Os 10 truques mais populares para cães

ensine truques ao seu cão

Dar a pata, levantar-se nas patas traseiras e estender as dianteiras ou apanhar um snack no ar? Ao aprender os 10 truques deste artigo tudo isto será possível e você e o seu cão serão as estrelas. E o melhor é que estas habilidades não só entusiasmam a audiência, como desafiam o animal física e mentalmente. Por outro lado, a prática destes truques fortalece a relação animal-humano.

Quando, a partir de uma ordem, um cão gira em círculo ou acena com a pata, as expressões de encanto e os aplausos entusiásticos estão garantidos. Porém, mais importante do que a admiração da audiência é como o seu cão se sente com tudo isto. Felizmente, a maioria dos cães é, por natureza, bastante curiosa – querem estar ocupados e adoram estar em boa forma. E tudo valerá ainda mais a pena se for incluída uma recompensa, como uma guloseima ou uma carícia de reconhecimento do dono.

Diversão: o mais importante

Sabendo que a prática de truques é bastante benéfica para a relação entre cão e dono, é comum alguns donos estabelecerem objetivos demasiado ambiciosos. Antes de dar início aos treinos é importante ter presente que nem todos os truques são apropriados para todos os cães. Embora a maioria dos cães apresente uma certa disposição para aprender – especialmente se as “aulas” vierem acompanhadas de recompensas –, o seu tamanho, constituição física e peso podem impedi-los de praticar determinados truques. Além do mais, os cães, tal como nós, têm preferências individuais; por exemplo, se o seu patudo não gostar de se deitar de costas, não deve incentivá-lo a rebolar e, ainda, se não gostar de saltar, esqueça o “apanhar a guloseima no ar”.

 

O pressuposto fundamental para a prática de truques com o seu cão é a diversão de ambos. A verdade é que o sentimento de realização os atingirá bem mais depressa se o prazer for o vosso foco, ao invés de praticarem um exercício obstinadamente, enquanto o patudo preferia estar enroscado na sua manta.

A jornada é o objetivo

Praticar os truques deve constituir uma experiência positiva para o seu cão. A pressão e a severidade não fazem parte da equação dos treinos. Seja cuidadoso e pratique os truques passo a passo. Seja paciente com o animal e respeite o seu ritmo de aprendizagem. Estes conselhos não significam que deve desistir se o animal não participar no truque ou caso este último não resulte de imediato. Por vezes, o cão precisa de algum tempo para entender o que o dono pretende dele. É essencial que observe o animal atentamente e aprenda a interpretar o seu comportamento. Se, por exemplo, se mostrar desmotivado, o melhor a fazer é dar o treino por terminado e continuar noutra altura – com o tempo irá aperceber-se facilmente se o cão tem vontade de continuar ou se já está com a mente noutra atividade. É, então, fácil concluir que a prática de truques contribui para o melhor entendimento do seu patudo. Ao mesmo tempo, o animal ganha confiança no dono, pois este responde às suas necessidades. Concluindo: o verdadeiro sucesso de um truque não está na execução perfeita de uma acrobacia, mas sim no período de treino em conjunto. Um treino consistente e progressivo e os pequenos sucessos alcançados, promovem a autoconfiança e fortalecem os laços entre si e o seu patudo.

Como motivar o seu cão para os truques

Confiança mútua, fiabilidade e ordens inequívocas constituem os pilares fundamentais para uma educação bem-sucedida – e o mesmo se aplica à prática de pequenos truques. Porém, cativar o animal para as regras e para os truques requer um pouco mais de esforço. Embora o desejo para agradar faça parte da natureza de algumas raças de cães, estes animais são, no fundo, egoístas, sabendo que os comportamentos desejados lhes trarão muitos benefícios, ao passo que os indesejados serão ignorados ou até penalizados. No caso de outras raças, conhecidas por serem obstinadas, é possível observar como interpretam a execução de uma ordem, isto é, se lhes trará algum benefício ou não.

