Doenças dos papagaios This article is verified by a vet

Papagaios em pé num tronco de árvore. As doenças dos papagaios podem ser graves e afetam várias espécies de aves

Existem várias doenças que atingem aves trepadoras, como os periquitos e papagaios, que não são fáceis de identificar.

Existem várias doenças que atingem espécies de aves da família dos psitacídeos. Assim, se tem uma ave em casa, como por exemplo, um papagaio ou um periquito é importante estar atento e saber reconhecer os sintomas destas doenças. Descubra neste artigo os principais sintomas das doenças dos papagaios.

Doenças dos papagaios: aspergilose

A aspergilose é uma das doenças das aves mais comuns e por isso das mais conhecidas. Os papagaios e companhia apanham esta doença ao inspirar esporos do fungo Aspergillus fumigatus que pairam no ar. Uma vez no trato respiratório, os esporos desenvolvem-se formando uma perigosa camada de fungos.

Sintomas e tratamento da aspergilose

Geralmente, os papagaios que apanham esta doença apresentam sintomas respiratórios, como dificuldade em respirar ou respiração ofegante. No entanto, podem também desenvolver sintomas neurológicos, como por exemplo cãibras e tremores.

Quando existem suspeitas, o veterinário recorre a métodos de imagem, como por exemplo radiografias, para diagnosticar a aspergilose. Caso se confirme a presença do fungo na sua ave, o veterinário prescreve medicamentos antifúngicos. No entanto, a eficácia e sucesso do tratamento depende muito da extensão do corpo afetada.

Para saber mais sobre esta doença leia o nosso artigo Aspergilose nos papagaios.

Psitacose ou febre dos papagaios: uma das mais graves doenças de aves

A psitacose é um tipo de pneumonia rara, mas altamente infeciosa, causada pela bactéria Chlamydia psittaci. Esta doença afeta principalmente papagaios, araras e periquitos, no entanto também pode surgir em pombos, galinhas ou perus.

As aves apanham esta doença de várias formas, por exemplo, através de uma mordida de uma ave infetada. No entanto, a na maior parte dos casos é por inalação de poeiras em que o vírus está presente. Os sintomas que aves apresentam são muito semelhantes aos sintomas da gripe. É de salientar que esta doença pode atingir seres humanos e outros animais que tenham contato muito frequente e próximo com aves.

Diagnóstico e tratamento da psitacose

Se o veterinário suspeitar que a sua ave tem psitacose, ele faz uma colheita de material biológico que em seguida envia para um laboratório. Quando o diagnóstico é positivo, o veterinário prescreve um antibiótico para a sua ave. Além disso, o veterinário dá também indicações para controlar o desenvolvimento e transmissão desta doença, que naturalmente deve seguir à risca.

Encontra mais informações sobre esta doença no artigo Febre do Papagaio ou Psitacose da zooplus Magazine.

Doenças dos Papagaios: Doença de Pacheco

A doença de Pacheco é causada por uma espécie de herpesvírus que pode afetar todas as espécies de psitacídeos, e portanto também os papagaios. Os sintomas desta doença podem demorar algum tempo a surgir e muitas vezes os donos só se apercebem quando a saúde da ave está já muito debilitada. Existem também aves que se mantêm assintomáticas, mas que conseguem transmitir o vírus.

Diagnóstico da Doença de Pacheco

Antes de morrer, as aves com a Doença de Pacheco apresentam mal estar generalizado assim como queixas gastrointestinais. Mas, como referido acima, em muitos casos os sintomas surgem apenas quando a ave está quase a morrer. Isto significa que os veterinários têm uma janela temporal muito curta para fazer o diagnóstico e em muitos casos o diagnóstico só pode ser feito pós-morte.

Doença do bico e das penas dos psitacídeos

A doença do bico e das penas dos psitacídeos ou PBFD (do inglês Psittacine Beak and Feather Disease) é uma doença infeciosa extremamente grave causada por um vírus da família Circoviridae. O vírus da PBFD instala-se nos folículos das penas, na pele, no esófago e no papo. Em termos de gravidade, esta doença pode ser mortal ou crónica, de acordo com a idade da ave infetada.

Qual o tratamento para esta doença?

A PBFD geralmente provoca alterações nas penas e ossos da sua ave. O veterinário consegue diagnosticar esta doença através de um teste PCR e, caso o resultado seja positivo, a sua ave terá de tomar medicamentos, por exemplo analgésicos ou vitaminas. No entanto, os medicamentos têm como principal função aliviar os sintomas, visto que infelizmente ainda não existe cura para esta doença.

Doenças dos papagaios: doença de dilatação do proventrículo

Os veterinários e cientistas ainda não conseguiram determinar o que causa o aparecimento da doença de dilatação do proventrículo ou PDD (do inglês Proventricular Dilatation Disease) nas aves. No entanto, pensa-se que esta perigosa doença infeciosa, que afeta diversas funções do organismo, incluindo o sistema neurológico e digestivo, tem origem no bornavírus.

Os papagaios, periquitos e outras espécies da família dos psitacídeos ficam doentes ao entrarem em contato com fezes, penas ou pós contaminados. Uma vez no organismo, o vírus espalha-se causando inflamações variadas.

Como identificar a doença de dilatação do proventrículo

As aves infetadas perdem peso progressivamente em consequência da dificuldade em digerir os alimentos. Internamente, esta doença afeta o estômago e apresenta duas características típicas: dilatação gástrica e ao mesmo tempo afinamento da parede gástrica. O prognóstico desta doença é desfavorável, pois não existe tratamento específico.

Poliomavírus

Esta não é propriamente uma doença dos papagaios, pois o poliomavírus ataca principalmente os periquitos. No entanto, os veterinários já encontraram esta doença em araras ou em papagaios electus.

A aves ficam doentes quando entram em contato com o vírus através de fezes e penas contaminadas. Uma vez no organismo da ave, o vírus entra na corrente sanguínea e desse modo atinge diversas partes do corpo e órgãos, como por exemplo, a pele, o fígado ou mesmo o sistema nervoso.

Tratamento do poliomavírus

A evolução da doença e os sintomas depende em grande medida da idade da ave. Em caso de suspeita, o veterinário pode pedir exames que comprovem direta ou indiretamente a presença do vírus. Tal como em doenças anteriormente referidas, também não existe um tratamento específico para o poliomavírus. Assim, o veterinário prescreve medicação para aliviar os sintomas e reduzir as queixas da ave infetada.

Mais sobre este tema: Poliomavírus em periquitos (Muda Francesa)


Franziska G., veterinária
Profilbild von Tierärztin Franziska Gütgeman mit Hund

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes