Pinscher alemão

Pinscher alemão

Pinscher alemão

O centro de todas as atenções: cão ratoneiro e de cavalariças noutros tempos, presente em toda e qualquer quinta, desempenha hoje a preceito o papel de protagonista da família. Animal de personalidade forte, adora ser o centro das atenções em qualquer situação, seja fora de casa nas suas práticas desportivas ou dentro dela, junto dos seus.

Personalidade

Os Pinscher alemães são cães ativos de forte personalidade, revelando-se também afetuosos e mimosos. Se ao ar livre o seu desejo de correr e brincar parece não conhecer limites, dentro de casa estes cães sempre alerta e seguros de si mesmos, requerem muita atenção e mimos. Tanto no exterior como entre quatro paredes, estes animais precisam de donos carinhosos. O que não quer dizer que gostem de ser sobrecarregados de mimos; pelo contrário, sabem perfeitamente o que querem; são cães perspicazes e independentes que necessitam do seu próprio espaço. Graças à sua notável confiança em si mesmos, ao seu equilíbrio e à sua audácia, tanto no seu território como no contexto de um grupo, são eles que assumem o controle. Dadas as suas origens de cão de quinta, adoram guardar a casa; estamos perante uma raça atenta que imediatamente «informa» os seus donos quando acontece algo fora do normal. Não há desconhecido que entre sem ser visto na propriedade de um Pinscher alemão! Não desperdiça os seus latidos, porém; este cão de carácter forte, sentindo-se tranquilo e equilibrado, está longe de ser um animal ladrador.

Embora os estranhos sejam tratados com desconfiança, no seu círculo familiar revela-se um companheiro fiel e afetuoso. Com a educação adequada, que deve incluir doses iguais de carinho e firmeza, assim como um dono capaz de se impor, pode transformar-se num animal flexível e obediente. Compreender as instruções que lhe dão é um facto determinante na sua educação. Os Pinscher alemães somente aprendem o que consideram que vale a pena aprender e mostram claramente quando não gostam de algo. Sabem retirar partido da sua inteligência de forma inata, detetando quase instantaneamente as fraquezas dos donos, aproveitando-as para seu próprio benefício. A natureza astuta desta forma de desobediência constitui um desafio até para os donos mais experientes. A propensão para a independência, tal como o instinto de caça natural, variam de cão para cão. Se, desde o início, são tidas em conta as regras de treino, é então possível levar para o caminho certo até os animais mais teimosos. Unida a sua personalidade bem humorada, ainda que forte, à sua elevada capacidade de aprendizagem, à sua incansável vontade de brincar e à sua resistência, este é um cão de família e de companhia excecional, carinhoso e versátil.

deutscher pinscher portrait

Características

O pelo curto e denso do Pinscher alemão não requere grandes cuidados, o que o transforma  num excelente cão de família. A sua pelagem é lisa e brilhante e, na maioria dos casos, negra com marcas vermelhas. Também é possível encontrar exemplares em tons avermelhados, sendo que esta variedade é apenas representativa de 20% dos casos.

Com uma altura de ombro a ombro a variar entre os 45 e os 50 cm e com um peso que se situa entre os 14 e os 20 kg, esta é uma raça nem demasiado pequena nem demasiado grande. O Pinscher alemão é um cão de constituição quadrada, isto é, a sua altura e o seu comprimento são praticamente iguais. Em conformidade com a sua personalidade segura, o seu porte é orgulhoso e elegante. O seu corpo musculoso é também o espelho da sua força e resistência, em evidência, sobretudo, quando realiza atividades físicas. A zona traseira do seu lombo cai ligeiramente para baixo. As suas orelhas triangulares – cujo corte é já legalmente proibido em muitos países – estão inseridas no topo da cabeça, dada a forma alargada do seu crânio. As orelhas encontram-se dobradas para a frente, de maneira que as extremidades internas quase tocam as bochechas. Em consequência da magreza dos contornos das orelhas, estes animais podem desenvolver feridas nessa zona; excetuando este detalhe, esta é uma raça com uma saúde quase de ferro.

