Gengivite nos cães This article is verified by a vet

Veterinário observa os dentes e gengivas de um cão. O controlo regular da saúde oral permite evitar a gengivite nos cães

Para detetar a gengivite nos cães precocemente é importante verificar regularmente o estado da boca do seu cão. Na fotografia vemos um cão com a boca saudável.

O mau hálito do seu cão sente-se de longe? Então está na hora de o levar ao veterinário. A gengivite nos cães, ou seja, a inflamação das gengivas é uma das causas de mau hálito e deve ser tratada rapidamente. Leia este artigo e descubra informações importantes sobre esta doença.

Quais os cães com mais tendência a ter gengivite?

Infelizmente qualquer patudo pode ter este problema, independentemente da raça, sexo ou idade. No entanto, os cães de raças pequenas e cães sénior são particularmente suscetíveis à gengivite.

Quais os sintomas da gengivite nos cães?

As gengivas quando ficam inflamadas ficam de um vermelho intenso, além de inchadas e muito sensíveis. É importante sublinhar que a inflamação pode ser generalizada ou localizada, ou seja, estes sintomas podem ser visíveis em toda a boca ou só numa parte. Outros sintomas possíveis são:

  • O patudo come menos ou demora mais tempo a comer.
  • Há sangramento das gengivas.
  • O cão apresenta um mau hálito intenso.

Sem tratamento a inflamação pode expandir-se para outras estruturas. Nesse caso pode dar-se uma inflamação generalizada da boca, que pode mesmo causar a perda de dentes. Além disso, se as bactérias que causaram a inflamação se reproduzirem o suficiente podem viajar através do sangue até outros órgãos internos. No pior dos casos, as bactérias podem chegar ao coração ou rins com consequências fatais.

Cão sedado enquanto o veterinário examina as gengivas. A gengivite nos cães pode ser grave se não for tratada
Este Jack Russel Terrier apresenta uma gengivite grave associada a uma periodontite, ou seja, inflamação e destruição dos tecidos e ossos que suportam os dentes.

Diagnóstico da gengivite nos cães

Para conseguir ver bem a boca do seu patudo, o veterinário começa por puxar os lábios para cima. Assim, ele consegue ver os dentes da frente. Caso o patudo coopere consegue ver igualmente a parte de baixo dos dentes da frente.

Se o veterinário suspeitar que os dentes de trás têm algum problema ou se o patudo estiver muito irrequieto é preciso sedá-lo. Só com o patudo a dormir é que se pode ver a boca toda e caso seja necessário fazer uma limpeza aos dentes.

No entanto, antes de fazer a limpeza, o veterinário observa as gengivas com uma sonda. Além disso, geralmente é também feito um raio X a toda a boca para verificar o estado das mandíbulas.

Tratamento da gengivite

O primeiro passo para aliviar a gengivite é fazer a limpeza dos dentes. Geralmente, o veterinário faz este procedimento logo a seguir a observar cuidadosamente a boca do seu patudo. Dessa forma evita-se uma segunda anestesia.

A limpeza dos dentes consiste na remoção do tártaro que se formou à superfície dos dentes e entre os dentes. Para tal o veterinário usa instrumentos especialmente concebidos para tal. Dependendo da gravidade da inflamação, o seu cão pode ter que tomar medicamentos para as dores e antibióticos, no caso de uma infeção grave.

Prognóstico da gengivite nos cães

Se verificar regularmente o estado da boca e dos dentes do seu cão consegue detetar precocemente uma gengivite. Nesse caso o veterinário consegue evitar que a doença se desenvolva assim como complicações adicionais.

Por outro lado, se a infeção já se espalhou e atingiu outras estruturas, as bactérias podem espalhar-se pelo corpo com consequências graves para a saúde do seu patudo.

Causas da gengivite

A gengiva é o tecido que reveste o suporte dos dentes. Assim, uma inflamação da gengiva geralmente indica que os dentes não estão completamente saudáveis. Por exemplo, a presença de placa bacteriana ou tártaro, que se formam quando resíduos de alimentos e bactérias se instalam na superfície dos dentes, podem causar esta inflamação.

Para saber mais sobre este tema consulte o artigo Tártaro nos cães na zooplus Magazine.

Prevenir a gengivite nos cães

Uma boa higiene oral é a melhor arma que tem ao seu dispor contra a gengivite. De facto, a escovagem regular dos dentes do seu patudo assim como visitas de controle ao veterinário reduzem significativamente a probabilidade de o seu cão desenvolver esta doença.

Leia o nosso artigo A higiene oral nos cães e descubra se os snacks para higiene oral têm realmente um efeito positivo na saúde oral do seu patudo.


Franziska G., veterinária
Franziska G.

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
11 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?
7 min

Comichão nos cães

Todos os cães sentem comichão de vez em quando, mas a comichão nos cães pode ser um sinal de parasitas ou fungos, alergias ou uma doença mais abrangente.