A linguagem dos cães

Escrito por Bärbel Edel
A linguagem dos cães é complexa e pode ser difícil de interpretar

Aqui está um cão feliz e bem disposto!

As pessoas que têm contato com cães há muito tempo compreendem intuitivamente o que eles querem dizer. No entanto, quem não está muito habituado a cães tem por vezes dificuldade em perceber a linguagem canina. O que não é de espantar, visto que a linguagem dos cães é muito complexa. E infelizmente os mal entendidos podem ter consequências desagradáveis. Por exemplo, se o patudo não souber mais o que fazer pode mesmo morder. Neste artigo encontra informações muito importantes que o vão ajudar a compreender melhor os patudos.

Por que razão é importante compreender a linguagem canina?

Os mal-entendidos entre as pessoas e os cães podem ser perigosos. Assim, é importante que compreenda a linguagem dos cães. Por exemplo, na grande maioria das vezes um cão dá sinais de que algo não está bem antes de morder. No entanto, algumas pessoas podem não compreender ou desvalorizar esses sinais.

Outro exemplo, há uma diferença entre o cão não obedecer porque não lhe apetece ou porque está com medo. Um cão pode não se querer sentar na berma do passeio porque tem medo dos carros que passam. Assim, se compreender o que o seu patudo lhe quer dizer, pode poupar-lhe muitos momentos desconfortáveis.

O mais importante: uma boa compreensão desenvolve a confiança e fortalece a relação que tem com o seu patudo.

Como comunicam os cães?

Tal como as pessoas, os cães têm diversas formas de comunicação. O ladrar, gemer, ganir, uivar ou rosnar fazem parte da comunicação oral dos cães. No entanto os cães não usam apenas a sua voz para comunicar. Pelo contrário, os cães comunicam com todo o corpo, ou seja, usam com muita frequência a linguagem corporal. Um exemplo de comunicação por gestos nos cães é o abanar da cauda, já um exemplo de comunicação facial é o mostrar dos dentes.

As informações dadas pelos odores

Os cheiros e odores que existem à nossa volta têm um papel central no mundo dos cães. Isto deve-se à capacidade olfativa dos cães, que é muito superior à das pessoas – enquanto um cão tem até 300 milhões de células olfativas, as pessoas têm apenas 5 milhões. Assim, não é de admirar que os cães consigam encontrar pessoas desaparecidas com facilidade.

Os cães também comunicam entre si e com outros animais através do cheiro de urina e de fezes. Por isso, é natural que o seu patudo queira cheirar todos postes e árvores, afinal eles não querem perder qualquer informação sobre a vizinhança. Além de cheirar, é também comum alguns cães lamberem o que outros animais deixaram para trás.

A linguagem dos cães deve ser compreendida contextualmente

A linguagem canina é muitas vezes dúbia, por isso para compreender o que o seu cão lhe quer dizer deve observar o contexto em que ele está. Se ignorar o que se está a passar ou o que acabou de acontecer pode facilmente enganar-se ao interpretar o seu patudo.

Por exemplo, os cães costumam lamber o nariz na presença de outros cães como forma de os apaziguar. Mas se o seu cão lamber o nariz quando sabe que vai receber uma guloseima, provavelmente está apenas a limpar o nariz.

Linguagem canina: o ladrar

São muitas as razões que levam um cão a ladrar. Por exemplo, o seu patudo pode ladrar quando tem fome, sede, quando quer ir à rua, ou porque quer que brinquem com ele. Nestes casos o ladrar está associado à necessidade ou desejo de ter atenção.

Mas o significado do ladrar varia muito. Por exemplo, os cães também ladram para avisar os donos que há um estranho na casa ou quando se se sentem ameaçados. Neste último caso, se o ladrar não afastar a ameaça, o passo seguinte pode ser o morder. Infelizmente o ditado cão que ladra não morde nem sempre é verdade.

Chamada de atenção ou um aviso?

Como posso saber se o meu cão quer apenas atenção ou se me está a avisar que algo está errado?

