Cão de Água Português

O Cão de Água Português é uma das raças nacionais mais conhecidas. Estes cães são considerados extremamente inteligentes e ativos, mas também obedientes. O Cão de Água Português ganhou notoriedade mundial quando em 2009 a família do ex-Presidente dos EUA, Barak Obama, adotou Bo, um exemplar desta raça. Descubra neste artigo tudo sobre a história e características deste patudo único.

Aparência

Tosquia tradicional ou corte à leão

O Cão de Água Português chama particularmente à atenção quando lhe fazem a tosquia tradicional ou o corte à leão. Nesta tosquia o pelo é cortado nos quartos traseiros, mas deixado ao natural na zona dianteira, como se se tratasse de uma juba. Os pelos na zona do focinho são aparados e na cauda os pelos da ponta são deixados ao natural, formando uma espécie de tufo. Os pescadores tosquiavam assim os seus Cães de Água Português por razões práticas. O pelo na parte dianteira do corpo protegia o cão do frio e do impacto com a água. Por outro lado, a quase ausência de pelo na parte anterior permitia maior eficácia ao nadar.

No entanto, alguma pessoas consideram mais prático fazer uma tosquia uniforme, apesar de o aspeto do Cão de Água Português não chamar tanto à atenção. Em termos de tamanho, os machos atingem até 57 cm de altura na cernelha e um máximo de 25 quilos. Por sua vez, as fêmeas têm uma altura até 52 de altura na cernelha e são ligeiramente mais leves, atingindo um máximo de 22 quilos. A pelagem encaracolada destes patudos pode ser preta, castanha ou mista. Podem ter igualmente manchas brancas, mas estas não devem cobrir mais de um terço do corpo. Além disso, o pelo pode ser longo e ondulado ou curto e encaracolado.

História

De pescador a cão de companhia

É provável que os antepassados do Cão de Água Português tenham chegado à Península Ibérica com comerciantes de outras regiões do mundo. Pensa-se também que ao longo dos séculos estes antepassados se cruzaram com cães pastores. No entanto, sabe-se que cães desta raça já existiam nos séculos 15 e 16 quando acompanhavam os navios que participavam nos descobrimentos. Nessa altura, estes patudos também funcionavam como elo de ligação a outros navios, pois conseguem percorrer grandes distâncias.

Posteriormente o Cão de Água Português tornou-se realmente conhecido e importante pelo trabalho que desempenhava com os pescadores. Durante muito tempo estes patudos encontravam-se em todo o litoral português. Visto que estes patudos são nadadores e mergulhadores exímios, lançavam-se ao mar voluntariamente para recuperar peixe que escapava ou objetos que caiam ao mar. Diz-se também que era frequente salvarem pescadores, pois muitos não sabiam nadar. Além disso, estes patudos também guardavam e defendiam as embarcações. No entanto, com a mecanização das pescas introduzidas no início do século 20, os Cães de Água Português perderam importância e esta raça ficou quase extinta. Os poucos exemplares que sobreviveram encontravam-se no Algarve, onde ainda ajudavam os pescadores. Em 1981, uma entrada do Guinness Book of World Records referia-se ao Cão de Água Português como a raça mais rara do mundo, pois estimava-se que existiam apenas 50 exemplares.

O renascimento do Cão de Água Português

No entanto, criadores entusiastas em Portugal e também nos EUA conseguiram evitar a extinção da raça. Em Portugal destaca-se o trabalho de Vasco Bensaúde que nos anos 30 se dedicou à criação desta raça. Foi também este criador que conseguiu o reconhecimento do Cão de Água Português no Clube Português de Canicultura em 1936. Atualmente o número de Cães de Água Portugueses está a crescer e começam a surgir pessoas que decidem criar esta raça com o objetivo de ganhar dinheiro facilmente. Na Escandinávia vivem muitos deste patudos, mas o maior número de Cães de Água Portugueses encontra-se nos EUA onde vivem mais de 10.000 exemplares.

Personalidade

O aspeto fofinho e meigo dos Cães de Água Portugueses pode induzir algumas pessoas em erro. Estes patudos têm uma personalidade forte e voluntariosa. Além disso, têm acentuados comportamentos territoriais e podem ser também conflituosos. Assim, estes patudos precisam de uma educação consistente e firme. No entanto, uma educação adequada faz vir ao de cima as inúmeras características positivas destes patudos. O Cão de Água Português é muito flexível, leal, extremamente inteligente e está sempre pronto para acompanhar os donos em qualquer aventura.

