Agility com cães pequenos

Dê ao seu pequeno patudo a oportunidade de praticar desportos para cães.

Um desporto apenas para cães grandes? Nem pensar! Também os cães pequenos se podem divertir à brava com agility. Descubra se o seu patudo tem apetência para esta modalidade e quais os cinco fatores que deve ter em conta.

Agility – um desporto divertido que promove a relação cão-dono

A agility é, atualmente, um dos desportos para cães mais populares no mundo inteiro. Afinal, o treino para superar uma prova de obstáculos composta por túneis, balancés, pneus ou pinos de slalom sem cometer erros não só é divertido como fortalece a comunicação entre cães e humanos. Contribui, então, para uma coexistência harmoniosa no dia a dia.

Assim sendo, não é de estranhar que donos de cães pequenos se interessem cada vez mais por este desporto com origem em Inglaterra. Por outro lado, muitos donos de cães como o maltês, caniche miniatura ou terriers pequenos sentem alguma desvantagem quando é tempo de competir com border collies & companhia em circuitos de agility.

Os cães pequenos também podem participar

Quando pensamos em agility, veem-nos à cabeça imagens de border collies e de outros cães do mesmo tamanho e com gosto por correr. Não associamos, pelo contrário, terriers pequenos nem caniches miniatura a este desporto. Porém, também estes pequenos animais se podem divertir imenso com agility e superar obstáculos com rapidez e habilidade.

Felizmente, são já muitas as escolas para cães, associações e organizadores de competições que têm consciência disso! Oferecem cursos especiais e competições para os mais pequenos. A agility já não é um desporto só para adultos!

Muitos dos obstáculos são concebidos para cães pequenos.

Quais as raças de cães pequenos mais indicadas para a prática de desporto?

Em resumo, qualquer cão pode praticar agility, seja grande ou pequeno. Os últimos têm a vantagem de ser mais leves. E graças ao seu tamanho é raro desenvolverem problemas nas articulações. Assim, é também improvável que sofram de problemas associados à prática desportiva.

O mais importante na agility é a diversão. Além disto, o seu patudo deve gostar de balancés, túneis e por aí fora. Cães de colo, que preferem ser transportados de um lado para o outro, não são indicados para esta atividade.

Cães pequenos curiosos, que gostem de correr, de aprender coisas novas e de passar tempo com os donos, sentir-se-ão em casa nos treinos de agility. Entre as raças com estas características incluem-se o caniche miniatura, o pastor de Shetland, o Parson Russell terrier e os fox terrier de pelo e de pelo duro.

Nada de desportos para os Teckel?

Além da diversão, também a saúde tem um papel fundamental nos desportos para cães. Afinal, o exercício tem o objetivo de manter os cães saudáveis e em forma e não de lhes fazer mal. A prática de agility pode ser prejudicial para cães de dorso longo e pernas curtas e tortas. Os teckel e os basset hound, por exemplo, têm dificuldade em saltar com as suas perninhas tão curtas. Além disso, torcem demasiado a sua longa coluna vertebral ao superarem os obstáculos. Em suma, a agility não é ideal para cães com este tipo de anatomia.

Pura diversão ou treino de competição?

Se o seu cão miniatura tem um físico normal, está de boa saúde e gosta de se mexer, nada o impede de experimentar este desporto. São muitas as escolas para cães que oferecem cursos direcionados para cães pequenos.

A vantagem é que os obstáculos estão adaptados à sua altura e não precisam de ser trocados constantemente. Assim, cães de diferentes tamanhos podem participar no treino. Se uma ambiciosa equipa cão-dono tiver como objetivo participar em competições de agility, não tem que se preocupar com a possibilidade de competirem com cães de grande porte.

Ou seja, nas competições os cães são divididos em três categorias de tamanho - mini, midi e maxi. Cães com altura de ombros máxima de 34,99 cm concorrem na categoria mini. As barras de obstáculos terão 35 cm, no máximo. Assim, fica assegurado que cães com condições físicas semelhantes competem entre si e ainda que os obstáculos não são demasiado altos.

