Adotar um cão: 10 aspetos a considerar

Adotar um cão: dona com o rosto junto do focinho do seu cão

Ao visitar uma associação com patudos para adotar é normal que se apaixone perdidamente por um cachorrinho ou por um cão adulto. E é certo que um patudo, seja de que idade for, traz sempre muita alegria a uma família. No entanto, antes de decidir adotar um cão deve levar em consideração as responsabilidades que está a assumir. Neste artigo, apresentamos 10 aspetos que deve ponderar.

Uma responsabilidade para vários anos

O número de patudos que esperam uma nova família em associações de proteção de animais mostram claramente que muitos donos não ponderaram bem a decisão de ter um cão em casa. Em primeiro lugar, adotar um cão é, geralmente, uma responsabilidade para mais de 10 anos. Assim, lembre-se que cães de raças grandes vivem em média pelo menos 12 anos e os cães de raças mais pequenas ainda mais tempo.

Claro que na vida surgem sempre imprevistos, por exemplo uma mudança de casa, uma doença, uma separação, que podem impedi-lo de manter o seu patudo. No entanto, antes de adotar um cão pondere se tem estabilidade financeira e pessoal nos próximos anos.

Adotar um cão: custos associados

Muitas pessoas pensam que os gastos com a alimentação de um cão não são muito elevados. No entanto, não é bem assim. Contrariamente ao que muitas pessoas pensam, dar uma ração com elevado valor proteico e adequada às necessidades do seu patudo implica gastar algum dinheiro. Por exemplo, a alimentação de um cão de raça grande pode representar um gasto mensal significativo. Consulte as indicações dos vários fabricantes de ração para cães, escolha a ração mais adequada ao seu patudo e em seguida faça contas do que vai gastar por mês.

Certo é que antes de adotar um cachorrinho deve pensar bem nos gastos que ele traz. Inicialmente, além do preço do patudo, que pode atingir valores elevados se comprar um cão de raça a um criador sério, tem também os gastos com o equipamento básico. Se optar por adotar um cão de um abrigo de animais, é provável que também tenha de pagar alguma taxa ou tratamento. No entanto, o valor será muito inferior ao preço de um cão de raça. Além disso, tem também de fazer o registo do seu cão junto das autoridades e pagar as taxas correspondentes.

Os cachorros também devem frequentar uma escola para cachorros para garantir uma boa socialização com outros patudos e pessoas. E, naturalmente, os valores pedidos para frequentar estas escolas variam, mas são geralmente elevados. Por fim, tenha sempre uma reserva para uma emergência de saúde. Lembre-se que tal como as pessoas, os animais podem desenvolver doenças crónicas ou agudas que precisam de tratamento.

Adotar um cão: cuidados com os vizinhos

Se mora numa casa ou apartamento alugado, deve consultar o contrato de arrendamento para saber se existe alguma regra para animais de estimação. É também aconselhável falar com o seu senhorio, visto que alguns condomínios estabelecem normas que impedem ter animais de estimação no prédio.

Além disso, se vive num apartamento tenha sempre cuidado para que o seu patudo não incomode os vizinhos, independentemente de viver num espaço alugado ou próprio. Assim, nunca deixe o seu cão fazer as necessidades na escada e leve-o sempre de coleira e trela dentro das partes comuns do edifício. Por fim, tome as medidas necessárias para impedir que o seu patudo faça demasiado barulho. Lembre-se que nem todas as pessoas partilham a sua paixão por cães!

Adotar um cão: cachorro beagle aninhado nas mãos da dona

Escolher uma raça

Antes de tomar qualquer decisão, informe-se bem sobre as características e necessidades dos cães da raça que escolheu. Por exemplo, um border collie é absolutamente encantador, contudo se não tiver muito tempo disponível para o passear e exercitar, este não é uma boa alternativa. Por outro lado, se gosta de fazer longos passeios pela natureza um pug não é a escolha certa.

Existem também raças que exigem muitos cuidados com o pelo como Old English Sheepdog. Por outro lado cães de caça como o Münsterländer ou o Weimaraner são mais felizes com uma família de caçadores. Além disso, algumas raças são mais adequadas do que outras para quem não tem muita experiência com a educação e treino de patudos. Por fim, informe-se bem sobre as necessidades de exercício mental e físico se escolher um patudo de uma raça de trabalho.

Pelo e higiene

Um cachorrinho é sempre fofinho, no entanto muitos donos ficam surpreendidos com a quantidade de pelo que mesmo um cão pequeno deixa pela casa. É possível que em pouco tempo encontre pelos na roupa, no sofá ou no tapete. No entanto, pode minimizar este problema com uma boa escova para cães e um aspirador potente. Além disso, escove diariamente o seu cão durante a mudança de pelo. Com estas dicas consegue reduzir os pelos, mas nunca mais terá uma casa totalmente livre de pelos. A exceção são raças como o caniche que não perdem pelo. No entanto, independentemente do pelo, um patudo traz sempre sujidade para casa. Assim, se é uma pessoa que preza muito ter a casa limpa, pense bem se consegue partilhar a casa com um cão por muito tempo.

