Akita

Akita Inu adulto num campo de relva

A beleza e lealdada do Akita Inu é muito prezada. No entanto, a personalidade destes patudos exige que os donos tenham experiência com cães

O Akita ou Akita Inu é um cão de grande porte nobre e belo que com o seu corpo robusto é visto no Japão, a sua terra natal, como um monumento da natureza. Criado inicialmente para a caça, o Akita não é adequado para viver com qualquer família. Na verdade, os cães desta raça têm uma personalidade forte e precisam de donos experientes e seguros.

A aparência dos Akita

O Akita pertence ao grupo dos Spitze, que geralmente associamos a cães de porte pequeno. No entanto, esta raça japonesa é uma exceção, pois estes patudos são grandes e têm um aspeto imponente.

Com uma altura na cernelha de até 70 centímetros, estes patudos são indiscutivelmente de porte grande. Além disso, têm uma constituição robusta e musculosa. A testa deste patudos é larga e apresenta um sulco frontal, complementado por orelhas triangulares e eretas, que lhes conferem um ar atento e imponente. Já a cauda costuma estar enrolada sobre o dorso, um aspeto muito típico destes cães.

Cores do Akita Inu

A pelagem externa deste ídolo japonês é dura e áspera ao toque. No entanto, estes patudos têm uma camada de subpelo macio e muito denso que os protege eficazmente do vento e do mau tempo em geral. A cor tradicional do pelo do Akita é vermelho fulvo ou sésamo (pelos vermelho-fulvo com as pontas pretas), mas as cores tigrado e branco também são possíveis.

No entanto, de acordo com o padrão da raça todas as cores, exceto branco, devem apresentar o “urajiro”. Ou seja, pelagem esbranquiçada nas laterais do focinho, nas bochechas, na face ventral da mandíbula, pescoço, peito, tronco e a cauda e na face interna dos membros.

Akita adulto deitado na neve
O Akita Inu está muito bem protegido contra o frio e intempéries devido ao denso subpelo e o pelo duro exterior.

Personalidade: um cão independente, calmo e de poucas palavras

Os cães desta raça gostam de ter uma vida calma e previsível. Assim, um Akita não se sente particularmente feliz num parque cheio de cães ou numa grande e animada festa de família.
Para estes cães a companhia dos donos é essencial, mas também suficiente para que eles se sintam bem. Ainda assim, estes patudos integram-se bem em famílias com crianças, visto que são pacientes e carinhosos com elas. Por outro lado, o Akita não gosta particularmente de brincadeiras com crianças de amigos ou outros familiares. Assim, para evitar problemas um Akita Inu nunca deve estar com crianças ou visitas sem a presença do dono.

Estes imponentes patudos não precisam de estar em contato com pessoas estranhas ou outros animais. No entanto, a presença dos donos é essencial, pois sozinho o Akita vai tomar as suas próprias decisões e procurar o que fazer.

É de sublinhar que o Akita Inu é muito calmo e paciente quando está em casa. No entanto, este patudo transforma-se quando está na natureza que gosta de explorar, entre outras razões, à procura de caça. Assim, não de deixe enganar pelo comportamento relaxado destes cães em casa. Os donos de um Akita precisam de muita habilidade, experiência e empatia para o controlarem no exterior.

Companheiro fiel, mas apenas com donos experientes

Os Akita Inu têm uma predisposição inata para obedecer e acompanhar os donos. No entanto, a educação deve ser consistente e iniciada desde muito cedo. Os donos devem seguir regras básicas ao educar um Akita, ou seja, devem ser consistentes, justos e carinhosos. Estes inteligentes patudos não perdoam a quem os trate agressiva ou injustamente.

Assim, se educar o seu Akita desde cachorrinho, impondo-lhe limites claros, o seu patudo vai-se tornar um companheiro extraordinário e leal a toda a prova. Além disso, vai proteger e apoiar a sua família em qualquer situação.

