Caracal ou Lince-do-deserto

Escrito por Bärbel Edel

Um Caracal em cima de um tronco na Namíbia

O Caracal sente-se em casa nas regiões secas da Ásia e África. As suas características orelhas com longos tufos pretos nas pontas fazem lembrar os linces e por isso estes animais são também conhecidos como Lince-do-deserto. Como são relativamente fáceis de domesticar algumas pessoas têm um Caracal como animal de estimação. No entanto, estes felinos são indiscutivelmente animais selvagens e por isso desadequados para viver em família.

Aparência dos Caracal

O Caracal pertence à família dos Felídeos. O seu nome Karakal (Caracal em português) deriva diretamente da palavra turca Karakulak que significa orelha preta, ou seja, remete para uma das característica que mais chama a nossa atenção neste animal.

A cor do pelo dos Caracal depende do local onde vivem. Assim, a pelagem dos Caracal assume uma cor amarelo-torrado se eles viverem numa zona mais seca e uma cor avermelhada se viverem em regiões mais húmidas. Além disso a barriga tem uma tonalidade mais clara e apresenta um padrão pontilhado claro. Já no focinho estes felinos apresentam manchas pretas e brancas.

Em termos de tamanho, estes animais medem em média 65 centímetros de comprimento e têm uma altura de 45 centímetros na cernelha. No entanto podem atingir cerca de um metro de comprimento, sem contar com a cauda que mede cerca de 30 centímetros. Os machos pesam entre 13 e 18 quilos. Já as fêmeas são ligeiramente mais leves. Assim, os Caracal pertencem ao grupo dos felinos de tamanho médio.

Tal como os linces, também os Caracal têm as patas traseiras mais compridas do que as dianteiras. Esta característica permite-lhes dar saltos impressionantes que chegam a atingir 3 metros de altura, estando o Caracal em pé. E assim, um Lince-do-deserto consegue capturar um pássaro em pleno voo.

O Caracal e os Linces

Durante muito tempo pensou-se que o Caracal (nome científico: Caracal Caracal) e o Lince (Lynx) estavam diretamente relacionados. Afinal, em termos de aparência os dois animais partilham várias características, como por exemplo os tufos nas orelhas, o tamanho e estrutura corporal. Por isto o Caracal também é chamado Lince-do-deserto.

No entanto existem diferenças importante entre o Caracal e o Lince. Os tufos nas orelhas do Caracal são mais compridos e ao contrário do Lince, o Caracal não tem bigodes nem uma cauda curta. Além disso, investigações genéticas recentes indicam que o parente mais próximo do Caracal é o Gato-dourado-africano. No entanto, estes animais todos pertencem à família Felidae, a que pertencem muitas espécies incluindo os grandes felinos.

Focinho característico de um Caracal
Bilhete de identidade do Caracal: tufos pretos na ponta das orelhas.

Habitat do Caracal

O Caracal pode ser encontrado em zonas semidesérticas, estepes e florestas secas que se encontram desde a península arábica até à Ásia. Assim, o Lince-do-deserto pode ser visto em países como Israel, Turquia, Jordânia, Síria, Kuwait, Irão, Iraque, Paquistão, Turquemenistão e India. Além disso, estes animais também vivem em praticamente todo o continente africano, com exceção das zonas complemente desérticas.

O Caracal não faz parte da lista dos animais em risco de extinção, no entanto o número de exemplares na Ásia tem vindo a diminuir, visto que o seu habitat natural está a ser destruído. A maior população de Lince-do-deserto encontra-se na província do Cabo na África do Sul.

O comportamento natural do Lince-do-deserto

O Caracal é um animal solitário que só se junta a outro durante a época do acasalamento. O território destes animais varia muito em tamanho, ou seja, entre 5 e 200 quilómetros quadrados tudo é possível. Assim, uma determinada zona pode pertencer ao território de mais do que um Caracal. De forma a evitar encontros indesejáveis com outros Lince-do-deserto, estes grandes felinos marcam o território. Como seria de esperar, os Caracal marcam as zonas que lhes pertencem com urina e outras secreções com odor que as pessoas não detetam. No entanto, estas secreções e odores transmitem informações importantes aos outros Caracal. Por exemplo, os odores das secreções indicam qual o estado de saúde dos machos ou se as fêmeas estão na época fértil.

Tal como os outros felinos, o Caracal não usa apenas odores para comunicar, mas também sons comuns aos gatos, como o miar, uivar ou ronronar.

Reprodução e crescimento

As fêmeas de Caracal geralmente têm ninhadas de 1 a 3 filhotes. A época de reprodução depende da estação do ano, ou seja, da altura em que existem mais presas disponíveis. Naturalmente, as fêmeas preferem dar à luz quando a comida é mais abundante e fácil de obter.

