Vizsla Húngaro

Vizsla Húngaro em pé num campo de relva

O nome oficial desta raça é Braco Húngaro de Pelo Curto, no entanto, estes versáteis patudos são também conhecidos como Vizsla Húngaro ou Magyar Vizsla. Sendo cães inteligentes e fácies de treinar, os Vizsla são muito populares entre os caçadores. Na verdade, estes patudos são companheiros fiéis com excelentes desempenhos na caça e em desportos caninos.

Aspeto

Os fans desta raça comparam o Vizsla a uma estátua. Na verdade, o corpo musculoso e harmonioso do Vizsla Húngaro tem as linhas bem definidas dando-lhe um ar nobre e impressionante. Estes patudos também apresentam várias semelhanças físicas com o Braco alemão de pelo curto e com o Braco Francês.

O Braco Húngaro é um cão de tamanho médio. Os machos medem entre 58 e 64 centímetros na cernelha, e as fêmeas, mais pequenas, não ultrapassam os 60 centímetros. Em termos de peso, estes patudos variam entre 18 e 30 quilos. A cauda é comprida e atinge o jarrete, além disso é geralmente ligeiramente curvada. Alguns criadores cortam a cauda em um quarto do comprimento. No entanto, felizmente esta prática está proibida em muitos países, inclusivamente em Portugal.

De acordo com o padrão da raça, a pele dos Vizsla deve ser firme e sem rugas. O pelo deve ser curto, denso e duro ao toque sem subpelo. Em termos de cor, a pelagem pode variar dentro dos tons de vermelho-dourado e dourado areia escura. Na verdade, o tom do pelo destes patudos é uma das suas imagens de marca. Patudos com uma mancha branca no peito são igualmente aceites, no entanto, esta mancha não pode ter um diâmetro superior a 5 centímetros. Por fim, o Braco Húngaro pode também apresentar manchas brancas nos dedos das patas.

Braco húngaro de pelo duro

Existem duas raças que incluem as palavras Magyar Vizsla no nome. Assim, encontramos a raça Rövidszörü Magyar Vizsla (Braco Húngaro de Pelo Curto) e Drotzörü Magyar Vizsla (Braco Húngaro de Pelo Duro). Por vezes, usa-se a designação Magyar Vizsla ou Braco Húngaro indiscriminadamente. No entanto, estas são duas raças separadas.

A raça Braco Húngaro de Pelo Duro resulta do cruzamento entre as raças Braco Húngaro de Pelo Curto com o Braco alemão de pelo duro. E em 1956 a Federação Cinológica Internacional (FCI) reconheceu-a oficialmente. As duas raças Braco Húngaro distinguem-se principalmente pelo tamanho do pelo. Além disso, o Braco de pelo duro tem um corpo ligeiramente mais compacto. No entanto, esta é uma raça rara e portanto pouco conhecida.

História do Vizsla Húngaro

A história desta raça de cães está intimamente ligada à da Hungria. Sabemos que os ancestrais destes patudos chegaram à Europa com tribos nómades húngaras. No entanto, não existe consenso entre os cinologistas relativamente à origem prévia desta raça. A teoria mais aceite é que os cães desta raça estejam intimamente ligados com cães de parar turcos. Mas foram também encontrados traços das raças Pointer e Braco Alemão de pelo curto.

Sabe-se no entanto, que esta raça se desenvolveu consistentemente na zona da atual Hungria. Existem, por exemplo, documentos e ilustrações com referência a este tipo de patudos que remontam ao século 14. No entanto, a partir do século 18 esta raça começou a ganhar importância junto dos caçadores. No final do século 19, os Braco Húngaro de pelo curto participaram em competições de cães apontadores ou cães de parar. Aí a raça ganhou notoriedade devido ao seu bom desempenho, no que se refere às capacidades para a caça. Por exemplo, quando um Vizsla se apercebe da presença de uma presa, ele para repentinamente e indica ao dono com o focinho a localização da presa. Além disso, a cor acastanhada do pelo destes Braco Húngaro é a camuflagem ideal para as estepes e campos da Hungria.

No entanto, a história desta raça sofreu um revés. Com a introdução dos cães de caça ingleses em toda a Europa, o Braco Húngaro esteve próximo da extinção no início do século 20. A raça é considerada pura desde 1920, mas a FCI apenas a reconheceu oficialmente em 1936. Desde então a população de Vizsla Húngaro variou, mas estes patudos ganharam a consideração de caçadores e donos mais desportistas, permitindo que a raça se mantenha até hoje.

Dois Vizsla Húngaros num rio ou lago ao por do sol.

Personalidade dos Vizsla Húngaros

Um companheiro fiel e sensível

Um Braco Húngaro bem socializado é um cão fora do comum em todos os sentidos. Estes patudos são muito afetuosos e sociáveis, dando-se muito bem com pessoas e animais.

Se for bem exercitado, o Vizsla Húngaro tem um comportamento muito equilibrado dentro de casa. Além disso, estes patudos adoram estar na companhia dos donos e por isso acompanham-nos de bom grado a onde quer que vão. No entanto, apesar de muito seguros de si, os Vizsla são muito sensíveis e facilmente se apercebem do sentimento geral da sua família.

