Basset Hound

Basset Hound

Basset Hound

Basset Hound

O ar tristonho dos Basset Hound é enganador: a maioria dos cães desta raça, os “Bassets”, são muito bem-dispostos – e o seu bom humor é contagiante! A imagem de um Basset a correr, com as suas orelhas caídas, coloca de imediato um sorriso na cara de qualquer fã de cães. Com a leitura deste artigo irá aprender o essencial acerca desta raça de caça de patas curtas, que é hoje em dia um excelente e fiel companheiro de muitas famílias.

Aparência: orelhas compridas, patas curtas

Com uma altura ao garrote máxima de 38 cm, os Basset pesam cerca de 35 quilos, sendo, dada esta configuração, cães corpulentos com patinhas curtas – ou, como referem os especialistas, de “baixa estatura e substância considerável”. Notórias são também a sua cauda relativamente longa e, claro, as grandes orelhas caídas. O ar melancólico dos exemplares desta raça deve-se ao cruzamento com os Bloodhound, responsáveis pela cabeça característica e pelo excesso de pele. O pelo curto é suave e denso; porém, nada fino. Por norma, são cães bicolores ou tricolores, entre o preto, o branco e o castanho, embora sejam permitidas outras cores.

História: raça britânica com antepassados franceses

Cães de baixa estatura (em francês, a palavra “bas” significa “baixo”) foram bastante populares tanto em França como na Bélgica durante vários séculos. Os atuais Basset Hound descendem da raça francesa basset d'Artois, cujas características se encontram hoje em dia totalmente absorvidas no Basset artésien normand (Basset artesiano normando, em português). Em 1863, o nome da raça Basset Hound é pela primeira vez mencionada numa mostra de cães, em Paris. Pouco tempo depois, a presença destes cães difunde-se em Inglaterra, local onde foram cruzados com os Beagles e, mais tarde, com os Bloodhounds, momento em que obtiveram a sua aparência tão particular. Em 1880, o Kennel Club britânico, como organização guarda-chuva das associações inglesas de raças de cães, reconheceu a Basset Hound como uma raça. Décadas mais tarde, em 1936, é fundado, nos Estados Unidos da América (EUA), o Basset Hound Club. Na Europa, o número de Bassets decresceu de forma abrupta durante a II Guerra Mundial, pelo que, terminado o conflito, restavam poucos exemplares da raça. No entanto, no Reino Unido, a criadora Peggy Keevil deu nova força ao património genético com a seleção de exemplares Basset artésien normand, tendo tido enorme influência na criação a nível europeu. Apenas em 1957, viu a luz do dia a primeira ninhada oficial de Basset Hound em território alemão.

Nos anos 70 do século XX, as amorosas orelhas caídas conhecem o pico da sua popularidade. Especialmente em países como a Alemanha, o Reino Unido e os EUA, os Bassets alcançaram o estatuto de cães da moda – o que nem sempre foi benéfico para os animais, dado que rapidamente se chegaram a extremos pouco saudáveis relativamente às orelhas e ao tronco. Durante este período, um dos mais famosos Bassets da história mostrou-se ao mundo – o cão da série norte-americana Columbo, companheiro do popular e excêntrico detetive em muitos casos complicados.

Personalidade: caçador que se transforma em cão de família

Uma olhada rápida às pernas curtas dos Bassets indica-nos que esta raça não é das mais exímias corredoras. É, porém, um excelente caçador, originalmente usado na caça de lebres e coelhos, em zonas de mato de difícil acesso. Como 'cão farejador', a sua missão consistia em detetar a presença de presas. Esta apetência é determinada pelo seu bom olfato, tão apurado que lhe permite até seguir rastos antigos, e pela seu enorme perseverança. Ao longo das décadas, a raça tornou-se cada vez mais popular entre as famílias. Todavia, a popularidade não foi só “um mar de rosas” – ao tornar-se no “cão da moda”, o resultado foram algumas atitudes extremas na criação, pelo que, hoje em dia, os pobres animais não mais podem ser usados para caçar, além de a estas atitudes estarem associados problemas de saúde.

zweifarbig basset hound welpe

Bem-disposto e devoto à família

Esta raça caracteriza-se por ser amigável e tolerante. O afeto e o amor pelas crianças fazem dos Bassets excelentes cães de família. No entanto, o entusiasmo durante as brincadeiras pode levá-los a empurrar as crianças mais pequenas – não subestime o peso e a força destes pequenos companheiros. Com as suas maneiras soberanas e tranquilas, os Bassets podem até envolver os companheiros de casa felinos por entre as patas. Não são animais agressivos nem ansiosos, sendo, pelo contrário, descontraídos na presença de estranhos e outros cães. Por outro lado, é possível que ladrem ao carteiro, apenas com o intuito de protegerem o seu território e a família, pelo que nunca atacarão.

