Periquitos

Os periquitos são originários da Austrália e pertencem à família dos papagaios. Atualmente estes pássaros com penas coloridas são dos mais populares na Europa. Aqui encontra informações sobre a sua origem e criação, assim como dicas sobre como cuidar deles.

Personalidade

Sociável e conversador

Na Austrália os enormes bandos de periquitos podem chegar a ter 2.000 indivíduos. Assim, não é de estranhar que estes pássaros sociais não gostem de estar sozinhos. Por isso, se está a pensar trazer este pássaro para a sua família, é muito aconselhável adquirir pelo menos dois. Estes pássaros simpáticos só se sentem mesmo bem com um companheiro com quem estejam sempre em contato. Além disso, observar os periquitos a socializar é sempre fascinante, pois eles têm um enorme repertório de sons e expressões corporais.

Os periquitos precisam de companheiros

A grande maioria dos periquitos tornam-se muito dóceis com o tempo. No entanto, o contato com as pessoas não é suficiente para as necessidades sociais destes pássaros. Alternativas como colocar um espelho ou um pássaro de plástico na gaiola não são adequadas. Assim, é aconselhável ter grupos de dois a seis periquitos, metade fêmeas, metade machos. Regra geral, os machos convivem bem entre si. No entanto, as fêmeas quando sozinhas entram frequentemente em conflito. Além disso e contrariamente ao que acontece com outras espécies, os periquitos fêmeas costumam ser dominantes em companhia de outros pássaros.

Origem e criação

O país de origem dos periquitos é a Austrália. E em estado selvagem, estes pássaros vivem em grandes bandos e habitam campos, savanas e, com alguma frequência, também bosques. Além disso, são pássaros nómadas que viajam à procura de comida. Os periquitos não voam mais de 3 horas sem paragens, mas nesse intervalo de tempo podem percorrer cerca de 100 km. Apenas a zona oeste da Austrália apresenta condições climatéricas suficientemente boas para que os periquitos encontrem água e comida todo o ano. Por esta razão, os periquitos que habitam esta zona são sedentários.

Da Austrália para a Europa

Os primeiros periquitos chegaram à Europa em 1840 a bordo do navio do cientista inglês John Gould. Foi assim que chegaram vários exemplares desta espécie ao Reino Unido. E o sucesso que estes passarinhos coloridos fizeram entre os europeus foi tal que a procura cresceu significativamente. Também a importação de animais exóticos da Austrália aumentou. No entanto, a viagem era muito exigente e muitos pássaros acabavam por morrer. Assim, deu-se início à criação de periquitos na Europa. Em 1846 foi anunciada a primeira criação bem-sucedida destes pássaros em França, seguida pelo Jardim Zoológico de Antuérpia em 1850. Também um criador privado alemão anunciou ter conseguido criar periquitos com sucesso em 1855.

Proibição de importação de periquitos da Austrália leva a criação em massa na Europa

Inicialmente, os criadores europeus não conseguiam responder à procura deste pássaro colorido. Assim, praticamente todos os navios que saiam da Austrália para a Europa traziam periquitos a bordo. No entanto, em 1894 a Austrália pôs fim à exportação em massa destas aves ao proibir a saída de animais selvagens do país. E esta lei ainda está em vigor. Consequentemente, a criação de periquitos na Europa no século XIX cresceu exponencialmente. Na Alemanha, França e Inglaterra a criação de periquitos para venda tornou-se uma atividade relevante. No início do século XX os periquitos chegaram à América. Atualmente, este é um dos mais populares pássaros domésticos no mundo.

Aspeto dos periquitos

Os periquitos selvagens têm uma plumagem esverdeada que lhes serve de camuflagem contra predadores. Mas os periquitos domésticos têm várias cores, como por exemplo, azul, amarelo ou branco. Esta variedade foi alcançada intencionalmente através da criação. Uma particularidade apreciada nestes pássaros são as listas estreitas que surgem na cabeça e na parte posterior das costas. Estas listas alargam até alcançarem as asas. A maioria destas aves tem penugem amarela da cara até ao pescoço. Outra característica, são as 4 a 6 manchas redondas pretas no pescoço.

