Alopekis

A raça de cães Alopekis é originária da Grécia e pouco conhecida na Europa

O Alopekis é um cão muito charmoso e cujo aspeto apresenta muitas variações. Fora da Grécia, o seu local de origem, esta raça é praticamente desconhecida. Assim, queremos dar a conhecer em Portugal esta raça de patudos muito amistosa e equilibrada.

Aspeto do Alopekis: um cão pequeno com grande variedade de cores

Nenhuma associação oficial de raças de cães reconhece o Alopekis como uma raça independente. Por isso, o aspeto destes patudos pode variar muito. No entanto, a maioria dos cães desta raça tem um tamanho semelhante a uma raposa. E é aí que está a origem do seu nome, pois a palavra grega Alopekis significa “parecido com uma raposa”. O corpo do Alopekis é harmonioso e atinge uma altura na cernelha de entre 20 e 30 centímetros. Em média estes patudos pesam 7 quilos.

No que se refere ao pelo quase tudo é possível. Assim, alguns Alopekis têm o pelo curto e áspero, enquanto outros têm o pelo de tamanho médio. Alopekis de pelo de tamanho médio, levemente ondulado e macio, são mais raros, mas existem alguns exemplares. Comum a todos os Alopekis é a existência de uma subcamada de pelo. Por fim, em termos de cores, os Alopekis mais populares têm o pelo branco, castanho ou preto, ou ainda uma combinação destas cores. No entanto, existem exemplares de muitas outras cores.

Personalidade: um cão sociável, dócil e muito descontraído

A personalidade dos Alopekis varia de acordo com a educação. No entanto, a grande maioria dos cães desta raça é muito sociável, dócil e autoconfiante. Assim, são patudos que não ficam ansiosos facilmente. Visto que são cães que se dão bem com crianças, estes patudos são bons cães de família. No entanto, as crianças mais pequenas devem ter respeito pelas necessidades e personalidade do seu patudo.

Em áreas onde exista vida selvagem é preciso ter alguns cuidados com o Alopekis. Estes cães gostam muito de caçar pequenos animais, por isso se ele sentir o cheiro de um coelho, esquilo ou rato é provável que o dono tenha dificuldade em controlá-lo. No entanto, este problema resolve-se facilmente dando uma educação adequada ao seu patudo. O mesmo se aplica ao problema do ladrar. Os Alopekis têm tendência a controlar o seu território e podem facilmente ladrar quando sentem necessidade de o proteger. Para evitar esta situação deve intervir precocemente desencorajando este comportamento.

Se adotou o seu Alopekis já adulto é aconselhável entrar em contato com um especialista em treino de cães. Assim terá o apoio de um profissional competente para ultrapassar problemas que possam surgir.

Comportamento: o Alopekis é o cão certo para mim?

Os cães desta raça são adequados para a maioria das pessoas que pretendem ter um patudo. Eles adaptam-se bem a uma vida no campo ou na cidade e vivem felizes numa família grande ou só com o dono. Naturalmente a socialização é um processo determinante e se algo correu mal o patudo pode ter alguns problemas de comportamento.

Estes cães gostam muito de correr livremente pela natureza. Assim, se viver numa cidade deve passear com ele pelo menos duas horas por dia. Outros animais de estimação, como gatos ou outros cães não costumam ser um problema para os Alopekis, especialmente se tiverem tido contato com outros animais quando eram jovens.

Se o Alopekis que adotou já tiver alguns anos lembre-se que ele não está habituado à sua rotina. Nalguns casos pode mesmo não conhecer aspetos básicos do dia-a-dia, como por exemplo andar com a coleira, ficar sozinho em casa, andar de carro ou regras de higiene. Assim, é essencial que esteja preparado para educar o seu novo amigo, pois este processo pode demorar algum tempo.

