American Staffordshire Terrier

American Staffordshire Terrier

American Staffordshire Terrier

O American Staffordshire Terrier, também conhecido por Amstaff, é um excelente exemplo das reações divergentes que algumas raças de cães despertam: se em alguns países europeus é considerado um ”perigoso cão de luta”, cujos comportamentos estão associados a determinadas situações, na Grã-Bretanha, por exemplo, é apelidado de “Nanny Dog”. Isto reforça a ideia de que a razão para a agressividade e “dentes afiados” dos cães se encontra do lado dos donos. Esta raça merece uma apreciação objetiva, pois por detrás destes preconceitos está um companheiro esperto, ativo e sempre leal.

Físico compacto

Uma cabeça volumosa num corpo musculado e compacto – o American Staffordshire Terrier tem uma aparência imponente. Apresenta uma altura de ombros a oscilar entre os 43 e os 48 cm e um peso que pode chegar aos 23 kg. Os olhos escuros encaixam numa cabeça larga e as orelhas estão normalmente meio eretas – as orelhas descaídas não são, de acordo com os padrões de raça, desejáveis. O inicialmente tão popular corte das orelhas dos Amstaff é agora, felizmente, proibido em muitos países europeus.

Pelo e cores

O pelo brilhante desta raça pode ser admirado em praticamente qualquer tom de cor. Indesejável é, porém, a falta de pigmentação nasal, o famoso “black nose” (igual aos Dobermann), tal como zonas brancas em demasia, com as quais está associada uma predisposição para a surdez.

American Staffordshire Terrier portrait

De cão de guerra a "Nanny dog"

O American Staffordshire Terrier foi maioritariamente criado para as lutas de cães: os seus antecessores terão chegado desde a Grã-Bretanha até aos EUA, pela mão de emigrantes, por volta de 1860. Do outro lado do Atlântico, durante a segunda metade do século XIX, as lutas de cães aconteciam em grande escala, e o musculado Amstaff constituía uma das raças usadas. Aptos para a reprodução estavam os animais de luta mais corajosos, fortes e resistentes. Felizmente, existe para os American Staffordshire Terriers uma história paralela à das lutas de cães. Um exemplo é o cão Petey, um representante da raça que participava na famosa série para crianças “Little Rascals“. Atualmente, os Amstaff vivem sobretudo como cães de guarda e de família. No Reino Unido são considerados “nanny dogs”. Desempenham também tarefas como "social dogs" em lares de idosos, onde alegram os dias com a sua personalidade brincalhona e tranquila. A sua soberania e resistência fazem deles excelentes cão de resgate.

Raça descendente dos cães de batalha ingleses

A criação desta raça tem origem na Grã-Bretanha do século XIX e assentou na sua participação nas lutas de cães. São visíveis no seu nome as suas origens – este deriva do Stafford britânico. Depois de banidas as cruéis lutas de cães neste país, em 1835, alguns exemplares migraram com colonos até aos EUA, local onde foram novamente usados em lutas. Ao mesmo tempo, crescia igualmente o número de Amstaff usados como cães de guarda em quintas, capacitando-se na luta contra coiotes e lobos. Chegando ao final do século XIX, verifica-se que mais e mais amantes dos animais dispensavam esta atrocidade e desejavam, por outro lado, apresentar os seus exemplares em exibições. De forma a distinguir-se do Staffordshire Bull Terrier inglês, a raça foi renomeada American Staffordshire Terrier em 1969. Em 1971, dá-se o reconhecimento como raça, acabando com a confusão nas designações semelhantes - "Pit Bull Terrier", "American Bull Terrier" ou "Stafford Terrier".

A terrível herança de um passado de luta

É normal muitas pessoas reagirem com ceticismo e desagrado ao conhecerem um American Staffordshire Terrier. “Não é um cão de luta?” e “Não te aproximes tanto!” serão, infelizmente, das reações mais inofensivas. Para a imagem menos positiva do antigo cão de luta certamente contribuiu a associação a determinados clientes que, durante um tempo assinalável, usaram estes animais como símbolos de poder e lhes colocavam coleiras de picos. A diferença de atitudes entre os EUA e a Grã-Bretanha é demonstrativa de que, de facto, o perigo se encontra do outro lado da trela – não será por acaso que neste último o American Staffordshire Terrier é conhecido por “Nanny Dog”.