Êxitos associados a recompensas

A técnica de anseio por elogios pode ser aplicada ao treino dos truques. A verdade é que os cães optam pelo caminho que lhes promete os melhores resultados, ou seja, se prevêem a existência de uma recompensa após um exercício bem-sucedido, estarão, naturalmente, motivados para participar. Reforços positivos na forma de guloseimas, de mimos ou de um brinquedo muito ansiado aproximarão dono e cão do objetivo mais depressa e com maior confiança do que a adoção de uma postura de penalização perante um exercício mal concluído. Assim, as recompensas devem ser oferecidas imediatamente a seguir aos sucessos, para que o animal entenda que tipo de comportamento é desejável e lhe dará acesso aos esperados elogios. Os cães vivem no momento presente, associando a reação do dono com a situação atual. É também importante finalizar cada sessão de treino com um sentimento de concretização – ao notar que determinado exercício ainda sobrecarrega demasiado o animal, o melhor é recuar uns passos e dirigir-lhe uma ordem que este consiga executar com segurança e recompense-o por isso. Só depois disto é que deve dar o treino por finalizado. E o animal manter-se-á bem-disposto e com vontade de continuar.

Antes de dar início ao treino...

Para que a prática dos truques que lhe apresentamos neste artigo seja bem-sucedida, é fundamental que o animal domine os comandos básicos, como “Senta” ou “Aqui”. Apenas dê início aos exercícios quando o seu patudo responder com segurança a este tipo de ordens. Por outro lado, certifique-se que escolhe o período ideal para dar início ao treino conjunto – se o cão estiver cansado ou com fome não demonstrará grande interesse pelos truques. Mesmo após as refeições é importante o animal usufruir de uma hora de descanso para a digestão. Descansado e alimentado, acompanhará o treino com entusiasmo.

Os 10 truques mais populares

Dar a patinha

O clássico dos clássicos, e também a base para muitos outros truques, é dar a pata. Embora este truque seja comparativamente fácil de aprender, ainda assim será necessária alguma paciência (e algumas guloseimas) até que o animal responda à sua ordem com confiança, oferecendo ambas as patas.

  • Vamos lá começar: lance o comando “Senta!” e ajoelhe-se ao lado do cão. Com a sua mão, erga uma das patas do animal e enuncie, de forma inequívoca, a ordem “Dá a pata”. Repita este processo até que o cão erga a pata por si mesmo logo que o comando é enunciado. Recompense-o de imediato com uma guloseima. Em alternativa, pode esconder a guloseima desde o início na sua mão e mantê-la próxima da cabeça do animal – este irá tentar chegar perto da mesma, usando, muito provavelmente, a sua pata. Ofereça-lhe a recompensa e diga com clareza “Dá a pata”. Com o passar do tempo, o seu patudo terá interiorizado o exercício de tal forma que levantará a patinha logo que o dono disponha a mão aberta à sua frente.

“Dá cá mais cinco” e acenar

Dar mais cinco ou, designações mais comuns, high five ou give me five, é um comportamento bastante casual para nós, humanos, não se restringindo ao mundo do desporto, sendo uma expressão de êxitos partilhados. Não é de estranhar então que este truque se tenha vindo a tornar bastante popular também entre os cães. Se o seu patudo já está à vontade no truque anterior, dar a pata, certamente lhe irá ensinar este movimento com rapidez.

  • Vamos lá começar: erga a mão na vertical (e não na horizontal, como no exercício anterior) e enuncie o já nosso conhecido comando “Dá a pata”. Logo que o animal levante a pata, ofereça-lhe uma recompensa. É normal se ao início o seu patudo ficar um pouco confuso, já que o está a recompensar sem que tenha colocado a pata na sua mão. À medida que avançam na prática, irá habituar-se ao novo exercício, e logo que tenham estabelecido uma rotina deve introduzir a nova ordem - “Dá cá mais cinco” ou “High five”.

 

Com a execução mais fluida do exercício pode experimentar fazê-lo à distância, isto é, vá-se afastando cada vez mais do animal até que, a certa altura, este não lhe consiga tocar na mão ao levantar a pata. Recompense-o logo que erga a pata e este irá compreender que este gesto é suficiente. Quando estiverem mais afastados, volte a erguer a mão na vertical em jeito de cumprimento e o seu patudo irá “acenar-lhe” com a patinha.

“Sentar e pedir”

“Sentar e pedir” é um exercício muito popular e consiste no facto de o cão se sentar nas patas traseiras e erguer as dianteiras. Para tal, o animal transfere o peso para trás e até que encontre o equilíbrio nesta posição pode, dependendo das suas habilidades, demorar algum tempo. É importante que durante o treino deste truque o cão se sente na parte posterior do corpo – se ficar de pé não está a concretizar o exercício devidamente.

 

  • Vamos lá começar: tal como nos dois truques anteriores, a primeira parte do exercício consiste em fazer com que o animal se sente. Guie o cão junto a uma parede e enuncie a ordem “Senta!”. Idealmente, este irá sentar-se com as costas encostadas à parede – assim, conseguirá encontrar o equilíbrio, evitando que se levante, um gesto que será contraproducente, já que terá de se sentar novamente. De seguida, mostre-lhe uma guloseima e guie-a, com a mão, por cima da cabeça do animal. Atenção: não deve fazê-lo demasiado alto, ou o patudo pôr-se-á de pé. Logo que o cão se endireite e erga ligeiramente a pata para alcançar a guloseima, enuncie o comando “Senta e pede!” e recompense-o com o snack. Caso o cão se ponha de pé, repita o comando “Senta!” e guarde a guloseima até que este eleve apenas as patas dianteiras.

Sapateado

Este exercício deriva da modalidade dog dancing. O dono coloca-se de frente para o cão e, alternadamente, ergue a perna direita e a esquerda. De forma sincronizada, o animal ergue também a pata direita e a esquerda. Parece então que animal e dono estão a marchar em conjunto no mesmo sítio.

 

  • Vamos lá começar: a realização deste truque requer uma condição prévia – o domínio da ordem “dar a pata”. Dê a ordem para o animal se sentar e coloque-se à sua frente. Agora, ao pedir ao cão que dê a pata, erga a sua perna direita ao invés da mão. Os cães que já interiorizaram esta ordem irão instintivamente erguer a pata, além de se orientarem a partir da sua perna. Por outro lado, se o cão se mostrar desorientado e não seguir a ordem, ajude-o colocando a sua mão estendida sobre a sua perna. Elogie-o logo que eleve a pata ao mesmo tempo que você ergue a perna e ofereça-lhe uma pequena guloseima. De seguida, repita o exercício, mas erguendo, desta vez, a perna esquerda – o animal deve também levantar a outra pata. Pratiquem o exercício várias vezes e torne-se mais exigente na oferta da guloseima, isto é, recompense-o apenas quando repetir por duas, quatro e seis vezes seguidas a elevação alternada da pata em relação à sua perna.

Derruba!

Este truque tem duas fases: em primeiro lugar, o animal toca num objeto com a pata e, depois, derruba-o. Dominando estes movimentos, é possível ensinar-lhe, por exemplo, a fechar portas com a patinha.

  • Vamos lá começar: coloque um objeto com interesse (uma garrafa de plástico ou um peluche, por exemplo) numa divisão da casa e chame a atenção do seu cão para tal. Aguarde para ver o que acontece. Se o animal se aproximar do objeto e o tocar com a pata, elogie-o exaustivamente e recompense-o com uma guloseima. Repita o processo, apontando para o objeto e felicitando o patudo assim que lhe tocar com a pata. No dia seguinte, experimente ampliar o exercício e acrescente a ordem “derruba” - a partir de agora, assim que o cão tocar no objeto, diga “Derruba!”. Passados alguns dias, este comando estará de tal modo consolidado que o patudo irá reagir se o dono apontar para outras coisas no apartamento e enunciar a ordem.