É também importante sublinhar que estes cães desenvolvem uma ligação muito próxima com a sua família humana. Assim, como seria de esperar, eles não gostam nada de ficar sozinhos. Além disso, estes patudos facilmente se sentem aborrecidos e nessas alturas mostram toda a sua criatividade ao criarem as suas próprias diversões. Deste modo, os donos devem iniciar o seu Vizsla no treino a estar sozinho o mais cedo possível, ou seja, desde cachorrinho.

Educação e treino dos Vizsla

Visto que o Braco Húngaro cria relações muito fortes com os seus donos e gosta de os agradar, estes cães são muito fáceis de treinar. Como já mencionado, estes patudos são muito sensíveis, por isso palavras duras são totalmente desaconselhadas. Um treino muito duro põe em causa a relação de confiança que estes patudos criam com os donos. Assim, a educação destes cães deve ser consistente e ao mesmo tempo carinhosa. Lembre-se que com um treino adequado, o seu Vizsla será o melhor companheiro que pode desejar.

No entanto, apesar de estes patudos terem imensa vontade de agradar aos donos, eles não são totalmente adequados para pessoas sem experiência. Por serem muito sensíveis e também muito ativos, é relativamente fácil cometer alguns erros nos treinos. Além disso, estes patudos são conhecidos pela sua boa memória, o que significa que tanto memorizam comportamentos corretos como incorretos. Assim, os donos destes patudos devem ter conhecimentos prévios sobre como treinar patudos.

O processo de socialização dos cachorros é muito importante para qualquer raça. No entanto, os Vizsla Húngaros beneficiam especialmente deste tipo de treino. Assim, é aconselhável levar o seu patudo a uma escola para cachorros onde ele vai contatar com cães de várias raças e personalidades. Por fim, é importante sublinhar que estes patudos são adultos tardios, ou seja, só se tornam adultos por volta dos 3 anos, e às vezes só mesmo aos 4 anos.

Saúde do Vizsla Húngaro

Cuidados ao adquirir o seu cachorrinho

Se adquirir o seu Vizsla Húngaro a um criador sério é praticamente certo que vai ter um patudo robusto e saudável na família. Infelizmente, nem todos os criadores têm os cuidados necessários, com consequências desastrosas para os patudos. Raças muito ligadas a pequenas regiões, como é o caso desta, têm geralmente uma diversidade genética limitada. Consequentemente, estes patudos têm maior tendência a desenvolver doenças genéticas se o criador não adotar as medidas de saúde aconselhadas.

No que se refere a esta raça, as doenças mais comuns são a displasia da anca, alguns tipos de cancro, epilepsia, adenite sebácea, uma doença de pele que causa perda de pelo, comichão forte e inflamação das glândulas sebáceas.

Um criador sério vai selecionar os reprodutores tendo em consideração aspetos de saúde com o objetivo principal de reduzir a probabilidade de os cachorros apresentarem estas doenças genéticas.

Alimentação

Para que o seu patudo mantenha a sua figura atlética escolha uma alimentação de elevado valor nutritivo com ingredientes de alta qualidade. Assim, dê preferência a rações sem cereais e com elevado teor de carne. Em relação à quantidade, consulte e siga as indicações do fabricante. Se escolher dar ração ao seu Vizsla, pese a quantidade diária de manhã e divida-a em porções para o dia.

Enquanto o seu Vizsla for cachorrinho deve dar-lhe quatro refeições por dia, mas quando ele chegar à idade adulta pode reduzir o número de refeições para duas. Além disso, permita sempre que ele durma uma soneca depois de comer. Dessa forma, evita que ele tenha a temida torção do estômago.

Em termos de guloseimas, pode dar ossos de couro de vaca ou com rúmen. Este tipo de snack ajuda a manter saudáveis os dentes dos seu patudo e são uma excelente forma de o manter ocupado. Por fim, nunca se esqueça de ter sempre água fresca à disposição do seu patudo.

Cuidados e higiene

Como o Vizsla Húngaro tem o pelo curto e não tem subpelo, estes patudos não precisam de cuidados especiais. No entanto, habitue o seu Vizsla a ser penteado regularmente desde cedo. Este procedimento ajuda a fortalecer a relação que tem com o seu patudo, além disso na altura da mudança de pelo reduz o número de pelos que se espalham pela casa.

O pelo curto também não costuma ficar com sujidade agarrada. Mesmo os restos de lama que possam ficar no pelo durante passeios mais intensos limpam-se facilmente quando o pelo seca. Assim, não é preciso dar banho muitas vezes ao seu Vizsla. Na verdade, estes patudos só devem tomar banho quando absolutamente necessário. Nesse caso use um champô suave para cães.

Deve, no entanto, ter em atenção as orelhas do seu patudo. Verifique regularmente se estas não estão sujas ou inflamadas. O ambiente quente e húmido criado nas orelhas é excelente para bactérias que aí se reproduzem rapidamente. Assim, se as orelhas do seu patudo estiverem sujas limpe-as usando um produto adequado.

