Alimentação para cães com problemas nas articulações

Alimentação para cães com problemas nas articulações

Alimentação para cães com problemas nas articulações

Os cães adoram a atividade física e o movimento – durante os passeios com os donos e até mesmo alguns desportos direcionados para cães. Mas e se subitamente a atividade física for sinónimo de dor? Os problemas nas articulações são atualmente dos mais comuns entre os cães. Descubra neste artigo como prevenir os problemas nas articulações do seu fiel amigo e qual o tipo de dieta mais adequada para tal.

Dores nas articulações: displasia de anca, artroses e outros problemas

Um dos problemas mais comuns entre os cães é a designada displasia de anca. É bastante frequente entre raças de porte médio e grande, mas a verdade é que cães de raça pequena podem também desenvolver este problema. Tal como a displasia do cotovelo, a displasia de anca é hereditária. Através de testes genéticos e uma rigorosa seleção dos animais de criação, os criadores tentam reduzir a prevalência deste problema nas suas ninhadas. Outras situações que podem agravar o problema são a falta de exercício, o excesso de peso ou uma nutrição deficiente.

As causas dos problemas nas articulações

A ingestão em demasia dos produtos alimentares errados poderá levar ao crescimento prematuro dos cachorros. As cartilagens e os ligamentos não conseguem acompanhar o desenvolvimento dos ossos e são incapazes de suportar o peso do animal. Os problemas articulares podem assim ter causas bastante complexas. A osteoartrite, que frequentemente se desenvolve como resultado de outro problema nas articulações e que leva à destruição dolorosa das cartilagens articulares, é favorecida por inúmeras razões. Desta forma, a idade, o excesso de peso, o stress, artrite crónica ou mesmo lesões ou doenças ortopédicas, são as causas das artrites.

Prevenir os problemas nas articulações

Além da predisposição genética ou de lesões ortopédicas, o desenvolvimento dos problemas articulares está relacionado com a obesidade ou uma dieta demasiado calórica. É essencial estar atento ao plano nutricional do animal e, se necessário, tomar medidas para evitar problemas articulares. Uma dieta apropriada tem um papel crucial no combate a este problema de saúde.

A nutrição adequada desde o início

Ainda que os problemas nas articulações apenas surjam em idades avançadas, as causas da doença estarão enraizadas desde tenra idade. O risco de desenvolver displasia de anca ou outros problemas similares aumenta se se verifica um crescimento acentuado do cão durante os primeiros meses de vida. Além das calorias excessivas, a ausência de certos nutrientes pode contribuir para o desenvolvimento destes problemas. Tendo em conta que se encontram em fase de crescimento, os cachorros precisam de mais cálcio e fósforo do que os cães adultos. Ao não serem obtidos em quantidade suficiente, o resultado são ossos pouco estáveis. Por outro lado, a ingestão destes minerais em excesso pode ser igualmente problemática. Fósforo em demasia contribui para ossos quebradiços. Além disso, os cães, ao comerem demasiado, poderão sofrer de excesso de peso ao longo da vida, o que, em consequência, é sinónimo de demasiada pressão nas articulações.

Adaptar a alimentação ao desenvolvimento do cão

Para evitar uma dieta tanto em excesso como por defeito, as calorias e o valor nutricional devem ser sempre adaptados às necessidades individuais do animal. Dependendo da raça, idade e peso do seu fiel amigo, estas podem variar significativamente. Além disso, o nível de atividade física e o estado de saúde do animal têm um papel decisivo na escolha da comida. Para chegar à conclusão sobre quais os alimentos mais indicados para o seu cão, é preciso analisar uma série de fatores. Os conselhos do seu veterinário ajudá-lo-ão a perceber quais as necessidades exatas do seu fiel amigo e, desta forma, a elaborar um plano nutricional ideal.

Melhor alimentação para a saúde das articulações

Uma dieta baseada nas necessidades específicas do seu cão pode ter uma influência central para o desenvolvimento ou nível de gravidade dos problemas articulares – mas é incapaz de proteger totalmente o animal. No entanto, mesmo que a doença já se esteja a manifestar, conseguirá aliviar a intensidade do problema e das dores através de um plano nutricional adaptado. Especialistas nesta área descobriram quais os ingredientes que contribuem para articulações mais saudáveis.

Ácidos gordos, mexilhão de lábios-verdes e glucosamina

Os ácidos gordos Ómega 3 têm um efeito anti-inflamatório e analgésico sobre as articulações. Estes ácidos gordos insaturados encontram-se em grandes quantidades no óleo de peixe (óleo de salmão) ou no óleo de linhaça, por exemplo. Antioxidantes como as vitaminas C e E, glucosamina e condroitina atuam ao nível da proteção das articulações e melhoram a mobilidade de cães acometidos por este problema. Tanto o sulfato de glicosaminoglicanos como o de condroitina encontram-se em abundância no mexilhão de lábios-verdes (Perna canaliculus). Um efeito inibidor da inflamação está também presente na urtiga, uma planta com propriedades medicinais.

Ao preparar ou comprar a comida certifique-se de que estes ingredientes fazem parte da composição alimentar. Se optar por incluir estas substâncias na dieta do animal, deve considerá-los como uma parte da ração diária, pois a simples adição de determinados nutrientes à dose de comida do animal poderá levar ao consumo excessivo de gorduras e energia. Tendo em conta que as queixas relativas às articulações são muitas vezes sinónimo de redução no movimento, e, por acréscimo, de excesso de peso, deve optar por uma dieta pobre em calorias. É imperativo evitar gorduras desnecessárias, produtos de enchimento e açúcares.

Outras medidas a tomar para uma nutrição adequada

Com a ajuda da nutrição apropriada, as queixas relativas às dores nas articulações podem não só ser reduzidas, como até evitadas. É também importante estar atento ao nível de atividade do seu cão. O movimento tem um efeito positivo não só no estado de espírito do animal, como igualmente nas articulações. Simultaneamente, o aumento do consumo de energia evita ou reduz o excesso de peso. Porém, saltos e paragens abruptas são de evitar. Jogos que envolvam corridas atrás de bolas ou de paus devem apenas ocorrer depois de um pequeno passeio, possibilitando ao animal aquecer os músculos.

Como proteger as articulações do seu cão

A atividade física em demasia deve ser evitada durante os primeiros momentos de vida dos animais, isto porque tanto os ossos como as articulações ainda estão a crescer. Escadas, saltos mais altos e jogos rápidos de busca colocam demasiada pressão sobre as articulações e estão associados ao aparecimento deste tipo de problemas, mais tarde. Para os passeios, deve preferir os prados, florestas e trilhos – são caminhos menos acidentados do que o chão de alcatrão. A aquisição de uma cama macia é também recomendável.

Atividade física adaptada ao desenvolvimento do seu fiel amigo e uma dieta que respeite as suas necessidades consituem as bases de uma vida saudável e longa. Mesmo que a doença seja uma realidade, tenha em conta as dicas deste artigo para aliviar as dores nos ossos e articulações do seu cão.

Para o seu cão os nossos desejos de “bom apetite“ e, acima de tudo, que descubra a alegria do movimento!

Os nossos artigos mais relevantes

Comida para Border Collie

Conheça as características que a alimentação do seu Border Collie deve ter, segundo cada fase da sua vida: cachorro, adulto e senior.