American Staffordshire Terrier

American Staffordshire Terrier: características

O American Staffordshire Terrier ainda tem a reputação de ser um cão de lutas. Mas este adoravel patudo é um excelente cão de família.

A raça American Staffordshire Terrier, também conhecido por Amstaff, não é de todo consensual. Em alguns países os cães desta raça são considerados perigosos cães de luta. Já noutros países são populares cães de família. Estas divergências comprovam que são antes de mais os donos que tornam os cães agressivos. Assim, é importante ser objetivo ao falar desta raça. Pois, apesar dos preconceitos, os patudos desta raça são inteligentes, ativos e muito leais.

História do American Staffordshire Terrier

Antigamente o American Staffordshire Terrier era criado principalmente como cão de luta. Os seus antepassados terão viajado da Grã-Bretanha para os EUA com emigrantes, por volta de 1860. Na segunda metade do século 19 as lutas de cães nos EUA eram muito populares e o musculado Amstaff era uma das raças mais usadas. Assim, os criadores procuravam desenvolver a coragem, força e agressividade destes cães. No entanto, a história destes patudos também tem um lado mais feliz. Um American Staffordshire Terrier chamado Petey fazia parte do elenco de uma famosa série para crianças americana, os "Little Rascals".

Atualmente, os Amstaff são sobretudo cães de guarda e de família. Por exemplo, no Reino Unido são chamados "nanny dogs" e muito populares entre famílias com crianças. É também comum encontrar American Staffordshire Terriers a desempenhar tarefas terapêuticas em lares de idosos. Aí alegram o dia dos utentes com a sua personalidade brincalhona e tranquila. Com uma enorme autonomia e resistência estes patudos são excelentes cães de resgate.

American Staffordshire Terriers: os descendentes dos cães de batalha ingleses

Esta raça tem origem na Grã- Bretanha no século 19. Os seus antepassados são cães das raças Bull e Terrier, que eram maioritariamente criados para lutas de cães. No nome da raça encontramos a zona em que esta raça se desenvolveu, ou seja, em Stafford, no Reino Unido. Com a proibição das terríveis lutas de cães nesse país, alguns exemplares desta raça emigraram com colonos ingleses para os EUA. Aí voltam a ser usados como cães de luta. No entanto, às mãos de donos de grandes quintas os American Staffordshire Terriers passaram a desempenhar funções de cães de guarda contra lobos e coiotes.

No fim do século 19, aumenta a popularidade desta raça nos EUA. Donos que realmente gostavam dos seus cães exigem o fim das lutas de cães e pretendem antes que os American Staffordshire Terriers passem a participar em concursos para cães. De forma a distinguir-se do Staffordshire Bull Terrier inglês, a raça foi nomeada American Staffordshire Terrier em 1969. Em 1971, a FCI reconhece oficialmente a raça e pôs fim à confusão entre as raças Terrier, ou seja, "Pit Bull Terrier", "American Bull Terrier" ou "Stafford Terrier".

A terrível herança de um passado de luta

Muitas pessoas reagem com ceticismo e desagrado ao conhecerem um American Staffordshire Terrier. Assim, quem tem um destes cães ouve frequentemente dizer "Esse não é um cão perigoso? O melhor é não nos aproximarmos!". Além do passado como cão de luta, a imagem negativa do American Staffordshire Terrier foi reforçada por donos que punham coleiras com picos nestes patudos e os usavam como símbolo de poder. Na verdade, as diferentes perceções sobre esta raça nos EUA e no Reino Unido são uma clara evidência de que o perigo que um cão representa depende principalmente dos donos.

Restrições a esta raça especialmente na Europa continental

O passado agressivo desta raça influencia a legislação de alguns países europeus. Assim, em alguns países os American Staffordshire Terrier integram a lista de cães perigosos. Por isso, quem tiver um destes patudos tem que observar várias restrições. Por exemplo, estes cães estão proibidos de entrar em França ou na Hungria. Os Países Baixos exigem a apresentação da arvore genealógica do cão para poder entrar. Em Espanha os donos de American Staffordshire Terrier têm de registar o seu cão, mas só após aprovação das autoridades locais. Igualmente, a Alemanha impõe restrições à presença desta raça. Assim, os American Staffordshire Terrier são cães raros em países como a França, Suécia e Países Baixos.

Aspeto American Staffordshire Terrier: um corpo compacto e pesado

Com uma cabeça volumosa e corpo musculado e compacto, o American Staffordshire Terrier tem um aspeto imponente. A altura na cernelha situa-se entre os 43 e 48 centímetros e o peso chega aos 23 quilos.

Os olhos escuros e redondos encaixam na cabeça larga e as orelhas estão normalmente meio eretas. De acordo com os padrões de raça as orelhas descaídas não são desejáveis. Além disso, as antigamente populares orelhas cortadas são agora felizmente proibidas em muitos países europeus e esta prática é desencorajada pela FCI.

Pelo e cores

O pelo curto e brilhante desta raça pode ser ter praticamente todas as cores. No entanto, não devem apresentar despigmentação nasal ou zonas brancas extensas, pois existe uma relação genética entre estas características e a surdez.