 

Para o ensinar a fechar portas, aponte para a porta da divisão onde se encontram e diga “Derruba!”. Quando o seu patudo tocar na porta com a pata, recompense-o. Para se certificar que efetivamente fecha a porta, enuncie o comando “Derruba! Fecha a porta!” e recompense-o apenas quando tocar na porta com força suficiente para a fechar. Gradualmente, aumente a distância que o separa da porta até que baste apontar para a mesma a partir do sofá ou da mesa e dizer “Derruba! Fecha a porta!”.

Rolar

Com este truque o objetivo é o cão rolar uma vez sobre as costas, voltando à posição inicial. Tendo em conta que alguns cães não apreciam particularmente deitar-se de costas, este exercício requer particular destreza e um pouco de paciência. E, claro, excelentes motivadores serão os snacks preferidos do seu cão e aos quais raramente tem acesso.

  • Vamos lá começar: respondendo ao seu comando, o animal está sentado à sua frente, com a zona posterior do corpo e ambos os cotovelos a tocar no chão. Segure a guloseima especial que selecionou para este exercício em frente ao seu nariz, de modo a tocar-lhe no focinho, mas sem que a consiga comer. De seguida, guie lentamente a mão de modo a que o animal incline a cabeça para trás e direcione as costas para o chão. O animal irá seguramente tentar alcançar a guloseima com o focinho, e, no melhor dos casos, virar-se de imediato. Caso o patudo hesite em deitar-se de costas encoraje-o, apoiando-o para alcançar a posição desejada.

Rastejar

Não deixa também de ser divertido observar os cães dobrados a rastejar junto ao chão, tocando-lhe com a barriga, e lentamente a regressar à posição inicial. No entanto, serão necessárias algumas sessões de treino até que o seu patudo domine este truque – a verdade é que rastejar é um movimento que não faz parte da locomoção natural dos cães.

  • Vamos lá começar: enunciado o respetivo comando, o animal senta-se e o dono ajoelha-se a seu lado. Suavemente, coloque uma mão por detrás das suas costas e com a outra segure uma guloseima à frente do seu focinho; lentamente, afaste a mão e aproxime-a do chão. Caso o animal se queira levantar com a intenção de seguir a guloseima na sua mão, empurre-o com cuidado na direção do chão. Enuncie a ordem “Rasteja!” ou outra semelhante. Assim que o patudo rasteje, ainda que ligeiramente, para a frente, elogie-o e dê-lhe a guloseima. Repita o exercício até que o animal responda à sua ordem e rasteje. Quando, passados alguns dias, o cão controlar estes movimentos, já não precisa de manter a mão por detrás das suas costas e experimente ainda sentar-se a alguma distância dele. Segure o snack perto do chão e dê a ordem – assim que o animal rastejar, recompense-o; se tentar levantar-se, diga “Senta!” mais uma vez. Felicite-o com a recompensa assim que execute o exercício completo.

Rodar

O intuito deste truque é que o seu patudo rode sobre o seu próprio eixo – para a esquerda ou para a direita. Este movimento é pouco familiar para alguns cães, mas ao darem conta que há uma recompensa associada, é com motivação que se dedicam ao exercício.

 

  • Vamos lá começar: coloque-se em frente do seu patudo e segure uma guloseima perto do seu focinho (à semelhança do que é feito no exercício “Rolar”). Mova agora a mão num movimento circular por cima da sua cabeça e até às suas costas, obrigando o cão a mover-se também num círculo para acompanhar a mão. Enuncie então uma ordem apropriada, como “Vira-te” ou “Roda”. Assim que o animal girar sobre o seu próprio eixo, recompense-o. Repita o exercício até ao ponto em que o cão o domine à distância – para tal, vá-se afastando gradualmente do seu patudo até que este gire sobre si mesmo apenas a partir da observação do movimento circular da mão do dono e da sua ordem.

