Shih Tzu

Apesar do seu tamanho, o Shih Tzu é um cão excecional e que atrai muita atenção. Por detrás do longo manto deste antigo guardião de templos está um animal brincalhão e de personalidade forte, um companheiro fiel para muitos amantes de cães.

Pequeno, mas com muito pelo

O que salta à vista quando olhamos para um Shih Tzu é a enorme quantidade de pelo que esconde os seus míseros (e máximos) 27 cm de altura ao garrote. E se o pelo é abundante e comprido, o animal é leve, não ultrapassando os 7,5 kg. A camada inferior de pelo é também imensa. Os Shih Tzu estão disponíveis em todas as cores. É frequente o pelo da zona da cabeça ser atado ou aparado, isto para que o cãozinho possa ver sem problemas. Devido ao pelo, as grandes orelhas praticamente não se veem. A cauda está colocada sobre o dorso. É comum as descrições dos padrões da raça referirem a atitude arrogante da raça.

Do templo para o sofá

A história do Shih Tzu tem o seu quê de turbulenta. Os monges tibetanos apelidavam os antecessores do Shih Tzu por “cão-leão de Buddha”. Reza a lenda que Buddha se achava rodeado de pequenos cães que se transformavam em leões em caso de perigo. Os monges tibetanos criavam estes pequenos companheiros de quatro patas como cães de guarda dos templos e locais sagrados. A sensibilidade auditiva dos Shih Tzu é excelente, também em comparação com outros cães. Além do Shih Tzu, surgiram igualmente as raças Terrier tibetano, Lhasa Apso e Pequinês. Curiosamente, tanto o Shih Tzu como o Lhasa Apso devem os seus sonoros nomes à sua origem: traduzindo, ambos significam “cão-leão”, sendo o primeiro em chinês e o segundo em tibetano. Como pagamento de tributos, estes pequenos cães terão provavelmente entrado na corte imperial chinesa no século XVII, local onde a criação destes carismáticos animais de luxo terá continuado. Apenas no início do século XX, a China permitiu a exportação desta raça, e foi a partir desse momento que os primeiros exemplares chegaram à Europa e à América. No Reino Unido, os Shih Tzu obtiveram o seu reconhecimento como raça em 1929. A partir do momento em que foi instaurado o regime comunista na China, em 1949, o destino dos animais desta raça não foi o melhor: foram considerados “inúteis” e foram, assim, mortos. Os esforços de criação da raça na China ficaram-se por aqui, ao contrário do que acontecia no Ocidente.

Personalidade: brincalhões e independentes

Os Shih Tzu caracterizam-se por uma vivacidade natural, embora raramente nervosos. O antigo cão de guarda dos templos é bastante recetivo e amigável para com humanos e animais, incluindo outros cães. Porém, apesar da sua abertura de espírito e temperamento brincalhão, os cães desta raça emanam uma certa independência, interpretada, por vezes, como arrogância. A verdade é que fazem sobressair na sua personalidade uma certa aura de leão. Neste sentido, os Shih Tzu assemelham-se mais a gatos do que a cães, especialmente por não serem submissos. A suposta arrogância é compensada pelo bom humor dos Shih Tzu e com algum know-how, a educação não constituirá um problema.

Saúde: a criação responsável é a melhor prevenção

Os problemas de saúde mais comuns entre os Shih Tzu estão relacionados com o seu nariz curto, ao qual se associam problemas respiratórios e oculares. Tal explica-se pela braquicefalia, uma malformação do crânio, curto e largo, típica desta raça. Esta particularidade torna-se evidente quando comparamos um Shih Tzu com os antepassados dos cães, os lobos. Assim sendo, os animais desta raça apresentam um estreitamento das vias respiratórias superiores, e também dos canais lacrimais. É da responsabilidade dos futuros donos a aquisição dos cachorros a criadores responsáveis, isto é, que valorizem a saúde dos animais acima de tudo, selecionando criteriosamente os progenitores. Os Shih Tzu não são fãs de calor extremo, o que se explica pelo seu pelo abundante – no verão deve optar por fazer os passeios mais longos logo pela manhã e ao final da tarde. Os cães desta raça podem viver até aos 16 anos.

shih tzu

A nutrição adequada é sinónimo de boa forma

Descubra a nossa seleção de comida para cães da raça Shih Tzu!