Cuidados a ter com um Alopekis

Os Alopekis têm a fama de ser cães muito higiénicos. A maioria evita zonas sujas ou banhos na lama, mesmo quando andam pelo campo. Os cães desta raça com pelo de tamanho médio precisam de escovagens regulares ao longo do ano. Na altura da troca de pelo, é útil escovar o seu Alopekis dia sim, dia não, independentemente do tamanho do pelo. Dessa forma evita que fique com a casa cheia de pelos. De forma a tornar as sessões de escovagem mais simples, habitue o seu patudo à escova desde pequeno.

Tenha também em casa uma pinça para remover carraças e um corta-unhas.

Desportos e atividades

Cada patudo tem as suas preferências, no entanto os gostos dos Alopekis são mesmo muito variados. Assim, muitos destes patudos gostam de aprender truques e gostam de desportos como agility. Em contrapartida, outros não mostram qualquer interesse por estas atividades. Assim, o melhor é experimentar. Esconda guloseimas para ele procurar, atire objetos para ele ir buscar, faça dog dancing e veja com qual ele se diverte mais!

Já agora, os Alopekis adultos são fisicamente muito resistentes e gostam muito de correr. Assim, com um treino adequado, o seu Alopekis pode tornar-se o seu companheiro fiel de corrida.

Onde posso encontrar um Alopekis?

Visto que os cães desta raça são pouco conhecidos fora da Grécia, a melhor forma de ter um destes patudos na família é entrar em contato com uma associação protetora de animais na Grécia. Existem variadíssimas associações que têm procedimentos para permitir a adoção de cães em outros países europeus, incluindo associações gregas. É muito provável que encontre numa dessas associações um Alopekis puro.

Naturalmente não espere que o patudo tenha um certificado oficial de raça ou qualquer outra prova da sua raça. Até porque nenhuma associação reconhece esta raça. O processo de adoção de um cão de outro país europeu inclui a colocação de um chip de identificação no patudo. Além disso, ele tem de viajar com passaporte europeu de animais de companhia válido e estar vacinado contra a raiva.

Como encontrar um criador

Fora da Grécia existem muito poucos criadores de Alopekis. Assim, se encontrar um criador desta raça fora do seu país de origem, seja prudente. Comece por tentar perceber qual o objetivo do criador. Em seguida pergunte qual a origem dos pais dos cachorros e verifique se os cães têm as características dos Alopekis. Visto que não existe qualquer controle sobre a criação de Alopekis qualquer pessoa pode apresentar os seus cães como pertencentes a esta raça.

Pode também optar por uma solução mais segura. Procure na Fédération Cynologique Internationale (FCI) uma raça de cães parecida com o Alopekis e procure um criador reconhecido. Assim, terá um cachorro registado e tem a certeza da sua raça. Por exemplo, os cães da raça Lundehund Norueguês ou outros cães tipo Spitz são parecidos com o Alopekis, mas têm mais pelo. O Shiba Inu tem um ar mais parecido com a raposa, mas é maior e mais difícil de educar do que o Alopekis.

Saúde e alimentação: uma raça robusta

Se adotar um Alopekis vindo da Grécia deve verificar o seu estado de saúde, pois doenças provocadas por parasitas, como a Leishmaniose, são relativamente comuns na área. Associações sérias e responsáveis costumam fazer análises aos seus patudos antes de os enviarem aos novos donos. No entanto, algumas doenças só se manifestam passadas algumas semanas por isso quando o seu novo amigo chegar a casa leve-o ao veterinário para um check-up.

Não se esqueça também de seguir o plano de vacinação e de desparasitação para o seu patudo. Tirando estes problemas, os Alopekis são bastante saudáveis e robustos. Visto que a variabilidade genética desta raça é grande doenças hereditárias são quase inexistentes.

Com os cuidados veterinários adequados, bastante exercício físico e uma alimentação correta, um Alopekis vive pelo menos 15 anos. Certifique-se que o seu patudo come uma ração de alto valor nutritivo em que a carne é o ingrediente principal. No entanto tenha cuidado ao alterar a alimentação do seu cão. Mesmo os cães que viveram muito tempo na rua e que por isso têm um aparelho digestivo mais resistente podem apresentar vómitos ou diarreia quando mudam de comida.

