Bolotas: serão venenosas para os cães? This article is verified by a vet

cão a cheirar bolotas venenosas para os cães

Mantenha os olhos bem abertos durante os passeios com o seu cão, pois bolotas, nozes e outros frutos semelhantes podem pôr a sua vida em risco!

As bolotas também lhe trazem memórias de infância? Ou utiliza-as para decorar a sua casa no outono? Seja como for, é difícil suspeitar que estes frutos de outono possam ser venenosos para os cães, certo? Mas atenção: as bolotas são tudo menos inofensivas para os cães!

Toxicidade: serão as bolotas venenosas para os cães?

O seu cão costuma comer estes frutos pequenos e castanhos durante os passeios? Se a resposta é sim, impeça-o imediatamente de o fazer. A verdade é que as bolotas, e também as folhas e a casca do carvalho, contêm taninos. Estes taninos são amargos, sendo usados pelas plantas para se protegerem dos animais. Em resumo as bolotas são venenosas e perigosas para os cães, mas também para outros animais, como gatos, vacas e cavalos.

A ingestão de cinco a dez bolotas é suficiente para envenenar um cão com 10 quilos.

Ao contrário das bolotas, as castanhas e as pinhas não são tóxicas para os cães. Contudo, não deixa de ser necessário cuidado, pois o seu cão pode engoli-las.

três bolotas no castanheiro
As bolotas verdes e jovens são especialmente venenosas para o seu patudo!

Sintomas: quais os sinais típicos de envenenamento nos cães?

Os sintomas vão depender do número de bolotas que o animal ingeriu. A quantidade é decisiva para determinar se e em que medida o cão irá sofrer de envenenamento por bolotas.

Os sintomas típicos de envenenamento nos cães são:

  • Bem-estar geral diminuído (fraqueza) e cambaleio
  • Falta de apetite e aumento da necessidade de beber
  • Salivação e náusea
  • Queixas gastrointestinais, como vómitos, diarreia (possivelmente com sangue) e prisão de ventre

Caso o cão tenha ingerido uma enorme dose de taninos, estas substâncias podem, além do mais, lesar fígado e rins. Em consequência, as mucosas do seu patudo (mucosa oral e esclera dos olhos, por exemplo) tornam-se amarelas, ao que os veterinários chamam icterícia.

As células hepáticas lesadas deixam de conseguir excretar ácidos biliares suficientes. Então, este passa a acumular-se no sangue como pigmentos amarelo-acastanhados. Dentro de um curto espaço de tempo, a insuficiência renal pode ser fatal para o seu cão!

As bolotas são venenosas para os cães: tratamento

O seu cão comeu bolotas e mostra sinais de envenenamento? Vá imediatamente ao veterinário! Recorrendo a medicação específica, o médico pode induzir-lhe o vómito ou mesmo lavar-lhe o estômago para eliminar o restante conteúdo e interromper a absorção de toxinas.

Caso o animal esteja inconsciente, o veterinário pode iniciar medidas salva-vidas. Por precaução, o cão deve ficar em observação veterinária por alguns dias, pois as toxinas podem lesar o fígado e os rins. Assim, o veterinário pode verificar diariamente a função destes órgãos vitais através de análises ao sangue. Detetada alguma variação negativa, o animal é tratado de imediato.

Saiba o que fazer em caso de envenenamento e que plantas são venenosas para os cães nestes artigos da Magazine: Envenenamento nos cães e Plantas venenosas para cães.

Jack Russell Terrier na floresta no outono

Atenção: as bolotas também são um perigo para os intestinos!

Além de venenosa, a ingestão de bolotas pode provocar obstrução intestinal (íleo) nos cães. Ao comerem bolotas inteiras, estas podem ficar presas nos intestinos.

Se as bolotas impedirem a digestão e constringirem a parede do intestino e os respetivos vasos sanguíneos em consequência de estrangulamento, o seu cão pode morrer!

Sinais importantes de obstrução intestinal são dor súbita na zona abdominal em combinação com fraqueza e atitudes de pânico.


Franziska G., veterinária

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?