Os exemplares desta raça não apreciam estar sozinhos durante muito tempo – gostam de fazer parte das atividades da família. As manifestações de afeto são, por outro lado, raras – e o dono que encontrar um Basset Hound mais expressivo será um sortudo. Enquanto alguns animais se encontram totalmente adaptados ao seu papel como cães de família, outros exemplares desta raça apresentam ainda um acentuado instinto de caça e que deve ser levado em conta durante os passeios. Tal como a maioria dos cães de caça, os Bassets fazem questão de cultivar a sua autonomia, caracterizando-se por serem obstinados e teimosos.

Saúde: evitar extremos!

À semelhança do que se passa com os Dachshund e outras raças de cães com o dorso especialmente longo, os Basset Hound podem ter problemas nos discos intervertebrais e, em casos mais graves, chegar a paralisia. Neste sentido, é recomendável evitar subir escadas com o seu fiel companheiro. As grandes orelhas caídas são também propensas a problemas, como infeções crónicas. Ao selecionar um criador, assegure-se de que este não procura alcançar extremos estéticos, pois uma das consequências desta atitude são os problemas de saúde. Os corpulentos Bassets têm tendência para o excesso de peso, pelo que é essencial proporcionar-lhes uma dieta equilibrada e com alimentos de elevada qualidade, além de, claro, exercício suficiente. Os animais desta raça são calmos, mas é importante não se apegarem demasiado ao sofá.

Durante os meses de maior calor, aconselhamos que os passeios sejam feitos em períodos mais frescos, pela manhã e ao final da tarde, pois os Bassets não são os maiores fãs do calor. Uma dica para os dias mais quentes: para o aliviar, experimente refrescar as suas orelhas caídas com água fresca. Nos meses de frio, existem também restrições no que diz respeito aos passeios: os longos passeios na neve devem ser evitados, isto porque os Basset Hound são muito baixos e tanto os genitais como as orelhas apresentam o risco de queimadura pelo frio. Um animal desta raça tem uma esperança média de vida a rondar os 12 anos.

Cuidados: atenção diária às orelhas

O pelo dos Basset Hound é de fácil limpeza – escove-o a cada dois dias com uma escova macia para remover o pelo morto. As compridas orelhas, tal como os olhinhos tristes a espreitarem desde a pele folgada, requerem inspeções e limpeza regulares, pois têm tendência para inflamações. Levante as orelhas do animal diariamente e limpe-as se necessário, tendo em conta que por debaixo das mesmas se podem acumular parasitas e sujidade, além da fricção, que pode causar irritações cutâneas. A pouca circulação de ar nesta área do corpo do animal oferece as condições ideais para um ambiente húmido e quente, e que favorece a inflamação desta zona sensível.

Habitue o seu fiel companheiro, desde a fase de cachorro, à “inspeção das orelhas” e faça desse um ritual agradável – e, assim, são fortalecidos os laços entre animal e dono. Limpe cuidadosamente o exterior das orelhas com um pedaço de algodão ou com um pano – os cotonetes não têm lugar nos cuidados dos ouvidos dos animais. O interior da orelha pode ser limpo com o auxílio de um produto especial para a limpeza desta área, disponível em lojas especializadas. Casos de irritação cutânea causados por fricção podem ser minimizados pela aplicação de um creme neutro – a primeira ida ao veterinário é importante, além de outras coisas, para se aconselhar neste campo.

Educação: consistência e muita paciência

A consistência é um elemento-chave na educação de um Basset Hound, com o objetivo de não fazer dele um animal ainda mais teimoso do que já é. Austeridade e coerção não devem, no entanto, integrar a educação destes animais. Ao invés, aprenda a ser tolerante, pois os Bassets manterão sempre alguma independência e individualismo. Preferem explorar o mundo a brincar, em vez de se submeterem e obedecerem. É importante, então, fazer da educação um momento lúdico, isto para que cão e dono se divirtam sempre. Procure uma escola de treino para cães antes mesmo da chegada do seu fiel companheiro ao seu novo lar, certificando-se de que os instrutores se encontram familiarizados com esta raça. Além da consistência, há outro elemento essencial para o sucesso da educação dos Bassets: muita paciência!

Os Basset Hounds precisam de atividade

As características pernas curtas dos Basset Hounds podem fazer-nos crer que estes animais não precisam de muito exercício – mas não os subestimemos: estes antigos cães de caça adoram longos passeios, requerendo, assim, bastante exercício e atividade física, mas tudo ao seu ritmo. A maioria destes exemplares também gosta de atividades que impliquem procurar algo: a busca de objetos constitui uma boa tarefa para estes farejadores inatos.

basset hound im grass

Será o Basset Hound uma raça indicada para mim?

