Conselhos para passear o seu cão

mulher a fazer high five com cachorro golden retriever na relva durante passeio

A diversidade é um aspeto muito importante ao passear o seu cão.

Vamos à rua! Para os cães, os passeios diários com os donos são o ponto alto do dia. No melhor dos casos, os passeios são mais do que oportunidades de movimento e para tratar das necessidades (pequenas e grandes). Se os passeios forem variados, é possível combinar a atividade física e mental com treino e muita diversão. Leia este artigo e descubra os melhores conselhos para passear o seu cão.

Oito conselhos para melhores passeios

Façam atividades juntos em vez de simplesmente andarem lado a lado. Neste artigo, damos-lhe oito conselhos para passear o seu cão. Deixe que os passeios do costume se transformem em aventuras emocionantes para o seu patudo. 

Conselhos para passear o seu cão: as potencialidades da trela 

Vão pelo passeio e o seu patudo anda ao seu lado, aborrecido? Então, aproveite para o estimular com pequenas tarefas. Aqui incluem-se exercícios básicos como trocar o lado da trela a pedido do dono. Estes pequenos exercícios fortalecem a vossa relação. 

Vejamos outro exemplo: pare e coloque um snack debaixo da ponta do seu sapato. Então, o cão só o obterá quando o olhar nos olhos. É, assim, que consegue a sua atenção. 

Pode ainda utilizar os semáforos vermelhos para consolidar ordens como “Senta!” ou “Vamos!” ou para pequenos truques como “Faz adeus”. Aliás, deve  praticá-los em casa. Basicamente, para se divertirem com a trela é necessário ter uma coisa em mente: uma boa obediência é fundamental para um passeio descontraído. 

Ir buscar em vez de caçar

Se houver espaço suficiente, experimente incorporar o jogo de ir buscar nos vossos passeios. Mas se o patudo não voltar sempre até si ou se estiverem num parque com muita gente, o melhor é usar uma trela de treino.

Além do mais, este jogo é um excelente substituto da caça. Mas cuidado: com cães com forte instinto de caça só devem jogar de forma controlada, isto é, sem “caçar”. O cão só começará a correr quando a presa estiver deitada e isto requer alguma prática. Também nesta situação a trela de treino é útil.

Uma bolsa para snacks é apropriada para jogos de ir buscar, pois fortalece o trabalho em equipa. Assim, o seu companheiro aprende que só consegue aproximar-me da presa com a ajuda do dono. Porém, não atire paus nem pedras para o cão ir buscar, pois o animal pode magoar-se.

Usar o nariz: farejar e procurar

Sejam guloseimas ou brinquedos – deixe que o patudo os procure no bosque ou no campo. Se forem só vocês os dois, tem oportunidade de consolidar o “Fica”. Porque o cão tem que esperar até que tenha encontrado um esconderijo apropriado. Gradualmente, aumente o nível de dificuldade. Primeiro, esconda o brinquedo à beira do caminho, depois atrás de um tronco e, finalmente, num monte de folhas. Também pode esconder guloseimas pelo caminho. Numa fenda na parede ou na casca de uma árvore à altura do cão, por exemplo. Se o patudo encontrar os objetos escondidos, encha-o de elogios!

Por outro lado, se estiver outra pessoa consigo, pode esconder-se! A segunda pessoa segura no animal enquanto você avança e procura um esconderijo. Também neste caso vá aumentando o grau de dificuldade. Primeiro, não ande mais do que alguns metros e esconda-se no seu campo de visão. Se isto funcionar, pode, por exemplo, fazer a curva. Assim, o patudo transforma-se num praticante de mantrailing. Com o passar do tempo, consegue avaliar melhor a prestação do patudo quanto a estes exercícios.

Variações durante os passeios

Fazer o mesmo percurso todos os dias ao mesmo ritmo pode ser monótono. Isto não constitui um problema para o clássico passeio na vizinhança. Pois os cães têm muito que farejar no “seu território”.

