Pixiebob

Escrito por Natalie Decker
gato pixiebob com cauda e orelhas erguidas

A cauda curta é uma característica da raça pixiebob que lhe pode causar problemas na comunicação com outros gatos.

Cauda curta, pelo manchado, tufos de pelo nas orelhas: o pixiebob tem o aspeto de um pequeno lince. Mas a sua cauda curta coloca-lhe alguns problemas no dia a dia. Leia este artigo e conheça a história e características do gato pixiebob.

Aparência: lince em ponto pequeno

Que gato doméstico se parece com um lince? Uma breve pesquisa online dá-lhe a resposta: pixiebob. Também há quem escreva pixie-bob. De facto, esta raça de gatos faz lembrar um lince, sobretudo devido à sua cauda curta.

Além disso, tal como o grande gato selvagem, o pixiebob tem um físico robusto e musculoso. As fêmeas pesam, então, entre três a cinco quilos. Já o peso dos machos oscila entre os cinco e os sete quilos.

O pelo dos pixiebob é tipicamente manchado de cinzento e castanho. Já a sua pelagem de verão é um pouco mais curta, o que torna os padrões mais visíveis. A pelagem de inverno, por outro lado, é mais comprida, densa e mais afastada do corpo.

Aspeto selvagem e polidáctilo

A cabeça larga e convexa e as orelhas com tufos de pelo completam o aspeto selvagem desta raça de gatos. Os olhos dos pixiebob são dourados ou verdes.

Estes gatos podem herdar uma característica genética muito particular: as suas patas podem ter até sete dedos! Ou seja, a polidactilia é comum nos pixiebob. De facto, é a única raça em que o padrão de raça permite e admite a polidactilia.

pixiebob em cima de um móvel
Com a sua cabeça larga e em forma de pera e os tufos de pelo das orelhas, o pixiebob faz lembrar um lince.

Pixiebob e a problemática cauda curta

É indiscutível: o pixiebob é uma raça de gatos muito popular devido à sua aparência de lince. Porém, a sua criação é questionável e alvo de preocupação.

O motivo é a sua cauda curta, pois limita-lhes a capacidade de comunicação. Porque os gatos usam as suas caudas para se expressarem, entre outras coisas. Vejamos: uma cauda ereta com a ponta dobrada pode significar alegria ou excitação. Por outro lado, uma cauda rebaixada e eriçada é um sinal de medo. A cauda também tem um papel importante quando o gato corre e trepa.

Portanto, raças de gatos como os pixiebob foram deliberadamente privados desta importante característica física através de criação específica e orientada. Existem outras raças na mesma situação, como os manx, os cymric e os american bobtail.

Carácter: afeiçoado e carinhoso

Embora façam lembrar um lince selvagem em miniatura, os pixiebob são considerados brincalhões, carinhosos e afeiçoados. De facto, estes gatos gostam de se aninhar junto dos donos. Além disso, costumam dar-se bem com outros gatos, e muitas vezes até com cães.

Alguns pixiebob são especialmente comunicativos e miam bastante. Embora os sons que emitem se aproximem mais de chilros, assobios ou zumbidos. Os pixiebob são geralmente muito inteligentes e capazes de aprender. Portanto, os donos devem encorajá-los e desafiá-los com brinquedos para gatos apropriados.

Além disto, podem desenvolver ligações fortes com crianças. No entanto, deve dar-lhes tempo suficiente para se habituarem aos donos mais novos.

Ter e cuidar de um pixiebob: um gato ligado às pessoas e fácil de cuidar

Os pixiebob podem viver exclusivamente num apartamento, mas apreciam poder passar tempo num jardim seguro ou numa varanda protegida. Mas se não lhe é possível dar-lhe acesso ao exterior, devem passar bastante tempo juntos para o manter ocupado, idealmente todos os dias.