Hachikō – a personificação da lealdade

A lealdade de Hachikō, um Akita Inu, tornou-se lendária mundialmente. A história de Hachikō foi mesmo retratada no cinema, num filme de 2009 com o seu nome protagonizado por Richard Gere. O filme conta a história de Hachikō que nos anos 20 do século passado todos os dias acompanhava o seu dono até à porta da estação de metro. Ao fim do dia, Hachikō estava sempre no mesmo local à espera do dono para irem para casa.

Infelizmente o dono de Hachikō falece inesperadamente. No entanto, o fiel patudo não deixou de ir todos os dias à estação esperar o dono até ele próprio morrer 10 anos depois. Mais tarde a saída oeste da estação de Shibuya recebeu o seu nome, onde também foi colocada uma estátua em sua homenagem.

PT_marvel_accessories_middle

Educação: O que esperar de um Akita?

Um Akita Inu precisa de um dono experiente que saiba como educar um patudo. Além disso, deve ter muito tempo e vontade de investir na educação e treino do seu cão. Para que a convivência do Akita com a sua família humana seja harmoniosa, estes patudos precisam em primeiro lugar de passar por um processo de socialização precoce e abrangente.

Ainda assim não é possível garantir que o seu Akita se dê particularmente bem com outros cães. Os patudos desta raça são solitários por natureza e regra geral só estão realmente interessados na companhia dos donos. Assim, se procura um patudo simples e despreocupado que esteja sempre pronto a ir consigo, esta raça não é indicada.

No entanto, pessoas que se sintam fascinadas pelas idiossincrasias desta raça e que valorizem a sua atitude independente e orgulhosa encontram num Akita um companheiro leal e inabalável. Na verdade, muitos donos de um Akita não conseguem imaginar-se com um patudo de outra raça.

O Akita precisa de muitos cuidados com o pelo?

Os cuidados adequados com um patudo contribuem em muito para que ele tenha uma vida longa e saudável. Neste caso, os pelos curtos do Akita não são particularmente exigentes. A pelagem dos cães desta raça tem um excelente mecanismo de autolimpeza e por isso uma escovagem semanal é suficiente. Por vezes é necessária uma escovagem extra depois dos passeios para libertar o pelo de folhinhas que ficaram agarradas.

No entanto, na mudança do pelo, que ocorre duas vezes por ano, o Akita precisa de ser escovado diária e completamente. Dessa forma, elimina os pelos velhos e mortos dando espaço para o crescimento dos novos.

Desporto: O Akita Inu precisa de muito exercício?

À primeira vista os Akita são patudos pouco exigentes. Eles gostam de uma vida pacata, longos passeios relaxantes e ao contrário de outras raças não precisam de novos desafios físicos ou mentais. No entanto, os cães desta raça têm tendência a ser teimosos. Por isso os donos devem ser pacientes, experientes e ter muito amor pelo seu cão.

Uma raça que não é submissa

Nem o mais experiente treinador de cães consegue que um Akita tenha comportamentos que do seu ponto de vista não fazem sentido. Assim, estes magníficos cães de raça não são os indicados para aprender truques e brincadeiras.

É também muito raro encontrar representantes desta raça a praticar desportos caninos. Apesar disso, os Akita conseguem excelentes resultados em desportos ou atividades que lhe façam sentido. O ponto chave para o sucesso de um Akita é a motivação que o dono lhe transmite. Ou seja, o dono tem que convencer o seu companheiro que a obediência lhe vai trazer algum benefício.

Aspetos de saúde do Akita Inu

Apesar de os criadores sérios de Akita observarem as boas práticas relativamente à saúde dos seus cães, alguns Akita não conseguem evitar doenças hereditárias ou tendência para desenvolver certas doenças. Assim, um cão desta raça pode desenvolver doenças de pele ou no pelo, como por exemplo adenite sebácea, doenças autoimunes, atrofia progressiva da retina, epilepsia, doenças da tiroide e como em todos os cães de raças grandes, também o Akita pode desenvolver displasia da anca.

