorte para ambos!

Os nossos artigos mais relevantes