A regra geral é: se os latidos forem agudos, o seu patudo provavelmente quer a sua atenção. Por outro lado, latidos profundos e graves indicam que ele está mesmo zangado ou que se sente ameaçado. Mas no que se refere à linguagem dos cães é também importante conhecer as características das raças. Por exemplo, os Chihuahuas produzem latidos mais agudos do que um Serra da Estrela, que tem uma voz mais grave por natureza.

Também alguns cães ladram por tudo e por nada e deixam os nervos dos donos em franja. Mas geralmente um patudo que ladra demais é porque não se exercita adequadamente física e mentalmente.

O nosso artigo Habituar o seu cão a ladrar menos explica como pode resolver este problema.

O uivar faz parte da linguagem dos cães
Não são só os lobos que uivam. Também os nossos patudos o podem fazer, como este Malamute do Alasca mostra.

Uivar promove a coesão

Ao uivar um lobo indica que pertence à matilha e assim promove a coesão do grupo. Os lobos também podem uivar para indicar aos companheiros a sua localização ou para avisar que há perigos nas imediações.
Os cães também uivam, uns mais outros menos. Entre as raças de cães com mais tendência a uivar estão os Basset Hounds, Beagles e Huskys.

Uma curiosidade, o seu cão acompanha o toque dos sinos da igreja ou de uma sirene? Os especialistas pensam que os cães interpretam estes sons como uivos, pois partilham uma frequência sonora semelhante.

Além disso, ao uivar o patudo pode também querer comunicar que sente dores, que se sente sozinho ou que está ansioso.

Dica: uive com o seu cão
Pode parecer-lhe cómico, mas os especialistas em comportamento animal defendem que os donos devem juntar-se aos uivos de vez em quando. Desse modo mostra-lhe que pertence ao seu grupo e assim reforça a vossa relação.

O significado do ganir e gemer

A linguagem canina também inclui o ganir e o gemer. Naturalmente, estes dois tipos de comunicação verbal podem ter vários significados. Por exemplo, o seu patudo pode ganir porque sabe que vai passear e está excitado e contente.

Mas também pode ganir quando sente medo ou se sente frustrado. Os cães são animais que vivem em grupo por natureza. Assim, se ficam muito tempo sozinhos em casa, alguns cães desenvolvem ansiedade de separação e podem passar muito tempo a ganir ou gemer.

O significado do rosnar na linguagem dos cães

"Nem mais um passo!" É o que o seu patudo está a dizer quando rosna. Assim, o rosnar é geralmente o último aviso que ele dá antes de morder. Por isso, e por mais estranho que pareça à primeira vista, não se chateie quando o seu cão rosnar. E não deve de forma alguma eliminar esta forma de comunicação, pois os cães que não podem rosnar mordem sem dar qualquer aviso prévio.

Linguagem corporal

Os cães geralmente sabem quais as intenções do patudo que se está a aproximar pela sua linguagem corporal. Ou seja, um cão calmo e amigável tem uma linguagem corporal relaxada e deixa os outros cães igualmente relaxados. Já um cão mais tenso tem geralmente o corpo tenso e deixa os outros cães de sobreaviso.

Um cão com uma atitude dominante tem uma postura mais agressiva e altiva. O seu corpo indica que está pronto a atacar. Por outro lado, um patudo com uma atitude defensiva tende a alinhar o corpo para baixo e para trás. O seu corpo indica que quer recuar e sair dali. Além disso, os cães inseguros e mais assustados tornam-se mesmo mais pequenos. Nalguns casos mais extremos, os cães podem deitar-se de costas de forma a demonstrar claramente a sua submissão ao outro.

O que nos diz a cauda, as orelhas e os olhos

A linguagem corporal faz também parte da linguagem canina. Assim, para realmente compreender o que o seu cão lhe quer dizer deve interpretar a linguagem oral e a corporal em conjunto.

