Incontinência em cães This article is verified by a vet

chihuahua em cima de resguardo a olhar para cima

A incontinência é uma enorme sobrecarga para cães e donos.

O seu cão levanta-se do seu cantinho depois de uma sesta e, inesperadamente, vê-se uma mancha húmida? Ou nos últimos tempos tem reparado em pequenas pingas pelo chão? Isto pode significar que o seu patudo pode ter incontinência urinária. Descubra neste artigo toda a informação importante acerca da incontinência em cães.

A incontinência pode ser perigosa?

Em primeiro lugar, e em princípio, a incontinência urinária não é perigosa para os cães. No entanto, não deixa de ser uma doença desagradável e em parte desgastante, tanto para o dono como para o animal. Dependendo da causa, pode ser consequência de uma doença bastante grave. Portanto, é essencial clarificar tudo junto de um veterinário.

Causas: como é que a surge a incontinência em cães?

A incontinência é a incapacidade de urinar ou defecar de forma controlada. A incontinência urinária é muito mais frequente nos cães do que a incontinência fecal. Para entendermos as causas da incontinência urinária em cães é útil darmos uma vista de olhos pela parte anatómica.

Anatomia do trato urinário

A bexiga está dividida em cúpula, corpo e base. Desde os rins, os ureteres descem de cada um dos lados até à base, transportando a urina até à bexiga. Para a expulsar, a urina flui para o exterior através da uretra.

O armazenamento e a expulsão da urina são regulados pela contração e relaxamento de diferentes músculos. Estes incluem os músculos da bexiga e o esfíncter urinário interno e externo. Os diferentes nervos (simpático e parassimpático) controlam estes músculos.

Simplificando, o sistema nervoso simpático assegura a contração do músculo do esfíncter e permite, então, o armazenamento da urina na bexiga. Por outro lado, o sistema nervoso parassimpático é responsável pelo esvaziamento da bexiga. Portanto, a musculatura da bexiga contrai, os músculos do esfíncter relaxam.

Incontinência urinária primária

Sobretudo no caso das cadelas mais velhas, é comum a castração interferir no músculo do esfíncter. Assim, devido à remoção dos ovários, os níveis de estrogénio baixam, o que debilita o tecido conjuntivo e os músculos. Além disso, em comparação com os machos, a uretra das cadelas é bastante mais curta e reta. É por este motivo que a incontinência urinária é mais frequente em fêmeas castradas do que em machos sujeitos ao mesmo procedimento.

Outra causa comum para a incontinência primária em cães é o uréter ectópico. Nesta situação, o uréter não desemboca na bexiga, como deveria, mas diretamente na uretra. Então, quanto mais abaixo na uretra estiver a abertura do uréter, estarão um ou ambos os esfíncteres contornados e mais acentuada será a incontinência. Labrador retriever, golden retriever e boxer são as raças mais afetadas por esta malformação congéntica.

Incontinência urinária secundária

São várias as doenças que podem potencialmente provocar incontinência urinária em cães:

  • Tumores, que constringem diretamente a bexiga ou danificam os nervos
  • Inflamação da bexiga (cistite)
  • Cálculos urinários (urolitíase)
  • Doenças renais (nefropatia)
  • Diabetes mellitus
  • Lesões nos nervos causadas por uma hérnia discal ou acidentes
  • Efeitos secundários de medicamentos (diuréticos, preparados de cortisona)

A incontinência em cães é muitas vezes consequência de demência. Porque o cão não se apercebe da urgência de urinar ou quando se apercebe é demasiado tarde - e a bexiga transborda, por assim dizer. Também a osteoartrose e a fragilização geral dos músculos na velhice contribuem para isto.

cão a urinar para cima de pedra
Em comparação com os machos, as fêmeas têm maior predisposição para sofrer de incontinência urinária.

Sintomas: quais os sinais mais importantes?

A incontinência em cães pode detetar-se por um fluxo ininterrupto de urina ou pela micção em forma de gotas. É comum acontecer durante o sono se estiver relacionada com a velhice ou castração.

Se a causa for inflamatória, o cão pode ainda apresentar outros sintomas. Dor forte, mal-estar geral, perda de apetite e febre são os principais. Micção gradualmente mais dolorosa (estrangúria) é outro sinal típico. Pelo contrário, os cães jovens com malformações congénitas urinam de forma contínua e sem dor.