Adotar um cão: planear as férias

A partir do momento que adota um cão, deixa de poder tomar decisões em cima da hora sobre as férias. Naturalmente, a sua vida será mais simples se viver perto de um familiar ou amigo que se dê bem com o seu patudo e que não se importe de tomar conta dele. Mas como nem todos têm essa possibilidade, há que considerar outras opções. Uma delas são os hotéis para cães. No entanto, além dos custos, muitos donos ficam com a consciência pesada por deixar o seu patudo num desses hotéis enquanto bebe um cocktail à beira da piscina.

Assim, antes de adotar um cão, pense onde pode deixar o seu patudo durante as ferias. Se concluir que a melhor opção é deixá-lo num hotel para cães, experimente deixá-lo lá uma noite antes das férias. Dessa forma fica a saber se o seu patudo se sente ou não bem no hotel que escolheu. Muitos donos preferem levar o seu cão nas ferias. E para tal o transporte mais indicado são as autocaravanas ou roulottes. Por fim, atualmente os nossos patudos já são bem-vindos a vários hotéis, pelo que também pode considerar levar o seu cão numas férias mais convencionais.

Dia-a-dia: Ficar sozinho

Os cães são animais que vivem em matilha e, por isso, geralmente não gostam de ficar sozinhos. No entanto, um cão adulto consegue ficar sozinho algum tempo desde que seja habituado a isso desde pequeno. Ainda assim, um patudo não deve ficar sem companhia mais de mais de 4 a 5 horas por dia.

Se for estudante, estiver à procura de emprego ou de licença médica deve considerar as necessidades do seu patudo se pretender ter um emprego a tempo inteiro. Se vai passar várias horas fora de casa por dia considere, por exemplo, deixar o seu patudo numa escola para cães. Pense também se existem familiares ou amigos que tenham disponibilidade para ficar com o seu cão algumas horas por semana. Lembre-se que, infelizmente, são poucas as empresas que deixam os funcionários levar os seus patudos para o escritório.

Cachorro a receber festas

Adotar um cão: os patudos crescem

Para todas as pessoas é óbvio que um cachorrinho vai crescer. No entanto, parece que nem toda a gente percebe o que isso significa. Por exemplo, os donos ficam encantados quando o seu cachorrinho fofinho e peludo salta à sua volta quando chega a casa. No entanto, alguns meses mais tarde o peso do seu patudo aumenta significativamente e quando ele saltar para o cumprimentar a experiência deixa de ser tão divertida. Assim, é crucial educar o seu patudo desde cedo de forma que ele saiba desde cedo o que espera dele. Temas importantes de educação são o dormir na cama com os donos, pedir comida quando os donos estão à mesa ou o ladrar. Numa família com vários membros, é essencial acordarem uma estratégia comum que todos sigam para educar o patudo.

Adotar um cão: passeios obrigatórios independentemente do tempo

Todos os cães precisam de ir à rua fazer as suas necessidades. Naturalmente, quem tem um patudo adora passear com ele nos dias de sol. O problema é que regra geral os cães não sabem o que é mau tempo. Embora cães de algumas raças não gostem muito de casa com mau tempo, a maioria quer ir passear quer faça sol, quer faça chuva, e mesmo a neve ou gelo não os demove. Assim, se vai adotar um cão, lembre-se que mesmo nos dias frios e chuvosos de inverno vai ter de se levantar da cama ou do sofá para levar o seu amigo à rua. Ainda assim, passear com um cão pela natureza ou mesmo na cidade num belo dia de primavera é uma experiência a não perder!

Higiene na rua

A propósito de ir à rua, um dos objetivos dos passeios é permitir que os patudos façam as suas necessidades. E de acordo com a legislação, os donos têm que recolher as fezes do seu cão e colocá-las no lixo. Algumas cidades ou freguesias têm dispensadores de sacos para dejetos à disposição dos donos, mas isto não é a regra. Assim, não saia de casa sem sacos para recolher os dejetos do seu patudo.

Em zonas não urbanas muitas pessoas pensam que não é importante recolher os dejetos dos patudos. No entanto, deixar as fezes dos cães no campo pode ter um impacto negativo para o ambiente e para outros animais. Por exemplo, os cavalos recusam-se a comer feno que esteja contaminado com fezes de cão. Assim, habitue-se a andar sempre com um saco de dejetos na mala e apanhe sempre as fezes do seu patudo!

Em conclusão, ter um patudo na família implica responsabilidade e algum trabalho que não deve menosprezar. No entanto, se ponderar bem tudo o que significa viver com um cão e estiver preparado, de certeza que um patudo traz energia e imensa felicidade a qualquer família!

Os nossos artigos mais relevantes
5 min

A idade dos cães

Novos dados científicos aprimoraram e conversão da idade dos cães em idade humana. Descubra aqui como fazer esta conversão!