Galgo Espanhol

conheça as características da raça

O galgo espanhol. Os cães desta raça são muito comuns em Espanha, sendo com frequência usados em corridas de cães. Porém, este manso animal é muito mais do que isso e constitui um excelente cão de família.

Personalidade

Gentil e com instinto de caça

O galgo espanhol tem um coração de ouro: é amigável para com as pessoas e dá-se muito bem com outros cães. É afeiçoado aos donos sem, no entanto, impor a sua presença. Em resumo, são animais prudentes, mas, com o imprinting adequado em tenra idade, adaptam-se bem e constituem excelentes companheiros para praticantes de desporto.

Por mais calmo e equilibrado que seja o seu comportamento em casa, são, ao vislumbrarem uma potencial presa, rápidos como balas. Despertada a sua herança secular como cão de caça, é difícil pôr-lhe um travão.

Aparência

Aspeto atlético

Devido à variedade de cores e à variante de pelo cerdoso, não é incomum que os não especialistas consideram o galgo espanhol como um galgo híbrido, pois existem muitos – mas tratemos deste assunto mais adiante.

  • Estrutura física: Tal como todos os galgos, o espanhol tem as pernas longas e é bastante esguio, correspondendo aos padrões da raça.
  • Peso: cerca de  25 kg
  • Tamanho:  altura ao garrote entre 60 a 70 cm. A cabeça é longa e estreita, o tórax amplo e a barriga muito levantada. A cauda é bastante comprida, alcançando a zona dos tornozelos, os membros posteriores são bem musculosos e perpendiculares.
  • Pelo: Além da variante de pelo curto, existe também uma outra, com pelo de comprimento médio e cerdoso, sobrancelhas peludas, barba e algum cabelo.
  • Cores: Todas as cores são aceites, havendo preferência pelas variantes com manchas escuras e negras.

Educação

Use e abuse do reforço positivo

Os cães de personalidade mais reservada devem ser educados gentilmente e recorrendo ao reforço positivo. O galgo espanhol não é submisso e mantém a cabeça erguida – este é um traço que deve apreciar se pretende adotar um destes animais. Os laços com os donos têm uma enorme importância e servem como motivação para a obediência da parte destes animais, na verdade, de feitio independente.

Obedecer não abrange, infelizmente, as situações em que os galgos avistam presas: aqui, os instintos primários da raça fazem-se notar e mandá-los parar de nada serve. Embora faça sentido em treinos em áreas não delimitadas, com exceção destes casos não deve deixar os galgos correr sem trela.

Relativamente à educação, os galgos podem precisar de mais algum tempo do que os cachorros de outras raças e é necessário ter paciência: logo que o animal aprenda, será confiável. As aulas de treino para cachorros nas escolas para cães têm um efeito positivo nos galgos, tudo desde que os métodos de treino sejam brandos.

 

Leia também o nosso artigo sobre a educação dos cachorros.

schwarz galgo español

Saúde

Robustez

Apesar do seu físico elegante, os galgos são considerados cães muito robustos. Predisposição genética para determinadas doenças não é praticamente conhecida. Porém, é bastante bom se o  veterinário onde vão habitualmente conta com outros galgos entre os seus clientes de quatro patas. A razão é simples: tal como outros representantes da espécie, o galgo espanhol tem uma percentagem muito menor de gordura corporal do que, por norma, outros cães.

Assim, os anestésicos, que se alojam sobretudo na gordura do organismo, influenciam os órgãos e a circulação sanguínea. A anestesia inalatória é, assim, menos arriscada e particularmente recomendada para galgos.

Além disso, é necessário cuidado especial para manter o animal quente na fase de recuperação da anestesia. Um galgo espanhol vive, em média, 12 anos.

