American Bully

Aparência: o típico aspeto Buldogue

Naturalmente, "Bully" vem de "Buldogue" e o aspeto do American Bully não engana, é o típico aspeto dos Buldogue. Ou seja, um físico imponente e uma cabeça robusta. O tórax é largo e, no seu conjunto, são cães mais massivos do que o Buldogue Americano, por exemplo. Existem American Bully com quatro diferentes alturas de garrote:

  • Pocket: até aos 43 centímetros
  • Standard: 43 a 51 centímetros
  • Classic: 43 a 51 centímetros, mas com um físico mais delicado
  • XL: 51 a 57 centímetros

Nos Estados Unidos da América (EUA), infelizmente são muitos os criadores que lhes cortam as orelhas. As orelhas, ou o que resta das originais orelhas caídas, ficam erguidas e o objetivo é que o animal pareça mais perigoso. Felizmente, esta prática é banida na maioria dos países europeus.

É uma raça de pelo curto, sendo-lhe pertimidas todas as cores. Porém, o melhor é evitar criações de Merle ou Blue. Estas variantes podem estar associadas a anomalias genéticas.

Personalidade: amigável com pessoas e animais

Ao contrário dos seus antepassados, os clássicos "buldogue de luta", os American Bully são apenas cães de família. É junto dos donos que se sentem totalmente confortáveis.

Um American Bully bem socializado é amigável tanto com pessoas como com outros animais. É comum deixar-se acariciar por desconhecidos.

Fãs da raça descrevem-nos como cães com um enorme desejo de agradar. Assim, não há nada que um American Bully queira tanto como pertencer a uma família, o que simplica a sua educação. No entanto, de vez em quando, a infame cabeça dura dos Buldogue manifesta-se.

A escolha aqui é só uma: uma educação consistente mas simultaneamente meiga. Deixe bem claro, desde o início aquilo, que o animal não pode fazer e mantenha-se fiel a isso. Uma pequena migalha de pão dada debaixo da meses pode rapidamente transformar o American Bully num pedinchão.

características american bully

Frequentar uma escola para cachorros e uma escola para cães adultos são excelentes ideias para socializar o seu American Bully. Graças ao seu físico especial, rapidamente outros cães os percecionam como ameaçadores. Um treinador de cães pode dar-lhe algumas dicas situacionais para aplicar no dia a dia.

Comportamento: o American Bully quer a sua companhia, sempre

Um American Bully bem socializado é um cão indicado para famílias com crianças mas também para casais ou solteiros. Este cão gosta de estar sempre presente, mas sem ser o centro das atenções.

Pode ser mantido tanto no campo como num apartamento na cidade, desde que suficientemente estimulado. Por outro lado, se mora num quinto andar sem elevador, adotar um American Bully pode não ser a melhor escolha.

Donos com pouca experiência dar-se-ão às mil maravilhas com estes cães. Pelo contrário, não são adequados para quem apenas pretende impressionar com o seu aspeto imponente.

Manter um American Bully: existem restrições?

Já que a raça American Bully é reflexo de desenvolvimentos bastante recentes na criação de cães, não se encontra na maioria das listas de raças. Ainda assim, características como a sua estatura e antepassados, além da cabeça semelhante à dos Pit Bull, podem levar as autoridades a impor restrições. Informe-se previamente junto das entidades responsáveis para saber se é lhe é permitido ter um destes cães.

O American Bully é um cão extremamente brincalhão.

Desportos e jogos: brincalhão com alguma vontade de se exercitar

Os American Bully são considerados cães brincalhões e com moderado gosto pelo exercício físico. Gostam de longos passeios, mas não precisam de fazer maratonas todos os dias no campo.

Comece devagar e não sobrecarregue o seu Bully, especialmente se se tratar de um cachorro ou jovem cão. É importante estimular não só o corpo como a mente dos American Bully.

Jogos de busca, jogos de recuperação de objetos e truques - descubra qual o preferido do seu patudo. Treinos em conjunto fortalecem laços e reforçam aspetos de obediência básica.

Comprar: encontrar o American Bully certo

Os American Bully são raros na Europa. Porém, alguns criadores "engenhosos" usam a raça para contornar a legislação relativa aos cães de luta de certos países. A verdade é que os American Pit Bull Terrier ou os American Staffordshire Terrier podem ser encontrados em certas "listas de raças", mas não é o caso dos American Bully.

É controverso se o American Bully é uma raça independente. Muitos pseudocriadores criam animais sem documentação. No fundo, não se tratam de verdadeiros American Bully, mas sim raça mista de Buldogue.

