Prisão de ventre nos cães This article is verified by a vet

Escrito por Amelie Krause, Tierärztin
Prisão de ventre nos cães

Prisão de ventre nos cães

A prisão de ventre nos cães ou, recorrendo ao termo médico, obstipação, é um problema comum nos animais. Significa que o seu cão tem problemas na defecação, o que impede o animal de excretar as fezes, que se acumulam no cólon.

Nestes casos, os sinas são notórios: o cão tenta fazer as suas necessidades, mas sem sucesso. Além disso, é possível notar o desconforto e as dores no cão. Posto isto, existem dois tipos de prisão de ventre nos cães:

  • Prisão de ventre aguda: ocorre por um curto período de tempo
  • Prisão de ventre crónica: verifica-se por períodos mais extensos

De forma geral, a obstipação aguda é menos grave. Logo, é também a mais fácil de tratar e a que causa menos complicações no animal. Quanto à prisão de ventre nos cães crónica, esta deve ser diagnosticada e tratada rapidamente. Caso contrário, os sintomas persistentes podem levar a sérias consequências na saúde do animal.

Causas da prisão de ventre nos cães

Uma má alimentação e uma má postura estão entre as causas de prisão de ventre nos cães mais comum. Contudo, há outras causas de prisão de ventre nos cães, que deverá considerar:

  • Ingestão insuficiente de líquidos ou perda de líquidos - em consequência de uma febre, por exemplo
  • Presença de corpos estranhos no organismo
  • Atividade física deficiente
  • Dieta pobre em fibras

Causas mais graves da prisão de ventre

Também as seguintes causas podem contribuir para a prisão de ventre no cão e, nestes casos, deverá consultar um médico veterinário. As causas são:

  • Dores no sistema locomotor
  • Inflamação da glândula adanal
  • Fracturas na zona pélvica
  • Tumores e outras massas, como gânglios linfáticos ou hematomas, que pressionam o reto
  • Doenças da próstata
  • Efeitos secundários de medicamentos
  • Enfraquecimento da parede intestinal - através de protuberâncias, por exemplo
  • Distúrbios metabólicos, como hipotiroidismo e perturbações neurológicas do intestino grosso

Importante: A prisão de ventre é um problema comum em cães enfraquecidos ou idosos. Nestes casos, consulte um veterinário, de modo a identificar rapidamente a causa da obstipação e dar início ao tratamento.

Sintomas da prisão de ventre nos cães

Na maioria dos casos, a prisão de ventre nos cães torna-se evidente para os donos, que veem o animal a tentar defecar repetidamente, sem o conseguir. Pode haver casos, em que o cão até consiga ser bem sucedido e excretar alguns cíbalos (bocados de fezes secas e duras), mas com dor. E, também é comum, que este tipo de fezes venha acompanhado por sangue ou muco. Em casos pontuais, o cão excreta 'pseudodiarreia', que ocorre quando o sangue e o muco são excretados com tanta pressão, que passam através dos cíbalos. Há também sintomas, em que a acumulação de fezes no intestino grosso é de tal forma persistente, que motiva a dilatação da parede intestinal. Nestes casos, ocorre o megacólon, uma perturbação intestinal séria.

Face a esta realidade, além da lesão dos músculos do intestino, ocorre também a peristalse, ou seja, as contrações intestinais cessam. Infelizmente, este tipo de episódios de obstipação crónica não é reversível, causando problemas permanentes no cão. Outros sintomas, como perda de apetite, apatia, indisposição e flatulência, podem também ocorrer.

Diagnóstico da prisão de ventre no cão

Por norma, o médico veterinário consegue facilmente comprovar as suspeitas de obstipação. Para isso, contribuem os relatos do dono e uma rápida análise clínica. No entanto, muitas vezes o diagnóstico da causa é mais difícil de determinar, especialmente em casos de prisão de ventre prolongada. Nestes casos, para fazer um diagnóstico completo, o veterinário colocará questões sobre o historial clínico do animal e pode levar a cabo alguns exames.

Exames de diagnósticos que poderão ser feitos pelo veterinário

  • Realização de ecografias de diagnóstico.
  • As análises ao sangue ajudam a determinar a presença de doenças do metabolismo ou inflamações.
  • Sobretudo em casos crónicos, devido à dilatação, é comum a parede intestinal encontrar-se danificada. Se for este o caso, são necessários cuidados acrescidos, como um exame retal ao animal.
  • Havendo a suspeita de um tumor no cólon ou da presença de um corpo estranho no intestino, uma colonoscopia será executada. Durante este exame, o intestino é examinado a partir de dentro, com o auxílio de um aparelho, que possui uma câmara de vídeo na extremidade. Sempre que necessário, serão extraídas amostras de tecido.
  • Em situações de maior gravidade, poderá efetuar-se uma cirurgia

Tratamento da prisão de ventre nos cães

Concluindo: para o tratamento eficaz da prisão de ventre nos cães,  as causas do problema devem ser primeiro identificadas. Primeiramente, é essencial diferenciar entre os casos de obstipação inofensiva e de curta duração, dos casos complicados, recorrentes e permanentes.

Enquanto, os primeiros requerem uma alteração a curto prazo na dieta alimentar - lactulose, leite, psyllium e a ingestão de muitos líquidos serão o suficiente; os outros implicam um tratamento mais complexo. Assim sendo, nas situações mais graves, o veterinário providenciará ao animal, através de terapia intravenosa, a quantidade de líquidos que este necessita. De seguida, as fezes são removidas com a ajuda de um enema especial, terminando com uma suave massagem. Contudo, há casos em que o animal é submetido a cirurgia.

"Como prevenir a prisão de ventre no meu cão?"

7 Dicas para prevenir a prisão de ventre nos cães

    1. A prisão de ventre nos cães pode ser prevenida através de uma alimentação equilibrada e rica em fibra.
    2. Monitorizar o peso do seu patudo é também muito importante. Cães com excesso de peso apresentam uma maior tendência para a obstipação, do que os restantes.
    3. Outra forma de prevenir a prisão de ventre nos cães, é através do exercício físico regular.
    4. Ingestão frequente de água .
    5. No caso de cães seniores com dores musculares, a prisão de ventre pode ser prevenida através do tratamento da dor.
    6. Embora não seja um trabalho agradável as fezes devem ser examinadas com frequência pelos donos. Deste modo, terá a oportunidade de intervir de imediato.
    7. Se o seu cão é desses que come tudo o que encontra, tente controlá-lo ao máximo. Não só pelas razões mais óbvias, mas também porque há um risco acrescido de sofrerem de prisão de ventre.

Os nossos artigos mais relevantes

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?

Dermatite canina

Se o seu cão se coça demasiado deve apurar-se a origem do prurido, pois isso restringe o seu bem-estar e reduz a sua qualidade de vida.