Relativamente às unhas, estas desgastam-se naturalmente se o patudo se exercitar o suficiente. No entanto, os Vizsla mais velhos podem precisar de ir à pedicure. Caso tenha dificuldades ou dúvidas em relação a este procedimento procure a ajuda do seu veterinário.

Desporto

Vizsla Húngaro: um patudo para a caça e desportos

O Vizsla Húngaro é antes de mais um cão de caça. Estes patudos têm excelente instinto de caça e são muito versáteis conseguindo apanhar as presas também na água. Além disso, são cães persistentes e muito rápidos quando concentrados nas presas.

No entanto, existem inúmeras atividades físicas que satisfazem plenamente estes patudos além da caça. Por exemplo, com treino adequado, os Vizsla adultos são ótimos companheiros para passeios de bicicleta ou para jogging. Estes patudos também gostam muito de atividades que envolvam o raciocínio ou os seus talentos olfáticos. Na verdade, quando recebem o treino adequado, os Vizsla são excelentes cães de resgate, incluindo para resgates na água.

Por fim, dado adorarem fazer atividades com os donos, os Vizsla são também entusiastas de desportos como agility e obediência. Assim, explore os vários tipos de desportos para cães e verá que encontra de certeza o mais adequado para si e para o seu patudo.

Vizsla deitado na relva.

O Vizsla Húngaro é o patudo adequado para mim?

Estes patudos são excelentes companheiros mesmo para quem não é caçador. No entanto, a família de um destes patudos deve ser bastante ativa. O Vizsla Húngaro precisa de muita atividade física por períodos relativamente longos diariamente. Assim, estes cães precisam de uma a duas horas de exercício físico por dia e de cerca de meia hora de atividade intelectual por dia. Lembre-se que estas rotinas vão acompanhá-lo por cerca de 14 anos. Assim, se pensa ter um Vizsla na família considere as necessidades do seu futuro companheiro e a disponibilidade da família.

A personalidade dos Vizsla faz com que estes patudos não devam ser mantidos em canis no exterior da casa. No entanto, eles não precisam de viver numa casa com um jardim ou quintal grande. Para que estes patudos se sintam felizes eles precisam de fazer exercício diário regular e de ter a sua família por perto. Claro que o seu patudo não se importa nada se tiver um espaço em casa para correr e brincar. No entanto, nesse caso tem que colocar uma cerca ou vedação para impedir que o seu patudo resolva passear sozinho pela vizinhança.

Um dado importante, se procura um cão de guarda existem raças mais adequadas do que esta. Ainda que o Vizsla proteja o seu território e família em caso de perigo iminente. Dentro da família, o Vizsla Húngaro desenvolve relações extremamente fortes com crianças. No entanto, as crianças muito pequenas não devem ficar sozinhas a estes patudos. Assim, considere também as rotinas familiares antes de adotar um destes patudos.

Férias com um Vizsla na família

Outro aspeto a ter em consideração são as férias. Visto que o Vizsla é muito apegado à família uma separação mais ou menos prolongada pode ser traumática para estes patudos. Assim, o treino de separação deve iniciar-se quando o seu patudo é ainda cachorrinho. Por fim, antes de tomar uma decisão leve em conta também os gastos associados ao seu Vizsla. Lembre-se que os custos não se resumem ao valor do seu cachorrinho e ao equipamento básico. Conte também com a ração de elevado valor nutritivo ou com as consultas regulares ao veterinário.

Onde encontrar o seu Vizsla Húngaro?

Em primeiro lugar é importante sublinhar que esta raça é relativamente rara. Assim não existem muitos criadores de Vizsla Húngaros na Europa e especialmente em Portugal. No entanto, ao procurar o seu cachorrinho, não abdique de um criador sério e com conhecimentos sólidos da raça. Lembre-se que é muito importante ter a certeza que o seu cachorrinho foi criado de acordo com os critérios de saúde e bem estar.

Se procura um Vizsla já adulto entre em contato com associações de animais para adoção. Por vezes aparece um patudo desta raça à procura de um novo lar. Em alternativa pode entrar em contato com associações europeias especializadas nesta raça como por exemplo a Vizsla in Not. Estas associações permitem que donos de outros países adotem os seus patudos, tratando de todo o processo. Geralmente estes patudos têm a vantagem de ter certificados de raça assim como todos os documentos necessários.

Por fim, surgem também para adoção Vizsla Húngaros que, por várias razões, já não são adequados para a caça. Nalguns casos estes patudos podem trazer consigo más experiências que têm impacto no seu comportamento. Assim, tente saber mais sobre os comportamentos e personalidade destes patudos junto dos colaboradores da associação. Em seguida tente perceber se o patudo se adequa à sua família antes de tomar uma decisão final.

Desejamos que seja muito feliz com o seu atlético Vizsla!

Os nossos artigos mais relevantes
13 min

Yorkshire Terrier

Está a pensar adotar ou comprar um Yorkshire Terrier? Saiba qual é a sua personalidade, tipo de alimentação, cuidados de saúde e muito mais.