Analgésicos para gatos This article is verified by a vet

dono a dar comprimido à boca de um gato

Os analgésicos para gatos podem ajudar a aliviar vários problemas de saúde.

Os analgésicos para gatos são usados em casos de ferimentos, doenças orgânicas ou após cirurgias. Este artigo sumariza quais as substâncias ativas que podem ajudar o seu gato com tipos de dor específicos e o que deve ter em conta quando dá analgésicos ao seu gato.

Quando devo dar analgésicos ao meu gato?

Ainda que seja uma descoberta recente: os animais domésticos, como os cães e os gatos, sentem dor, tal como nós. Portanto, nas últimas décadas têm sido aprovados cada vez mais analgésicos em medicina veterinária, para aliviar a dor nos gatos.

Na Magazine da zooplus temos um artigo que explica como identificar a dor nos gatos.

Quando é que os analgésicos são úteis para os gatos?

São várias as áreas de aplicação em que a administração de analgésicos faz sentido. O veterinário pode prescrevê-los como parte do tratamento ou usá-los como método de diagnóstico.

Os analgésicos para gatos são sobretudo usados nos seguintes casos:

  • Dor aguda (súbita), logo após uma lesão, por exemplo
  • Dor crónica (prolongada), como em casos de artrose
  • Doenças de base que provoquem muitas dores, como cancro
  • Cirurgias: durante (perioperatório) ou após (pós-operatório)

Grupos de ingredientes ativos: quais os tipos de analgésicos que os gatos podem tomar?

Antes de administrar analgésicos, é importante saber que ingredientes ativos foram aprovados para gatos e quando é que faz sentido administrá-los. Normalmente, não há apenas um analgésico possível para cada caso. A decisão de optar por determinado ingrediente ativo depende de fatores individuais.

Os glucocorticoides não aliviam diretamente a dor, mas têm efeitos anti-inflamatórios e descongestionantes. Portanto, é por este motivo que são primariamente usados para doenças articulares degenerativas crónicas e inflamatórias, como artrite. Além disso, ajudam a aliviar a dor provocada por tumores.

Exemplos:

  • Dexametasona
  • Metilprednisolona
  • Prednisolona
  • Prednisona

Um opiode, também chamado analgésico opioide, é um analgésico poderoso para gatos. No entanto, os opioides também afetam o sistema circulatório. A força com que atuam depende do tipo de ingrediente ativo. É feita a distinção entre:

  • Agonistas puros,
  • Antagonistas,
  • Agonistas-Antagonistas ou
  • parcialmente Agonistas.

Os opioides são frequentemente usados em medicina veterinária para aliviar dor perioperatória. Existe uma particularidade nos gatos: opoides, especialmente o butorfanol, provocam hipertermia, pelos menos temporariamente.

Exemplos:

  • Buprenorfina
  • Butorfanol
  • Codeína
  • Fentanil
  • Morfina
  • Tramadol

Os não-opioides são divididos em diferentes tipos.

Agonistas-α2

Os agonistas-α2 são analgésicos que têm, entre outras coisas, efeitos sedativos, calmantes e hipnóticos. Os veterinários usam estes agentes durante cirurgias, pois intensificam os efeitos de anestésicos, como cetamina.

Comparados com outros analgésicos, os agonistas-α2 não são excessivamente analgésicos. Portanto, não devem usados sozinhos no tratamento de dores fortes.

Os gatos são muito sensíveis aos agonistas-α2 e reagem rapidamente vomitando.

Exemplos:

  • Dexmedetomidina
  • Medetomidina
  • Xilazina

AINE (Anti-Inflamatórios Não Esteroides)

Os AINE têm um efeito anti-inflamatório e calmante. São tipicamente usados para aliviar a dor durante cirurgias. Mas os AINE também pode ajudar em casos de problemas nas articulações ou dores agudas.

Os gatos reagem mais aos AINE do que os cães. Então, o risco de efeitos secundários é maior.

Exemplos:

  • Carprofeno
  • Meloxicam
  • Robenacoxib
  • Ácido tolfenâmico

Caso especial: Metamizol

O metamizol é um AINE especial que têm um efeito forte no sistema nervoso central. Ao contrário dos tradicionais AINE, o metamizol não chega a quaisquer zonas periféricas, como as articulações, os rins ou a mucosa gástrica.

Portanto, considera-se que este ingrediente ativo tem, geralmente, poucos efeitos secundários. No entanto, aditivos, como o fenol, podem provocar efeitos secundários nos gatos.

A substância ativa é indicada para tratamento da dor perioperatória e para combater dores graves em pacientes de alto risco.

Exemplos:

  • Novalgina
  • Preparações combinadas com metamizol (Buscopan Compositum)

Antagonistas dos recetores de NMDA

Esta classe de substâncias ativas é indicada para alívio da dor durante pequenos procedimentos cirúrgicos e dor somática. Estas dores são causadas, por exemplo, por queimaduras.

Exemplo: Cetamina

Os anestésicos locais são analgésicos que atuam a nível local. Portanto, permitem não sentir dor numa zona específica em redor do local da injeção.

