Flatulência nos cães This article is verified by a vet

A flatulência nos cães é um problema que causa incómodo e pode ser tratada facilmente.

Os gases não são apenas um incómodo para os patudos, também podem ser um sintoma de uma doença mais séria.

A flatulência nos cães é um sintoma que cães de todas as raças e idades apresentam. Os gases não são apenas um problema para os patudos, também podem ser um grande incómodo para os donos. Neste artigo encontra tudo o que precisa saber sobre este assunto. Além disso, damos dicas para evitar que o seu cão tenha gases.

A flatulência nos cães é perigosa?

Na grande maioria dos casos os gases são principalmente um incómodo. No entanto, de acordo com o desconforto que os gases causam ao seu patudo não deve ignorar esta situação. Além disso, em alguns casos a flatulência é um sintoma de uma doença mais grave.

Quais as causas de gases nos cães?

Apesar de algumas doenças e intoxicações agudas poderem provocar o aparecimento de gases, na maior parte das vezes o problema está na alimentação. Ou seja, os cães que comem alimentos de difícil digestão apresentam frequentemente flatulência. Entre os alimentos causadores de gases estão leguminosas, como ervilhas ou feijão, frutas verdes e ração com alto teor de açúcar.

Além disso, os gases também são frequentes em cães que comem num piscar de olhos ou quando houve uma alteração repentina na alimentação. Pode também dar-se o caso de o patudo ser alérgico a algum dos ingredientes da ração, como por exemplo proteínas de aves. Por fim, se o seu patudo ainda sofrer de intolerância alimentar, por exemplo ao glúten, rações com alta percentagem de cereais podem causar flatulência.

Descubra a nossa seleção de ração sem cereais para cães .

Existem também algumas doenças do foro intestinal que causam o aparecimento de gases. Por exemplo, infeções causadas por parasitas internos, bactérias ou vírus podem causar perturbações no aparelho intestinal que levam ao aparecimento de gases. Também doenças crónicas, como a síndrome do intestino irritável, causam gases além de outras queixas.

Sintomas que costumam acompanhar o aparecimento de gases

Além do típico expulsar dos gases e do mau cheiro, a flatulência pode ser acompanhada por respingos e por gases no estômago. Se estes sintomas se mantêm por períodos prolongados, geralmente os patudos também sentem uma pressão excessiva na zona abdominal e dores. Assim, é comum os patudos adotarem uma postura encurvada. Uma outra consequência deste quadro clínico é a perda de apetite em muitos cães.

Em casos mais raros, os gases não conseguem sair do estômago e intestinos. Nessa situação os gases acumulam-se no aparelho intestinal e podem causar rotações do intestino ou estômago perigosas. Estas rotações causam fortes cólicas e dores intensas. Para minimizar as dores, os cães adotam muitas vezes a posição de oração. Se o seu cão se mantiver nesta posição é um sinal de alarme. Assim, deve levá-lo ao veterinário com urgência.

É muito importante que consiga reconhecer a posição de oração facilmente. Para tal basta memorizar os seguintes passos:

  • O patudo estica muito as patas de frente.
  • As patas de trás ficam na posição normal em pé.
  • O patudo fica nesta posição muito tempo.

No entanto, a flatulência está muitas vezes associada a problemas de alimentação. Assim, muitos cães também podem apresentar sintomas como diarreia, vómitos e perda de peso.

A flatulência pode atingir cães de qualquer idade ou raça
Os cachorros e cães jovens também podem ter gases.

Diagnóstico da flatulência nos cães: quando é a altura de ir ao veterinário?

Se o seu cão tem gases de vez em quando e não apresenta qualquer outro sintoma, não tem razões para se preocupar. No entanto, se a flatulência é persistente e o cão tem outros problemas, deve levá-lo ao veterinário.

Na consulta, explique os sintomas e quais os hábitos alimentares do seu patudo. Estas são informação muito importantes e por isso seja o mais preciso possível. Em seguida o veterinário faz um exame à condição geral do patudo. É possível que seja necessário fazer uma análise às fezes ou ao sangue. Em determinados casos o veterinário pode também prescrever um raio X ou uma ecografia.

Qual o tratamento para a flatulência?

Nos casos em que os gases não são constantes ou recorrente, não há necessidade de proceder a um tratamento específico. No entanto, se a situação piorar as seguintes medidas podem aliviar o seu patudo:

  • Se o cão tiver queixas fortes, pode ajudar os gases a saírem com massagens abdominais e caminhadas.
  • No caso de o seu cão apresentar gases por períodos longos de tempo geralmente alterações na alimentação resolvem o problema. Comece por dar uma alimentação leve, como por exemplo frango cozido com arroz e sem temperos. Dê porções pequenas divididas em várias refeições. Assim consegue aliviar o aparelho gastrointestinal do seu cão.
  • As intolerâncias ou alergias alimentares resolvem-se facilmente com uma dieta especial. No entanto, não dê uma ração de dieta ao seu patudo sem falar primeiro com o veterinário.
  • Se a flatulência for consequência de uma doença intestinal crónica, a administração de medicamentos alivia os sintomas.

Qual o prognóstico?

O prognóstico desta condição depende muito da causa. Por exemplo, se o problema de base é uma intolerância alimentar ou uma infeção pouco grave, os gases costumam desaparecer com o tratamento.

Em casos mais raros os gases são uma consequência de uma doença grave. Nestas situações os cães costumam apresentar outros sintomas, que geralmente são mais graves.

Como posso evitar que o meu cão tenha gases?

Antes de mais, os cães precisam de uma alimentação equilibrada e adequada às suas necessidades. Assim, comece por ler a lista de ingredientes da comida do seu patudo. Tenha em atenção a ingredientes como glúten, açúcar e lactose.

Tenha também atenção ao local de refeição do seu cão. Por exemplo, se a tijela de comida estiver mais alta, o seu patudo engole menos ar enquanto está a comer.

Pode também escolher um comedouro anti-voracidade e distribuir a porção diária de comida do seu patudo por três refeições. Desta forma ele come mais devagar e assim não sobrecarrega os intestinos ou estômago.

Durante os passeios nunca deixe que o seu patudo coma fezes de outros animais ou lixo que esteja na rua. Assim evita a formação de gases nos intestinos e também que o seu cão apanhe parasitas internos. Por fim, faça exames às fezes do seu cão com regularidade. Assim, uma infestação por parasitas internos é detetada e tratada rapidamente.

Os nossos artigos mais relevantes
11 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?