Luxação da rótula nos cães This article is verified by a vet

bichon havanês com cicatriz na pata esquerda após operação à luxação da rótula

Bichon havanês a recuperar após cirurgia à luxação da rótula.

Tem vindo a notar, durante os passeios, que o seu patudo só salta com uma das patas traseiras? Mas não manifesta dor? Então, pode ter luxado a rótula! Leia este artigo e aprenda a identificar a luxação da rótula nos cães e também quais as consequências para os animais.

Predisposição: quais as raças mais afetadas?

Os cães pequenos têm mais tendência para ter este problema. Chihuahua, buldogue francês, maltês e yorkshire terrier são as mais afetadas. No entanto, também a rótula de cães grandes se pode deslocar.

Sintomas: quais os sinais da luxação da rótula nos cães?

Os sinais da doença dependem da forma e do grau da luxação da rótula. Em geral, a lesão altera o padrão de marcha do seu cão.

Cães jovens com luxação congénita bilateral exibem marcha inclinada das patas traseiras. Mas se a luxação da rótula apenas se verificar num dos lados, os cães afetados levantam a perna doente à medida que andam.

Porém, cães mais velhos com luxações espontâneas podem também manifestar dor súbita, além de coxearem. Estes casos surgem sobretudo depois de algum incidente traumático ter lesado outras estruturas dos joelhos (rutura do ligamento cruzado, por exemplo).

Diagnóstico: como é confirmada a luxação da rótula nos cães?

O seu cão coxeia? Então, pode ser um sinal de uma doença ou lesão do sistema motor. Portanto, se o coxear persistir é muito importante consultar o seu veterinário. De modo a confirmar a suspeita de luxação da rótula, o veterinário irá gentilmente apalpar o joelho e examinar a dimensão e também em que direção a rótula está deslocada. Para tal, alonga e dobra a articulação do joelho enquanto aumenta a pressão na rótula.

Baseando-se em observações, o veterinário irá classificar a deslocação da rótula em quatro graus:

Grau Sintomas
1 É possível a rótula deslocar-se manual e espontaneamente (casos raros), mas geralmente volta ao sítio por si (redução espontânea).
2 Alteração manual e espontânea da posição. O mesmo se aplica à reposição.
3 A rótula mantém-se fora do sítio mas pode voltar ao lugar manualmente.
4 A rótula está permanentemente deslocada. Não pode ser reduzida manualmente.

De seguida, o veterinário fará uma radiografia. O objetivo é observar com mais detalhe a localização da rótula e das estruturas envolventes. Além disso, ajuda a determinar o ângulo da luxação.

radiografia aos joelhos de um cão
Uma radiografia aos joelhos esquerdo (em cima) e direito (em baixo).

Tratamento: como se trata a luxação da rótula nos cães?

Cirurgia: sim ou não? Na verdade, o deslocamento da patela nos cães nem sempre requer tratamento cirúrgico. Portanto, a qualidade de vida dos cães com os graus I e II não é de todo afetada.

No entanto, nos graus III e IV e em casos de dores recorrentes, a operação é recomendada. Pois é a forma de aliviar as queixas do seu cão. Para tal, o veterinário aprofunda a tróclea, move uma extensão específica do osso na extremidade superior da tíbia (tuberosidade da tíbia) e reconstrói a cápsula articular.

Se a cartilagem da articulação estiver danificada (artrose), o veterinário pode construir a superfície da articulação com um implante. Além disso, pode corrigir cirurgicamente o mau posicionamento das cinzas ósseas das coxas e da parte inferior das pernas.

Após a operação ao joelho, o seu cão precisa de cerca de seis semanas para recuperar. Portanto, está proibido de praticar quaisquer atividades desportivas durante este período! Passados dois meses o veterinário avaliará se o procedimento foi bem sucedido. Para tal, faz uma radiografia. A fisioterapia é recomendada para desenvolver cuidadosamente os músculos em redor.

Custos: qual o valor da cirurgia?

O valor da cirurgia depende de vários fatores que determinam o esforço envolvido no procedimento. Além dos custos da cirurgia em si, há que contar com as despesas dos exames preliminares e dos de seguimento, da medicação prescrita (analgésicos e antibióticos, por exemplo) e dos materiais usados.

Aliás, tanto o atendimento de emergência como o atendimento aos fins-de-semana têm custos adicionais. Portanto, no total estamos a falar de alguns milhares de euros. De qualquer modo, peça um orçamento ao seu veterinário.

Causas: como se desenvolve a luxação da rótula nos cães?

Se a rótula (patela) se deslocar da tróclea da articulação do joelho (Sulcus trochlearis), então os veterinários referem-se ao problema como Luxatio patellae ou luxação da patela - ou seja, luxação da rótula.

O deslocamento da rótula nos cães pode ser permanente (luxação da rótula primária) ou recorrente (luxação da rótula habitual). Além disso, os especialistas fazem a distinção entre luxação para dentro (medial) e para fora (lateral), diferentes entre si.

Luxação lateral da rótula

Esta forma de luxação da rótula é menos comum no geral, mas mais frequente em cães grandes. Os médicos suspeitam que a rótula se desloca para fora devido à torção do fémur e também ao mau posicionamento dos eixos do colo do fémur (Coxa valga) que desloca os músculos ligados à rótula.

Luxação medial da rótula

A luxação medial da rótula é a mais comum. Existem, então, duas causas possíveis: o mau posicionamento congénito ou adquirido dos eixos das patas traseiras. Estas formam um O, empurrando a rótula para fora da sua posição natural quando os músculos se contraem. Existindo predisposição genética, os sintomas surgem num dos lados ou nos dois, normalmente antes do primeiro ano de idade.

Prognóstico: quais as hipóteses de recuperação?

Nos últimos anos, o prognóstico da luxação da rótula nos cães melhorou significativamente devido a progressos nas técnicas cirúrgicas veterinárias. Embora o prognóstico dependa sempre da gravidade do deslocamento e da incidência de danos na cartilagem, uma cirurgia precoce é normalmente promissora de sucesso terapêutico.

Prevenção: pode a luxação da rótula nos cães ser prevenida?

Embora os músculos treinados do fémur fixem a posição da rótula, nem sempre previnem a luxação da rótula. Muito importante é o exame aos animais de criação, pois permite ninhadas de cachorros saudáveis sem luxação da rótula congénita.


Franziska G., veterinária
Profilbild von Tierärztin Franziska Gütgeman mit Hund

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?