História

O facto do Pinscher alemão – com exceção dos problemas nas orelhas acima referidos – não ser acometido por muitos problemas de saúde talvez seja consequência de nunca ter sido vítima de criação massiva, isto apesar dos seus anos de história. Esta raça, juntamente com a Schnauzer, é uma das mais antigas da Europa. Acredita-se que o Pinscher alemão é um descendente direto dos cães das turfeiras, que, de acordo com os especialistas, já acompanhavam os seres humanos no ano 3000 a.C.; desconhece-se, todavia, a sua proveniência.

Embora alguns investigadores situem a origem do Pinscher em Wurtemberg, na Alemanha, há quem considere que são descendentes do Terrier inglês. Há ainda quem acredite no contrário e afirme que o Pinscher é efetivamente o antecessor do Terrier, oriundo da Inglaterra. Não restam dúvidas, porém, de que o aspeto exterior desta raça apenas se modificou com o passar do tempo. O Pinscher clássico, que conhecemos hoje em dia, era já presença em pinturas da Idade Média e do Renascimento.

Durante o século XX, o Pinscher alemão podia ser encontrado em praticamente qualquer quinta ou fazenda, onde a sua função era a de vigiar a casa e a quinta, ao mesmo tempo que mantinha afastados ratos, ratazanas e martas. Desempenhava também o papel de vigilante das carroças, isto quando o condutor se encontrava ausente. A versatilidade que o caracteriza foi o que o converteu num companheiro imprescindível para agricultores, latifundiários e cocheiros. O seu trabalho nestas áreas rendeu-lhe a alcunha de Pinscher das cavalariças ou cão ratoneiro. O nome da raça poderá derivar da palavra pinscher, que em alemão antigo significa mordedor, e do verbo to pinch, que a partir do inglês se pode traduzir como agarrar ou apanhar; ter-lhe-á sido atribuído pela sua destreza como caçador de ratos e ratazanas, que capturava ao prendê-los entre as suas habilidosas patas. Graças aos seus dotes de caçador, o Pinscher alemão podia alimentar-se por si mesmo, particularidade que somada à sua resistência e à sua capacidade de trabalho autónomo, explica na perfeição por que razão eram estes cães tão populares naquela altura.

deutscher pinscher im Wald

Nessa época, tanto o Pinscher de pelo macio como o de pelo áspero eram considerados a mesma raça, ainda que atualmente sejam conhecidos como Pinscher alemão e schnauzer, respetivamente. O Clube do Pinscher, fundado em 1895, regulamentava e procedia à criação destas raças como uma só. Não obstante, embora nos nossos dias sejam consideradas raças completamente diferentes, mantêm-se inseridas na mesma associação: o Clube Pinscher-Schnauzer, de 1895.

Não foi porém antes do século XX que o schnauzer de pelo mais áspero e o Pinscher de pelo liso deixaram de ser criados como um só; até esse momento, faziam parte das mesmas ninhadas. Em 1917, os exemplares de pelo áspero passaram a ser oficialmente denominados schnauzer. É também nessa altura que o Pinscher miniatura se desvincula do seu homólogo de maior porte. Em comparação com o schnauzer e o Pinscher mini, o Pinscher alemão perdeu bastante popularidade. Somando-se a isto a fulgurante industrialização e este animal vigilante de estábulos e carros ficou praticamente desempregado. Com os novos veículos motorizados, que relegaram para segundo plano os carros de tração animal, o Pinscher alemão foi desaparecendo a pouco e pouco do mapa.

Felizmente, em meados da década de 50 do século passado, o criador Werner Jung tomou a seu cargo a criação desta raça quase desaparecida. Em 1958, é apresentada no Clube Pinscher-Schnauzer uma ninhada renovada de pinscher de pelo suave. E graças a uma fêmea de Pinscher chamada Kitti vom Bodenstrand e aos pinscher anões maiores Jutta Jung, Illo Fischer, Fürst Jung y Onzo Illgen, fica assegurada a continuidade do Pinscher alemão. Esta ainda é, no entanto, uma raça de números reduzidos. No período compreendido entre 1998 e 2003, apenas nasceram entre 160 a 220 cachorros por ano e em 2003 chega mesmo a incluir-se o Pinscher alemão na lista de animais domésticos em perigo de extinção.

