Lagarta do pinheiro: Perigo para cães e humanos

O que é a lagarta-do-pinheiro?

Também apelidada de lagarta-processionária-do-pinheiro, este animal é uma espécie de inseto lepidóptero, que pertence à família das traças. Porém, não se trata de uma borboleta colorida, mas sim de uma borboleta noturna. Os exemplares desta espécie são ligeiramente maiores do que as suas semelhantes, as lagartas-do-carvalho. São encontradas por todo o Mediterrâneo, pelas florestas de pinheiros do sul da Europa, incluindo Portugal, tendo-se transformado numa verdadeira praga. Todo o cuidado é pouco ao passear com o seu patudo nestas áreas, pois o perigo é real.

Perigosas para humanos e animais são as lagartas, e não as borboletas. Cada uma delas está coberta com até 600 000 pelos urticantes brancos, responsáveis pelas desagradáveis reações alérgicas. Estes pelos têm puas e contêm a taumatopoína, a proteína responsável pelo efeito irritante em caso de contacto. Ao sentirem-se ameaçadas, as lagartas do pinheiro podem disparar estes seus pelos e, dada a ação do vento, estes podem voar até a uma distância de 200 metros. O pior é que a toxina mantém o seu efeito durante um ano. Assim sendo, o contacto deve ser evitado, mesmo quando estes animais já tiverem deixado os ninhos, que se encontram nos pinheiros. Os ninhos da lagarta do pinheiro são esbranquiçados e acastanhados. Por norma, os ramos das árvores onde moram estas lagartas encontram-se despidos de folhas.

As lagartas-processionárias-do-pinheiro podem chegar até aos 5 cm de comprimento. É fácil reconhecê-las, tendo em conta a sua forma muito peculiar de se movimentarem: mexem-se em jeito de procissão, isto é, umas atrás das outras, em fila. A certa distância, é fácil confundir esta formação com uma cobra. Entre maio e junho, as lagartas deixam o casulo e vão em busca de comida. Nas regiões mais a sul, esta fase pode acontecer antes, já que as temperaturas sobem mais cedo. Depois disto, enterram-se no chão, entrando na fase de crisálida.

golden retriever wald

Sintomas do contacto com a lagarta do pinheiro

Nos humanos, o contacto com os pelos urticantes provoca sintomas semelhantes aos das picadas de insetos. A intensidade da reação alérgica depende do número de pelos em contacto com a pele. Podem ocorrer reações bastante intensas, incluindo choque anafilático. Os sintomas podem também designar-se por dermatite por lagarta do pinheiro.

Nos nossos companheiros de quatro patas, os sintomas são semelhantes. Caso o seu cão tenha entrado em contacto com os pelos deste animal, dirija-se de imediato a um médico veterinário, pois a sua vida está em perigo! A verdade é que também os cães podem entrar em choque anafilático. Além disso, é possível que as zonas afetadas entrem em necrose. Os sintomas e a sua intensidade variam de cão para cão. Os possíveis sintomas são os seguintes:

  • As reações ocorrem normalmente nas áreas onde a pele não está protegida por pelo. É frequente a zona da cabeça ser afetada. O focinho pode inchar e essa reação estender-se a toda a cabeça;
  • Caso o animal tenha ingerido pelo urticante, podem dar-se problemas de estômago, como vómitos, por exemplo;
  • A inalação dos pelos pode causar reações respiratórias alérgicas;
  • O contacto com os olhos pode causar conjuntivite;
  • Outros sintomas: febre, fadiga, danos na mucosa.

O que fazer se o meu cão foi picado pela lagarta do pinheiro?

É comum os cães entrarem em contacto com a lagarta do pinheiro quando farejam o chão e dão de caras com uma ou com um ninho abandonado. Em qualquer dos casos, a ida ao médico veterinário deve ser imediata, já que podem ocorrer reações fatais (asfixia por inchaço das vias respiratórias, por exemplo).

 

  1. Mantenha a calma! Entrar em pânico não vos ajuda a nenhum dos dois e pode fazer com que cometa erros nos primeiros socorros, piorando a situação. Por favor, tenta permanecer calmo.
  2. Remova os pelos urticantes. Salvaguarde a sua saúde usando luvas e máscara. Depois disso, limpe a área afetada com água quente. Se existirem pelos na pelagem do animal, é aconselhável colocá-lo na banheira ou chuveiro e lavá-lo por completo com água quente.
  3. Evite que o seu patudo lamba as patas ou o pelo, pois, ao invés, podem entrar mais pelos na zona do focinho. Tente também que o animal não se coce, já que, ao fazê-lo, a comichão tem tendência para aumentar, além de poder causar feridas.
  4. Consulte de imediato um médico veterinário e evite o pior. É possível que lhe sejam prescritos medicamentos.

Prevenção

Para evitar o contacto com uma lagarta-processionária-do-pinheiro, siga as seguintes medidas de prevenção:

  • Mantenha-se afastado das áreas infestadas pela praga. Regra geral, se forem grandes, estas encontram-se marcadas por sinais;
  • Caso não lhe seja possível evitar as zonas afetadas, mantenha o seu patudo com a trela;
  • Certifique-se que o seu cão não fareja o chão, evitando, assim, o contacto com as lagartas ou com os ninhos que possam existir.

Os nossos artigos mais relevantes

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?

Dermatite canina

Se o seu cão se coça demasiado deve apurar-se a origem do prurido, pois isso restringe o seu bem-estar e reduz a sua qualidade de vida.