Slalom pelo meio das pernas

Semelhante a alguns dos truques anteriores, como sapatear ou rodar, o slalom pelo meio das pernas constitui um exercício bastante popular na modalidade de dog dancing. E acreditamos que mesmo os animais menos entusiastas relativamente a passos de dança irão gostar de executar este truque. Porém, é fundamental que o cão o alcance, no máximo, até à altura do joelho – de outro modo, não estará seguro enquanto se move e o animal passa pelo meio das suas pernas.

hund slalom durch die beine
  • Vamos lá começar: coloque-se ao lado do seu cão e numa posição avançada em relação ao mesmo. Se o animal se encontrar à sua direita, é a sua perna esquerda que deve estar à frente. Nesta posição, segure um snack com a mão esquerda no meio das pernas, aproximando-a o mais possível do chão, e conduza a mão para a esquerda. Com a guloseima em mente, o cão certamente irá seguir a direção da sua mão e orientar-se, passando pelo meio das suas pernas, para o lado esquerdo. De seguida, dê um passo em frente com a sua perna direita e faça a mesma sequência de movimentos para o outro lado. Dê, por exemplo, a ordem “Passa!”, “Slalom” ou “Zig zag”.Inicialmente, deve recompensar o animal de imediato, para que este não perca a motivação. À medida que vão executando o exercício, experimente, de forma gradual, dar mais passos e manter o slalom até o premiar. Assim que o patudo assimilar a regra, levará os treinos até ao fim sem precisar de recompensas.

Apanhar e equilibrar uma guloseima

Este truque promete muita ação e olhares deslumbrados dos espetadores. Porém, não é especialmente fácil de executar, pelo que requer alguma habilidade da parte do seu cão, além de bastante paciência e algum know-how da parte do dono até que o exercício seja finalizado na perfeição.

 

  • Vamos lá começar: o primeiro passo é treinar a capacidade de apanhar do seu cão. Para tal, atire uma guloseima na direção do seu focinho e dê uma ordem como “Apanha!” ou “Pega!” e, por reflexo, o patudo irá tentar apanhá-la. Por outro lado, se o snack cair no chão, seja rápido e apanhe-o antes de o cão o fazer. À medida que os treinos avançam, afaste-se e lance a guloseima um pouco mais para a direita ou para a esquerda, motivando o patudo a saltar para a apanhar.

Para tornar esta demonstração ainda mais fantástica, pode acrescentar um segundo passo – treinar o equilíbrio dos snacks. Segure cuidadosamente com a mão o focinho do seu patudo e coloque, com a outra mão, uma guloseima no nariz dele. Dê uma ordem adequada, como, por exemplo, “Segura!” ou “Direito!” e calmamente afaste a mão sem que o snack caia do nariz. Se o animal conseguir manter a cabeça quieta durante um momento e equilibrar a ansiada guloseima no nariz, recompense-o de imediato. Assim que o cão domine ambos os passos, é chegado o momento de combinar os dois. Para tal, coloque a guloseima no nariz do animal e enuncie a ordem destinada ao equilíbrio; de seguida, diga “Apanha!”, altura em que o patudo tentará alcançar o snack no nariz com um salto. Este truque requer, naturalmente, muito prática e paciência até funcionar. O nosso conselho: seja paciente e incentive o cão a tentar repetidas vezes; caso não esteja a dar certo, retroceda e volte a insistir no treino dos dois passos isoladamente.

E os truques não se ficam por aqui...

Há um elemento em comum entre todos estes 10 truques – todos têm por base um princípio semelhante: há uma ordem clara, um gesto explícito e uma recompensa no final. Esta última é muitas vezes uma guloseima, mas um brinquedo que desperte a atenção do patudo também pode funcionar. Ao compreender o esquema inerente à aprendizagem dos truques e depois de aprender a motivar o seu cão será capaz de praticar muitos mais truques em conjunto, tais como saltar pelo meio dos seus braços ou responder a ordens como “Bang!” e cair, fingindo de morto. Por fim, não nos esqueçamos de truques particularmente úteis, como “Traz os chinelos” ou “Vai buscar a trela!”, e que poderá ensinar, com alguns treinos, ao seu companheiro de quatro patas.

 

Divirtam-se a treinar em conjunto!

Os nossos artigos mais relevantes

Como educar um cachorro

Deve começar cedo a educar o seu cachorro e aproveitar o facto de serem curiosos para ensiná-los de forma divertida mas consistente.