Ácaros em pássaros: saiba como agir This article is verified by a vet

acaros-passaros

São várias as espécies de ácaros que se podem alojar nos pássaros. A maioria destes parasitas passa despercebida, mas algumas espécies podem causar doenças graves. Neste artigo explicamos-lhe como reconhecer e tratar a presença de ácaros em aves.

Como saber se o meu pássaro tem ácaros?

Os ácaros atuam como parasitas nos pássaros. Na verdade, são muito comuns nas aves e estão na origem de inúmeros problemas de saúde. Porém, a gravidade dos sintomas de doença depende de vários fatores, tais como do sistema imunitário do animal e das condições em que é mantido.

Esteja atento aos seguintes sinais:

  • Agitação, fraqueza e perda de peso evidentes
  • Prurido intenso com queda de penas
  • Alterações na pele, bico e garras
  • Evitação do ninho
  • Diminuição do rendimento (por exemplo, decréscimo da produção de ovos)
  • Dificuldades respiratórias, como espirrar ou tossir

Quando devo consultar o veterinário?

Em determinados casos, os ácaros podem causar sintomas sérios nos pássaros. É aconselhável consultar o médico veterinário logo que o estado geral de saúde da ave se agrave ou se der conta de algum dos sintomas mencionados acima. O veterinário procede a um exame detalhado do pássaro e ao tratamento específico para a infestação de ácaros.

Quais as opções de tratamento para a presença de ácaros em pássaros?

O tratamento depende da espécie de ácaros presente no corpo do animal. De modo a definir-se um tratamento orientado para uma espécie em particular, um diagnóstico pormenorizado é essencial.

Caso se possa identificar o tipo de ácaro através, por exemplo, de uma análise microscópica, estão disponíveis as seguintes abordagens terapêuticas:

  • Os ácaros-vermelhos requerem um tratamento bastante abrangente com medicação antiparasitária (ivermectin, por exemplo). E é possível que também o ambiente circundante requeira a sua atenção. Dado que esta espécie de ácaro pode sobreviver na gaiola durante um mês, o tratamento pode decorrer ao longo de várias semanas. Se tal não for suficiente, é indicado equacionar a renovação completa da zona da gaiola.
  • Ácaros que se alimentam de células mortas, como os ácaros das penas e das patas, responsáveis por alterações cutâneas, podem ser eficazmente controlados com preparados em pipetas (como ivermectin ou fipronil).

Para que os ácaros morram, estes produtos são aplicados no pescoço do pássaro. Na maioria das vezes, um único tratamento é suficiente. Pode ainda aplicar óleo de parafina nas áreas da pele afetadas. No entanto, este tratamento não deve ser feito durante um longo período de tempo; e, apesar disso, pode nem ser bem-sucedido. Se for esse o caso, sugerimos tentar outro produto.

  • Para erradicar os ácaros dos sacos-aéreos, pode também usar preparados em pipetas. Na maior parte das situações, porém, o tratamento dos animais afetados deve decorrer durante vários dias.

Além de um tratamento específico, pode, adicionalmente, fortalecer o sistema imunitário de pássaros doentes com medidas adicionais. Suplementos vitamínicos ou terapia de calor podem ser bastante úteis.

Que tipos de ácaros se podem encontrar nos pássaros?

São várias as espécies de ácaros que atacam aves. Entre as espécies mais comuns em Portugal contam-se:

Ácaro-vermelho (Dermanyssus gallinae)

Estes ácaros, que se encontram em cinzento-claro mas sobretudo em vermelho, alimentam-se do sangue do hospedeiro penetrando na pele com a sua longa boca. Uma característica particular desta espécie é o seu aparecimento temporário, já que passa a maior parte do tempo nas proximidades do hospedeiro – gosta de se esconder em ninhos, fissuras e pequenas fendas. Além de galinhas e pombos, também afeta canários e pássaros selvagens.

Ácaro das patas (Knemidocoptes mutans)

Este tipo de ácaro provoca alterações na pele das aves, conferindo um aspeto escamoso, e ataca especialmente as galinhas. Ao se alimentar de pele e de células mortas, este parasita também está associado a comichão e a redução da produção de ovos.

Ácaro dos sacos-aéreos (Cytodites nudus)

O ácaro dos sacos-aéreos é encontrado no trato respiratório e ataca uma enorme variedade de espécies de pássaros, como galinhas, perus, pombos e aves domésticas, como os periquitos. A infestação por este tipo de ácaro pode passar despercebida durante bastante tempo. Porém, o parasita pode conduzir a graves inflamações dos sacos-aéreos ou ao estreitamento das vias respiratórias.

Ácaro das penas (Knemidokoptes pilae)

Periquitos e canários podem desenvolver sarna no bico e nas patas no âmbito de uma praga de ácaros das penas. É bastante similar ao ácaro das patas nas galinhas e alimenta-se também de pele e de células mortas.

Como prevenir o aparecimento de ácaros nos pássaros?

Para evitar que os seus pássaros entrem em contacto com aves selvagens pode cobrir a zona exterior da capoeira com uma rede ou construir uma gaiola, por exemplo. No entanto, tenha atenção ao tamanho da malha, que deve ser suficiente.

Já que os ácaros-vermelhos gostam de se deter nos ninhos, os ninhos antigos devem ser removidos. Para poupar os novos ninhos à presença de ácaros, pode adquirir materiais de nidificação especiais.

De modo a prevenir uma infestação por ácaros é fundamental a limpeza regular de toda a área circundante, incluindo da zona de alimentação e do bebedouro. Além disso, pode ser efetuado um tratamento preventivo recorrendo a diferentes antiparasitários.


Franziska G., veterinária
Franziska G.

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes