O meu cão morde – o que fazer?

O que fazer se o meu cão morde?

Um cão que se mostre agressivo em relação a outros animais ou mesmo pessoas constitui um grande risco - especialmente se já tentou ou se efetivamente já mordeu outros cães ou mesmo uma pessoa. Neste artigo explicamos-lhe como agir se o seu cão morde. Antes de mais, porém, é importante deixar bem claro que a personalidade e a história de cada cão é diferente. Ou seja, não há uma solução universal para todos os casos.

Em primeiro lugar, lembre-se que um cão não morde por prazer. Regra geral, são atitudes que veem dando sinais desde há muito e, em muitos casos, baseiam-se em mal-entendidos na comunicação entre pessoas e animais. Para detetar estes sinais é conveniente pedir o auxílio a um treinador de cães. Em conjunto identificam as causas e evitam futuras agressões.

Aliás, não são raros os casos de cães pequenos ou dóceis que mordem porque os donos não levaram a sério a sua educação. Situações destas requerem uma reorganização a longo prazo por parte dos donos!

Segurança em primeiro lugar: o açaime

Em casos de comportamentos agressivos o importante é evitar o perigo. Por exemplo, um cão com potencial para morder deve usar o açaime quando está em público. Em casa, se necessário, tome algumas precauções. É fundamental que o cão se habitue ao açaime de forma positiva.

"O meu cão morde e é agressivo com outros cães"

Atitudes agressivas em relação a outros cães podem resolver-se pelos donos dos animais antes que a situação piore. Aos primeiros sinais de um encontro desagradável (rondar, rosnar) oriente o animal noutra direção, com determinação e calma. Se sabe que o seu patudo só é agressivo para com certos grupos de cães (machos, cães pastor) pode, então, evitar tais encontros. Planeie os passeios e converse com outros donos. Em simultâneo, é conveniente treinar o animal.

E o que fazer em caso de luta?

Em caso de luta, para os animais bem socializados esta não será mais do que uma luta de poder, sem intenção de magoar. Porém, mesmo estas lutas podem ter sérias consequências, em especial se as diferenças de tamanho forem significativas. Os ataques inesperados por cães com um comportamento social pouco normal são bem mais graves. Além disso, o cão atacado, afetado por esta experiência decisiva, pode, no futuro, reagir agressivamente em encontros com outros cães.

Regra básica: não intervir

Em nenhuma circunstância deve intervir se o seu cão morder ou for mordido. Assim, gritar ou bater com a trela só tornará o adversário mais agressivo, pondo-o a si, dono, em perigo. Além do mais, a tentativa de separar os cães pode piorar os ferimentos. Pode fazer sentido irritar os animais com um ruído forte (rebentar um saco de plástico, por exemplo) ou com água de uma garrafa para os separar em segurança e colocar a trela.

Se não consegue garantir que o seu cão não morde, não tem outra opção senão colocar-lhe o açaime. Certifique-se de que o animal consegue respirar sem problemas. Após o período de habituação, o açaime deixa de incomodar o animal. O dono sente-se, então, mais confiante, o que tem um efeito positivo no vosso treino em conjunto.

E se o meu cão morder e for agressivo com pessoas?

Já sabemos que são várias as causas possíveis para a agressividade dos cães. No entanto, é frequente o problema dever-se a uma fraca socialização e à insegurança ou medo associados. Em algumas raças de cães, o instinto de proteção pode ficar descontrolado, tornando-os perigosos.

É claro que erros a nível da educação podem encorajar ou mesmo fortalecer estes comportamentos. Isto é: se o patudo aprender que obtém o que quer quando ameaça ou belisca, seja sentar-se no sofá ou não ficar sem os brinquedos. Nestas situações, é aconselhável trabalhar-se a hierarquia, de preferência em conjunto com um profissional.

E quando há visitas?

Direcione as possíveis situações de perigo de forma positiva desde tenra idade (cachorros). Por exemplo, se o seu patudo for agressivo com convidados é boa ideia ordenar-lhe "Senta!" assim que a visita chega. Se correr bem, a visita pode dar-lhe uma guloseima.

Aos primeiros sinais de agressividade devem ser tomadas medidas de imediato. Trabalhe os básicos da obediência com o seu cão e ao mínimo sinal de uma atitude agressiva use um comando como "Não!". Se estes métodos não tiverem êxito, tente distrair o cão com um ruído forte e, assim, resolver a situação.

Transmita calma e serenidade - os cães apercebem-se imediatamente do nervosismo que sente, por exemplo, à aproximação de alguém a correr ou do medo de outro cão. Em consequência, a sua agressividade aumenta. Ao existirem problemas de hierarquia na família, sendo o animal agressivo com determinadas pessoas, é importante definirem uma abordagem comum. Na verdade, regras diferentes desorientam os cães.

Animais agressivos e dominantes devem dormir numa zona secundária da casa, pois locais estrategicamentos importantes, como próximos das portas, reforçam a sua alegada posição de líder. Pode ser útil excluir totalmente o cão de certas divisões. Deste modo, é mais fácil controlar a hierarquia de animais dominantes.

Lembre-se que um cão não pode constituir um perigo para os outros, nem mesmo durante o treino. Após um incidente com mordidelas é altamente recomendável procurar ajuda profissional de um treinador de cães.

Os nossos artigos mais relevantes