Como mudar o tipo de alimentação do seu cão

Se mudar a alimentação do seu patudo deve ter atenção à sua reação

Mudar o tipo de alimentação do seu cão requer atenção e alguns cuidados. Quer os seres humanos, quer os patudos podem apresentar reações inesperadas perante uma nova dieta. Neste artigo explicamos como mudar a alimentação do seu cão de forma suave e evitar problemas.

Razões para mudar a alimentação do seu cão

Os especialistas não estão de acordo quanto à necessidade de alterar a dieta dos cães de forma regular. No entanto, é consensual que os nossos patudos não precisam de ter uma grande variedade de ingredientes no prato. Assim, se quiser mudar a alimentação do seu cão pode optar por dar variedades de sabores dentro mesma marca de comida. A maioria dos patudos habitua-se facilmente às diversas variedades pois a qualidade e a composição dos ingredientes variam pouco. No entanto, patudos com intolerâncias ou alergias alimentares podem ter problemas mesmo ao mudar de ração dentro da mesma marca. Para estes patudos a regra é quanto menos mudanças melhor. Ainda assim, existem situações em que mudar de alimentação é mesmo a melhor opção. Por exemplo:

  • Mudar para uma comida com valor nutricional superior
  • Alterar a comida para ir de encontro à fase de vida do seu patudo (cachorro, adulto, sénior)
  • O seu cão precisa de uma ração de dieta especial devido a problemas de saúde
  • Mudar de ração seca para comida húmida
  • Intolerância ou alergia aos ingredientes da comida habitual
  • Razões económicas
  • Indisponibilidade do produto habitual nas lojas

Dica: se o seu patudo estiver na idade de mudar de ração, procure a ração adequada dentro da mesma marca. Assim, é mais provável que o seu cão aceite bem a alteração.

Como fazer uma mudança suave?

A grande vantagem de mudar a alimentação do seu patudo de uma forma gradual e suave é dar tempo à flora intestinal para se habituar à nova comida. Assim, para introduzir a nova comida deve misturar cerca de um quarto da comida nova na habitual. Durante duas semanas aumente gradualmente a quantidade da nova comida até a substituição estar completa. Este método é igualmente útil para os patudos mais exigentes com os sabores. Ao introduzir a nova comida lentamente ele vai-se habituando e provavelmente aceita com prazer a alteração.

Faz sentido mudar gradualmente a comida do meu cão?

Muitos cães reagem mal à nova comida. Ainda que a longo prazo a nova comida traga mais vantagens. Por exemplo, se mudar de uma ração à base de cereais com baixa percentagem de carne para uma ração de melhor qualidade o seu cão pode apresentar sinais de intolerância como por exemplo, gases ou diarreia. Os donos observam a reação do seu patudo e concluem que ele não tolera bem comida sem cereais. A consequência é que a nova comida acaba por ser deixada de lado e o patudo volta à anterior.

No entanto, a conclusão dos donos está geralmente errada. O aparelho digestivo do patudo não está habituado à nova comida, reage mal e os donos precipitam-se. Os intestinos e flora intestinal precisam de algum tempo para se habituarem à nova comida. Assim, passado algum tempo o seu patudo vai comer sem problema a nova comida. Existem igualmente patudos que não apresentam nenhum sintoma ao mudar de comida. Mas mesmo com estes faz sentido fazer a alteração de forma gradual e planeada. Assim pode observar melhor as reações do seu patudo.

Quais são as possíveis consequências de uma mudança abrupta de comida?

Muitos cães não apresentam qualquer sintoma quando mudam de comida. Apesar disso alguns reagem mal a uma comida a que não estão habituados. As possíveis consequências são:

  • Flatulência
  • Evacuar com mais frequência – até cinco vezes por dia
  • Excrementos mais moles
  • Diarreia
  • Vómitos
  • Comichão
  • Recusa em comer

Se o seu patudo apresentar alguns destes sintomas por um período superior a duas semanas provavelmente ele não tolera a nova comida.