Um criador sério testa todos os seus cães reprodutores para as doenças frequentes sempre que possível e elimina os portadores de doenças do ciclo reprodutor. Dessa forma, o risco de os cachorrinhos virem a desenvolver estes problemas reduz-se.

Quais os aspetos a ter em atenção na alimentação dos Akita Inu?

Para que o seu patudo tenha uma vida longa e saudável é preciso dar muito atenção à alimentação, ou seja, adquirir um cachorrinho saudável por si só não garante o futuro. Assim, a escolher a ração do seu companheiro o preço não deve ser o fator decisivo, mas sim a qualidade.

No entanto, a ração mais cara não é necessariamente a melhor. Independentemente do preço deve ter atenção aos ingredientes. Assim, uma ração de qualidade deve ser adequada ao seu patudo e proporcionar-lhe todos os nutrientes adequados na quantidade correta.

Na loja online zooplus temos uma enorme variedade de comida para cães. De certeza que aqui encontra a ração ou comida húmida perfeita para o seu patudo.

Estes patudos têm um paladar exigente?

Os cães desta raça têm a fama de ser exigentes em termos de alimentação. Assim, pode ser que demore algum tempo a encontrar uma ração que seja saudável e que ao mesmo tempo agrade ao seu patudo.

No entanto, não mude a ração demasiado rápido, ou seja, dê algum tempo ao seu cão para que ele se possa habituar ao sabor e para que o organismo também se adapte à comida. As mudanças na alimentação causam com alguma frequência uma reação negativa nos cães. Por exemplo, ao comerem uma nova ração alguns cães apresentam diarreia ou vómitos. De forma a evitar estes problemas altere lentamente a alimentação do seu patudo: introduza a nova alimentação gradualmente sem eliminar a comida habitual. Conte com pelo menos uma semana para que a mudança esteja completa.

Qual é a ração ideal para um Akita Inu?

Os Akita Inu têm tendência para ter alergias de pele. Assim, deve evitar dar comida com carne de porco ou com soja. A melhor alimentação para estes patudos deve ser à base de carne de vaca, borrego, carne de caça ou aves. É indiferente escolher ração ou comida húmida, tudo depende da preferência do dono e do paladar do patudo. No entanto, se optar por ração deve ter atenção que o seu Akita ingere água em quantidade suficiente.

Estes patudos devem comer duas vezes por dia. No entanto, não deve exceder a quantidade recomendada para evitar que ele fique com excesso de peso. Assim, o mais simples é pesar diariamente a quantidade certa e depois dividir em duas porções. Evite também dar guloseimas ao seu patudo entre as refeições para garantir que ele se mantém dentro do peso ideal.

A preservação de uma raça como monumento natural no Japão

A popularidade do Akita Inu no Japão não começou com Hachikō, o famoso macho Akita. Na verdade encontram-se representações destes patudos em potes de barro ou sinos de bronze com mais de 5.000 anos. Além disso, investigações genéticas mostram que a raça Akita, juntamente com as raças Shiba, Chow-Chow e Shar Pei, é o parente mais próximo dos lobos. E por isso esta é uma das raças de cães mais antigas da Ásia.

Em 1931 o Imperador Japonês declarou o Akita Inu monumento natural do Japão. Além disso, a exportação dos Akita foi proibida até 1945.

Não se sabe exatamente a origem desta raça japonesa e existem várias hipóteses. No entanto, é certo que o Akita é a mais antiga raça de cães conhecida no Japão. Desde aí, estes patudos chegaram à Europa e aos EUA.

O Akita Inu japonês e o Akita Americano

O número de Akita Inu diminui consideravelmente durante a Segunda Guerra Mundial. Além disso, os poucos que existiam eram muito diferentes dos Akita originais em termos de aparência e personalidade. Nessa altura, definem-se então duas linhas de Akita: o Akita Inu e o Akita Americano. Este último resulta do cruzamento de cães pastores com o Akita e os militares norte-americanos levaram-nos consigo no final da Segunda Guerra.