Fique a saber: os pixiebob são gatos muito ligados aos donos e ao seu território. Gostam de seguir os donos para todo o lado. Por outro lado, não se dão muito bem com mudanças.

Cuidados com o pelo: os pixiebob não exigem muitos cuidados

O pelo desta raça de gatos exige cuidados relativamente simples. No caso dos pixiebob de pelo curto, basta escovar-lhes o pelo uma vez por semana. Porém, são necessários mais cuidados se o pelo for comprido, sobretudo no inverno.

Relativamente à alimentação: cada caso é um caso. Pois uma dieta equilibrada depende de várias fatores, como da idade, nível de atividade e doenças crónicas, por exemplo.

Pode encontrar uma vasta seleção de comida para gatos na loja online da zooplus.

Saúde do pixiebob: a cauda curta é um fator de risco

Pouco se sabe acerca das doenças típicas dos pixiebob. Contudo, os dedos extra e, acima de tudo, a cauda curta, podem levar a problemas de saúde. O facto de terem a cauda curta está associado a limitações no movimento da vértebra cervical.

Aliás, têm-se observado mais doenças genéticas nos pixiebob, nomeadamente ao nível do miocárdio e do útero. Em suma, a esperança de vida desta raça é um pouco mais curta.

História da raça: origem do pixiebob

Esta é uma raça de gatos relativamente jovem e é oriunda dos Estados Unidos da América (EUA). Em meados dos anos 1980, a criadora Carol Ann Brewer deu início à criação orientada destes gatos domésticos com aspeto de lince e de cauda curta.

Durante muito tempo pensou-se que o pixiebob era o resultado do cruzamento do lince-pardo com um gato doméstico. Mas esta hipótese foi entretanto desmentida, pois não foram detetados vestígios do lince-americano nas análises ao ADN do pixiebob.

Também se pode descartar uma relação mais próxima com outros gatos selvagens, como o gato-da-selva e o gato-leopardo. Portanto, apesar do seu aspeto selvagem, o pixiebob é 100% um gato doméstico.

Aliás, esta raça deve o seu nome à gata Pixie (em português, fada), criada por Carol Ann Brewer, de quem todos os pixiebob "descendem". O sufixo "bob" vem de bobcat, o equivalente inglês do lince-pardo.

Desde 1998 que os pixiebob são reconhecidos como uma raça independente pela The International Cat Association (TICA).

Compra: quanto custa um pixiebob?

Sendo a sua criação questionável, não é fácil encontrar um pixiebob à venda. Mas se, ainda assim, quiser comprar um destes patudos, prepare-se para desembolsar entre 900 a 1500 euros.

Porém, um verdadeiro amigo dos animais não deve ceder à tentação e optar por uma raça diferente. Se quiser adotar um pixiebob, o melhor é tentar a adoção num gatil ou abrigo para animais. O objetivo é não alimentar o negócio de animais com problemas de saúde.

Conclusão: pixiebob, uma raça a evitar

A raça pixiebob é fascinante para muitos fãs de gatos, em parte devido à sua aparência de lince. Porém, a sua cauda curta é sinónimo de problemas de saúde, pelo que se desaconselha a sua compra.


Natalie Decker
Profilbild Natalie Decker (mit Pferd)

"A vida sem um Pug é possível, mas não faz qualquer sentido," disse Loriot. Eu concordo totalmente, mas acrescento: "A vida sem um cavalo, gato ou coelho é igualmente sem sentido.". Adoro todos os animais e tenho a enorme sorte de escrever sobre a minha paixão como autora freelance. Com os meus artigos espero chamar à atenção das questões sobre o bem estar animal e dar dicas úteis a todos os amantes de animais.


Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Bosque da Noruega

O bosque da Noruega conquista facilmente o coração de toda a gente graças ao seu aspeto selvagem e personalidade genuína.
11 min

Persa

Os gatos persas são das raças mais populares, antes de adotar um gato persa fique a saber: Que cuidados ter; Personalidade; Alimentação e muito mais.