Identificar a idade dos periquitos

Podemos identificar a idade de um periquito ao observar a parte superior do bico, ou cera, e os olhos. A cera de um juvenil tem uma cor mais clara e os olhos ainda não desenvolveram a íris. Nos periquitos mais velhos a íris é claramente visível e vai mudando de cor à medida que o pássaro atinge a idade adulta. A cor da cera nos periquitos adultos é mais intensa, mas de acordo com a tonalidade podem notar-se diferenças. Os periquitos tornam-se adultos entre o terceiro e o sétimo mês.

Macho ou fêmea?

Determinar o sexo de um periquito não é muito fácil, pois os machos e as fêmeas não apresentam diferenças na plumagem colorida. Assim, a única forma de determinar o sexo destas aves é através da observação da cera. Regra geral, as fêmeas apresentam uma cera castanha, enquanto nos machos esta zona é azul. No entanto, em consequência das alterações introduzidas através da criação, a cera nos machos pode ter tonalidades que vão do violeta ao rosa. Os periquitos têm um comprimento de aproximadamente 18 cm da cabeça à cauda e pesam entre 25 e 40 g independentemente do sexo.

Um periquito como animal de estimação

Os periquitos são animais de estimação muito populares, pois são muito bonitos, ativos e conversadores. Além disso, vivem bem em pequenos apartamentos, não são muito caros e os cuidados não são dispendiosos. Para famílias com crianças, os periquitos são uma boa alternativa aos cães e gatos.

No entanto, antes de tomar uma decisão é aconselhável ter a certeza que pode proporcionar ao novo membro da família uma vida adequada. Estes pássaros são muito sociáveis e também muito ágeis. Assim, para estarem felizes precisam de um espaço adequado para se movimentarem. Para os periquitos é essencial viverem numa gaiola grande e terem possibilidade de voar livremente de forma regular. Além disso, os periquitos precisam de ser alimentados diariamente e devem ter sempre água limpa disponível. A gaiola deve ser limpa regularmente, o que incluiu trocar a areia. Com os cuidados essenciais, os periquitos vivem à vontade 15 anos. No entanto, não é aconselhável fazer uma surpresa a alguém e oferecer um periquito. Esta ave também não é adequada para experimentar o que é ter um animal de estimação.

A gaiola adequada para os periquitos

No que diz respeito às gaiolas para pássaros há uma regra básica: não existem gaiolas muito grandes! Na verdade, por maior que seja, a gaiola representa sempre uma enorme restrição de movimento para os pássaros. Para minimizar este problema, a gaiola deve ter no mínimo 1m por 1,5 m de comprimento, 80 cm de largura e 80 cm de altura. Este formato deve-se ao facto de os periquitos voarem principalmente na horizontal e assim, o comprimento é mais importante do que a altura. Gaiolas em altura ou gaiolas arredondadas não são adequadas para os periquitos. Além disso, quanto mais simples for a estrutura exterior da gaiola melhor. Por outro lado, o interior da gaiola deve ter vários equipamentos, pois os periquitos são pássaros alegres que gostam de brincar. Abaixo indicamos alguns acessórios para a gaiola do seu periquito. Assim, vai fazer o seu passarinho ainda mais feliz.