No Japão, os criadores esforçaram-se por reconstruir a raça Akita original e por isso cruzaram os cães que existiam com Matagi Akita. Atualmente as duas raças, a Akita japonese e a Akita Americana são oficialmente reconhecidas, sendo os Akita Americanos um pouco maiores e mais escuros.

Os diferentes trabalhos dos Akita

Originalmente o Akita era utilizado na caça a ursos, javalis e aves. Mas estes patudos fortes e corajosos também eram utilizados para guardar propriedades e transportar bens.

No século 19, o Akita tornou-se mais violento visto que passou a ser utilizado em lutas de cães. Para tornar os cães desta raça maiores e mais fortes, os criadores cruzaram-nos com cães das raças Tosa e Mastim. Este tipo de criação desapareceu em 1908, quando as lutas de cães foram proibidas no Japão.

Atualmente os Akita Inu são populares cães de família e de companhia. No entanto, o seu instinto protetor e caçador e a sua força são ainda características que marcam estes patudos. Assim, a estes cães precisam de ser estimulados física e mentalmente e também de receber uma educação consistente para viverem felizes com uma família humana.

Criação para preservar a raça primitiva

Os japoneses aperceberam-se muito cedo do significado que esta raça tinha para o seu país. Assim, a criação desta raça como símbolo nacional começou logo no início do século 20 e os criadores esforçaram-se por desenvolver a raça na linha original. Por isso, supostas linhagens de Akita que resultassem de cruzamentos com outras raças, como por exemplo, com o Pastor Alemão, foram rejeitadas. Do ponto de vista dos cinólogos japoneses esta decisão enriqueceu ainda mais a raça.

Ao comparar o Akita original com o Akita Americano verificam-se algumas diferenças. Por exemplo, o Akita Inu era alto, ligeiramente mais delgado, com a cabeça pontiaguda e costas mais curtas do que o Akita Americano. Raças japonesas como o Kishu, uma raça de caça, o Chow-Chow, uma raça de cães de trenó, e acima de tudo o Matagi Ataki foram usados em cruzamentos para aproximar o Akita atual ao original.

Ninhada de Akita Inu
Escolha sempre um criador reconhecido para adquirir o seu Akita.

Cães de raça saudáveis e com personalidade forte

Os criadores atuais continuam a ter como objetivo manter as características originais dos Akita Inu. No entanto, existe também a preocupação de evitar que os cães tenham doenças genéticas ou de controlar o aparecimento de alguns traços de personalidade. Isto é um facto tanto no Japão como em muitos países europeus.

Como seria de esperar, para atingir estes objetivos os criadores têm que seguir procedimentos rígidos e dedicarem-se completamente aos seus cães. Assim, criadores sérios nunca fazem criação intensiva e excluem da reprodução qualquer cão que seja portador de alguma doença.

Adquirir um Akita: a importância de ter um cão devidamente registado

Se decidir ter um Akita Inu na família deve escolher um criador sério e responsável que seja membro de uma associação de criadores. O criador deve igualmente seguir as boas práticas definidas pela Fédération Cynologique Internationale (FCI) e registar devidamente as ninhadas.

Só desta forma tem a certeza que o seu novo amigo é saudável e realmente um representante da raça pretendida que lhe trará imensas alegrias por vários anos. Ao escolher um criador sério não está apenas a zelar por si, também protege cães e cachorros pois não incentiva criadores sem escrúpulos a fazerem negócio.

Em alternativa visite associações de proteção de animais que acolhem patudos para adoção. Se tiver sorte pode mesmo encontrar um belo Akita à espera de uma nova família. Mas também se pode apaixonar por um patudo sem raça definida. Estas associações têm excelentes companheiros de quatro patas que desejam apenas uma família.

Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Yorkshire Terrier

Está a pensar adotar ou comprar um Yorkshire Terrier? Saiba qual é a sua personalidade, tipo de alimentação, cuidados de saúde e muito mais.