Saúde óssea nos gatos

Saúde óssea nos gatos

Ossos e articulações saudáveis são essenciais para um pequeno caçador como o gato. Porém, o que nos parece óbvio pode, infelizmente, não o ser. A saúde óssea nos gatos pode ser afetada não só pela idade e por lesões como por uma má alimentação e doenças, que causam inflamação e danos a longo prazo

O esqueleto do gato

O esqueleto do gato é constituído por mais de 230 ossos, número que varia de acordo com as vértebras caudais. Em resumo, são aproximadamente mais 38 ossos do que os do esqueleto humano! A sua coluna flexível é composta por sete vértebras cervicais, 13 vértebras torácicas, sete vértebras lombares, três vértebras sacrais e entre 20 a 23 vértebras caudais. Ao contrário dos humanos, a clavícula não está unida ao esqueleto, o que proporciona ao gato uma enorme capacidade de movimento. Não é de espantar, então, que se consigam equilibrar com tanta elegância em cima das vedações mais estreitas!

Como caçador furtivo, o gato não está vocacionado para corridas longas, mas sim para sprints curtos e saltos. E a prova disso são as suas fortes pernas traseiras. As articulações são extremamente flexíveis, sobretudo a coluna. Durante uma queda, um gato consegue girar totalmente com a ajuda da cauda para pousar sobre as patas. Assim, o risco de lesões é reduzido. Em quedas do género, as suas articulações estão protegidas pela cartilagem elástica. Esta serve como amortecedor que atenuam a forte pressão e a sobrecarga. Tal função é facilitada pelo viscoso líquido sinovial, que idealmente deve revestir por completo a cápsula articular.

Como reconhecer problemas ósseos nos gatos?

Como pequeno caçador, o gato depende de ossos e articulações saudáveis. Um gato são move-se de forma harmoniosa, quase fluida. Tudo graças à interação perfeita entre articulações, músculos e estímulos nervosos.

No entanto, a convivência com os humanos trouxe consigo um estilo de vida cada vez mais sedentário e uma dieta nem sempre apropriada. Infelizmente, a alimentação tem muitas vezes um efeito negativo na saúde óssea dos gatos. Além disto, assiste-se à redução do acervo genético através da criação seletiva e as consequentes doenças hereditárias. Nos gatos mais velhos, a produção de líquido sinovial reduz-se a pouco e pouco. As cartilagens não são abastecidas com sangue, o que tem, então, um grande impacto na capacidade de cura após as lesões.

O primeiro sinal de alerta para problemas nos ossos e articulações é a liberdade de movimento reduzida. O gato tem dificuldade em saltar, e até mesmo em agachar-se na caixa de areia. A sua marcha torna-se rígida, podendo mesmo coxear. Os gatos têm uma enorme tolerância à dor. Porém, o animal pode mostrar-se tenso ou miar de dor.

Saúde óssea nos gatos: e se houver uma lesão óssea?

Esses sintomas podem ser causados por lesões graves causadas por saltos a partir de grandes alturas. Não devemos pôr de parte esta possibilidade, sobretudo em gatos de exterior! Em caso de dúvida, consulte o veterinário. Um osso partido pode causar danos irreparáveis no tecido adjacente.

As lesões graves nem sempre são as causas do mal-estar. As doenças agudas ou crónicas dos ossos e das articulações são mais comuns.

Doenças do sistema ósseo

As doenças mais comuns do sistema ósseo dos gatos incluem as chamadas "doenças articulares degenerativas". O doloroso desgaste das articulações é mais frequente nos gatos seniores. Porém, tanto a obesidade como lesões prévias representam riscos para a saúde óssea dos gatos.

Artrite:

O desgaste das cartilagens torna o líquido sinovial mais fino. O tecido irrita-se e desenvolve-se artrite. A letargia repentina é o sintoma mais típico. Gatos que sofram de artrite têm, então, problemas em levantar-se e andar, sobretudo depois de um período de descanso. Assim que se começam a mexer, a dor diminui.

Artrose:

A artrose é uma forma degenerativa da artrite. Após uma inflamação por trauma ou uma inflamação das articulações como a artrite, o corpo forma tecido conjuntivo e ósseo à volta da articulação inflamada. Estas alterações limitam ainda mais a mobilidade.

As dores crónicas e as limitações de mobilidade têm um grande impacto na qualidade de vida dos gatos. Assim, o tratamento das doenças articulares foca-se sobretudo em preservar a função das articulações e controlar a dor decorrente. Pode fazer-se através de fisioterapia, suplementos alimentares e medicamentos anti-inflamatórios, entre outros. Por outro lado, modalidades de tratamento alternativas também se revelam bem-sucedidas. Procure o conselho do seu veterinário!

Saúde óssea nos gatos: como prevenir problemas de ossos nos gatos?

Um estilo de vida saudável tem um papel importante para uma boa saúde óssea e é a melhor forma de prevenção contra doenças dos ossos e das articulações. Assim, uma dieta saudável, equilibrada e muito exercício físico são fundamentais. Se o seu patudo sofre com dores quando se mexe ou se já sofreu lesões ósseas ou articulares, é boa ideia apoiar precocemente estas duas funções. Suplementos alimentares com nutrientes que suportam as articulações, como as glucosaminas e os ácidos gordos omega 3 e 6, estão, muitas vezes, disponíveis sem receita. Produtos com extrato de mexilhão de lábios verdes da Nova Zelândia são especialmente populares. Estes contêm uma combinação natural de glucosaminas, ácidos gordos omega 3, aminoácidos, vitaminas e minerais que apoiam as articulações a longo prazo.

Desejamos as maiores felicidades para si e para o seu gato!

Os nossos artigos mais relevantes
4 min

A idade dos gatos

Descubra neste artigo como determinar a idade dos gatos, quantos anos vive um gato, e com que idade é que um gato se torna idoso?