Ao contrário de muitas outras raças de cães de caça, os Basset Hound constituem fantásticos companheiros e cães de família. São animais também adequados para pessoas que não dispõem assim de tanto tempo para dedicar ao seu patudo. Porém, para uma coisa é essencial haver tempo – uma educação consistente. Além do mais, os Bassets não apreciam a solidão. A sua adoração por crianças faz desta uma raça ideal para famílias e a maioria destes cães consegue suportar pacientemente as brincadeiras dos mais pequenos com as suas enormes orelhas – é necessário habituar as crianças a interações empáticas e respeitadoras com o membro de quatro patas da família. A partir daqui, a amizade é para a vida. A sua meiguice faz dos Bassets companheiros ideais para pessoas idosas e que apreciem passeios pela natureza com os seus companheiros de quatro patas. Antes de adquirir o animal, certifique-se de que nenhum membro da família é alérgico a cães – por precaução, vá ao médico e faça os testes que o determinam. Em qualquer caso, os Bassets apreciam casas com jardim, desde que devidamente vedados.

Aqui poder-se-ão mover em grande liberdade. Experimente desafiar o seu cão para atividades de busca de objetos – ficará deliciado! Devido ao seu longo dorso, subir escadas é algo que deve ser evitado ao máximo; assim, se não viver num piso térreo, recomendamos que suba com o animal ao colo.

Antes de tomar a decisão final de adotar um Basset Hound, pondere cuidadosamente acerca do tempo e do dinheiro que um animal desta raça exige a longo prazo: além dos passeios, brincadeiras e mimos diários, é importante também considerar os cuidados que o animal requer durante as férias e em caso de doença. Ao optar por passar férias na companhia do cão, é aconselhável informar-se acerca dos destinos mais indicados, além dos alojamentos, para que possa ficar com uma ideia das possibilidades. Além disso, é necessário adquirir toda uma série de equipamentos básicos – comedouros, coleiras e trelas, mantas, escovas e, claro, alimentos de elevada qualidade e idas regulares ao veterinário. A possibilidade de problemas de saúde inesperados deve prepará-lo para “despesas excecionais”.

E agora – como encontrar o Basset Hound dos seus sonhos?

Decisão tomada – é um Basset Hound o eleito para partilhar a vida consigo! Mas onde encontrá-lo? Não se preocupe, pois existem inúmeros criadores (e de confiança) de Bassets na Europa. Antes de adquirir o animal, informe-se acerca dos cuidados médicos. O facto é que a visão de um pequeno Basset de olhinhos meigos e orelhas caídas derrete o coração de qualquer um em menos de nada, mas a compra deve ser feita com coração e mente em sintonia! Evite comprar a criadores irresponsáveis, isto é, aqueles que apresentam animais sem documentação, sem vacinas, etc. Nestas situações só estará a contribuir para o perpetuar do esquema, já que a oferta não funciona sem a procura. Quem sofre são os animais, ao serem multiplicados, tudo sem consideração pelas suas características e estado de saúde. Ao procurar um bom criador, assegure-se de que este é moderado nas ninhadas e não exagera quanto aos traços típicos das costas, das orelhas e da pele dos Bassets, pois só terão consequências negativas para os animais.

Na casa do criador, poderá não só conhecer o seu futuro animal de estimação, como também os progenitores e o ambiente no qual os cães são criados. Um criador responsável ficará mais do que feliz em responder a todas as questões sobre a saúde e a personalidade do cachorrinho, além das relativas aos seus objetivos como criador de Basset Hound. Além disso, o profissional quererá tomar-lhe o pulso, pois o que pretende é oferecer o melhor lar possível ao seu protegido. Na maior parte dos casos, finalizada a transação os criadores mantêm-se como bons pontos de contacto.

Se pretender adotar um Basset adulto, experimente fazer uma pesquisa na Internet. É natural que, uma vez por outra, surja alguma situação que impeça os donos de manterem o animal consigo. A vantagem é que se tratam de animais já educados, pelo que até os donos  mais inexperientes podem encontrar aqui um bom companheiro. Os antigos donos ou as famílias de acolhimento temporário podem habitualmente indicar-lhe se você e o animal farão uma boa equipa. Dever-lhe-á ser entregue um certificado de vacinação, os papéis relativos ao pedigree e, mais importante, o atestado médico. Alguns antigos donos entregam ainda à nova família do seu antigo protegido as embalagens da sua comida preferida e a sua mantinha predileta. Em canis e associações de proteção de animais é raro encontrar Basset Hounds pura raça, mas os Basset híbridos, não menos charmosos, procuram também um novo lar!

Uma vida repleta de brincadeiras na companhia do seu Basset são os nossos desejos!

Os nossos artigos mais relevantes

Rafeiro Alentejano

Está a pensar adotar um Rafeiro Alentejano? Conheça todas as características da raça e se é o cão indicado para si.

Yorkshire Terrier

Está a pensar adotar ou comprar um Yorkshire Terrier? Saiba qual é a sua personalidade, tipo de alimentação, cuidados de saúde e muito mais.

Labrador Retriever

Gosta de agradar, adora pessoas e é robusto: o Labrador Retriever é extremamente popular como cão de família.