Alopecia psicogénica felina This article is verified by a vet

gato branco a lamber a pata devido a alopecia psicogénica felina

Gatos stressados conseguem arrancar os próprios pelos com as suas línguas ásperas.

Os gatos adoram usar a língua para cuidar do próprio pelo. E investem imenso tempo nesta tarefa - até quatro horas por dia. Mas e se este instinto natural para a limpeza aumentar patologicamente? Se for o caso, o seu gato pode ter desenvolvido uma doença comportamental: alopecia psicogénica felina.

Definição: o que significa "alopecia psicogénica"?

A palavra "alopecia" significa queda de cabelo ou de pelo. Uma variante especial deste problema é a alopecia psicogénica. Trata-se de um comportamento anormal ou distúrbio obsessivo-compulsivo nos gatos. Neste caso, os gatos sob stress lambem tanto o pelo que algumas zonas do corpo acabam por ficar carecas.

Causas: o que desencadeia este transtorno comportamental?

As causas da alopecia psicogénica não são físicas, mas sim psicológicas. O stress tem um papel bastante importante aqui. Normalmente surge quando se dá alguma alteração no ambiente do gato.

Apresentamos-lhe alguns exemplos de situações que podem causar stress nos gatos:

  • Alterações no ambiente: mudança de casa ou alterações no espaço do animal (aquisição de móveis novos, por exemplo).
  • Solidão e tédio: é habitual o gato ficar completamente sozinho, ter poucas atividades e/ou sofrer de dor de separação quando o dono não está em casa.
  • Novos membros na família: teve um filho, tem um novo companheiro ou adotou outro animal doméstico.
  • Raras oportunidades de retiro: o animal não tem um refúgio para onde se possa retirar.
  • Conflitos com outros animais: conflitos territoriais com outros gatos ou animais podem ser stressantes.
  • Alterações na alimentação: troca repentina da comida habitual do gato por uma nova variedade.

Sintomas: reconhecer a alopecia psicogénica felina

É possível reconhecer a alopecia pelas típicas zonas sem pelos no corpo do animal, provocadas pela higiene excessiva. Por norma, as áreas afetadas são as de fácil alcance com a língua. São sobretudo as zonas do estômago, patas ou coxas internas.

As zonas carecas nem sempre se mantêm secas e impercetíveis. A áspera língua do gato é habitat para numerosas bactérias. Com as lambidelas, estas bactérias podem penetrar na pele.

Resultado: a pele fica inflamada e secreta fluidos. Além do mais, pode inchar e apresentar vermelhidão. Em casos graves, os animais afetados movimentam-se menos porque a pele lhes dói.

Uma área de pele sem pelo infetada e a sangrar.

Tratamento: a alopecia psicogénica felina é tratável?

Para combater eficazmente a alopecia psicogénica felina é necessário, em primeiro lugar, determinar a sua causa e, acima de tudo, controlar os fatores de stress responsáveis. Se sabe qual é a causa específica, deve, se possível, eliminá-la.

Infelizmente, os motivos para o stress nem sempre são logo evidentes. Se for este o caso, tente gradual e cautelosamente excluir as causas. Seja paciente e observe se o instinto de limpeza do animal volta ao normal. Em certas situações, a única solução é consultar um psicólogo para animais. Este profissional desenvolverá um tratamento para o gato em conjunto com o dono.

Tratamento dos sintomas pelo veterinário

Entretanto, o veterinário pode examinar a pele do seu gato e limpar e desinfetar adequadamente as feridas com secreção provocadas pela alopecia psicogénica felina. Se a pele estiver gravemente inflamada (dermatite) e tenha pus, o médico pode tratar o animal com pomadas antibióticas e anti-inflamatórias. Caso as dores sejam muitas, o veterinário pode também administrar-lhe analgésicos.

Importante saber:

É claro que os gatos também se podem lamber mais quando sentem muita comichão. Esta situação pode ser causada, por exemplo, por parasitas, como ácaros dos ouvidos, ou alergias, como é o caso da alergia à saliva da pulga.

Ao notar que o animal se coça ou se lambe cada vez mais, deve consultar um veterinário. O médico pode, então, excluir outras causas, como doenças ou uma infestação parasitária.

Prevenção: como evitar a alopecia psicogénica no seu gato

O stress pode desencadear inúmeras doenças e perturbações comportamentais nos gatos. Deste modo, é importante o dono criar um ambiente o mais descontraído possível para o animal.

Pode consegui-lo ao planear mudanças na alimentação a longo prazo e ao proporcionar ao animal suficientes locais para se retirar. Deve também passar bastante tempo e brincar com o patudo e não ter um mas pelo menos dois gatos. É a melhor forma de prevenir a solidão. Os gatos de apartamento ficam contentes se tiverem brinquedos e postes arranhadores, pois contribuem para reduzir o stress.

Está prestes a mudar de casa ou quer adotar outro animal? Então, também pode recorrer a feromonas contra o stress. Descubra como é que as feromonas para gatos funcionam e muito mais no nosso artigo Feromonas para gatos.


Franziska G., veterinária

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
4 min

A idade dos gatos

Descubra neste artigo como determinar a idade dos gatos, quantos anos vive um gato, e com que idade é que um gato se torna idoso?