As opiniões negativas que vigoram acerca do American Staffordshire afetam as perspetivas legais perante a raça pela Europa fora – este animal é considerado, em diversos países, um cão de raça perigosa, sendo a sua presença tolerada sob diversas regras ou mesmo proibida. Por exemplo, o Amstaff está proibido de entrar em França ou na Hungria; para que possa entrar na Holanda, o dono deve apresentar uma árvore genealógica do animal, enquanto em Espanha os animais só são registados depois de passarem pelo aval da comunidade onde vão habitar. Todas estas restrições e proibições tornam rara a presença destes cães em países como a França, Suécia ou Países Baixos. Na Alemanha, a raça está também sujeita a determinadas imposições em muitos dos estados federais, às quais se associam custos elevados.

Traços de personalidade: fidelidade e coragem

Como se comporta o típico exemplar de American Staffordshire Terrier? Apesar do seu passado, este é um  cão de família. São animais que criam laços fortes com a sua família e mostram grande afeto pelas crianças. Ao lidarem com outros cães, especialmente se forem desconhecidos, conflitos poderão surgir, tendo em conta que o Amstaff apresenta uma postura dominante, tendo também em conta o seu passado. E é precisamente devido ao seu passado que esta raça demonstra tamanha lealdade para com os donos – no decorrer das lutas de cães, estes eram retirados da arena sem morderem os donos. A sua lealdade permitiu-lhes serem usados nestes contextos. São animais dinâmicos e ativos, com muita necessidade de atividade física. Notória é também a sua natureza brincalhona e atenta. Um Amstaff bem comportado, que receba os estímulos adequados, é um excelente cão de família e ladra pouco. Estudos demonstram que os American Staffordshire Terrier são tão pacíficos quanto os populares Golden Retrievers, embora esta informação pareça não ter ainda influência na burocracia europeia.

vier american staffordshire terrier Welpen

Saúde de ferro

Esta é uma raça bastante robusta e que goza de boa saúde. Podem ocorrer problemas de pele sob a forma de alergias, mas que podem facilmente ser controladas através de mudanças no regime alimentar dos animais. Existe uma pequena propensão para a displasia de anca e para problemas cardíacos. Com os cuidados certos, a média de vida de um Amstaff atinge os 12 anos.

Será um American Staffordshire Terrier o cão adequado para mim?

Um American Staffordshire Terrier não é um cão para principiantes, pois rapidamente se aperceberá dos erros cometidos pelo dono e os usará a seu favor. Os problemas de dominância daqui resultantes poderão ser difíceis de corrigir e ter consequências perigosas. Um dono consistente e que se faça respeitar encontra um companheiro de vida imperturbável no Amstaff.

É essencial que o dono seja capaz de oferecer a um animal desta raça o meio ambiente apropriado: devido à sua força e tamanho e natureza brincalhona, o American Staffordshire Terrier não é a raça mais adequada para viver em apartamentos. Estes animais curiosos gostam de ter o seu “próprio” jardim. E o fator relevante aqui é a segurança: coloque vedações com cerca de 160 cm de altura, pois estes animais revelam o seu inesperado talento para os saltos. Os Amstaff apreciam donos que pratiquem desporto, que gostem de longos passeios e ainda que gostem de andar de bicicleta com o seu companheiro.

Antes de entrar no território dos American Staffordshire Terriers, certifique-se de que compreende o que significa ter um cão considerado perigoso  ou de luta dentro de uma comunidade. Informe-se acerca dos possíveis requerimentos em vigor na sua região (certificados, registo criminal) e até mesmo se é permitido ter um animal desta raça. Em algumas regiões da Alemanha, por exemplo, existem impostos acrescidos relativamente aos designados cães de luta, como é o caso dos Amstaff. Nestes casos, a taxa habitual é multiplicada – e esta é uma das razões pelas quais alguns donos acabam por deixar os seus cães em abrigos, não conseguindo suportar esta despesa de quatro dígitos.

Considerações a ter antes da compra

Antes de abrir as portas de sua casa ao seu novo amigo, há muito a considerar. Aqui se incluem as despesas com equipamento básico (coleiras, cestos, mantas, produtos de higiene), mas também outras, como as despesas de saúde, como vacinação e visitas anuais ao veterinário, por exemplo (e a verdade é que esses custos podem aumentar imprevisivelmente). Deve estar ciente de que ao apresentar-se com um cão desta raça, os seus familiares e amigos o poderão tanto aceitar como rejeitar. No entanto, esta poderá revelar-se uma boa experiência, pois poderá ajudar a deitar abaixo preconceitos e limpar o bom nome da raça. Pense onde deixaria o seu animal no caso de ir de férias ou de adoecer. Ainda que pela Europa fora já muitos hotéis permitam a entrada de cães, a verdade é que algumas restrições poderão ser impostas a uma raça como a American Staffordshire Terrier. Certifique-se de que não existem alergias a pelo de cão entre os membros mais próximos da família. Ao comprar um cachorrinho Amstaff é aconselhável procurar uma boa escola de treino, cujas atividades incluam uma hora de brincadeira. Este é um grande ponto a favor da socialização do Amstaff.