Diagnóstico: como é comprovada a causa da incontinência em cães?

A análise detalhada das causas é fundamental para encontrar um tratamento adequado para a incontinência do animal. Assim, o veterinário irá colocar-lhe algumas questões (anamnese), nomeadamente acerca da sua duração e frequência, além de outras indicações importantes. Depois, o médico faz um exame geral, além de um exame especial ao trato urinário.

Para a análise à urina, o veterinário recolhe uma amostra de urina estéril com a ajuda de uma seringa e de um ecógrafo. Ao mesmo tempo, observa se existem alterações estruturais na bexiga e nos órgãos circundantes.

Sob o microscópio e em sedimento, o veterinário pode detetar bactérias ou cálculos urinários. Então, a gravidade específica da urina dá-lhe informação acerca da capacidade de concentração dos rins. Uma gravidade específica reduzida ocorre, por exemplo, em casos de diabetes insipidus. Em contraste, uma gravidade específica elevada está relacionada com desidratação e diversas doenças hepáticas. A radiografia é uma das técnicas de imagiologia usadas para excluir tumores e deslocamentos.

Tratamento: que opções existem?

Já que a incontinência em cães se pode desenvolver por razões muito distintas, o tratamento depende da doença subjacente. Por norma, as malformações e os tumores são tratados através de cirurgia. Além do mais, no caso dos tumores, a quimioterapia e a radioterapia são outras modalidades de tratamento.

Se os cálculos urinários (normalmente de estruvita) forem a causa da incontinência do seu cão, existem duas opções. Ou são removidas cirurgicamente ou dissolvidas com uma dieta especial pobre em proteínas. Tratando-se de uma cistite, o veterinário prescreve um anti-inflamatório. Por outro lado, se a origem for bacteriana, receita-lhe antibióticos.

Se as doenças hormonais forem as responsáveis pela incontinência, o médico pode administrar suplementos da hormona em falta. Contudo, o tratamento com estrogénio está muitas vezes associado a efeitos secundários. Portanto, qualquer tratamento deve ser supervisionado pelo médico.

Os sintomas de incontinência relacionada com a castração podem ser aliviados ou mesmo prevenidos através de acupunctura, neuroterapia, medicação (simpaticomiméticos) e cirurgia. Mas a escolha do tratamento depende sempre do estado geral e da idade do animal.

Existem remédios caseiros para a incontinência nos cães?

Naturalmente, existem inúmeros remédios naturais com um efeito positivo na saúde da bexiga e que contribuem para o êxito do tratamento. De qualquer modo, em primeiro lugar a causa para a incontinência do patudo tem que ser diagnosticada por um veterinário. Então, feito o diagnóstico, os remédios naturais podem ser bons complementos à medicina convencional.

Também no caso dos cães os arandos e as sementes de abóbora têm, por um lado, um efeito antibacteriano e, por outro, fortalecem os músculos. Já ervas como vara de ouro, urtiga e casca de salgueiro também são comprovadamente vantajosas.

Prognóstico: quais as possibilidades de recuperação?

Se e até que ponto a incontinência do seu cão pode ser curada depende da causa e da gravidade do problema. Caso, por exemplo, o tecido nervoso esteja irreparavalmente destruído devido a um acidente, as melhorias são bastante improváveis. Pelo contrário, uma cistite ou cálculos urinários são tratáveis.

Prevenção: como evitar a incontinência em cães?

Como já referido, a castração é uma das causas mais comuns para a incontinência em cães. De facto, o risco é mais elevado para cães de raça grande, como dobermann, rottweiler, boxer ou schnauzer gigante. Deve, portanto, pesar cuidadosamente os prós e os contras da castração. O seu veterinário terá todo o gosto em aconselhá-lo.

Os cálculos urinários e as doenças inflamatórias podem ser prevenidas com uma boa ingestão de água e uma alimentação equilibrada.

Para concluir, uma nota importante:
Nunca castigue o seu cão por algum acidente relacionado a incontinência. É provável que o patudo esteja tão stressado quanto você! Neste sentido, os castigos só lhe aumentam a tensão psicológica. Em vez disso, resguardos e fraldas para cães podem ajudar na gestão do problema.

Encontra na loja online da zooplus uma vasta seleção de comida especificamente concebida para cães com doenças do trato urinário.


Franziska G., veterinária
Profilbild von Tierärztin Franziska Gütgeman mit Hund

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?