Uma alimentação baseada em carne e sem cereais é a mais apropriada para os Shih Tzu. Ao disponibilizar ração ao animal certifique-se de que este bebe bastante água. Encontram-se disponíveis rações especiais para satisfazer as necessidades dos cães de porte pequeno, além de outras, exclusivas para os Shih Tzu, caracterizadas por croquetes cujo formato é especial. Em todo o caso, verifique sempre a composição das rações para se certificar que a carne é o ingrediente que figura em primeiro lugar. Dado que os Shih Tzu têm tendência para ter tártaro, tendo em conta a proximidade dos dentes, ofereça com regularidade snacks que cuidam da higiene oral. Se conseguir habituar o animal, lave-lhe os dentes com pasta de dentes especial para cães ou com toalhitas dentárias. Pequenos pedaços de carne de vaca também podem ser usados para a limpeza dos dentes.

Os cuidados com o pelo

O pelo espampanante dos Shih Tzu não engana: por detrás deste look está muito trabalho e dedicação. Os donos comuns, isto é, aqueles que não participam com os fiéis companheiros em exibições, podem cuidar do pelo com facilidade, cortando-o regularmente. Deste modo, os cães podem correr e brincar com maior liberdade pelo corredor e pelo campo, o que é bastante difícil para um cão de exposição, pois os cuidados com a pelagem são fundamentais. Em qualquer caso, o pelo deve ser cortado regularmente, evitando-se assim que se arraste pelo chão.

Além disso, ao cortá-lo ou atá-lo estará a garantir que a “juba” do “cão-leão” não bloqueia a sua visão do mundo; lembre-se também que o pelo nos olhos pode causar irritação ocular. A escovagem intensa, seguida da passagem do pente, deve fazer parte do plano de cuidados semanais dos Shih Tzu, para que o pelo não emaranhe. Particularmente problemáticas são a parte interna das pernas e a área por detrás das orelhas. Habitue o animal a estas sessões de beleza deste tenra idade, e escove-o madeixa por madeixa. De modo a alcançar determinadas zonas do corpo, é importante que o animal aprenda a ser paciente. Aconselhamos observar em detalhe o pelo do seu Shih Tzu diariamente em busca de ramos ou de sujidade emaranhados.

O controlo contra parasitas deve ser efetuado regularmente, já que os visitantes indesejados, como as carraças, podem passar despercebidos durante bastante tempo por debaixo do pelo luxuriante destes cães. Caso necessite de dar banho ao seu Shih Tzu, após, por exemplo, uma expedição pelo campo, o melhor é utilizar um champô especial para cães de pelo comprido. Uma grande vantagem desta raça é que raramente perde pelo.

Para cães inteligentes, a educação adequada

Os Shih Tzu são dóceis e brincalhões, duas características que facilitam o processo de educação. No entanto, a sua teimosia pode ser um verdadeiro desafio. Assim sendo, as bases para a educação de um Shih Tzu são a coerência sem castigos duros. Bastará não respeitar uma das regras instituídas para que o astuto animal e a sua cabecinha obstinada lhe queiram dar a volta. Muitos representantes desta raça sabem perfeitamente como usar os seus atributos, isto é, choramingar e fazer olhos de cachorrinho abandonado, para levarem a sua avante – o melhor é fazer ver ao animal que estas suas investidas não surtem efeito, ignorando-o.

Os momentos de socialização do seu Shih Ttzu podem ocorrer em visitas frequentes a uma escola para cães, onde poderá aprender a lidar com cães de todos os tamanhos num ambiente descontraído. Facto é que os machos desta raça têm tendência para a dominância na idade adulta, caso não tenham socializado o suficiente enquanto cachorros.

Atividades para o pequeno explorador

Os Shih Tzu adoram longos passeios e jogos, mesmo em idade mais avançada. Além disso, este “cão-leão” tem especial apreço pela água, e mesmo poças de água suja podem ser atrativas, transformando-se em locais fascinantes para rebolarem. Em suma, estes animais não são, apesar do seu tamanho, muito apegados ao sofá, embora apreciem uma boa tarde de mimos no colo do dono.

No exterior comportam-se como pequenos exploradores, muito ativos; esta atitude está, no entanto, dificultada para os cães de exibição, pois o seu pelo longo fica facilmente preso nos arbustos. Shih Tzu treinados acompanham, em terra, os donos, a cavalo. Estes cães são também ideais para pet therapy: o seu temperamento calmo e recetivo, em combinação com o seu aspeto fofinho, faz da raça uma das melhores para visitar doentes em hospitais, pessoas idosas em lares e crianças em orfanatos – claro que somente após serem realizados testes e treino específicos.

Será o Shih Tzu o cão apropriado para mim?

Os exemplares desta raça encaixam perfeitamente em unidades familiares dinâmicas e são também ótimos para solteiros que gostem de viajar na companhia dos seus animais. Não deixa igualmente de ser um cão indicado para donos com pouca experiência, desde que estes tenham sido previamente avisados acerca dos exigentes cuidados com o pelo e estejam preparados para investir algum do seu tempo no animal. E mesmo que um Shih Tzu não se sinta desconfortável num apartamento na cidade, aprecia, naturalmente, um jardim com vedação. Em todo o caso, se o apartamento for arrendado, deve obter autorização, por escrito, da parte do seu senhorio para manter o animal no prédio.