A gravidez dura cerca de 80 dias e as fêmeas dão à luz em locais considerados seguros, como por exemplo em tocas ou pequenas grutas. O local para dar à luz é muito importante pois os Caracal nascem com os olhos fechados e completamente indefesos. Quando nascem, os filhotes pesam cerca de 250 gramas. No entanto, estes felinos crescem rapidamente, com cerca de 10 dias abrem os olhos e com cerca de 1 mês já têm dentes de leite. A partir dessa altura os pequenos Caracal já conseguem comer as presas que a mãe lhes traz.

Caça: as primeiras tentativas para apanhar comida

Um Caracal caça pela primeira vez quando tem cerca de 6 ou 7 meses. Apesar de inicialmente desajeitados e não parecerem bons caçadores, estes felinos evoluem rapidamente e tornam-se muito eficientes a apanhar a sua comida.

Com aproximadamente 1 ano, os jovens Caracal deixam a mãe e vão encontrar e delimitar o seu território. Um Lince-do-deserto atinge a idade adulta com 2 anos. Por fim, a esperança média de vida destes felinos em cativeiro é de 16 anos.

O que comem os Caracal?

Como todos os felinos, o Caracal é um animal essencialmente carnívoro, que só muito raramente come alguma erva. Além disso, o Caracal também não costuma beber água, pois os líquidos que ingere através das presas são suficientes para a sua hidratação.

Estes grandes felinos preferem caçar durante a noite. Nessa altura conseguem aproximar-se das presas silenciosamente e surpreendê-las com um ataque muito rápido. Entre as presas preferidas do Lince-do-deserto estão os ratos, pássaros, antílopes e lebres. No entanto, animais domésticos, como as cabras também são muito apreciadas por este animal. Este facto faz com que agricultores, por exemplo, na província do Cabo na África do Sul persigam o Caracal. O Caracal mata as suas presas de forma muito eficiente com uma dentada no pescoço ou na garganta.

Caracal em posição de caça em cima de uma árvore
O Caracal é um animal selvagem que não deve ser transformado num companheiro da família.

Adquirir um Caracal?

Até meados do século 20 o Caracal era domesticado em países como a India ou o Irão, onde era usado para caçar lebres ou pequenos animais. Hoje em dia, estes grandes e exóticos felinos tornaram-se um símbolo de luxo e riqueza. Assim, o valor de um Caracal varia entre os 6.500 e os 9.000 euros.

Mesmo que o Lince-do-deserto o deixe completamente fascinado que o seu valor não seja um problema, ter um destes felinos como animal de estimação não é uma boa ideia. Estes felinos são animais selvagens e não são adequados para viver com seres humanos. Ou seja, não é possível educar de forma adequada estes felinos para serem animais de companhia. Além disso, por maior que seja o seu quintal ou jardim, esse espaço corresponde apenas a uma pequena parte do território natural do Caracal. Por fim, na companhia de seres humanos o Caracal não vive de forma natural, uma vez que uma das suas principais atividades, a caça, deixa de ser possível.

Por fim, é muito importante sublinhar que o Caracal é um animal potencialmente muito perigoso. Os dentes e garras afiadas podem causar ferimentos graves, o que leva os donos a rapidamente mudarem de ideias e a abandonar estes grandes felinos. Existe também legislação que proíbe a posse de animais selvagens em casa.

Caracat: Cruzamento entre gatos domésticos e o Caracal

Para responder à crescente procura de gatos exóticos de pequeno tamanho têm surgido várias raças híbridas de gatos. Entre as raças híbridas mais conhecidas está o Bengal e Savannah.

A raça híbrida conhecida como Caracat resulta do cruzamento entre uma raça de gato doméstico e um Caracal. No entanto, este processo é problemático e potencialmente perigoso, pois um Caracal pode facilmente ferir gravemente o gato durante o acasalamento. É de sublinhar que o Caracal é muito maior e mais forte do que qualquer gato doméstico.

Outro problema para o desenvolvimento destes gatos híbridos é a gravidez, visto que as gatas geralmente dão à luz passados 63 dias e as fêmeas Caracal precisam de 80 dias de gestação. Esta diferença no período de gravidez pode causar problemas de desenvolvimento nos filhotes. Por fim, um Caracat pode herdar a personalidade mais selvagem do Caracal e assim representar um perigo inesperado para a sua família humana.

Assim, por questões éticas e também de segurança não deve ter nem um Caracat nem um Lince-do-deserto em casa. Se quer ter um gato na família procure um normal gato doméstico. Em associações de proteção de animais encontra também com frequência gatos de raça à espera de uma nova casa. Acima de tudo lembre-se que Leonardo da Vinci, que também se dedicou a desenhar e representar os gatos concluiu que “mesmo o menor dos gatos é uma obra-prima.”.

Os nossos artigos mais relevantes
10 min

Persa

Os gatos persas são das raças mais populares, antes de adotar um gato persa fique a saber: Que cuidados ter; Personalidade; Alimentação e muito mais.
11 min

Bosque da Noruega

O bosque da Noruega conquista facilmente o coração de toda a gente graças ao seu aspeto selvagem e personalidade genuína.