O gato não deixa de estar consciente. Por este motivo, considera-se que os anestésicos locais têm poucos efeitos secundários.

Exemplos:

  • Bupivacaína
  • Lidocaína
  • Mepivacaína
  • Ropivacaína

Os anticorpos monoclonais são, essencialmente, uma novidade no mundo dos analgésicos. Só estão disponíveis para gatos desde 2021, sob a forma da droga Frunevetmab.

Diz-se que estas substâncias causam significativamente menos efeitos secundários do que outras classes de medicamentos, ao mesmo tempo que são eficazes no alívio da dor.

Ibuprofen, Paracetamol & semelhantes: posso dar ao meu gato medicação para humanos?

Quando os gatos mostram dor, a questão rapidamente se coloca: os analgésicos para humanos também são indicados para gatos? Só há uma resposta: nunca dê nenhum analgésico da sua farmácia ao seu gato.

Enquanto o ibuprofeno ou o paracetamol nos aliviam rapidamente as dores, estes medicamentos são altamente tóxicos para o seu gato. Mesmo em doses pequenas, os animais podem morrer ou sofrer lesões graves.

Remédios caseiros: podem usar-se como analgésicos para gatos?

O uso de remédios caseiros para aliviar as dores nos gatos também não é recomendado. A camomila, por exemplo, não ajuda a aliviar a dor nos gatos de forma controlada e segura.

Os analgésicos causam efeitos secundários nos gatos?

Se e que tipo de efeitos secundários os analgésicos provocam nos gatos é algo que depende de vários fatores. Portanto, a escolha do ingrediente ativo e da dosagem têm um papel especialmente importante. Os efeitos secundários mais comuns causados pelos analgésicos incluem:

Efeito secundário Exemplo de analgésico
Depressão respiratória Opioide
Queda da pressão arterial Anestésico local
Vómitos, diarreia e/ou salivação Agonistas-α2, Opioide, Metamizol
Paragem cardiorrespiratória Metamizol
Convulsões Cetamina, Anestésico local
Perturbação da função dos rins e fígado NSAID
Sedação Opioide

Nota: Embora os analgésicos tenham sempre efeitos secundários, se o seu gato estiver com dores é recomendável administrá-los sob as orientações de um veterinário.

Administração: o que ter em conta quando administra analgésicos

Como dono de um gato, existem alguns aspetos a ter em conta quando lhe administra analgésicos.

Não é fora do comum os gatos recusarem-se a tomar comprimidos. Ainda assim, é importante que o seu gato tome os comprimidos adequadamente, pois só assim a dor vai aliviar.

Como fazer com que o seu gato engula comprimidos:

  • Esconda o comprimido num snack que o seu gato goste especialmente. Pode ser, por exemplo, uma salsicha de fígado
  • Pergunte ao seu veterinário ou verifique na embalagem do medicamento se pode dissolver os comprimidos em água. Se sim, pode extrair a solução com uma seringa normal (sem agulha) e dar à boca do animal.

Mais dicas: Truques para dar comprimidos a gatos

Se se tornar demasiado perigoso: pare

Ainda que o seu gato seja habitualmente muito meigo, a dor pode transformar o gato mais doce num verdadeiro tigre.

Se o seu gato se continuar a recusar a tomar a medicação e existir o risco de tanto dono como animal se magoarem, deve deixar de lhe dar comprimidos. Converse com o veterinário sobre a melhor forma de lhe administrar a medicação.

gato com expressão agressiva
Quando um gato está com dores, comportamentos agressivos são uma reação possível.

Para o bem da saúde do seu gato, é fundamental prestar atenção à dosagem certa de analgésicos. Pois administrar ao animal a dosagem errada de analgésicos pode ter consequências graves.

Por um lado, ao não administrar analgésicos em quantidade suficiente ao seu gato é normal que a dor não seja aliviada como esperado. Porém, por outro lado, uma sobredosagem pode ter sérios efeitos secundários e, no pior dos casos, o animal pode sofrer envenenamento.

Portanto, a regra número um é: siga as instruções da bula farmacêutica e do seu veterinário.

O meu gato tomou demasiados analgésicos

Acidentalmente, pode dar ao seu gato demasiados analgésicos. Se assim for, é importante agir rapidamente e contactar o seu veterinário. O profissional de saúde pode avaliar se é necessário fazer o seu gato vomitar ou fazer-lhe uma lavagem ao estômago.

Vendem-se analgésicos para gatos sem receita?

De facto, vendem-se analgésicos para gatos sem receita. Mas, regra geral, tratam-se de analgésicos homeopáticos ou à base de plantas, cujo objectivo é aliviarem a dor.

Nota: Em comparação com medicamentos sujeitos a receita médica, estes analgésicos são mais fracos. No entanto, nunca dê medicação ao seu gato sem antes o discutir com o seu veterinário.

Fontes:


Franziska G., Veterinária
Profilbild von Tierärztin Franziska Gütgeman mit Hund

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
4 min

A idade dos gatos

Descubra neste artigo como determinar a idade dos gatos, quantos anos vive um gato, e com que idade é que um gato se torna idoso?