Cinco aspetos a ter em conta na agility com cães pequenos

Seja por diversão ou ambição desportiva: se pretende praticar agility com o seu patudo, certifique-se de que é a escolha certa e que o animal se diverte. Animais difíceis de motivar para um simples passeio não serão os maiores entusiastas deste desporto. No fundo, o objetivo é completar o percurso, correndo o mais depressa possível apenas com instruções de voz e sem trela.

O gosto pelo exercício é, então, um requisito básico para a prática de agility. Além da diversão, em agility com cães pequenos tenha em conta os aspetos mencionados a seguir.

Trixie Dog Activity - conjunto de obstáculos

  • Conjunto de obstáculos para o adestramento de cães. Inclui bolsa de transporte
  • Design que permite um treino versátil
  • Ideal para uso fisioterapêutico
  • O seu cão goza de boa saúde?

Como já referimos, o desporto deve ser divertido e não causar problemas de saúde. Assim, antes de iniciarem a prática de agility, assegure-se que não é prejudicial para a saúde do animal e que não agrava possíveis problemas nas articulações. Embora doenças como displasia da anca ou do cotovelo afetem sobretudo cães grandes, não significa que os mais pequenos não possam desenvolver problemas do sistema motor. Depois de uma avaliação, o veterinário está em condições de dizer se a agility é ou não segura para a saúde do seu cão.

  • Quando dar início ao treino?

Ainda que os cães pequenos não crescam muito, deve aguardar que o seu patudo se desenvolva totalmente antes de começar a treinar. Para os terriers pequenos, caniches ou maltês o esforço físico demasiado precoce pode ser prejudicial e provocar, no futuro, problemas articulares ou hérnias discais. Portanto, qualquer cão deve estar completamente desenvolvido. Já agora, só são aceites nas competições oficiais cães com 18 meses, no mínimo.

Seja túnel, balancé ou pneu - desde que o seu patudo se esteja a divertir tudo é permitido.
  • Os obstáculos são adequados ao tamanho do cão?

É de extrema importância que o equipamento desportivo, isto é, barreiras, pinos de slalom, túneis e balancés, se adaptem ao tamanho do cão. Para um pequeno pastor de Shetland não será tão divertido saltar por cima dos mesmos obstáculos usados para um pastor-alemão ou husky.

Hoje em dia existe toda uma gama de equipamentos de agility especialmente concebidos para cães pequenos. Escolas para cães que disponibilizam cursos para cães pequenos adaptam, claro, os obstáculos ao seu tamanho.

  • Aquecimento para os mais pequenos

Ainda que o seu patudo seja super ativo e queira começar de imediato o treino, deve assegurar-se de que o seu corpo está preparado para os sprints, curvas estreitas e saltos em altura.

Em agility, o animal tem que dar o seu melhor e isso não se consegue de repente. Um pequeno aquecimento antes do treino pode reduzir drasticamente o risco de lesões. São recomendados exercícios especiais de aquecimento ou uma pequena corrida desde o parque de estacionamento até à área de treino. No inverno, um casaco ajuda a estimular a circulação sanguínea e a manter o corpo do cão quente.

  • As pausas são importantes

Muitos cães pequenos não se cansam de estar em movimento e são grandes fãs de agility. Saltam incansavelmente por cima dos obstáculos, correm por cima dos balancés e através dos túneis. No fim do percurso, querem começar de novo! Apesar disto, como dono deve certificar-se que o cão não se esforça demasiado. Lesões motoras em consequência de esforços excessivos são, infelizmente, frequentes e devem ser levadas a sério. Assim, as pausas regulares e um treino estruturado são essenciais.

Desejamos aos dois muitas horas de diversão com a agility!

Os nossos artigos mais relevantes
3 min

Dog Dancing

O dog dancing consiste em ensaiar uma coreografia em conjunto com o seu cão, acompanhada de truques e música.