Pelo contrário, existem criadores que fundaram as suas próprias associações, de modo a poderem mostrar a documentação. Alguns desses clubes são dedicados ao Exotic Bully, uma variante de American Bully com mais resistência óssea e mais músculos nas pernas curtas. Para sermos mais precisos: "Um Bully extremamente musculado com uma aparência bizarra e única". (Fonte: GBKC)

Em vez de apoiar a criação "bizarra" de animais, procure em canis e associações protetoras de animais. São muitos os cães com traços de Buldogue que aguardam por um novo lar.

Alternativas ao American Bully

Apaixonou-se por um American Bully? Então é provável que o seu coração bata mais depressa por outras raças deste tipo, certo? Pois existem inúmeros Buldogue reconhecidos pela FCI (Federação Cinológica Internacional). É mais fácil encontrar um criador responsável de uma dessas raças.

O Buldogue inglês é tão compacto quanto o American Bully, mas tem alguns problemas de saúde. Existem outros molossos - o termo genérico para este tipo de cão.

Se pretende adotar um cão adulto, aconselhamo-lo a dirigir-se a um canil ou associação protetora dos animais. Existem os mais variados Bully de raça mista, além de Mastins pura raça. Organizações dedicadas a encontrar um novo lar para Mastins em dificuldades são excelentes pontos de contacto.

Saúde: Displasia da anca ou vértebras em cunha

A saúde, ou a falta dela, dos American Bully depende, acima de tudo, da seleção adequada de animais para criação. Infelizmente, na Europa existem poucos organismos de supervisão. Se estiver interessado em adotar um cachorro, tenha cuidado e informe-se bem.

Questione o criador acerca dos exames e análises efetuados aos progenitores. Peça para ver os resultados. Exames à displasia da anca ou a vértebras em cunha são relevantes. Se o criador não reagir bem ao seu pedido, parta para outro.

Já agora, um alerta: não incentive extremismos. Animais muito maciços têm frequentemente problemas nas articulações. Focinhos demasiado achatados são limitativos: quanto "menos nariz" mais dificuldade em respirar.

Alimentação: o American Bully tem muito apetite!

Tal como qualquer outro cão, o American Bully beneficia com uma dieta rica em proteína e sem cereais. Fico ao critério do dono se prefere oferecer ração ou comida húmida. No caso da ração, os croquetes grandes são recomendados, pois encorajam a mastigação.

Porém, certifique-se que o seu Bully mantém a linha. Siga as instruções indicadas na embalagem e inclua guloseimas e snacks na alimentação.

A maioria dos American Bully tem imenso apetite. É aconselhável pesar o patudo regularmente. Se aumentar de peso na idade adulta, reduza as doses. Os croquetes secos são adequados para os treinos em conjunto. Mastigar acalma, ocupa e limpa os dentes.

Assim sendo, os ossos para roer são também úteis, sejam recheados com rúmen, nervo de boi ou chifres. Existem ainda brinquedos de borracha que podem ser recheados com snacks.

História: uma mistura de diferentes raças

É provável que os American Bully tenham originalmente sido cães híbridos. Os "antepassados" da raça terão sido o American Staffordshire Terrier e o American Pit Bull Terrier. No entanto, para se obter um aspeto mais uniforme e um estilo mais maciço, numerosas outras raças deste tipo foram acrescentadas. Aqui se incluem, por exemplo, o Olde English Buldogue, o Buldogue francês, o Buldogue inglês e o já mencionado American Buldogue (ainda que não reconhecido pela FCI).

O American Bully é fruto de uma mistura heterogénea de diferentes raças e, atualmente, os seus criadores esforçam-se pela uniformidade de padrões. Nos EUA, a raça foi reconhecida pelo United Kennel Club, em 2013. É de referir que esta organização inclui uma série de raças que não são reconhecidas pelo American Kennel Club.

Os American Bully são raros na Europa. Isto porque grande parte dos criadores sérios dedica-se, e por boas razões, a criar raças reconhecidas por grandes orgamizações, como a FCI.

Conclusão: energia e amor condensados

Apesar da típica aparência Buldogue, os American Bully são companheiros de quatro patas meigos e divertidos. Assim, são indicados para famílias. Além disso, os próprios cães sentem-se no paraíso no seio de uma família e gostam de estar sempre presentes. É uma raça apropriada para principiantes.

Se conseguir manter esta fonte de energia suficientemente ocupada, viver num apartamento não é problema. Contudo, antes da adoção, informe-se junto das autoridades, pois como dono de um American Bully pode ter certas obrigações.

Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Yorkshire Terrier

Está a pensar adotar ou comprar um Yorkshire Terrier? Saiba qual é a sua personalidade, tipo de alimentação, cuidados de saúde e muito mais.