A educação destes patudos inclui dar-lhe a noção clara do seu lugar na hierarquia da família, caso contrário ele vai tentar sempre ser o elemento dominante. É muito importante que todos os membros da família deste patudo estejam em sintonia relativamente às regras impostas. Assim, ninguém se deve deixar levar pelo seu ar fofinho e abrir exceções. Isso só vai perturbar o patudo e torná-lo mais difícil de educar. Por isso, antes da chegada deste patudo reúna a família e estabeleçam as regras a seguir.

Pode procurar uma escola para cães para o seu Cão de Água Português, pois estes patudos precisam de brincar e aprender com outros cães. No entanto, a interação com outras pessoas é também extremamente importante. Caso contrário, ele pode reagir mal a estranhos, sejam pessoas ou outros cães na idade adulta. E não se esqueça do exercício físico. Um patudo tão desportivo como o Cão de Água Português só está verdadeiramente bem se tiver a possibilidade de se exercitar com muita frequência.

Saúde

Os Cães de Água Portugueses que conhecemos hoje descendem de um número muito reduzido de exemplares, cerca de 50, e por isso a variabilidade genética é pequena. Em consequência, surgiram algumas doenças genéticas que entretanto os criadores já conseguem controlar. Assim, a maior garantia de que o seu Cão de Água Português é saudável é procurar um criador sério e com conhecimentos sólidos sobre o processo de criação. Se assim for, o criador vai testar geneticamente os seus cães. Deste modo é possívelm excluir por exemplo, a possibilidade do aparecimento de atrofia progressiva da retina. Esta é uma doença ocular recessiva, ou seja, os pais podem não desenvolvem a doença mas passam-a aos seus descendentes. Além desta doença, os testes genéticos também detetam genes que determinam o aparecimento de cardiomiopatia dilatada precoce. Por fim, o criador pode igualmente prevenir o aparecimento de displasia da anca com os testes corretos.

No entanto, também os donos têm um papel a desempenhar na prevenção de algumas doenças e problemas músculo-esqueléticos. Os exercícios e movimentos dos cachorrinhos devem ser adequados à sua idade e desenvolvimento. Assim, os cães só devem fazer desportos que envolvam saltos ou corridas muito rápidas após os 15 meses de idade. A esperança média de vida do Cão de Água Português é de 14 anos.

Alimentação do Cão de Água Português

A carne tem que ser o ingrediente principal de uma comida saudável, independentemente de escolher dar ração seca ou comida húmida ao seu patudo. Deste modo escolha uma alimentação à base de carne com proteínas de elevada qualidade, sem cereais e acima de tudo sem açúcar. No entanto, quando trouxer o seu cachorrinho mantenha a alimentação que ele tinha. Deste modo evita que ele tenha que se habituar à nova casa e a uma nova comida ao mesmo tempo. Quando o cachorrinho já se sentir em casa mude a alimentação gradualmente.

É fácil identificar uma boa alimentação pois a percentagem de carne aparece em primeiro lugar na lista de ingredientes. Esta regra também se aplica às guloseimas. Assim, evite dar snacks de cereais, incluindo os de trigo. Snacks, como por exemplo, orelhas de vaca ou carne seca são sempre excelentes alternativas nutricionais que o seu patudo vai adorar. Tenha também em atenção que a quantidade de comida deve ser adequada às necessidades energéticas do seu patudo. Não dê comida a mais, pois o seu elegante Cão de Água Português pode-se tornar obeso. Naturalmente, ele deve ter água fresca sempre disponível.

Cuidados

Um Cão de Água Português que participe numa exposição é impressionante. No entanto, chegar a esse aspeto implica muito trabalho. Se não pretende levar o seu patudo a exposições, os cuidados são menores. Mas ainda assim a escovagem regular é absolutamente necessária não só para o aspeto, como para o seu bem-estar. Assim, deve escová-lo uma ou duas vezes por semana e para tal precisa de um pente e de uma escova. Quando o for tosquiar pode escolher o tradicional corte à leão ou a tosquia uniforme ou corte de Retriever.

Para evitar visitas regulares a um cabeleireiro para cães pode comprar uma máquina de tosquiar. Corte também regularmente o pelo que cresce entre as almofadas das patas. Além disso, com uma tesoura de pontas arredondadas corte-lhe as unhas. Se necessário pode também dar um banho ao seu patudo peludo. Neste caso escolha um champô para cães com pelos compridos. O amaciador nem sempre é adequado para estes patudos, pois torna os pelos mais suaves e por isso com maior tendência a ficarem embaraçados.

