Colapso da traqueia nos cães This article is verified by a vet

Yorkshire Terrier a ser examinado com estetoscópio. O colapso da traqueia nos cães deve ser diagnosticado precocemente.

O colapso da traqueia provoca tosse seca nos cães

A respiração normal permite que o oxigénio chegue aos pulmões e seja depois distribuído para os órgãos vitais. A outra função essencial da respiração é expulsar o dióxido de carbono que é prejudicial ao organismo. No caso do colapso da traqueia nos cães o processo de respiração normal fica comprometido. Naturalmente, esta doença pode ter consequências muito graves. Para saber mais sobre esta doença leia o nosso artigo.

O que acontece em caso de colapso da traqueia?

O colapso da traqueia nos cães é uma condição em que a traqueia se deforma e impede a normal circulação do ar. Nos casos mais graves a traqueia colapsa impedindo que o patudo respire.

Sintomas do colapso da traqueia nos cães

Os patudos nem sempre apresentam sintomas diretos desta condição. Assim, muitas vezes os donos só se apercebem que há algo de errado com o seu cão passadas semanas ou mesmo meses depois do início do colapso da traqueia. E geralmente o primeiro sintoma que os donos detetam é a fraqueza física. Em seguida os patudos desenvolvem tosse crónica, que surge após a prática de exercício físico. Em casos mais graves a tosse surge mesmo quando os cães estão em repouso.

Por fim, se o patudo se sentir sufocado ele entra em pânico esforçando-se por respirar. Infelizmente a reação instintiva dos cães agrava o problema devido à pressão que o esforço coloca nas vias respiratórias. Nesses casos o cão corre perigo de vida e precisa de ajuda imediata.

Diagnóstico do colapso da traqueia nos cães

Se o seu patudo apresentar problemas respiratórios graves deve contatar imediatamente o seu veterinário. Assim, se o seu patudo apresentar falta de ar ou as mucosas da boca azuis não hesite em levá-lo imediatamente ao consultório. Dessa forma o patudo recebe ajuda profissional e portanto as manobras necessárias para restaurar a respiração.

Quando a situação clínica do seu patudo estiver estabilizada o veterinário vai examinar as vias respiratórias. Para tal pode usar um traqueoscópio ou fazer radiografias. No entanto, para examinar a traqueia e verificar se existe um colapso é necessário fazer uma traqueoscopia.

Radiografia lateral de um cão onde se pode ver a traqueia. As radiografia é um meio de diagnóstico comum para o colapso da traqueia nos cães
Radiografia lateral do peito de um cão: o tubo preto e longo que vai da esquerda para a direita é a traqueia.

Qual o tratamento para o colapso da traqueia nos cães?

Nem todos os casos de colapso da traqueia necessitam de intervenção cirúrgica. De acordo com a gravidade do problema o patudo pode ser tratado com medicamentos. Assim, o veterinário pode prescrever anti-inflamatórios, expetorantes e broncodilatadores para aliviar os sintomas. Para casos de patudos com ansiedade elevada o veterinário também pode prescrever ansiolíticos.

O excesso de peso é um fator com impacto negativo nesta condição. Assim, os patudos obesos devem perder peso. Também os donos que fumem devem abster-se de o fazer perto do seu patudo.

No entanto quando o patudo tem episódios graves ou constantes de falta de ar é necessário fazer uma cirurgia. A intervenção não só alivia os sintomas, como também pode salvar a vida dos patudos. A correção do colapso da traqueia realiza-se através da colocação de próteses endoluminais (stents) ou e de próteses extra-luminais (anéis).

É importante sublinhar que estas intervenções não curam o patudo, apenas aliviam os sintomas. Assim, após a cirurgia os donos devem manter os cuidados preventivos. Por fim, muitas vezes o veterinário tem que recorrer à ventilação artificial. Nesse caso é colocado um tubo para a passagem do oxigénio através da traqueia. Naturalmente, o veterinário tem todos cuidados possíveis para não danificar ainda mais este órgão.

Patudo a ser entubado.
Muitas vezes o veterinário não consegue tratar o patudo sem o intubar, ou seja, sem recorrer à ventilação artificial. Nesse caso são precisos cuidados redobrados para não danificar mais a traqueia.