American Staffordshire Terrier: um cão com corpo musculoso e compacto
O Amstaff tem um corpo compacto e musculoso além de uma grande cabeça!

American Staffordshire Terrier: personalidade

Qual a personalidade típica dos American Staffordshire Terrier? Apesar do seu passado, a verdade é que estes cães criam laços fortes com a sua família e mostram grande afeto pelas crianças. Por isso, estes patudos são excelentes cães de família.

Devido ao seu passado o American Staffordshire Terrier é um cão claramente dominante. Assim, pode entrar em conflito com outros cães, especialmente se estes forem inseguros. É também o seu passado de cão de luta que explica a grande lealdade que tem para os seus donos. No decorrer das lutas, por vezes os donos retiravam os seus cães da arena sem que eles os mordessem. A lealdade aos donos era assim uma das características mais apreciadas pelos donos de cães de luta.

Estes patudos são também dinâmicos e ativos, com muita necessidade de atividade física. Notória é também a sua natureza brincalhona e atenta. Um Amstaff que tenha recebido uma educação adequada e bem estimulado fisicamente é um excelente cão de família e que ladra pouco. Estudos e estatísticas sobre cães agressivos demonstram que os American Staffordshire Terrier são tão pacíficos quanto os populares Golden Retrievers. No entanto, estas informações ainda não influenciaram a burocracia europeia.

Saúde e cuidados

Os cães desta raça são robustos e saudáveis. Ocasionalmente estes patudos podem apresentar problemas de pele sob a forma de alergias. No entanto, consegue facilmente controlá-las através de alterações na alimentação. Problemas cardíacos ou displasia de anca são situações muito raras nestes cães, que com os cuidados adequados vivem facilmente 12 anos.

Os cuidados com o pelo do American Staffordshire Terrier são extremamente simples. Regra geral escová-lo uma vez por semana é suficiente. O patudo vai gostar de uma escovadela com uma luva de borracha ou uma escova suave. E ainda tem mais uma vantagem, desta vez para os donos, pois os pelos ficam na escova e não pela casa!

Alimentação do American Staffordshire Terrier

Para garantir que o seu cão tem uma vida longa e saudável, dar-lhe uma alimentação adequada é essencial. Para tal é preciso ter em conta as necessidades individuais de cada patudo. Assim, a escolha da melhor comida depende de fatores como o estado de saúde, idade ou nível de atividade.

Os cães, tal como os lobos, seus antepassados, gostam muito de comer carne. No entanto, com o passar do tempo os cães adaptaram-se a comer tudo e podem ser considerados omnívoros. No entanto, as proteínas continuam a ser o ingrediente principal na sua alimentação. Assim, uma alimentação com 70% de carne, 20% de vegetais e 10% de cereais é a mais adequada.

Além da alimentação convencional, ração ou comida húmida, também pode optar pela dieta BARF. Este é um tipo de dieta natural muito aproximada da alimentação original dos cães. Assim eles comem carne fresca, vísceras e vegetais. Deve também complementar a alimentação com suplementos vitamínicos e minerais. É importante sublinhar que alimentar o seu cão com a dieta BARF requer um elevado conhecimento sobre nutrição animal. Assim, se tiver dúvidas deve consultar o seu veterinário, pois deficiências nutricionais podem causar doenças graves. Por fim, não se esqueça que o seu patudo deve ter sempre água fresca à disposição.

American Staffordshire Terrier: uma educação consistente desde o início é essencial
Os adoráveis e inteligentes American Staffordshire Terrier precisam de uma educação consequente.

Educação

Os cães da raça American Staffordshire Terrier precisam de uma educação consistente e, simultaneamente, carinhosa. Estes são cães extremamente inteligentes e depressa percebem como tirar proveito das fraquezas do dono. Assim, em momento algum o dono deve demonstrar ter medo do seu cão ou permitir-lhe comportamentos dominantes durante a puberdade. O American Staffordshire Terrier tem que compreender que o dono é o líder. Assim, uma educação consistente e coerente é absolutamente essencial para que o seu patudo desenvolva uma personalidade equilibrada.

Um aspeto muito positivo da personalidade dos American Staffordshire Terrier é a sua enorme vontade de agradar aos donos. Estes patudos são também muito conhecidos pelas suas expressões faciais que conseguem usar com muito sucesso para atingir os seus objetivos. Os donos devem estar atentos e ser firmes, para não se deixarem levar por estes inteligentes patudos.

Exercício físico e intelectual

Os American Staffordshire Terrier precisam de muita atividade. Assim, estes cães aderem facilmente a quase todos os desportos caninos, como agility, flyball ou treino de obediência. Os cães desta raça também são excelentes cães de apoio terapêutico com o devido treino.

Estes cães também adoram longos passeios e acompanham alegremente os donos num passeio de bicicleta. Além disso, jogos com bolas ou brincadeiras de procurar também consomem energia a estes enérgicos patudos. Depois de um dia cheio de atividades, os Amstaff apreciam muito uma noite descansada, com sessões de miminhos com os donos ou numa confortável alcofa.