Mas alguns patudos adoram quando têm a possibilidade de explorar novo território. Portanto, procure por percursos desconhecidos na sua área aos quais seja possível chegar de autocarro, comboio ou automóvel. Juntos, podem começar pequenas excursões.

O ritmo também varia para os cães saudáveis e adultos. Corridas ou passeios de bicicleta são também excelentes alternativas para cães desportistas. Porém, comece devagar para não sobrecarregar o patudo.

cão a segurar trela azul na boca © chalabala / stock.adobe.com
Ao passear o seu cão com trela, pode incorporar pequenos exercícios nos passeios.

Conselhos para passear o seu cão: natureza como um percurso de agility

Olhe à sua volta no bosque e no campo e verá que existem imensos pequenos obstáculos que se podem transformar em emocionantes desafios.

Por que não fazer uma corrida de slalom por uma fileira de árvores? Ou pode ensinar o seu patudo a dar a volta completa a árvores isoladas. Troncos caídos convidam a exercícios de equilíbrio e saltos. O treino do comando “Deitar” numa árvore caída é especialmente desafiante. Deixe-se levar pela sua imaginação.

Os percursos de ciclismo de montanha na mata são tentadores, mas tenha cuidado. Rampas e balancés são emocionantes para muitos cães mas é preciso pensar nos ciclistas atrás de vocês. Então, afaste-se mesmo antes de lho pedirem. Até os amantes de água irão encontrar desafios à altura na natureza, atravessando pequenos ribeiros, por exemplo.

Leia mais acerca da prática de agility com cães e também com cães pequenos!

Diversão na água durante os vossos passeios

A propósito de água: muitos cães adoram molhar-se. Pequenos ribeiros ou lagos são boas oportunidades para um pouco de diversão com água durante os passeios. Mas esteja atento e proíba-o de caçar patos e outros animais.

Durante a época balnear, deve respeitar as áreas onde não são permitidos cães. Já os rios podem ser perigosos quando a corrente é forte. Portanto, se não consegue prever o comportamento do seu cão nem avaliar bem a água, só o deve deixar entrar na água com a trela de treino. Durante os meses mais frios, há o risco de o animal se constipar. Cães jovens, seniores ou vulneráveis correm especial risco.

Encontros com outros cães: bom senso é fundamental

São muitas as pessoas com cães que querem proporcionar alguma vida social aos patudos. Então, é só soltar a trela e lá vamos nós? Nada disso! Na verdade, o seu cão só deve correr sem trela com outros cães com o consentimento dos respetivos donos. Se se derem bem, não há nada de mal em brincarem juntos num ambiente seguro.

Para tal, o animal deve estar habituado a responder à sua chamada. Assim, pode chamá-lo quando ciclistas, joggers ou grupos de crianças se cruzarem convosco. Se dois cães se cruzarem e ambos tiverem trela, o melhor é evitarem-se. Isto porque ao ar livre os cães não se aproximam de frente mas sim fazendo uma espécie de arco lateral.

Se o seu patudo se mostrar tenso nos encontros com outros cães, deve focar-se a treinar este aspeto. Esteja atento e recompense-o com uma guloseima assim que vir outro cão e antes de ladrar. É necessário alguma paciência. Então, passadas algumas semanas deixará de ladrar e, em vez disso, olhará para si com expectativa.

Conselhos para passear o seu cão: outros aspetos a ter em conta

  • No verão, o melhor é fazerem as vossas excursões de manhã e ao final do dia.
  • Além de sacos para as fezes e guloseimas, leve também água para o seu patudo na mochila.
  • Respeite a natureza, especialmente as áreas protegidas.
  • Alterne fases de maior concentração com passeios descontraídos.
  • Lembre-se: mesmo nas zonas mais densas de mata existem ciclistas, joggers e outros cães.
  • Dê atenção ao seu patudo – e não ao seu smartphone.
  • Correr sem trela só em ambientes seguros.
Os nossos artigos mais relevantes
3 min

Dog Dancing

O dog dancing consiste em ensaiar uma coreografia em conjunto com o seu cão, acompanhada de truques e música.