Existem consequências negativas da cirurgia?

Infelizmente, a intervenção cirúrgica na traqueia pode causar algumas complicações. Por exemplo, ao colocar as próteses o cirurgião pode danificar estruturas próximas da traqueia como terminações nervosas. Se isto acontecer a laringe pode ficar paralisada. Além disso, os stents podem escorregar e pôr em risco a vida do patudo.

Existem remédios caseiros para o colapso da traqueia nos cães?

A resposta a esta pergunta é muito simples: Não. Se a traqueia do seu patudo entrar em colapso não existe remédio caseiro ou homeopático que o possa ajudar. Assim, se o seu cão apresentar este problema deve procurar ajuda profissional.

Causas do colapso da traqueia nos cães

Existem vários fatores que aumentam o risco de o seu patudo ter um colapso da traqueia. Entre eles estão:

  • Excesso de peso
  • Realização de uma entubação para garantir a respiração artificial do patudo. Por exemplo, durante uma anestesia
  • Doenças inflamatórias das vias respiratórias, como inflamação pulmonar
  • Inalação constante de fumo, se os donos são fumadores
  • Predisposição de acordo com a raça. Esta doença atinge os cães de raças pequenas com mais frequência
  • Hipertrofia ventricular esquerda
  • Paralisia da laringe
  • Acumulação de água nos pulmões, ou seja, edema pulmonar

Raças com tendência a apresentar colapso da traqueia

Cães de raças pequenas e cães braquicefálicos, ou seja, com o focinho achatado tem uma maior predisposição genética para desenvolver esta doença. Entre as raças mais afetadas estão as raças Pug, Spitz e Yorkshire Terrier.

Este problema deve-se a especificidades da anatomia dos patudos destas raças. Ou seja, o formato do esófago dos patudos desta raça leva a que as suas paredes acabem por roçar umas nas outras. A longo prazo esta situação acaba por danificar as paredes e estrutura da traqueia.

Pug a correr na relva. O colapso da traqueia nos cães é mais frequente em raças pequenas
Cães pequenos têm maior tendência a desenvolver colapso da traqueia.

Qual o prognóstico do colapso da traqueia nos cães?

A regra é: quanto mais cedo o patudo for diagnosticado, melhor é o prognóstico. Muitos patudos com colapso da traqueia não muito grave vivem bem apenas com medicação.

No entanto, se o colapso da traqueia for de grau elevado, a cirurgia é a única alternativa. Nesse caso, outras complicações associadas quer à doença, quer à cirurgia podem piorar o prognóstico. Assim, é extremamente importante levar o seu patudo ao veterinário caso suspeite que ele tem problemas respiratórios.

Prevenção do colapso da traqueia nos cães

Se o veterinário diagnosticou colapso da traqueia ao seu patudo deve adotar medidas para evitar que o problema se agrave. Por exemplo:

  • Passe a colocar um peitoral no seu patudo em vez de coleira.
  • Controle o peso do seu cão e se necessário deve dar-lhe uma ração de dieta.
  • O patudo deve fazer exercício físico. No entanto, tenha cuidado para não exagerar.
  • Evite colocar o seu patudo em situações que causem stress ou muita excitação.
  • Evite que o seu patudo inale fumo de cigarros.

Franziska G., veterinária

Estudei medicina veterinária na Universidade Justus-Liebig em Gießen, onde pude ganhar alguma experiência em vários campos, como medicina para pequenos e grandes animais, medicina exótica, farmacologia, patologia e higiene alimentar. Desde então, não trabalhei apenas como autora veterinária. Também trabalhei na minha tese, que foi influenciada cientificamente. O meu objetivo é proteger melhor os animais contra patógenos bacterianos no futuro. Além do meu conhecimento, partilho as minhas próprias experiências como dono de um cão e, assim, consigo entender e dissipar medos e problemas, bem como outras questões de saúde animal.


Os nossos artigos mais relevantes
12 min

Castração de cães

A castração constitui um procedimento de rotina na medicina veterinária – mas será sempre recomendada? Qual a diferença entre castração e esterilização?