Acessórios, brinquedos e companhia

  • Poleiros de madeira
    Os poleiros feitos com ramos de árvore tratados apresentam várias vantagens relativamente a poleiros de plástico ou de madeira prensada. Por exemplo, estes poleiros contêm minerais, ajudam a fortalecer os músculos das pernas, previnem o aparecimento de úlceras nos pés e ajudam a manter as unhas curtas. E para encontrar um poleiro destes não precisa de ir a uma loja de animais. Basta dar um passeio numa zona arborizada e procurar no chão um ramo adequado à sua gaiola. Árvores como o Amieiro, a Tília, o Álamo, o Salgueiro ou de árvores de fruto fornecem ramos de diversos tamanhos e espessuras, adequados às gaiolas e aos pássaros. Depois de encontrar os ramos que pretende lave-os com água e deixe-os secar por alguns dias.
  • Banheiras
    Os periquitos adoram tomar banho. Por isso, eles vão ficar encantados se colocar uma banheira à entrada da gaiola ou uma caixa rasa com água no chão.
  • Pedras afiadoras
    Um osso de choco ou uma pedra de afiar faz parte dos acessórios básicos de uma gaiola. Ao mordiscar o osso ou a pedra, o periquito afia o bico e consegue suprir as suas necessidades de cálcio.
  • Areia para pássaros
    Enquanto passeiam pelo chão da gaiola, os periquitos gostam de ir apanhando uns grãozinhos. Assim, a melhor areia para o seu periquito deve ser enriquecida com cálcio e conchas de crustáceos. Este tipo de areia também absorve os dejetos dos pássaros e assim ajuda a desinfetar a gaiola. Além disso, fornece minerais importantes e ajuda a regular o trânsito intestinal. Areia normal ou terra não são coberturas de chão adequadas para as gaiolas, na verdade estes materiais podem mesmo ser perigosos para os pássaros.
  • Comedouro e bebedouro
    Os periquitos devem ter sempre água fresca e comida à disposição. Assim, comedouros inoxidáveis e dispensadores de água são acessórios fundamentais na gaiola. A comida e a água devem ser repostas diariamente. Além disso, taças com grãos ou fruta fresca não devem ser colocados por baixo dos poleiros, pois os dejetos dos pássaros podem sujar a comida.

Outros brinquedos

Os periquitos gostam muito de escalar e ficam fascinados com qualquer coisa que brilhe, faça barulho ou que se mexa. Assim, para que o seu periquito se divirta, pode colocar na gaiola acessórios como por exemplo, baloiços, cordas, escadas, sinos ou bolas. Para que o periquito não perca o interesse nos brinquedos, é aconselhável ir mudando os acessórios. É também importante ter em conta que os brinquedos não devem ocupar demasiado espaço na gaiola. Por fim, lembre-se que os brinquedos nunca podem substituir um companheiro.

Uma hora para voar à vontade

Para satisfazer a necessidade de movimento dos periquitos uma gaiola grande não chega. Assim, deve deixar que o seu periquito voe à vontade pelo menos uma hora por dia. Para tal, escolha uma divisão da casa que seja calma, grande e segura. Nesta, as portas e janelas devem estar fechadas. É igualmente fundamental garantir que a divisão está livre de plantas venenosas, assim como de recantos estreitos. Por outro lado, o seu periquito deve encontrar locais para pousar a diferentes alturas.

A cozinha e a casa de banho não são locais apropriados para o seu periquito voar, pois existem muitos perigos. Da mesma forma, quartos de crianças também devem ser excluídos, pois os periquitos assustam-se com barulhos altos ou com movimentos bruscos. Por fim, lembre-se que os periquitos gostam de mordiscar madeira, tapetes e móveis. Assim, evite soltar o seu passarinho em divisões com móveis caros, estantes laqueadas ou tapetes valiosos.

Viveiros

Quem tiver muito espaço em casa, pode ter um viveiro para os seus periquitos. Um viveiro é uma gaiola enorme que permite aos pássaros terem a sensação de voar livremente. Trata-se de um tipo de habitação para pássaros que vai totalmente de encontro às necessidades dos periquitos. Além disso, num viveiro podem viver várias aves.

Alimentação

Qual o tipo de alimentação adequada para os periquitos?

