Quando os cães arfam durante a noite: dicas para noites tranquilas

o que fazer se o cão arfa à noite

Arfar faz tanto parte dos comportamentos de um cão quanto abanar a cauda e não constitui, por norma, motivo para preocupação. Mas e se o animal arfar de tal modo durante a noite que não consegue descansar? Descubra neste artigo os motivos que levam os cães a arfar à noite e o que fazer para ajudar o seu companheiro de quatro patas.

Porque arfam os cães?

Todos os cães arfam – uns mais, outros menos. Arfar ajuda-os a baixar a temperatura corporal, pois, ao contrário de nós, humanos, os cães só têm glândulas sudoríparas nas patas. No fundo, não chegam a suar; apesar disso, o corpo destes animais tem necessidade de arrefecer, nomeadamente em períodos de muito calor ou depois de fazerem exercício. Do mesmo modo que nós regulamos a temperatura do corpo suando, os cães arfam.

Ao porem a língua de fora e aumentarem a frequência respiratória, a saliva dos cães evapora, o que faz com que arrefeçam. Tendo em conta que o fluxo de saliva é bastante mais forte nos cães do que nos humanos, este método é bastante eficiente. Porém, e se o cão não arfar após momentos de exercício físico ou no pico do verão, mas sim durante a noite, quando deveria estar a descansar e a sua frequência respiratória a diminuir?

Arfar durante a noite – motivo para preocupação?

À nossa semelhança também os cães precisam de descansar à noite. A pulsação e a pressão sanguínea diminuem e a frequência respiratória situa-se entre as 10 e as 40 respirações por minuto. Todavia, ao arfar intensamente, a frequência respiratória dos cães aumenta para 300 a 400 respirações por minuto. Quando as noites quentes de verão mal refrescam ou após um passeio de final de tarde mais cansativo, é natural que tenha necessidade de arfar, independentemente da hora do dia.

Também o físico e o formato da cabeça do animal têm influência: raças de focinho curto, como Pequinês ou Pug, não têm um arfar tão eficiente, já que as suas vias respiratórias são bastante curtas. Assim, para diminuírem eficazmente a sua temperatura corporal precisam de arfar com bem mais intensidade do que outros cães. Os cães de maior porte apresentam, em relação aos de porte pequeno, maior necessidade de arfar, já que necessitam de mais tempo para arrefecerem.

Porém, se o animal arfa com muita intensidade durante longos períodos de tempo e sem motivo aparente, podemos estar perante um sinal de mal-estar. Neste caso, é fundamental dar-lhe atenção e auxílio.

Motivos para o arfar noturno

Existem diferentes motivos para que os cães arfem mais durante a noite, incluindo:

  • Elevada temperatura ambiente: Não apenas no verão, mas também no inverno (caso faça uso das várias modalidades de aquecimento), a temperatura ambiente pode ser elevada. No caso de o seu cão ser sensível ao calor e se a sua cama estiver colocada mesmo ao lado do aquecedor ou da lareira, é certo que não conseguirá dormir. O mesmo se aplica às noites quentes de verão, altura em que as temperaturas dificilmente descem e a cama do animal aqueceu ao sol durante todo o dia. Na impossibilidade de um local mais fresco para descansar, é provável que, para descer a temperatura corporal, arfe mais.
  • Atividade intensa antes de ir dormir: Nem sempre há tempo durante o dia para o animal se exercitar o suficiente, pelo que alguns donos tentam compensar à noite. Chegados do trabalho os donos levam os animais para uma pequena corrida na floresta ou no jardim e até para os acompanharem num passeio de bicicleta - a verdade é que alguns cães fazem bastante exercício à noite. Dependendo do seu físico e condição, podem precisar de mais tempo para recuperar a temperatura normal, passando, assim, grande parte da noite a arfar, apesar de enroscados na sua mantinha há algum tempo.
  • Stress, medo ou ansiedade: À semelhança dos humanos, os cães podem reagir a situações de stress e medo com a pulsação e respiração aceleradas. Então, arfar pode significar que o seu patudo está com medo ou que se assustou com algo. Barulhos fora do comum, como de fogo-de-artifício, podem causar pânico nos cães mais sensíveis, que reagem arfando com intensidade. Também a ocorrência de determinadas situações durante o dia podem sobrecarregar o animal de tal modo que o impedem de descansar à noite. Outros cães sentem medo quando todas as luzes do apartamento estão apagadas e têm que dormir sozinhos em certa divisão da casa, estando a porta do quarto dos donos fechada. De modo a determinar as causas da ansiedade é fundamental observar o animal durante vários dias. Em que noites se intensifica o arfar? Aconteceu alguma coisa estranha durante o dia? Houve alguma alteração na rotina? Ouviu-se algum ruído estranho durante a noite? Ao contrário do habitual, deixou a janela aberta ou, por exemplo, alterou a zona da cama do animal?
  • Comer demasiado tarde ou mal: Alimentar o animal imediatamente antes do seu período de descanso pode ser um motivo para o aumento do arfar. Carnes vermelhas cruas, especialmente de vaca ou de outros animais de grande porte, como búfalo ou bisonte, estimulam o corpo a produzir mais calor. Assim sendo, o animal é obrigado a arfar para arrefecer a temperatura corporal. Também problemas gastrointestinais ou alterações metabólicas podem fazer com que o cão não tolere a ingestão tardia das refeições e demonstre o seu incómodo através do arfar. Em resumo, o recomendável é alimentar o animal durante o dia, entre uma a duas refeições principais, de acordo com as suas necessidades; evite alimentá-lo à noite, particularmente com carne.
  • Doenças e dor: Se o seu patudo arfa com especial intensidade durante a noite, é possível que uma doença esteja por detrás desta atitude. Pode acontecer que as dores se tornam mais fortes no momento de descansar, isto é, quando o cão já não está distraído com a agitação do dia a dia. Se considerar que o arfar não se deve a nenhuma das situações acima descritas, deve consultar um veterinário. Não é incomum os cães expressarem dores fortes, como nos órgãos internos, articulações ou feridas, através de arfar intenso. Problemas pulmonares ou cardíacos, tal como o hipotiroidismo, são ainda outros motivos para os cães arfarem.