O dia-a-dia com um Cão de Água Português

Com um patudo destes em casa não vai ter momentos de tédio pois ele está sempre pronto para uma brincadeira. E o exercício físico e mental dos Cães de Água Portugueses deve ser encorajado. Sendo cães de trabalho, estes patudos não devem passar muito tempo parados. Felizmente existem várias atividades que fazem os Cães de Água felizes. Por exemplo, desportos de agilidade em que os patudos têm que superar vários obstáculos o mais rapidamente possível. Mas o Dog Dancing, Flyball e treino de obediência são igualmente adequados para o seu amigo desportivo. Além disso, com o treino adequado, os Cães de Água Portugueses são excelentes cães de busca e salvamento e também ótimos auxiliares em terapias.

Em Portugal e nos EUA existem algumas competições aquáticas para estes patudos. O objetivo nestas competições é fazer um resgate e mergulhar na água. No entanto, lembre-se de adequar o exercício à condição física e à idade do seu cão.

Perfil do dono do Cão de Água Português

O dono de um Cão de Água Português deve ter experiência na educação de cães e também estar preparado para um companheiro com vontade própria. Se tem outros animais de companhia, como gatos, e crianças na família, o Cão de Água Português deve ir viver consigo ainda cachorrinho para permitir uma socialização adequada. Na verdades, estes patudos são excelentes companheiros de crianças, mesmo as mais pequenas, pois adoram brincar. No entanto, nunca deve deixar o seu patudo com os mais pequenos sem supervisão.

Além disso, é importante planear as atividades diárias que vai fazer com o seu patudo. Lembre-se que ele faz depende quase exclusivamente das oportunidades que os donos lhe dão. Assim, se não for viciado em televisão ou passar o dia ao computador pode facilmente viver com um Cão de Água Português num apartamento de cidade, desde que este seja espaçoso. No entanto, a casa ideal para estes patudos tem um jardim vedado e está próxima da natureza. Visto que estes patudos adoram explorar o que os rodeia com o seu dono.

Como já mencionado, os donos de um cão desta raça devem ter alguma experiência na educação de patudos por causa da sua personalidade potencialmente teimosa. Se não tiver experiência deve informar-se em detalhe sobre treino de obediência e procurar uma escola para cães para ele poder brincar com outros patudos. Converse também com donos mais experientes, eles podem dar-lhe muitas dicas.

Um aspeto importante a ter em conta: o Cão de Água Português perde pouco pelo, mas isso não garante que não cause alergias. Se alguém na família tiver alergias é aconselhável falar primeiro com o seu médico. Além disso, antes de o trazer para casa passe tempo junto do patudo num ambiente fechado.

Onde posso encontrar o meu Cão de Água Português?

Como seria de esperar, em Portugal existem vários criadores desta raça. Assim, ao contrário de pessoas noutros países, os portugueses não precisam de ir ao estrangeiro adquirir o seu novo amigo. No entanto, devido ao aumento de popularidade desta raça há que ter alguns cuidados antes de adquirir o seu cachorro. Assim, certifique-se que está a lidar com um criador sério, cuja prioridade é o bem-estar dos seus cães e dos cachorros.

O Clube Português de Canicultura – CPC – é a entidade oficial em Portugal que faz o registo das ninhadas e o reconhecimento dos criadores. Por isso informe-se se o criador que escolheu está devidamente identificado nesta entidade. Deve também visitar o criador e ver os cães no seu ambiente. Nessa altura tente perceber se os cachorros estão felizes e socializados e aproveite para saber se os cachorros estão vacinados, desparasitados e têm microchip. Lembre-se também que os cachorros só devem ir para o seu lar definitivo com pelo menos 8 semanas. Muitos donos não se preocupam com a documentação do seu novo amigo. No entanto, é a documentação que garante que o criador seguiu corretamente os procedimentos. Os cachorros que têm a documentação do registo no CPC são de um criador reconhecido e sério.

Se procura adotar um Cão de Água Português adulto pode sempre tentar os canis ou associações de proteção de animais. Outra alternativa é procurar na internet pessoas ou associações que tenham patudos desta raça para adoção. Sempre que possível informe-se sobre a história do seu novo companheiro.

Desejamos que se divirta muito com o seu novo companheiro!

Artigos relacionados
Artigos relacionados
Os nossos artigos mais relevantes

Rafeiro Alentejano

Está a pensar adotar um Rafeiro Alentejano? Conheça todas as características da raça e se é o cão indicado para si.

Yorkshire Terrier

Está a pensar adotar ou comprar um Yorkshire Terrier? Saiba qual é a sua personalidade, tipo de alimentação, cuidados de saúde e muito mais.

Labrador Retriever

Gosta de agradar, adora pessoas e é robusto: o Labrador Retriever é extremamente popular como cão de família.