Diz-se que os Shih Tzu são animais excelentes para quem tenha alergias, pois não largam pelo, mas não é bem assim, já que as pessoas com tendência para alergias não reagem ao pelo dos animais, mas sim à saliva e às células mortas. Assim, antes de adotar um Shih Tzu, assegure-se de que nenhum membro da família é alérgico. E já que falamos de pelo: aconselhamos planear os cuidados com o pelo a longo prazo, pois, possivelmente, durante 16 anos irá escovar e pentear diariamente o animal. É importante também, antes de apresentar o Shih Tzu ao seu novo lar, ter um plano preparado atempadamente para o caso de adoecer e para as suas férias. Se pretende passar as férias na companhia do seu mais-que-tudo, informe-se com tempo acerca de hotéis que aceitam animais e opções de viagens, tendo em mente que estes cães não são os maiores fãs do calor. Além do equipamento básico, ou seja, comedouro, trela, acessórios para o automóvel, mantas e cestos, sem esquecer os acessórios para os cuidados com o pelo (escovas e pentes, e, possivelmente, uma máquina de tosquiar), devem somar-se as despesas com a alimentação apropriada, brinquedos, consultas veterinárias de rotina e visitas ao tosquiador. Em caso de doença, despesas veterinárias imprevistas são uma realidade.

Como encontrar o Shih Tzu dos seus sonhos

Esta raça é uma das mais populares, explicando-se assim, após tomada a decisão de adotar um Shih Tzu como novo membro da família, a rapidez com que encontra cachorrinhos. Esteja atento a supostos criadores e evite ser enganado – estes disponibilizam animais sem certificado genealógico, usualmente mais baratos, pois o que valorizam é somente o lucro e o seu enriquecimento e nunca o bem-estar da raça. Um criador de confiança é membro de uma associação e, algo que assume especial relevância no caso dos Shih Tzu, possui informação acerca dos exames realizados aos progenitores do seu tão desejado cachorrinho, de modo a serem minimizadas as doenças herdadas geneticamente. Um criador que se preocupe com o bem-estar dos seus protegidos, ficará honrado ao ser a pessoa de contacto preferencial acerca do animal após a compra e se o for informando acerca do desenvolvimento do novo membro da família. Se o criador fizer perguntas acerca do ambiente familiar e das condições que irão ser proporcionadas ao animal, não se preocupe: é um excelente sinal, pois só pretende certificar-se de que o patudo fica em boas mãos. Antes de dar entrada no novo lar, o animal deve ser desparasitado e deve ser-lhe entregue o certificado genealógico (pedigree), além do boletim de vacinas e, claro, do contrato de compra. A maioria dos cães está equipada com um chip e encontra-se registada, dois elementos indispensáveis para as viagens na Europa.

Se pretende dar um novo lar a um animal mais velho, faça uma pesquisa na Internet e avalie os resultados, pois existem inúmeros animais disponíveis. Porém, lembre-se que a maioria não será de raça pura e apenas um Shih Tzu com pedigree é realmente um Shih Tzu. Este certificado é bastante útil, especialmente no caso dos cães seniores, pois estar informado acerca da saúde dos seus progenitores é fundamental para lidar com as possíveis doenças hereditárias. Todavia, é claro que um Shih Tzu arraçado, proveniente de um abrigo, o pode “enfeitiçar” com os seus olhinhos e enriquecer a sua vida. Trocando impressões com os donos anteriores ou com o pessoal do abrigo poderá descobrir se este “cão-leão” em particular se adequa a si e à sua dinâmica familiar. Um cão adulto tem a vantagem de ter, à partida, interiorizadas as regras de educação básicas, algo particularmente útil para donos pouco experientes. Por outro lado, o motivo pelo qual os antigos donos não o quiseram manter pode estar relacionado com a sobrecarga da educação do teimoso Shih Tzu... O melhor é ter a oportunidade de conviver com o hipotético novo membro da família antes da mudança para o novo lar, de modo a conhecer a sua personalidade.

Que passe dias maravilhosos na companhia do seu Shih Tzu!

Os nossos artigos mais relevantes

Rafeiro Alentejano

Está a pensar adotar um Rafeiro Alentejano? Conheça todas as características da raça e se é o cão indicado para si.

Yorkshire Terrier

Está a pensar adotar ou comprar um Yorkshire Terrier? Saiba qual é a sua personalidade, tipo de alimentação, cuidados de saúde e muito mais.