Como devo alimentar o Galgo Espanhol

Dieta de qualidade e saudável

  • Alimentação rica em proteínas e pobre em gorduras. Alimentos de elevada qualidade para cães de grande porte são uma boa escolha para o galgo espanhol em fase de crescimento, já que é fundamental que, no caso dos cães jovens de raças grandes, o peso corporal não cresça mais depressa do que o esqueleto.
  • Na composição, apresentada no rótulo das embalagens de comida, a carne deve figurar em primeiro lugar, ao passo que os cereais não devem fazer parte.
  • Sirva as refeições ao seu galgo num comedouro de altura ajustável, minimizando assim o risco de desenvolver o síndrome da dilatação vólvulo-gástrica, proporcionando-lhe, ao mesmo tempo, uma postura relaxada.
  • Os períodos de descanso após as refeições são essenciais – as atividades desportivas são proibidas com o estômago cheio!
  • Ofereça ao animal snacks saudáveis, como pedaços de carne seca, snacks para a higiene oral ou, ocasionalmente, um osso para roer ou orelhas de vaca desidratas.
  • Água fresca deve estar disponível 24 horas por dia.

Cuidados a ter com o seu Galgo:

O pelo dos galgos não requer muitos cuidados, mas deve ter o seguinte em consideração:

  •  Escove-o duas a três vezes por semana com uma escova robusta de borracha, por exemplo, para remover pelo solto.
  • Depois de um passeio à chuva, é importante secar o animal, pois este arrefece rapidamente.
  • Inspecione a pelagem todos os dias de modo a detetar a presença de carraças – uma pinça apropriada permite remover estas visitas indesejadas.
  • Dada a forma particular das orelhas e o clima predominantemente quente no seu interior, situações de inflamação podem ocorrer com maior facilidade. Assim sendo, esteja atento a esta parte do corpo do seu galgo e, se necessário, limpe-a com uma solução auricular para cães.
  • Caso as unhas fiquem demasiado compridas, pode cortá-las com um corta-unhas concebido para cães.
brindle galgo

Atividades

Ação para os atletas

Atletas de gema, os galgos precisam de muita atividade física. Proporcione-lhe longos passeios diários e um jardim com vedação, onde, na companhia do dono, irá certamente brincar despreocupadamente. É claro que as corridas de galgos constituem uma excelente forma de estes animais fazerem uso das suas capacidades.

Já que esta é uma raça que gosta de trabalhar lado a lado com as pessoas, dependendo da personalidade de cada galgo, outros desportos para cães podem interessar-lhe. Experimente, para começar, agility ou mantrailing. Se o próprio dono for também um atleta, a modalidade canicross pode ser uma boa ocupação para ambos, não descurando, no entanto, o equilíbrio físico do animal – um delicado galgo não deve puxar uma pessoa com 100 kg.

Em suma, o treino deve sempre ser adaptado às capacidades físicas do seu companheiro; para cachorros e cães em crescimento o desporto é ainda um tabu e, quando adultos, os treinos devem ser lentamente ajustados. Tendo estas particularidades em conta, o galgo espanhol pode acompanhá-lo nas caminhadas e nos passeios de bicicleta.

Será um galgo espanhol uma raça adequada para mim?

O galgo espanhol enquadra-se perfeitamente em lares compostos por famílias desportivas e que lhe proporcionem um jardim vedado e, ainda, que disponham de muito tempo. Em casa, os galgos mantêm-se sossegados e meigos, ao passo que no exterior estão sempre ocupados. Entendem-se bem com as crianças, embora se deva certificar que disponham de uma área de refúgio, socorrendo-se desta quando o ambiente está mais agitado. Se tem gatos, lembre-se: no calor do momento estes enormes cães de caça esquecem-se da educação que receberam e o outro animal passa a ser somente uma presa; o mesmo se aplica aos gatos dos vizinhos. Apenas se os galgos lidarem exaustivamente com gatos desde tenra idade é que devem partilhar o mesmo espaço – caso contrário, os gatinhos correm risco de vida. O galgo espanhol é uma raça indicada para donos experientes, já que a sua educação requer algum know-how. Esta ideia aplica-se particularmente a animais resgatados do canil, pois a sua educação é, por norma, quase inexistente.

 

Antes de adotar um galgo espanhol, tenha em mente as despesas que se tornarão regulares: comida de qualidade premium, consultas veterinárias, documentos de responsabilidade civil e impostos são alguns exemplos. Quanto aos acessórios básicos, é aconselhável, antes da chegada do animal ao novo lar, informar-se acerca das coleiras e arneses especiais para galgos, já que os mais comuns escorregam do seu delgado pescoço, pois a cabeça é bastante estreita. Além disto, também um casaco para cão é essencial para manter o seu companheiro quente no inverno, tal como uma capa impermeável para a chuva, imprescindível para estes apreciadores do conforto.

