Doações de sangue para cães This article is verified by a vet

doações de sangue para cães

Salve vidas a cães ao inscrever gratuitamente o seu patudo para dar sangue.

As doações de sangue salvam vidas - e não apenas humanas. Este artigo explica-lhe se o seu patudo está ou não apto para doar sangue e como se processam as doações de sangue para cães.

Os dadores têm que satisfazer pré-requisitos?

Uma doação de sangue é muito desgastante para os cães dadores. É importante lembrar que são muitas as doenças que se podem transmitir pelo sangue. Deste modo, o seu patudo tem que satisfazer alguns pré-requisitos para doar sangue:

  • Na maioria das clínicas veterinárias, apenas cães saudáveis até aos dez anos podem doar sangue.
  • Se o seu cão tiver alguma vez recebido sangue, não pode doar sangue.
  • Para doar sangue, o cão deve pesar 20 kg no mínimo. Cães de raça pequena, como os chihuahua e os teckel, não podem fazê-lo.
  • Antes da doação de sangue, o seu cão não pode tomar medicação. São exigidas desparasitações regulares e vacinas em dia.
  • No caso das cadelas, só podem dar sangue quando não estiverem com o cio. Perdas de sangue adicionais seriam outra fonte de stress.

Se o animal satisfizer as condições mencionadas, o veterinário dá início a um cuidado exame clínico. Mede-lhe a temperatura corporal, por exemplo, e tira-lhe sangue gratuitamente. O veterinário analisa parâmetros importantes, como a presença de células inflamatórias.

Doações de sangue para cães: com que frequência podem dar sangue?

Por norma, um cão podem dar sangue entre três a quatro vezes por ano. Porém, estes números dependem do seu estado de saúde. O veterinário terá a última palavra acerca de uma nova doação do seu patudo.

doações de sangue para cães
Em poucos minutos, o saco enche-se de sangue do cão dador.

Como se processa uma doação de sangue nos cães?

Se o seu cão for elegível para dar sangue, seguem-se várias etapas:

  1. Para que o animal não se enerve nem se magoe durante a doação de sangue, o veterinário irá anestesiá-lo.
  2. O cão irá ser tosquiado na zona do pescoço para facilitar o acesso às veias. Os assistentes certificam-se que não rapam demasiado o pelo.
  3. A equipa limpa e desinfeta rigorosamente a pele tosquiada.
  4. Tem agora início a colheita de sangue. O veterinário insere uma agulha fina (cânula) na veia. Com um sistema apropriado, recolhe até meio litro de sangue. Até ser utilizado, o veterinário armazena o saco de sangue num banco de sangue refrigerado.
  5. Para recompensar a coragem do patudo, o veterinário dá-lhe comida e água.
  6. Depois de um período de descanso, pode levar o animal para casa. De qualquer modo, o resto do dia deve ser tranquilo, permitindo ao patudo descansar.

Em que situações são usadas as doações de sangue?

Sempre que um cão tenha perdido muito sangue ou quando o seu próprio não coagule adequadamente, é necessária uma transfussão de sangue.

É frequente os cães precisarem de receber sangue nas seguintes situações:

  • Ferimentos graves (acidente de carro, por exemplo)
  • Distúrbios de coagulação (hemofilia, por exemplo)
  • Antes, durante ou depois de uma cirurgia
  • Envenenamento grave (veneno de rato, por exemplo)
  • Insuficiência renal crónica ou lesões hepáticas graves
  • Em doenças dos órgãos hematopoiéticos (por exemplo, medula óssea)

Qual o papel do grupo sanguíneo?

Também no caso dos cães existem vários grupos sanguíneos. Estes têm um papel importante na doação de sangue, pois alguns não são compatíveis. Deste modo, o veterinário tem que determinar o grupo sanguíneo do dador e do recetor antes da transfusão. Distinguem-se essencialmente dois tipos de sangue:

  • DEA 1.1 positivo
  • DEA 1.1 negativo

Se o veterinário combinar dois grupos sanguíneos não compatíveis, o recetor pode sofrer graves consequências. Os dois tipos de sangue aglutinam-se nos vasos sanguíneos e a circulação sanguínea é interrrompida. A este processo chama-se hemaglutinação.

Já que esta reação pode ser fatal, o veterinário testa a compatibilidade da doação com um teste rápido (teste de aglutinação). Se o sangue se mantiver líquido, pode proceder-se à transfusão.

Caso não exista sangue compatível no banco de sangue, o veterinário pode usar, em situações de emergência, sangue de gatos. Porém, para salvar a vida do cão é importante encontrar sangue de cão compatível o mais depressa possível.

Quais as vantagens de uma doação de sangue?

Uma doação de sangue não tem só vantagens para o recetor. Regra geral, os exames preliminares ao cão dador são gratuitos, incluindo o exame ao sangue.

Os nossos artigos mais relevantes
11 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?