Wolf of Wilderness The Taste Of Canada

  • Com carne fresca de vaca, bacalhau e peru e arandos vermelhos
  • Sem cereais ou batatas
  • Fonte de proteína: ervilhas, feijões e grão-de-bico

Será um American Staffordshire Terrier o cão adequado para mim?

Um American Staffordshire Terrier não é um cão adequado para principiantes. Estes inteligentes patudos apercebem-se rapidamente dos erros cometidos pelo dono e usam-nos a seu favor. Além disso, os comportamentos dominantes uma vez instalados são difíceis de corrigir e podem ter consequências graves. No entanto, donos firmes encontram nos Amstaff um amigo incondicional para a vida.

Além disso estes cães precisam de espaço adequado para viverem felizes e equilibrados. Assim, dado o seu tamanho e energia, um Amstaff não deve viver num apartamento de cidade. Estes cães curiosos gostam de ter o seu próprio jardim, mas tenha cuidado para manter a sua curiosidade sob controle. Deste modo, deve instalar no seu quintal uma cerca com cerca de 160 centímetros para evitar que o seu cão decida explorar as redondezas. E lembre-se que os American Staffordshire Terrier têm muita facilidade em saltar.

Como já foi mencionado, estes cães precisam de bastante exercício físico. Assim, os donos de um destes patudos devem gostar da prática de desporto ao ar livre. Esta raça não integra a lista de raças perigosas em Portugal. Ainda assim, se pensa adquirir um American Staffordshire Terrier lembre-se que vizinhos e amigos podem sentir-se intimidados com o seu amigo de quatro patas. Esteja por isso preparado para esclarecer dúvidas e assegurar que o seu patudo é de confiança. Se viver fora de Portugal deve informar-se sobre a legislação local para os American Staffordshire Terrier. Como já mencionado, alguns países e mesmo regiões têm legislação restritiva a esta raça.

Considerações a ter antes de trazer o seu cachorrinho para casa

Antes de tomar a decisão de ter um American Staffordshire Terrier na família considere os todos os prós e contras.

Assim, como qualquer patudo, um American Staffordshire Terrier também implica ter gastos. Em primeiro lugar existem as despesas com equipamento básico, como por exemplo a trela, coleira, alcofa, mantas, etc. Existem também as despesas com as visitas regulares ao veterinário e os cuidados essenciais de saúde, como vacinas. Além disso, as despesas com o veterinário sobem em caso de doença ou acidente do seu patudo.

Lembre-se também que amigos e familiares podem rejeitar o seu patudo. No entanto, uma má experiência inicial pode transformar-se em algo muito positivo. Com tempo e paciência amigos e familiares podem habituar-se ao seu patudo e assim ajuda a combater os preconceitos que existem contra esta raça.

Outro aspeto a ter em conta são as férias. Atualmente já existem vários hotéis e alojamentos que permitem cães na Europa. No entanto alguns países impedem a entrada de cães desta raça e alguns hotéis podem também ter restrições para os American Staffordshire Terrier.

É também aconselhável certificar-se que não há alergias a pelos na família. Por fim, ao adquirir um cachorro American Staffordshire Terrier deve considerar seriamente levá-lo a uma escola para cães que tenha aulas para cachorros. Uma boa socialização com outros cães e pessoas é uma enorme vantagem na educação destes patudos.

American Staffordshire Terrier: estes cães precisam de muito exercício
Os American Staffordshire Terrier são ágeis e têm imensa energia, por isso precisam de muito exercício físico.

Como encontrar o seu American Staffordshire Terrier

No momento de adquirir um Amstaff, procure um criador profissional que seja membro de uma associação reconhecida. Os criadores sérios dedicam-se de corpo e alma ao bem-estar e saúde dos animais. Assim, com um destes criadores sabe que o seu novo amigo será um excelente companheiro.

Em primeiro lugar, visite o criador para conhecer os pais, irmãos e o ambiente onde o seu futuro amigo vive. Os criadores sérios gostam de recolher informações sobre os potenciais donos. Assim, não se surpreenda com perguntas acerca do local onde vive ou sobre os seus hobbies. É um sinal de que o criador se preocupa com o futuro dos seus cães. Além disso, aproveite para tirar dúvidas sobre questões de saúde dos American Staffordshire Terrier.

Se não pretende adquirir um cachorro, pode procurar um American Staffordshire Terrier em canis ou associações protetoras dos animais. Aí os funcionários podem dar-lhe informações sobre a personalidade e características do cão. No entanto, não é muito comum encontrar American Staffordshire Terrier para adoção em Portugal.

Se depois de tudo ponderado decidir que o American Staffordshire Terrier é o cão indicado para si e para a sua família, não se vai arrepender. Estes patudos trazem imensa alegria e energia a uma família. Vai ver que o American Staffordshire Terrier com a sua alegre personalidade põe de lado qualquer preconceito negativo.

Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Yorkshire Terrier

Está a pensar adotar ou comprar um Yorkshire Terrier? Saiba qual é a sua personalidade, tipo de alimentação, cuidados de saúde e muito mais.