Problemas digestivos nos cães

Em colaboração com Royal Canin

Quando a diarreia dificulta a vida

A indigestão é um problema comum e, acima de tudo, bastante desconfortável. Existem inúmeros motivos para a ocorrência de diarreia. Problemas a nível nutricional ou dos órgãos internos, tal como infeções causadas por parasitas intestinais devem ser considerados como hipotéticas causas de patologias digestivas. Em primeiro lugar, o médico veterinário optará pelo tratamento padrão e, regra geral, a diarreia dita “normal” desaparecerá rapidamente. A questão complica-se quando o problema se torna recorrente – a partir daqui, os motivos devem ser escrutinados em detalhe.

A alimentação certa

Neste momento, devemos centrar-nos na análise da alimentação. Quanto mais sensível for o aparelho digestivo, mais fundamental se torna oferecer aos cães uma alimentação de elevada qualidade e de fácil digestão. Croquetes digeríveis e alimentos completos compostos por flocos finos constituem a dieta mais adequada. Em qualquer caso, é recomendável distribuir a dose diária alimentar por diversas pequenas refeições e colocá-la em água quente (a aproximadamente 50º C) para que inche antes de a disponibilizar ao animal. Deste modo, o funcionamento dos órgãos é aliviado.

Royal Canin Maxi Digestive Care

Royal Canin Maxi Digestive Care é adequado para satisfazer as necessidades de cães de raças grandes com sensibilidades alimentares.

  • Contém um elevado teor de proteínas de alto valor biológico
  • Fácil digestão e fibras selecionadas,
  • Favorece a  flora intestinal equilibrada
  • Melhora a consistência das fezes do seu cão.

A quantidade certa

Se após as alterações na alimentação os sintomas persistirem, é necessário analisar o tipo e a quantidade de comida oferecida aos animais. No caso dos cachorros e de cães praticantes de desporto, a tendência é para lhes disponibilizar comida em excesso, além de demasiado calórica. As quantidades indicadas nas embalagens de comida são meramente indicativas. Em jeito de teste, após as doses serem reduzidas e o seu valor nutritivo ser reconsiderado, não é incomum os problemas desaparecerem rapidamente. Ao encontrar uma variedade de comida bem tolerada pelo seu cão é importante mantê-la. Caso, por razões incontornáveis, seja necessário um novo ajuste à alimentação, a transição deve ocorrer de forma lenta, ao longo de 10 dias.

Atenção aos snacks

É chegada a altura de listarmos os principais erros cometidos pelos donos a nível nutricional! Alguns donos apenas se focam na qualidade das refeições principais, esquecendo-se que as guloseimas entre as refeições podem ser a raiz dos problemas. Assim sendo, o nosso conselho é que se certifique de que os ingredientes dos snacks para cães estejam devidamente designados. Termos gerais, como “carne e subprodutos da carne” ou “cereais e subprodutos de origem vegetal” ocultam ingredientes de categoria inferior e de difícil digestão. Também os corantes e os aromatizantes podem ser responsáveis por indigestões. Experimente eliminar, durante um tempo, as guloseimas da alimentação do animal e verifique se as patologias digestivas se mantêm. Ao verificar melhorias, opte por oferecer somente uma variedade. Deste modo, é fácil determinar quais os snacks tolerados e não tolerados pelo patudo.

 

E os parasitas?

Questione-se também acerca das desparasitações – quando foi a última vez que o seu cão foi submetido a este processo? Que medicação foi usada? Alguns produtos correntes têm apenas efeito sobre determinada espécie de parasita. Assim, apesar da intervenção, o cão não está totalmente livre. Ou, por outro lado, o animal pode ter sido de tal forma atingido que uma só desparasitação não é suficiente. Em casos de diarreia frequente, as fezes do cão devem ser, por rotina, objeto de análise. O veterinário consegue, assim, identificar as persistentes infestações, além de perceber se existem organismos unicelulares no intestino. Para eliminar estes parasitas são necessários tratamentos especiais.

 

Se nenhuma destas medidas for útil...

Se todas as causas, digamos, convencionais foram eliminadas mas as queixas persistirem ou forem correntes, não há outra coisa a fazer senão proceder a uma análise mais minuciosa e há vários exames disponíveis. Tendo em conta que inúmeros órgãos podem ser responsáveis por estes problemas, desde todo o trato intestinal até à tiroide, a pesquisa não é muito fácil. Por outro lado, conhecida a causa existem diversos modos e vias a seguir para a cura. E a verdade é que para praticamente todas as doenças crónicas existem dietas especiais.

 

Algumas dicas finais

  • Se o cão não estiver notoriamente bem ou apresente sintomas como vómitos e diarreia, é imperativo consultar o médico veterinário. Se tal não acontecer, a perda massiva de líquidos pode conduzir a uma crise e até ser fatal!
  • Se o animal se apresentar bem-disposto e os problemas digestivos não forem alarmantes, a ida ao veterinário não tem carácter urgente. O jejum de um dia é aconselhável para permitir ao estômago e aos intestinos acalmarem. Porém, a ingestão de líquidos é fulcral durante o jejum!
  • Controlada a diarreia e normalizados os movimentos intestinais, a retoma da dieta “normal” deve ser feita cuidadosamente. Mais uma vez frisamos: a transição deve ser feita ao longo de 10 dias.

Os nossos artigos mais relevantes

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?

Dermatite canina

Se o seu cão se coça demasiado deve apurar-se a origem do prurido, pois isso restringe o seu bem-estar e reduz a sua qualidade de vida.