Medidas a tomar contra o arfar noturno

No caso de o arfar estar relacionado com uma causa inofensiva, como calor, esforço físico ou refeições tardias, não será difícil ajudar o patudo a recuperar a tranquilidade. Se o stress for a causa será fácil reduzi-lo, com tato e paciência. Dependendo da causa, é possível reduzir ou prevenir o arfar através das seguintes medidas:

  • Se o motivo for o calor, experimente um tapete refrescante: Nos dias mais quentes, quando a casa aquece durante todo o dia, bem acima dos 30 graus, e dificilmente arrefece à noite, certifique-se de que o seu patudo consegue refrescar-se. Retire mantas e almofadas da zona de descanso do animal e deixe-o dormir sobre o chão de pedra ou de azulejos. Caso estas superfícies não sejam ainda suficientemente frescas ou, por outro lado, rejeitadas pelo animal, um tapete refrescante pode ser a solução; este acessório é imerso em água fria por alguns minutos, oferecendo depois várias horas de frescura. Os coletes refrescantes funcionam do mesmo modo.
  • Se o motivo for o esforço físico, tais atividades devem ser realizadas durante o dia: É claro que existem cães que têm demasiada energia e que não se importariam de passar o dia a correr. De qualquer maneira, assegure-se que o animal tem tempo suficiente para regular a temperatura corporal após as atividades físicas. O exercício físico deve ocorrer logo pela manhã e ao longo do dia, permitindo que o animal se satisfaça com um pequeno passeio noturno pelo quarteirão.
  • Se o motivo for stress ou medo, alterar a área de descanso do cão: Se o animal manifesta medo durante a noite, seja porque não vê o dono, ou porque ouve barulhos estranhos vindos da janela aberta, experimente mudar-lhe a zona de descanso. Caso o patudo não tenha permissão para dormir na cama com o dono, por que não colocar-lhe a cama aos pés da do dono ou num cantinho do quarto. Pode, assim, passar a noite na mesma divisão que o dono, ouvir a sua respiração e sentir-se mais calmo. Sugerimos também fechar a janela, caso entrem ruídos. Por vezes, basta uma luz de presença para acalmar o animal e mostrar-lhe que está tudo bem.
  • Caso seja uma questão de alimentação, evite as refeições tardias e ofereça carne apenas durante o dia: Tal como já mencionámos, as refeições fora de horas podem sobrecarregar o aparelho digestivo do seu patudo e fazer com que arfe à noite. Ao disponibilizar-lhe uma ou duas refeições diárias completas, com todos os nutrientes essenciais, será fácil evitar fazê-lo à noite. Uma alimentação saudável com horários regulares tem um efeito decisivo no bem-estar do seu companheiro de quatro patas.

Quando consultar um veterinário

Quando o arfar noturno é demasiado intenso e não é possível identificar uma causa específica, como calor ou elevado esforço físico, recomendamos que consulte um médico veterinário com rapidez. Realizando diversos exames, o veterinário irá concluir se por detrás do arfar noturno está alguma dor e/ou doença grave. Quanto mais cedo a doença for detetada, mais rapidamente e melhor o seu patudo será auxiliado.

O desejo da zooplus: noites tranquilas para ambos!

Os artigos mais lidos

Como educar um cachorro

Deve começar cedo a educar o seu cachorro e aproveitar o facto de serem curiosos para ensiná-los de forma divertida mas consistente.