Na sua terra natal, a Austrália, os periquitos alimentam-se principalmente de sementes maduras e de outras plantas rasteiras. Através desta alimentação, os periquitos recebem toda a energia e nutrientes que precisam. Assim, os periquitos domésticos precisam acima de tudo de grãos de sementes. Desse modo, é aconselhável alimentar os pequitos com uma mistura de grãos de milho e outras sementes. Um periquito adulto e saudável precisa de cerca de duas colheres de ração por dia. No entanto, ração de sementes com muito óleo, como por exemplo, misturas prensadas com mel, deve ser dada esporadicamente devido ao seu elevado teor calórico. Assim, para mimar o seu periquito, o melhor é dar-lhe fruta fresca ou ervas como por exemplo, dente de leão ou erva canária.

Descubra aqui a nossa oferta de comida para periquitos.

Limpeza da gaiola

São vários os aspetos a ter em conta ao cuidar de um pássaro, como por exemplo a alimentação ou a limpeza da gaiola. No entanto, muitas vezes surgem dúvidas. Por exemplo, como devo limpar a gaiola? Com que frequência devo trocar a água ou a areia do chão? De seguida damos algumas dicas para desfazer dúvidas.

Tarefas diárias

  • Cada periquito deve comer duas colheres de chá de mistura de grãos.
  • Trocar a água do dia anterior por água fresca.
  • Mudar a água da banheira.
  • Remover os restos de frutas e de folhas verdes.
  • Uma hora de voo fora da gaiola.
  • Com intervalo de dois a três dias
  • Dar fruta, folhas verdes ou vegetais, mas nunca couves.
  • Mudar a areia.

Uma vez por semana

  • Limpar a gaiola e o chão. Ou seja, toda a areia deve ser retirada para permitir a lavagem em profundidade do chão da gaiola, dos poleiros e da banheira.
  • Lavar os comedouros e bebedouros, assim como os brinquedos.
  • Colocar areia nova.

Uma vez por mês

  • Limpeza total da gaiola incluindo a desinfeção de todos os acessórios.
  • Procurar e preparar novos ramos para os poleiros. Ou seja, uma vez encontrados os ramos, deve lavá-los, secá-los e trocar os antigos.

Cuidados de saúde a ter com os periquitos

Geralmente, os periquitos tratam da sua própria higiene. Uma banheira, uma pedra para afiar o bico e poleiros de ramos de árvore para garantir o desgaste das unhas ajudam bastante o seu pássaro. Assim, é importante que ele tenha estes acessórios disponíveis. Infelizmente, as doenças nos periquitos só se manifestam quando em estado avançado. Assim, é muito importante observar o seu comportamento, por exemplo, os rituais de limpeza. Caso detete alguma alteração comportamental, problemas intestinais ou uma diminuição de atividade, deve consultar um veterinário. Estas pequenas alterações que podem passar despercebidas são muito importantes, pois, na verdade, podem ser o primeiro sinal de uma doença.

Os periquitos são bons animais de estimação para crianças?

Os periquitos são muito bonitos e trazem sempre muita vida à casa onde vivem. No entanto, estes pássaros dão algum trabalho. Por isso, os pais que oferecem um periquito aos seus filhos devem estar conscientes de que grande parte do trabalho vai recair sobre eles. Assim, é recomendável que um periquito só seja oferecido a crianças com mais de 6 anos, pois com essa idade elas já podem ajudar nos cuidados básicos. No entanto, mesmo assim, são demasiado jovens para se responsabilizarem totalmente pelo periquito. Apesar disso, a presença de periquitos na família permite às crianças aprender a ter em conta as necessidades do seu passarinho. É importante não esquecer que um pássaro não é um boneco de peluche, mas é sempre muito agradável e divertido ouvir e observar um periquito.

Os nossos artigos mais relevantes

Caturra

As caturras procuram o contacto com animais da mesma espécie e se isso não for possível ligam-se aos humanos e exigem atenção a 100%.

Canário

Os canários são conhecidos por serem aves que cuidam de si mesmos desde que lhes sejam oferecidos os meios necessários.

Agapornis

Os agapornis necessitam de bastante espaço para se movimentarem sem restrições por isso um viveiro é a melhor opção para esta espécie.