Assim, introduza a ração de alto valor nutritivo de forma gradual. Se o seu Alopekis já é adulto, pode ser benéfico deixá-lo escolher o que comer e ir juntando a nova ração aos poucos.

História: os Alopekis vêm da Antiguidade Clássica

Foram encontrados vasos de barro cozido com mais de 5.000 anos com imagens de cães semelhantes aos Alopekis. Estes produtos de cerâmica provam que a origem desta raça remonta à Grécia Antiga. Por exemplo, o filósofo grego Aristóteles (384-324 AC) menciona os Alopekis. Além disso, investigadores analisaram ossos de cães dessa época e consideraram que o Alopekis é provavelmente o ancestral dos cães Spitz. Assim, mesmo sem provas definitivas, considera-se que esta raça pertence à categoria das raças mais antigas de cães.

Antigamente os seres humanos não interferiam com a reprodução dos Alopekis. No entanto, como viviam em ilhas, os patudos encontravam-se casualmente e procriavam naturalmente. É também provável que tenha havido na Antiguidade uma versão sem pelo do Alopekis, que ficou conhecida como cães sem pelo da Turquia.

Até há algumas décadas os Alopekis eram cães comuns nas áreas urbanas e rurais da Grécia. Estes patudos eram populares caçadores de ratos e cães de guarda que protegiam as aves domésticas contra raposas, assim como as propriedades. No entanto, nas décadas de 70 e 80 do século passado, outras raças europeias chegaram à Grécia e os Alopekis perderam terreno.

Uma raça em perigo

Esta raça tem um grupo de fãs pequeno mas muito interventivo. Os fãs dos Alopekis estão a fazer tudo para que o Clube Grego de Canicultura reconheça esta raça oficialmente. Assim seria mais fácil evitar o desaparecimento desta raça. Hoje em dia, existem vários exemplares nalgumas regiões da Grécia, mas geralmente os patudos vivem sozinhos e por isso muitos cachorrinhos morrem no primeiro ano de vida devido a falta de cuidados de saúde. Além disso, as autoridades gregas procederam a um programa de castração dos cães para reduzir o número de cães vadios nas cidades.

A raça de cães Kokoni (na fotografia) é muito parecida com o Alopekis. Algumas pessoas consideram que o Kokoni é uma variante do Alopekis com pelo curto.

As raças Alopekis e Kokoni

Os cães da raça Kokoni são muito parecidos com os Alopekis, tanto que muitas pessoas a consideram uma variante com pelo curto. O Clube Grego de Canicultura reconheceu a raça Kokoni há relativamente pouco tempo, mas nem FCI nem qualquer outro clube internacional o fizeram.

Apesar das semelhanças e de uma história com aspetos comuns, os Kokoni e os Alopekis são raças diferentes. Por exemplo, há uma clara diferença de tamanhos, sendo os Alopekis maiores. No entanto, se procura um patudo de uma associação de proteção de animais na Grécia provavelmente a raça não é uma grande preocupação. Assim, se gostar de um Kokoni, não se preocupe, os cães destas raças são excelentes companheiros.

Conclusão: um amigo da Grécia

Se procura um cão dócil, fiel e um companheiro para a família, o Alopekis é a escolha ideal. Este patudo gosta tanto de longos passeios, como de longas sessões de miminhos.

Além disso, estes cães vivem bem tanto na cidade como em zonas rurais. A única coisa que tem que ter em atenção é que se adotar um Alopekis adulto provavelmente vai ter que lhe ensinar várias rotinas e treiná-lo.

Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Yorkshire Terrier

Está a pensar adotar ou comprar um Yorkshire Terrier? Saiba qual é a sua personalidade, tipo de alimentação, cuidados de saúde e muito mais.