 

A assistência em situações de férias ou de doença deve também ser pensada atempadamente. Um dog-sitter deve ter oportunidade de conhecer bem o seu galgo espanhol antes das férias e será, idealmente, um membro da família ou um grande fã de cães. É importante terem a possibilidade de fazer passeios em conjunto, pois os animais desta raça não se dão muito com desconhecidos. Dica: são já muitos os hotéis que permitem a estadia de cães educados.

Onde adotar ou comprar um galgo espanhol?

A maioria dos galgos deste tipo pode ser ainda encontrada em Espanha. Fundamental é contactar um criador profissional, que trate os animais com carinho e tendo em conta a sua variante e a raça. Acima de tudo, mantenha-se longe dos multiplicadores, isto é, pessoas que disponibilizam para venda cachorros sem documentação ou híbridos – no caso particular desta raça, os híbridos já são mais do que muitos. Se é um verdadeiro fã da raça, encare a situação sob outro prisma – existem inúmeros e excecionais galgos e híbridos semelhantes em abrigos, em busca de um novo lar, pois, infelizmente, deixam de ser úteis quando, por exemplo, a época de caça chega ao fim.

Galgos oriundos de abrigos e canis

Tal como referido acima,  são mantidos em território espanhol muitos galgos destinados à época de caça e que, passada esta, são descartados e até mortos. Os abrigos e canis recebem, então, numerosos cães desta raça. Integram o grupo muitos híbridos, que de modo nenhum são inferiores aos familiares de pura raça. Se pretende dar uma segunda oportunidade a um destes animais, o melhor a fazer é contactar uma associação credível e reconhecida: muitos cães encontram-se à espera de novos donos em famílias de acolhimento temporário por toda a Europa, tendo sido já testados para doenças típicas da zona do mediterrâneo, como a leishmaniose. Ao adotar um animal a partir do estrangeiro, é fundamental cumprir as disposições legais e informar-se em detalhe acerca do estado de saúde do cão. Uma adoção bem organizada de um galgo espanhol com um historial assim é uma fantástica oportunidade de enriquecer a sua vida, ao mesmo tempo que o animal pode novamente ser feliz. Deve, naturalmente, tentar recolher o máximo de informação possível acerca da história do patudo, de modo a perceber se este se enquadra na sua experiência canina. A longo prazo é de extrema importância sensibilizar o público para o valor destes elegantes seres, evitando que sejam desprezados de forma tão cruel.

Qual é a origem do Galgo Espanhol?

De cão de caça a cão de família

A história desta nobre raça remonta aos tempos dos Celtas, tempo em que os galgos já eram usados como cães de caça, por volta do ano 600 a.C. Na companhia deste povo chegam ao atual território espanhol, onde foram nomeados a partir da conquista da Península Ibérica pelos Romanos, Canis gallicus, ou seja, “cão gaulês” - o nome “galgo” tem origem aqui. Durante o domínio dos Mouros, foram as atuais raças Sloughi e Podengo ibicenco que tiveram maior impacto no desenvolvimento do galgo espanhol.

Esta raça foi, no noroeste da Espanha, maioritariamente usada na caça. Estes cães robustos caçavam, sobretudo, presas como lebres e alguns animais de maior porte, como javalis, percorrendo grandes distâncias em terrenos exigentes.

Entre os séculos XVI e XVIII, inúmeros cães foram exportados desde Espanha até à Irlanda e à Grã-Bretanha, onde foram cruzados com raças locais. O galgo espanhol é considerado um dos antepassados do galgo.

E foi exatamente esta relação tão próxima que terá sido quase fatal para a raça espanhola: à medida que estes animais eram cada vez menos usados para caçar, em oposição às corridas de galgos, cujo número aumentava, verificou-se um aumento do cruzamento com galgos, facto que terá posto a raça em perigo de extinção.

 

Os nossos desejos de uma vida em grande harmonia na companhia do seu galgo espanhol!

Os nossos artigos mais relevantes
Está a pensar adotar um Rafeiro Alentejano? Conheça todas as características da raça e se é o cão indicado para si.
Gosta de agradar, adora pessoas e é robusto: o Labrador Retriever é extremamente popular como cão de família.