Depressão nos cães This article is verified by a vet

cão aconchegado no sofá com ar triste

Tédio e cansaço são sinais típicos de depressão nos cães.

Os cães são conhecidos por serem alegres e os melhores amigos do Homem. Mas e se a alegria desaparecer e o seu patudo ficar deprimido? Leia este artigo e fique a saber tudo o que importa acerca da depressão nos cães.

Sintomas: quais os sinais de depressão nos cães?

A depressão pode surgir de forma repentina ou gradual. Portanto, se os donos não reconhecerem e tratarem as causas precocemente, é frequente os cães afetados sofrerem da doença mental durante vários meses.

Durante as fases depressivas, o comportamento do seu patudo, de outro modo tão cheio de vida, altera-se. Mostra-se apático e triste. Os seguintes sintomas são outros sinais típicos de que o seu cão está deprimido:

  • Come menos.
  • Dorme mais do que o normal.
  • Não reage a convites para brincar.
  • Tem que o motivar para irem passear.
  • Durante os passeios, o cão limita-se a avançar ao seu lado sem mostrar qualquer interesse noutros animais ou pessoas.
  • Gostaria de ser acariciado menos vezes.
yorkshire terrier deitado no chão recusa-se a comer
A depressão nos cães pode manifestar-se pela falta de apetite.

Diagnóstico: como é identificada a depressão nos cães?

Apenas o veterinário poderá averiguar se o seu companheiro de quatro patas está realmente deprimido ou se, por outro lado, as suas mudanças de comportamento se devem a uma doença grave.

Em primeiro lugar, perguntar-lhe-á se aconteceu alguma coisa recentemente que possa ter afetado psicologicamente o animal. Por exemplo, se adotou um segundo cão ou se mudaram de casa.

Se em conjunto não conseguirem identificar nenhum acontecimento que possa ter levado à depressão, então o veterinário fará um exame estritamente físico. Isto é importante porque também a presença de dores ou febre podem fazer com que o animal não queira comer e durma mais.

Tratamento: como se trata a depressão nos cães?

Para que o seu cãozinho recupere a alegria de viver é necessário ter bastante paciência. De facto, não há uma medicação específica contra a depressão. Apenas os medicamentos psiquiátricos podem ajudar a aliviar os sintomas da doença mental. Porém, estes fármacos só estão disponíveis com receita médica e devem ser administrados pelo veterinário.

Antes de tratar o seu cão com medicação, deve tentar combater a depressão com a ajuda de um treinador de cães qualificado ou de um psicólogo para cães. Este observa atentamente a forma como mantém o seu patudo e o que pode eventualmente estar em falta. Analisa também como lida com o animal e se o deve ocupar mais física e mentalmente.

Causas: o que pode desencadear a depressão nos cães?

A depressão nos cães manifesta-se de modo semelhante à depressão nas pessoas por um humor deprimido. São vários os eventos que podem desencadear esta doença mental:

Uma mudança

Com o passar do tempo, o cão habitua-se ao seu ambiente e encara-o como o seu território. Então, no caso de uma mudança, a nova casa pode desorientar o patudo e provocar-lhe imenso stress.

Dor

Aos olhos do seu cão, há uma ordem de importância fixa na sua família. Além disto, cada membro da família é um parceiro social habitual do patudo.

Quando um membro da família morre ou desaparece por um longo período de tempo devido a uma viagem ou mudança, o animal pode sentir uma dor e tristeza intensas. Em situações graves, podem provocar comportamentos depressivos.

Aumento da família

Além da perda de um membro da família, um segundo cão ou um bebé recém-nascido podem afetar psicologicamente o seu patudo. Por isso, antes de comprar um novo animal, tenha em consideração se o seu cão está preparado para esta mudança e se está confortável com um segundo cão no agregado.

Atitude errada

É importante ter o seu cão respeitando as suas necessidades. Além de uma alimentação equilibrada, também é importante oferecer-lhe a necessária ocupação física e mental.

Portanto, isto quer dizer que deve passeá-lo várias vezes por dia e incorporar pequenos quebra-cabeças no seu dia a dia. Esconda guloseimas ou experimente um desporto para cães divertido com o seu patudo. A falta de ocupação pode conduzir à depressão nos cães.


Franziska G., veterinária
Profilbild von Tierärztin Franziska Gütgeman mit Hund

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?