Criação e cuidados de saúde

Para alguns amantes de cães, esta situação funcionou como um alarme e em 2003 não só se verificou um aumento no número de novos criadores, como também o número de cachorros inscritos na Associação Cinológica alemã (VDH). Deste modo, aumentaram também, e muito, as opções para aqueles que procuram criadores de confiança.

Tendo em conta que este cão de personalidade forte nunca foi criado de forma massiva, trata-se de uma raça com uma excelente saúde e é rara a vez que sofre de doenças hereditárias, derivadas estas da criação. O único exame que os criadores do Pinscher alemão devem realizar é o da displasia de anca, enquanto que os exames de deteção de problemas oculares hereditários, como o daltonismo ou os transtornos de coagulação como a doença de von Willebrand ou a hemofilia, são apenas voluntários. Além dos check-ups obrigatórios e da vacinação, são poucos os motivos que levarão o dono de um Pinscher alemão a consultar o veterinário.

deutscher pinscher im grass

Adestrar o seu Pinscher alemão

Ter um Pinscher alemão significa estar disposto a investir tempo com ele, dado que se trata de uma raça com elevada necessidade de exercício físico; isso e a sua personalidade por vezes teimosa serão as características a dar mais trabalho ao dono. Como cão de guarda e caçador que antigamente se dedicava a vigiar a casa e a quinta, ainda hoje é uma raça com tendência para dominar. Apesar de ser um animal brincalhão, não é, porventura, o cão mais indicado para famílias com crianças de tenra idade. Requere, sobretudo, um dono experiente e com capacidade de se impor, assumir o comando e que o liberte das suas tarefas primitivas de controlar quem entra em casa ou na propriedade. Limites claramente definidos não podem faltar na sua educação e, para aprender a estabelecê-los, é preciso que se faça respeitar e, em certos momentos, ser capaz de tomar medidas mais rigorosas. A pressão e a força podem produzir o efeito contrário e um cão astuto como este tem necessidade de compreender as normas. Para que o seu Pinscher alemão o reconheça e aceite como líder, é necessária uma boa dose de inteligência, criatividade e confiança em si mesmo.

Para treinar um cão equilibrado que aprenda a relaxar e a não controlar tudo, a atividade física é essencial; é por esta razão que cães ativos e com carácter são indicados para donos desportistas e com vontade de praticar exercício com os seus patudos. O Pinscher alemão é o companheiro perfeito para a prática de qualquer desporto, seja andar de bicicleta, correr, montar a cavalo ou patinar, sendo uma raça que adora desportos caninos como agility e outras competições desportivas. Atividades como a identificação e procura de pessoas – o denominado mantrailing – conseguem manter a sua mente ocupada. Graças ao seu encanto natural, o Pinscher alemão consegue facilmente convencer o seu dono a praticar desporto, brincar ou sair para passear. Depois de todas estas intensas atividades ao ar livre, adora voltar a casa com o seu dono e disfrutar de uma boa sessão de miminhos.

Se procura um companheiro para a prática de desporto e também de jogos que puxem pela cabeça e gosta de cães ativos e inteligentes, o Pinscher alemão é certamente o cão indicado para si!

Artigos relacionados
Artigos relacionados
Os nossos artigos mais relevantes

Rafeiro Alentejano

Está a pensar adotar um Rafeiro Alentejano? Conheça todas as características da raça e se é o cão indicado para si.

Yorkshire Terrier

Está a pensar adotar ou comprar um Yorkshire Terrier? Saiba qual é a sua personalidade, tipo de alimentação, cuidados de saúde e muito mais.

Labrador Retriever

Gosta de agradar, adora pessoas e é robusto: o Labrador Retriever é extremamente popular como cão de família.