Atenção: Mesmo guloseimas novas podem causar mal-estar no estômago e intestinos. Se suspeitar que as guloseimas estão a provocar estes sintomas não as dê ao seu patudo. Em alternativa pode dar-lhe croquetes de ração seca ou snacks liofilizados que são muito fáceis de digerir.

Observe como o seu cão reage à nova comida

Posso dar ração seca e comida húmida ao meu cão?

Comida húmida ao almoço, ração seca ao jantar. Esta é uma boa combinação? Se o seu patudo reage bem a esta dieta, não há qualquer problema. Por vezes, as embalagens de comida desaconselham dar ao mesmo tempo estes dois tipos de comida, visto que o tempo de digestão é diferente. No entanto, cães saudáveis e sem problemas digestivos não se costumam importar. Pode também dar comida húmida e ração seca da mesma marca ao seu patudo. As marcas geralmente mantêm a qualidade dos ingredientes mesmo em variedades diferentes de comida e assim reduz a probabilidade de o seu cão apresentar algum sintoma. No entanto, na área da alimentação não existem regras fixas. Alguns cães toleram misturas, enquanto outros reagem mal.

Mudar de ração seca para comida húmida e vice-versa

Se decidir mudar a alimentação do seu patudo de ração seca para comida húmida ou o inverso, é aconselhável fazer a mudança faseadamente. Tal como descrito acima, a comida nova deve ser introduzida junto com a comida habitual em porções pequenas. Muitos donos querem proporcionar os benefícios destes dois tipos de comida ao seu patudo. Além disso, se o seu patudo estiver habituado aos dois tipos é mais fácil gerir situações como as férias. Pois geralmente os donos preferem dar ração seca nas férias. Se o seu patudo tolerar bem os dois tipos, pode por exemplo dar comida húmida ao almoço e ração seca ao jantar.

Há uma forma simples e eficaz de introduzir a ração seca na alimentação do seu patudo: use os croquetes da ração como recompensa quando treinarem juntos. No entanto, é importante ter em atenção a quantidade de comida que lhe dá. Assim, deve pesar de manhã a ração seca tendo em consideração a quantidade de comida húmida e distribuir as recompensas ao longo do dia.

Casos especiais: intolerâncias ou alergias

Se o seu patudo apresentar alguns dos sintomas descritos acima por um período longo, deve levá-lo ao veterinário. Nestes casos é importante encontrar a origem do problema. Assim, análises ao sangue podem ajudar a despistar alguma doença. Se o veterinário considerar que o mais provável é o seu patudo ter uma intolerância alimentar ou uma alergia, o passo seguinte é iniciar uma dieta de exclusão. Nestas situações é aconselhável dar ao seu patudo uma ração que contenha apenas uma fonte de proteína que seja até então desconhecida. Estas rações especiais costumam conter ingredientes exóticos, como por exemplo, carne de cavalo ou de cabra. Nestes casos deve seguir as instruções do seu veterinário.

No entanto, muitas intolerâncias desaparecem com rações de alta qualidade sem cereais. A alteração na dieta deve ser faseada e podem ser necessárias algumas semanas depois da mudança total para que os efeitos sejam visíveis.

Dica importante: muitos donos não se apercebem que os seus patudos não toleram bem a comida habitual. Cães com flatulência ligeira e que defecam três vezes ao dia podem beneficiar muito com uma comida melhor. A mudança de comida pode trazer efeitos surpreendentes e muito positivos.

Em que situações não é aconselhado fazer uma mudança faseada de comida?

Se o seu patudo estiver doente e o veterinário prescrever uma dieta especial a mudança abrupta de comida pode ser necessária. Naturalmente, tudo depende da doença do seu cão. Informe o veterinário se pensa que o seu patudo vai reagir mal à mudança de comida. Assim já saberá o que fazer se a mudança correr mal. É muito importante que os patudos doentes comam adequadamente e que não tenham diarreias ou vómitos. Perante a rejeição da comida nova a solução pode ser misturá-la com a comida habitual. No entanto, deve sempre ter indicações do veterinário sobre como agir nessa situação.

Os nossos artigos mais relevantes