A posição da cauda

A maior parte das pessoas pensa que se um cão está a abanar a cauda é porque está contente. No entanto, isto nem sempre é verdade. O abanar da cauda significa antes de mais que o patudo está excitado, resta saber se a excitação é positiva ou não.

Chegou a casa depois de um dia de trabalho. O seu patudo corre para si a abanar a cauda formando um arco aberto? Então pode ter a certeza que ele está muito contente por o ver.

Mas e se um cão estranho for a correr na sua direção com movimentos rígidos e com o olhar fixo? Se a cauda estiver a abanar em rapidamente e em arco fechado deve ter cuidado. Por outro lado, se o cão tiver a cauda para cima e estática provavelmente quer provocar. Já se a cauda estiver esticada horizontalmente é um sinal de ameaça. Por fim, se a cauda estiver para baixo significa que o patudo se sente inseguro ou com medo.

Os olhos e a posição das orelhas

Também a expressão dos olhos e a posição das orelhas fazem parte da linguagem dos cães. Assim, se um cão olhar fixamente para outro cão ou pessoa interprete isto como uma ameaça, especialmente se as pupilas estiverem contraídas. Nessas situações as orelhas estão viradas para a frente. Por outro lado, se o patudo tiver as orelhas para trás é sinal de medo, insegurança ou submissão.

Já um cão calmo e relaxado apresenta os músculos faciais também relaxados e as pupilas dilatadas. Por fim, um cão não agressivo que quer acalmar o outro cão ou pessoa vira a cabeça para o lado.

Dica para patudos com orelhas caídas
O seu cão tem grandes orelhas caídas? Nesses casos é difícil ver o movimento das orelhas, por isso preste atenção à base das orelhas, a zona onde se inserem na cabeça.

Linguagem canina: quando um patudo mostra os dentes

Se um cão tem o lábio superior para cima e mostra apenas os dentes da frente deve ter muito cuidado. Trata-se de uma forma de ameaça clara e verdadeira, especialmente se ele tiver o corpo tenso e olhar o seu oponente fixamente.

Por outro lado, um cão que mostra todos os dentes está provavelmente a ter uma atitude de ameaça defensiva. Nesse caso o patudo desvia o olhar do seu oponente e tem o corpo direcionado para trás e para baixo. Além disso tem a cauda para baixo. Este comportamento significa que ele está com medo, mas ainda assim pronto a defender-se.

O sorrir ou rir nos cães

Também este comportamento pode ser dúbio. Muitos cães apresentam o chamado sorriso submisso. Nessas situações eles mostram os dentes e ao mesmo tempo adotam uma postura agachada com a cauda a abanar ou para baixo.

Deste comportamento surgiu o sorriso social, uma forma de comunicação reservada às pessoas. Quando um cão adota um sorriso social ele abre ligeiramente o focinho e mantém os lábios puxados ligeiramente para trás. Além disso, o corpo está ereto, mas relaxado e abana a cauda.

Compreender a linguagem dos cães através de vídeos

Geralmente os cães mexem-se muito e depressa. E se estiverem a brincar com outros cães, os donos dificilmente se conseguem aperceber de todas as nuances na sua linguagem corporal e expressão facial. Em muitos casos não é fácil perceber se eles continuam a brincar ou se a situações se tornou mais tensa.

Assim, se quer conhecer melhor o seu cão, leve o telemóvel com câmara de vídeo quando for passear. Depois veja o vídeo em câmara lenta e prepare-se, pois pode ter grandes surpresas.

Também encontra no YouTube imensos vídeos que explicam a linguagem canina.


Bärbel Edel
Bärbel Edel

I am a journalist, love animals and have already researched the relationship between humans and dogs during my folklore studies. A few years ago I adopted a tomcat from the Munich animal shelter. Elvis was the reason to start my cat blog "Lieblingskatze" and also to deal with animals in a journalistic way. With my articles I would like to help people understand their pets better.


Os nossos artigos mais relevantes
7 min

Adoção de cães

Se quer adotar um cão e está à procura dum cão sem raça definida, deve dirigir-se a uma associação protetora de animais.