Cuidados: fáceis

Os cuidados com o pelo do American Staffordshire Terrier são simples: escová-lo uma vez por semana é suficiente. O seu amigo de quatro patas ficará satisfeito se dedicar mais algum tempo à sua pelagem com uma escova de borracha. Desta forma, também o dono fica satisfeito, pois os pelos ficam na escova e não pelo apartamento.

Alimentação do American Staffordshire Terrier

Independentemente da raça, todos os cães precisam de uma dieta rica em carne. A ração para cães deve ser selecionada de acordo com o peso, a idade e as características do animal. Em caso de dúvida, peça conselhos ao seu veterinário.

zwei American Staffordshire Terrier Hunde

Educação: consistente e segura

O American Staffordshire Terrier é um animal que precisa de uma voz de comando consequente e, simultaneamente, carinhosa. Estes são cães extremamente inteligentes e depressa se apercebem das fraquezas da educação. O dono nunca deverá ter medo do seu companheiro de quatro patas e, durante a fase da puberdade, mostrar-se dominante. O seu Amstaff tem que perceber quem está no controlo. Uma educação consequente e uma liderança segura são, portanto, essenciais. A vontade de agradar ao dono, manifestada por esta raça, é um ponto bastante positivo. A expressão facial destes animais é um outro ponto a assinalar: os Amstaff têm o famoso olhar dos Teckel e usam-no a seu favor, alcançando assim os seus objetivos. A perseverança por parte donos é, assim, fulcral.

Trabalhar o potencial

Os American Staffordshire Terrier precisam de muita atividade. A grande maioria dos desportos para cães, como agility, flyball ou obedience servem este propósito. Não é aconselhável encorajar tarefas de defesa, pois podem acentuar a natureza protetiva do animal. Os exemplares desta raça apreciam passeios longos, enquanto os cães adultos gostam também de passeios de bicicleta com os donos. Brincadeiras com bolas são das atividades favoritas. Depois de um dia cheio de atividade, os Amstaff deleitam-se com os carinhos dos donos e adoram descansar no cestinho.

Como encontrar o seu American Staffordshire Terrier

No momento de adquirir um Amstaff, é altamente recomendável contactar um criador profissional. Estes dedicam-se de corpo e alma ao bem-estar e saúde dos animais, o que fará destes excelentes cães de família. Visite o criador, que será, de preferência, um membro de uma associação de criadores, antes de comprar o cachorro, para que possa conhecer os pais, os irmãos e o ambiente onde cresce. Criadores responsáveis são curiosos relativamente aos futuros donos e questionam-os acerca do ambiente em casa e dos seus hobbies – o que é um sinal muito positivo, revelando que se importam realmente com o futuro dos seus protegidos. Poderá, junto do criador, também colocar questões relativas à saúde do animal.

Se o que procura não é um cachorro, certamente encontrará cães de raça em abrigos e associações protetoras dos animais, onde o poderão aconselhar acerca do exemplar mais indicado para o seu lar. Um animal mais velho pode ser uma excelente aquisição; porém, deve informar-se previamente acerca da sua personalidade e, de preferência, também sobre a sua história familiar. Um American Staffordshire Terrier sem a educação apropriada pertence apenas a donos muito experientes!

Se, depois de se informar adequadamente, quiser abrir as portas de sua casa a um Amstaff, certamente levará um quotidiano divertido junto deste animal musculado – e depressa poderá observar o seu novo companheiro de quatro patas, bem disposto e carinhoso, a desmistificar os preconceitos sobre a raça com um simples abanar de cauda.

Os nossos desejos são simples – uma vida repleta de alegrias com o seu leal American Staffordshire Terrier!

Os nossos artigos mais relevantes
Está a pensar adotar um Rafeiro Alentejano? Conheça todas as características da raça e se é o cão indicado para si.
Gosta de agradar, adora pessoas e é robusto: o Labrador Retriever é extremamente popular como cão de família.